segunda-feira, outubro 07, 2013

A vida é feita de escolhas... boas e más.

"Conheça Edwin Thomas, o mestre do palco.
Durante a 2ª metada do séc. XIX, este pequeno homem com voz forte possuía alguns rivais. Estreando em Ricardo III aos 15 anos, ele rapidamente estabeleceu-se como o primeiro ator Shakespeariano. Em Nova Iorque ele representou Hamlet durante 100 noites consecutivas. Em Londres, ganhou a aprovação da dura crítica britânica. Quando o assunto era tragédia no palco, Edwin Thomas fazia parte de um seleto grupo qualificado.

Quando a tragédia passou para a vida real, o mesmo também pôde ser dito.

Edwin tinha dois irmãos, John e Junius, ambos atores, embora não chegasse à sua altura. Em 1863, os três irmãos uniram seus talentos para representar Júlio César. O fato de seu irmão John ter representado o papel de Brutus seria um sinistro precursor do que aguardava os irmãos - e a nação - dois anos adiante.

O John que representou o assassino em Júlio César foi o mesmo que fez o papel de assassino no teatro Ford. Em uma fria noite de abril de 1865, ele entrou silenciosamente pela parte de trás em um camarote e atirou contra a cabeça de Abraham Lincoln. Sim, o sobrenome dos irmãos era Booth - Edwin Thomas Booth e John Wilkes Booth.

Edwin nunca mais foi o mesmo após aquela noite. A vergonha pelo crime de seu irmão fez com que ele se aposentasse. Ele nunca teria voltado ao palco, não fosse por um fato inusitado ocorrido em uma estação de trem em Nova Jersey. Edwin aguardava seu vagão quando um jovem bem vestido, imprensado pela multidão, desequilibrou-se e caiu entre a plataforma e o trem em movimento. Sem hesitar, Edwin colocou seu pé no trilho, agarrou o homem, e o puxou a salvo. Após os sinais de alívio, o jovem reconheceu o famoso Edwin Booth.

Edwin, no entanto, não reconheceu a pessoa a quem havia resgatado. Tal reconhecimento só veio a acontecer algumas semanas mais tarde através de uma carta, que ele carregou em seu bolso até o dia de sua morte. Uma carta do general Adams Budeau, secretário-chefe do general Ulisses S. Grant. Uma carta de agradecimento a Edwin Booth por ter salvo a vida do filho de um herói americano, Abraham Lincoln.

Que ironia! Enquanto um irmão assassinava o presidente, o outro salvava a vida do filho do presidente. O nome do rapaz que Edwin Booth salvou? Robert Todd Lincoln.

Edwin e John Booth. Mesmo pai, mãe, profissão e paixão - mesmo assim, um escolhe a vida e o outro, a morte. Como pode ser? Embora seja uma história dramática, não é única".

Caim e Abel
Abrahão e Ló
Davi e Saul
Pedro e Judas

Porta larga e porta estreita
Caminho espaçoso e caminho largo
Construir sobre a rocha ou sobre a areia
Servir a Deus ou às riquezas
Somar com os bodes ou com as ovelhas


Que escolhas você tem feito?
Com a ajuda de Deus, seguindo Seus conselhos e direção, busque sempre tomar as melhores escolhas.

"... te propus a vida e a morte, a bênção e a maldição; escolhe, pois, a vida, para que vivas, tu e a tua descendência" - Deut. 30:19

Que Deus maravilhoso!
Fonte: Max Lucado, Ele escolheu os cravos (Rio de Janeiro: CPAD, 2005), 49-50.

2 comentários:

R.N. Tavares disse...

olá,
essa história é muito bonita e quem a ler se envolve realmente pois na vida temos que fazer escolhas e escolhas certas.
Como diz o Dr. Lair Ribeiro em um de seus periódicos: inteligencia é a capacidade de fazer distinçao, pois na vida nos é apresentado varios caminhos, se conseguirmos fazer distincao entre um caminho e outro e escolher o caminho certo, podemos afirmar que somos inteligentes, parece simples né, mas o que vemos é totalmente o oposto. pessoas que tem tudo pra escolher o caminho bom, mas nao, preferem optar pelo caminho das drogas, do crime, do roubo e etc.

Mas o que me levou a visitar seu blog é que nesse texto do assassinato do presidente abrahan lincoln no final voce citou as fontes: o autor, o nome do livro, a editora e etc. gostei de seu gesto pois em outros sites podemos ver o mesmo texo e no final o cara poe lá: autor Pr. fulano de tal, querendo passar a entender que ele é o autor. isso é um absurdo!!

valeu irmazinho, um abraço.

A.K.Renovatto disse...

Interessante esse texto...Nossa vida é feita de escolhas. As escolhas que fazemos tendo Deus no centro, são as melhores, mas quando por um descuido optamos em fazer escolhas sem direção de Deus, as consequências não são agradáveis. Que Deus tenha misericórdia de todos nós, em cada uma de nossas escolhas. Muito bom o tema abordado.

Cursos Básico, Médio e Avançado

Ebook 101 Razões