terça-feira, agosto 04, 2015

Por que Tanta Maldade?

O Brasil tem estado chocado nestes últimos anos, em virtude das notícias que trazem grande repercussão, especialmente pela brutalidade dos crimes cometidos.

Quem não ficou chocado com a história macabra dos "canibais de Garanhuns"?! E aqueles adolescentes que estupraram 4 garotas no Piauí e depois jogaram eles de cima de um precipício... trágico!

Há alguns meses, um crime "demoníaco" também deixou os brasileiros perplexos pelo grau de crueldade. Foi o caso da tortura sofrida por uma menina de 12 anos na cidade de Goiânia (relembre a matéria aqui). A torturadora-mor seria uma senhora, também mãe, que mantinha a menina acorrentada, e a submetia a sessões de sadismo que mais parecem roteiro de filme de terror: arrancar pedaços da língua com alicate, espremer os dedos nas portas, queimar com ferro elétrico, quebrar dentes, deixar sem comida e água, afogar, asfixiar... e a lista de crueldades continua. Ao ser encontrada pelos policiais, a menina estava amordaçada e acorrentada, com as duas mãos levantadas, em pé... o que mostra que a(s) torturadora(s) pretendia(m) deixar a menina em posição extremamente angustiante e supliciante.

Por que tanta maldade?
É a pergunta que muitos devem estar se fazendo diante destes e de muitos outros fatos que têm tomado conta dos noticiários sensacionalistas no Brasil.

Por que um ser humano (?) é capaz de cometer tamanha perversidade contra um outro ser humano, indefeso e inocente?

O que está acontecendo no coração das pessoas que as tem levado a cometerem os atos mais bárbaros e absurdos, diariamente mostrados através dos noticiários?

Há alguns meses eu coloquei aqui um comentário sobre algo parecido, e aproveito o momento para trazer novamente à tona o assunto.

Veja o que diz a Palavra de Deus:

"E, por se multiplicar a iniquidade, o amor se esfriará de quase todos" - Mateus 24:12

Este verso faz parte de uma explanação que Jesus estava fazendo no Monte das Oliveiras, em resposta à indagação dos discípulos sobre "quando" os eventos do Tempo do Fim aconteceriam.

Jesus disse claramente que, nos últimos dias, o amor esfriaria do coração de QUASE TODOS. Ou seja, a cada dia que formos nos aproximando do desfecho da História deste miserável mundo de pecado, veremos cada vez mais demonstrações como as comentadas acima, e cada vez menos demonstrações de bondade, cortesia, amabilidade, perdão, altruísmo... etc (se você dirige, sabe muito bem do que estou falando...).

Cada vez mais estaremos envoltos em notícias que revelam o quanto o ser humano criado, NO PRINCÍPIO, à imagem e semelhança do Deus do Amor, se voltaria para a prática do ódio em suas mais repugnantes formas. Uma reserva especial destes atos do Mal está preparada principalmente para aqueles que fizerem da fé em Jesus a sua base de vida nestes últimos dias (cf. Mat. 24:9-10).

"Por se multiplicar a iniquidade..."

Eu já demonstrei aqui anteriormente que a palavra "iniquidade" neste verso, é a tradução do termo grego ANOMINA (pois sabemos que o Evangelho de Mateus, assim como os demais, também foi escrito nesta língua, diferentemente do que a Igreja de Roma ensina), que significa literalmente "contrário à lei", "inimizade contra a lei".

Jesus, então, deixa bem claro para os Seus ouvintes (que falavam e entendiam muito bem o grego) que a humanidade que estaria vivendo nos últimos dias da História, seria "inimiga da lei" de Deus, ou seja, as pessoas desprezariam completamente os princípios morais e eternos envolvidos e sacramentados na Lei do Senhor (cf. Êx. 20:8-11). E bem sabemos que o conteúdo principal que envolve esta Lei é o amor, pois o mesmo Senhor Jesus ensinou que do amor a Deus acima de tudo, e a o nosso próximo como a nós mesmos, "depende" toda a revelação divina, a qual inclui a Sua Lei (cf. Mateus 22:40).

