sexta-feira, abril 26, 2013

Deus Aceita Todo "Louvor"?

Um conhecido canal de TV aberta divulgou certa vez uma pesquisa sobre música gospel. Vejam o resultado:

Que ritmo você não aceita de jeito nenhum no louvor a Deus?

Forró: 11.8 %
Rock: 0 %
Funk: 29.4 %
Pagode: 5.9 %
Todos são válidos se o louvor é sincero: 52.9 %
Rap: 0 %

Interessante notar como ninguém votou no ROCK nem no RAP. Isso mostra que as pessoas que participaram da enquete acham totalmente válida a adoração a Deus com um louvor caracterizado por esses 2 estilos musicais, muito difundido especialmente entre os jovens. Mais revelador ainda é o fato de que a grande maioria (quase 53%) dos internautas afirmaram que todos os ritmos são válidos, basta haver "sinceridade" no louvor... Por enquanto parece que o único ritmo que não está agradando muito a comunidade "gospel" é o funk... Mas não vai demorar muito para surgirem os "funkeiros de Jesus" (se é que já não estão por ai).

Não consigo imaginar os anjos cantando ao redor do Trono de Deus alguma música com um ritmo semelhante aos que vemos nos bailes por ai. Certamente, a música tocada no coro celestial é uma perfeita combinação de harmonia, melodia, ritmo e letra, de tal forma a encher o ambiente com uma atmosfera de santidade, decência e honra para com o Deus santo que governa o Universo.

Como não quero dar uma de "careta" (rsrs), vou apenas transcrever alguns pensamentos que o Senhor enviou para nós, através do ministério de Ellen White (extraídos do livro "Música - sua influência na vida do cristão", 2005).

"Não há palavras para descrever adequadamente as profundas bênçãos do louvor genuíno. Quando os seres humanos cantam com o espírito e o entendimento, os músicos celestiais entram na harmonia e se unem ao cântico de ação de graças" (p. 24).

"Todo o culto deve ser efetuado com solenidade e reverência, como que na visível presença do próprio Deus" (p. 26).

"O Senhor revelou-me que haveria de ocorrer imediatamente antes da terminação da graça... Haverá gritos com tambores, música e dança... E isso será chamado de operação do Espírito Santo. O Espírito Santo nunca Se revela por tais métodos" (p. 34).

"A música só é aceitável a Deus quando o coração é consagrado, enternecido e santificado por sua docilidade" (p. 58).

Estas "pérolas" foram só para dar água na boca... leia o livro todo e você verá como Deus interpreta a importância da música a adoração a Ele.

Por fim, vale lembrar as palavras de Jesus:

"Nem todo o que Me diz: Senhor, Senhor! entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de Meu Pai, que está nos céus" (Mateus 7:21).

Depois nós falamos mais sobre esta declaração de Jesus... Até lá!

Veja também:
- O que acontece com alguns cantores?
- Verdadeiros adoradores


6 comentários:

Anônimo disse...

eu estava pensando em comprar alguns CD's nos dias da "Casa Aberta" mais fiquei muito ancioso para ouvir o novo CD do grupo Nova Voz - Uma Geração e decidi baixar pela internet, gostei muito e vou comprar. Mas ao baixar o novo CD de Alessandra Samadello - Impossivel Dizer, realmente tenho que dizer que me decepcionei, as musicas dela estao mais agitadas que as de Aline Barros, e se fosse só a agitação o motivo da minha decepçao estaria mais tranquilo, ao chegar na musica n°8 intitulada como "Desde que eu tenha você" vi que essa musica pode ser comparada com uma musica mundana, porque nao tem o nome de DEUS, JESUS, ESPIRITO SANTO, e nada a ver com a vida cristã, parece mais musica de namorico adolescente, que decepçao!
Quando eu ouvi a musica n°1 "Meu Poder Ele É" o som dos instrumentos e lembrou micaretas e bandas de Axé. Eu gosto muito das musicas da Alessandra mais esse CD eu nao recomendo pra ninguem, me desculpem.

Parabéns pelo Blog.

Kayo disse...

Fico triste só em pensar que o secularismo pode afetar nossa igreja.

Anônimo disse...

Realmente, onde chegamos?

Os "cantores" evangélicos vendem tanto ou mais que os cantores populares.

E os nossos irmãos e irmãs que cantam deixaram-se levar por essa "onda", e o resultado não poderia ser diferente: sons mundanos adentrando em nosso arraiais.
É de se lamentar.
Oxalá haja tempo para mudar, pois a continuar assim ...

Que Deus ilumine nossos músicos, para que haja mudanças radicais.

Que a música seja instrumento para salvação e não de perdição para quem canta e para quem ouve.

Marcos Cruz

Anônimo disse...

foi-se o tempo que se dizia que somente músicas recomendadas por nossa igreja valia apena

A.K.Renovatto disse...

Esse tema é polêmico principalmente quando há discussão entre pessoas já com certa idade com jovens rsrs. Eu, particularmente não sou radical, mas também sou contra certos ritmos em louvores, gosto de ouvir louvores clássicos (músicas antigas) para relembrar minha mocidade e sinto que ainda hoje essas músicas falam ao coração. Mas jovens pensam diferente e não têm paciência com muita "calmaria", é onde entra o rock, pagode, pop e outros ritmos mais agitados. Há muita música gospel, mas louvor, adoração é aquilo que exalta a Deus e sabemos que há muita música de autoajuda onde o centro da música é o homem. Creio que com o tempo, a música cristã pode decair mais se continuarem inovando assim, mas por outro lado, ainda há cantores bons e com louvores excelentes, graças a Deus!

Anônimo disse...

Respeito muito as preferências particulares de cada um, mas deixarei minha participação. Entendo que muitos não gostam de sons mais agitados e há igrejas que nem bateria e percussão têm por entenderem serem "falta de reverência". Mas sou jovem e eu particularmente entendo que deve haver equilíbrio. Essa é a palavra chave. No salmos 150 fala de como louvar a Deus e quando fala de danças, címbalos sonoros e retumbantes, está claro que não se deve achar que louvor é somente músicas lentas quase "dormindo". Cada momento do culto pede uma música diferente: há circunstâncias que uma música calma é mais adequado, mas as vezes uma música mais animada é bom sim (tudo com ordem e decência).

"Aleluia! Louvai a Deus no seu santuário; louvai-o no firmamento, obra do seu poder. Louvai-o pelos seus poderosos feitos; louvai-o consoante a sua muita grandeza. Louvai-o ao som da trombeta; louvai-o com saltério e com harpa. Louvai-o com adufes e danças; louvai-o com instrumentos de cordas e com flautas. Louvai-o com címbalos sonoros; louvai-o com címbalos retumbantes. Todo ser que respira louve ao SENHOR. Aleluia!" (Salmos 150)

O problema não está no ritmo da música, mas na intenção do louvor, letras boas importam também e já ouvi rap com letras muito boas que alertam e muito a juventude e que falou no meu coração bem mais do que certas músicas lentas e tradicionais. Curto sim louvores tradicionais, mas gosto também de rap (com letras boas e mensagem positivas cristãs), gosto também de músicas animadas. Tudo tem o momento e no culto há espaço para diferentes músicas (basta adequar a hora certa e com ordem, decência e temor a Deus). Louvor é o que glorifica a Deus e se há sinceridade, temor no Senhor, pode ser em músicas tradicionais e modernas.

Cursos Básico, Médio e Avançado

Ebook 101 Razões