segunda-feira, junho 17, 2013

Tô com Jesus e não abro!!!

Algo muito comum de se observar entre os professos cristãos da atualidade (e ai incluem-se os Adventistas do 7º Dia) é uma separação (que os eruditos chamam de "dicotomia") entre o sagrado e o secular.

Isso é muito fácil de ser verificado através da diferenciação que alguns fazem acerca de hábitos da vida comum... Veja alguns exemplos:

- Há a roupa de usar na Igreja e aquela do dia-a-dia (normalmente se tem certo "pudor" ou "vergonha" em usar no templo as roupas curtas, apertadas e indecentes que são usadas no cotidiano).
- Há a música para se ouvir na adoração, no templo, e aquela que se ouve em casa (e esta última, muitas vezes, está recheada com os ritmos, letras e melodias sensuais e apelativas dos músicos comerciais - alguns até que se rotulam de "gospel").
- Há os filmes que podem ser assistidos em uma reunião com os jovens da Igreja, e aqueles que só devem ser assistidos em casa (e nesta categoria entram os de terror, comédia picante, ficção diabólica... sem falar em outros... para maiores...).

E por ai vai...

Vejo também que algumas pessoas costumam usar a desculpa de que não têm tempo para se envolver nas atividades da Igreja, porque ficam sobrecarregadas com o trabalho, estudo, cuidado do lar, etc.
- Quantas vezes você já não viu alguém dizer que não faz trabalho missionário porque trabalha o dia todo e ainda faz faculdade à noite?
- Quantas vezes já ouvi alguns usarem a desculpa de chegarem tarde na Escola Sabatina, porque passam a semana toda acordando cedo para irem trabalhar, e aproveitam o sábado (afinal não é o dia do "descanso"?!) para dormirem um pouco mais...
- Quantos não vão ao culto da quarta-feira exatamente porque a aula da faculdade não permite (porém também não vão quando não tem aula)?!
- E o culto de domingo? Alguns não vão porque estão muito cansados devido a passarem o dia colocando a casa em ordem... ou porque vai passar uma matéria especial na televisão sobre culinária vegetariana... e isto é importante.... não é?!

Mas onde quero chegar? Você pode estar se perguntando...

O problema que vejo nas situações apresentadas acima é que, hoje, só dedicamos a Deus o tempo que nos "sobra", ou seja, a maioria só separa para a religião o sábado pela manhã (e aqui me refiro especialmente aos Adventistas), pois nos outros dias da semana estamos atarefados demais com os "cuidados desta vida" (cf. Mateus 6:25-28; Filip. 4:6; Marcos 4:19).

Vemos nas Igrejas verdadeiros "anões" espirituais, pois a vida é dedicada quase que totalmente aos estudos, trabalho, objetivos pessoais, lazer, etc.... e para Deus somente o mínimo.

Quando estudamos a vida do povo de Deus no passado, em toda a Bíblia, vemos que eles faziam exatamente O CONTRÁRIO - Deus ficava com a maior parte, e o resto... era o resto.

Hoje, com nosso racionalismo ocidental característico, dizemos que precisamos "tocar a vida", não podemos ficar "de braços cruzados", temos que estudar, trabalhar, etc., para assim podermos "crescer na vida". E isto acaba tirando de nós este relacionamento constante e permanente com o Senhor, o qual desfrutavam nossos irmãos de outrora.

O povo de Israel vivia em função de sua fé. Deus estava acima de tudo. Não havia esse negócio de "roupa da igreja" e "roupa de sair"; ou "na igreja eu não uso isso ou aquilo" mas "na rua eu posso usar"... não! Eles viviam uma fé que demonstrava sua certeza de que o Senhor estava constantemente com eles, em todos os momentos.

Na época do Novo Testamento também vemos isso claramente. A Igreja Primitiva não fazia esta distinção que hoje fazemos com tanto "empenho". 

Talvez este seja o motivo de não vermos hoje as mesmas manifestações do Espírito que eram vistas naquele tempo. 
Estou certo de que, se Deus estivesse em nossa vida diária tão presente quanto estava na vida dos nossos irmãos do passado, Ele teria oportunidade de operar com o mesmo poder com que operou entre eles... 

Pare neste segundo semestre de 2013 para ler o livro bíblico de Atos, e veja como estamos longe do marco inicial deixado pelos apóstolos. Não falo em matéria de doutrina, pois pregamos o que eles pregavam... mas falo em matéria de vivência prática, concreta... real.

