sexta-feira, janeiro 16, 2015

Deus me ama...

Algumas ilustrações de sermão tendem a ficar marcadas em nossa mente. Nestes mais de 20 anos que tenho de Evangelho na Igreja Adventista (Graças a Deus!), uma das estórias que mais me impressionaram foi a da "Forca do Amor".

Se você ainda não conhece, conhecerá a partir de agora...

Um velho fazendeiro muito rico tinha um único filho, que vivia importunando-o a dar algum dinheiro para que o jovem rapaz fosse "aproveitar a vida", viajando e conhecendo novas pessoas (qualquer semelhança bíblica é mera coincidência...rs).

Com sua sabedoria, o velho pai sempre tentava mostrar ao seu filho que a vida não se resume a dinheiro, farra e prazeres. O mais sensato seria que o rapaz continuasse ali, na fazenda, ao lado do seu pai... mas suas palavras não convenciam o jovem e impaciente filho.

Um dia, depois de tanto "importunar" seu velho pai, o jovem ouve as palavras que ele tanto ansiava:
- Está bem! Você venceu - disse o velho pai. - Mas, tem algo que você terá que fazer - acrescentou. Venha comigo até o celeiro.

No fundo do terreno, em um canto isolado da fazenda, havia um velho armazém, já em desuso. Ao chegarem lá, o jovem se deparou com algo que ele não compreendeu a princípio... Ali o pai havia construído uma grande FORCA. Mas o mais estranho ainda estava por vir. O pai olha bem no fundo dos seus olhos, e lhe fez um estranho pedido:

- Querido, você é meu único e amado filho, herdeiro de tudo que tenho e sou. Sei que você ainda é muito jovem para compreender o real sentido da vida, e temo que meus dias não estão longe de se findarem. Quero, então, que você faça agora mesmo uma PROMESSA... Se, após eu morrer, você vier a desperdiçar tudo que tem e ficar na miséria, quero que venha até aqui e enforque-se nesta FORCA que EU MESMO preparei especialmente para você. Prometa do fundo do seu coração!

O rapaz, sem entender direito PORQUE o seu pai lhe havia feito tal pedido, responde:

- Pode deixar, pai, sei que isso não vai acontecer pois vou cuidar muito bem de nossas riquezas. Mas se algum dia eu vier a ficar na miséria, eu venho aqui e faço o que o senhor está me pedindo.

O pai suspira aliviado (porém já se angustiando)... e os dois voltam para casa.
Os dias passam, a vida segue sua viagem ininterrupta, até que o previsível acontece: O PAI MORREU.

O jovem, após passar os dias do luto, agora sozinho no mundo mas dono de uma grande herança, sente-se "livre" para aproveitar a vida... exatamente o que ele por tantas vezes pediu que seu velho pai lhe permitisse fazer.
Muito dinheiro, muitos "amigos" (já percebeu como o $ tem um ímã para "amigos"), muitas garotas, muitas festas, muitas viagens... muito, muito, muito... até que...

Um dia, sem se dar conta, o dinheiro havia acabado. Até mesmo a velha fazenda da família já havia sido vendida para converter-se em prazeres e luxo... tudo se foi... só restavam as lembranças. O jovem começa a ver quão sábias eram as previsões do seu querido pai, e quanto ele, rebelde, havia sido tolo em desperdiçar o que a família juntara por tantos anos.

Os dias passam (pois a vida é assim, não para...), e ele se vê na mais completa miséria, sem dinheiro, sem "amigos" (na verdade eles nunca estiveram ao seu lado), sem garotas... até mesmo sem comida. Vagueando pelas ruas à procura de alguma migalha para se alimentar, ele repentinamente lembra-se de seu velho pai, da antiga fazenda, do armazém... e da PROMESSA.

- Nunca fui obediente ao meu pai enquanto ele esteve vivo. Hoje estou nesta situação... mas agora vou cumprir o que prometi a ele naquele dia.

Chegando em frente à fazenda, ele vê ao longe, em um lugar isolado perto da cerca, o antigo armazém, já coberto pelo mato alto. E dirige-se para lá... passos lentos... angustiosos... remorso? arrependimento? revolta? muitas coisas passavam em sua mente.

Ao chegar ao celeiro, ele abre a porta e se depara com a FORCA. Lá no fundo, empoeirada, coberta de teias de aranha, estava ela... cumpriria sua promessa... seria este o ÚLTIMO ato de sua breve vida. Ele se dirige até a FORCA, pega um pequeno banquinho de madeira que estava perto (providencialmente?)... sobe no banquinho... amarra o terrível laço ao seu pescoço e prepara-se para pular. Antes, ele diz suas últimas palavras naquela miserável vida...

- Pai, nunca fui um bom filho, pois só te dava desgostos e preocupações. O senhor estava certo; eu desperdicei tudo e hoje estou aqui, um "lixo" humano... Mas vou cumprir minha promessa... pelo menos desta vez vou fazer o que o senhor me pediu...

E pulou..
...
...

Por um breve momento, alguns instantes que parecem uma eternidade, ele sente a corda cruel apertar seu pescoço... mas algo acontece.

A FORCA se quebra e ele cai. Na verdade, o mastro central da FORCA era OCO e foi preparado especialmente para romper quando ele se dependurasse. No chão ele se vê coberto por uma "avalanche" de coisas: OURO, JOIAS, DIAMANTES, RUBIS, ESMERALDAS, E TODA SORTE DE PEDRAS PRECIOSAS... UMA GRANDE FORTUNA, MAIOR QUE A PRIMEIRA!!!! E também um papel, escrito com a caligrafia de seu velho e querido pai... o que estava escrito?

- FILHO, ESTA É SUA SEGUNDA CHANCE... EU TE AMO DEMAIS... APROVEITE BEM DESTA VEZ!

::::::::::

Sabe, querido amigo e companheiro virtual...

É assim que Deus faz comigo e com você. Quando todos nos abandonam, e pensamos que até Ele mesmo já nos abandonou, eis que Sua mão de graça e libertação nos alcança e nos puxa de volta para Seus braços de amor.

Você está precisando desta segunda chance em sua vida?

Nosso Pai querido está disposto a te dar... Aproveite!

Nenhum comentário:

Cursos Básico, Médio e Avançado

Ebook 101 Razões