Se não, vejamos...

Caso esta senhora, que está sendo acusada de tamanha barbaridade contra uma indefesa menina, amasse as pessoas como a Lei de Deus nos ensina a amar, certamente ela não teria cometido os horrendos atos que agora estão sendo revelados.

Observe que Jesus não disse que a inimizade à Lei ("iniquidade" = anomia) seria um resultado da falta de amor. Foi exatamente o contrário: o esfriamento do amor é que seria o resultado da inimizade contra a Lei do Senhor.

Portanto, conforme as palavra de Jesus, só veríamos mais expressões de amor verdadeiro entre as pessoas, se elas voltassem a praticar e ensinar os princípios revelados na Lei de Deus. Porém, vemos que o processo tem sido o inverso, pois até mesmo muitos que hoje se consideram seguidores de Jesus, ensinam DE PÚLPITO que não precisamos mais guardar a Lei de Deus.

Isso significa que continuaremos a tomar conhecimento de mais fatos como o que aconteceu em Goiânia, e que certamente acontecem em muitas outras partes do Brasil e do mundo, mas que ainda permanecem velados entre as 4 paredes dos lares.

Só nos resta, então, observar o que Jesus fala no verso seguinte:

"Aquele, porém, que perseverar até o fim, esse será salvo" (Mat. 24:13).

Por mais que as pessoas desprezem a Lei do Senhor, e se tornem até "inimigas" dela, eu e você devemos permanecer perseverando... até o fim, mesmo que venhamos a ser "atribulados", "odiados" e "traídos" (cf. 24:8-10).

6 comentários:

Anônimo disse...

Pastor, o mais dificil pra mim e sei que pra você também, é entender o porquê de alguém fazer isso com uma criança.Eu não conheço muito bem a história desta garota,mas posso imaginar o que ela passou.Por muitos anos eu também sofri agressões físicas
( abuso sexual) pelo meu próprio pai. Foram alguns anos, (5 aos 17 anos) de muita angústia. Mas sei que essas "pessoas" que torturam, que estupram ou fazem atrocidades diversas, não têm o amor de Deus no coração, vivem como o inimigo quer. Eles sentem prazer em fazer o mal. Viram escravos de satanás.
Infelizmente não estamos livres disto e o que é pior, deixa marcas negativas na vida pra sempre. Tenho 33 anos e nunca me esqueci do que sofri,do que passei, a tanto tempo.Mas eu aprendi algo muito importante e que me ajuda a seguir nesta vida até a volta de Jesus:"Aquele que perseverar até o fim este será salvo". Eu deixei que Deus faça justiça, e que o cabe a mim é segui-lo.

Iran disse...

Interessante que cada "Pai-nosso" ratifica os termos da Lei do Senhor, mas por quase sempre verbalizado sem reflexão não nos transforma como pedimos:

Ora, dizer “Pai-nosso” é afirmar a existência de um único e soberano Deus e que por “estar nos céu”, sabemos onde encontrá-Lo fora de representações de sua imagem ou mesmo de suas obras para adoração e culto.
A santificação ao Nome de Deus, por sua vez é o respeito devido para que não O tomemos em vão.
O reino de Deus que instituimos em nossas vidas subjugando a nossa vontade é representado pela aceitação do sábado como dia de descanso e de santificação para a Sua glória, por meio das obras de suas mãos, incluindo nosso corpo.
Ao honrar os pais e darmos ouvidos aos seus ensinamentos deixamos de ser tolos e somos orientados a uma vida longa, distante das tentações e flagelos físicos e espirituais de nossa natureza pecadora faminta.
O clamado perdão as nossas dívidas como fazemos aos outros na mesma medida, incita-nos ao amor e afasta o ódio do nosso coração, que já por si só nos faz homicida e aproxima a vontade da prática do ato.
O adultério é uma tão abominável manifestação de orgulho como uma das maiores doenças da alma; esta tentação só é vencida com o pronto socorro da direção Divina a cada instante para não se cair em ciladas.
Outro grande mal em nossa natureza caída é testemunhar falsamente, que fere aos outros e a nós com potencial ofensivo ainda maior reforçando a maldade do pecado em nosso coração.
E, por fim, o reconhecimento de que tudo a Deus pertence – reino, poder e glória -, afasta os sentimentos de cobiça ao revelar que as coisas que julgamos ter não são nossas, mas estão sob nossa guarda, preparando-nos para uma mordomia fiel.