Temos muita teoria da verdade... precisamos agora viver esta teoria.

"Os cristãos cujo zelo, fervor e amor crescem constantemente,
não apostatam nunca".
Serviço Cristão, pág. 107.


Eis o segredo da vitória!

5 comentários:

Anônimo disse...

Parabéns pastor Gilson Medeiros pelo comentário. Louvado seja Deus! Precisamos de viver a base da nossa fé. Viver aquilo que cremos. Não adianta querer viver uma vida dupla agradando a dois senhores, pois só o Senhor é Deus. Que possamos tornar prática a nossa fé. Só assim alcançaremos a vitória sobre todas as dificuldades.

Que Deus continue te abençoando e ungindo!

Um forte abraço!

Gilvan Almeida

Anônimo disse...

Apenas ressalvo que nas quartas-feiras os que se ausentam dos cultos por conta da faculdade, não têm outra opção se trabalham durante o dia. Ademais, já têm a dificuldade no início do sábado, onde necessitam faltar às aulas para guardarem o Dia de Descanso. Então, a estes é compreensível sua falta aos cultos nas quartas. Já nos outros dias fica difícil justificar a ausência na igreja.

Um forte abraço.

Gilvan Almeida

Chacon disse...

Gilson, bom dia. O Michelson Borges, do site Criacionismo.com.br escritor, jornalista, trabalha em Tatui na Casa Publicadora de Sp, postou um artigo muito, muito , mas muit bom sobre a diferenca entre o pensamento Grego e o Hrebreu, que, de uma maneira mais filosófica, é o que voce postou aqui. Antes de ler aquele artigo, eu havisa visto um video sobre alimentos, comose produz os alimentos (triste e depromente), depois por casualidade ele coloca o artigo, e para culminar, euestava num restaurante esses dias e vi um pote de sal, mas era sal Kosher, e ai veio o estálo sobre as coisas de Deus e as coisas do diabo, e como este manipula até a comida que comemos para nao sermos como Deus quer. Só que...lamentávelmente esses Adventistas sao fomidáveis. Um artigo que serve para muitas pessoas terem esse " estálo", perceber uma coisa e outra, foi retirado. Sim o Michelson Borges retirou o artigo. Por que? Porque ele vaipublicar uma revista que ele participa e vai VENDER!!!! Parabéns ao Michelson é assim que se evangeliza. Por essas e outras atitudes que amo a doutrina mas nao quero ir a Igreja. Nao ir a Igreja na me impede de estudar, voce sabe, estou aqui todos os dias lendo seus artigos. Outro dia foi a vez do Leandro Quadros chamar as pessoas de psicoticos, ou terem problemas psicologicos, só porque interpretaram uma profecia de uma maneira diferente a da IASD. Assim nao dá. Essa gente, pra mim, nao deifere muito de um Edir Macedo. A diferenca é que Edir é usado pelo Diabo, esses sao usados por Deus. Mas isso é bom!! Depende. Excelente dia Gilson Deus te abencoe.

Gilson Medeiros disse...

Caro Chacon, obrigado pelo comentário.

Não posso julgar o que levou o Michelson a retirar o texto. Infelizmente, você tem razão em alguns pontos, pois alguns preferem mesmo usar um tipo de "evangelização" muito "mercantil".

Mas, creio que Deus é o Senhor da Obra. E na hora certa, Ele intervirá.

Um abraço
Gilson.

A.K.Renovatto disse...

Esse artigo reflete o modo de vida de muitos cristãos, independentemente da denominação. A famosa "vida dupla", na igreja é uma coisa, fora é outra. Muitos fazem essa "separação" do secular e sagrado, até inconscientemente, simplesmente se acostumam a separar as coisas. A vida corrida também interfere na adoração de certo modo, porque na semana há trabalho demais, questões a serem resolvidas, e nas horas de folga é comum a pessoa querer o lazer, a diversão, entretenimento, sair... Deus e igreja acabam muitas vezes ficando em último plano. Isso reflete também como Deus tem ficado com as "sobras" (de tempo, de disposição etc). O texto faz refletir e enxergarmos a necessidade de sermos em todo o tempo íntimo de Jesus. Em todo lugar termos o mesmo comportamento, e não usarmos de hipocrisia sendo "santo" no templo e fora sendo muitas vezes "amigo do diabo" (fazendo a vontade do Inimigo). Ótima reflexão!


Cursos Básico, Médio e Avançado

Ebook 101 Razões