Abs

Iran

Maria Gonçalves disse...

Quando esses males acontecem vem-nos à cabeça o pensamento de que Deus não existe.É demasiado horrível acreditar num ser supremo à espera que os seres humanos descubram as vítimas das atrocidades, às vezes tarde de mais.É uma maneira da nossa razão negar um deus defeituoso para preservarmos a nossa sanidade mental.Custa muito tentar arranjar motivos para o silêncio de Deus.Depois vem a descrença, a falta de esperança...é preciso muita força de espírito para voltar a acreditar. Abençoados os que conseguem. Quem dera estar entre eles. Ao anónimo acima apresento o meu profundo respeito pelo seu sofrimento passado e presente.

Luis Chacon disse...

Gilson, boa noite. Meu comentário nã ochega nem perto dos fatos narrados por você e pelo anonimo acima, que realmente extrapolam qualquer pensamento, só chega mais ou menos perto do livro que lí chamado "Biografia não autorizada do Vaticano", mas o que eu percebo é que não precisamos nem chegar a casos extremos como esses, que não são poucos. Não sei se você já se deu conta, mas tudo tem mudado, as pessoas estão frias, no sentido de se preocuparem somente com elas. Um exemplo bobo, e pequeno, mas que também retrata que o amor está acabando: dificilemente quando vou à uma praça de alimentação comer pego uma mesa limpa. Você pode perguntar o que isso tem a ver. as pequenas coisas, no meu entender, também contam. Eu quando como numa praça ou lugar público procuro limpar o local onde comi, sempre cai uma migalha de pão, ou o suco gelado deixa água na mesa, e eu limpo tudo, por quê? Porque a pessoa que vem depois não tem a obrigaçào de limpar minha sujeira. Dizem que o ladrão não começa roubando bancos, começa roubando coisas pequenas, e é ai que quero chegar, se encontramos extremos de falta de amor chegando à violência sádica, é muito mais fácil encontrar a falta de amor ao próximo nas pequenas coisas: passar em sinal fechado, jogar lixo na rua, na limpar onde se come, não repeitar, etc etc, até a coisa crescer numa falta de amor como o que vocês narraram. Sinceramente? Se Jesus disse que haveria tal situação, significa que é irreversível, apenas alguns pouquíssimos não aderem, ou percebem o que significa amar o próximo seja lá quem for ele. Abraço. Anonimo, que Deus possa restaurar tudo o que você perdeu em relação à snetimentos, e que o ódio não faça morada em sua mente. Fiquem com Deus.

Luis Chacon disse...

Maria Gonçalves, veja o exemplo de Jó. Quem governa este mundo é o inimigo, penso que se Deus quisesse que aqui tudo estivesse maravilhoso o plano seria outro. Ví um sermão muito bonito do pasto fernando Iglesias (está no youtube) onde ele fala que Deus realmente fez uma aposta com satanás, e ele aposta que eu, você e seus filhos continuarão a crer nEle haja o que houver, e o preço foi seu próprio sangue. Deus te abençõe, forte abraço

Anônimo disse...

É a primeira vez que entro em seu blog. Minha mulher me falou a noite que havia pedido oração aqui. Li todo o artigo sobre a maldade e também os comentários aqui, onde um anônimo se abriu e relatou que sofreu abusos dos 5 aos 17 anos. Me espanto com alguém capaz de submeter pessoas, seu semelhante a situações humilhantes, de tortura e sofrimento. Minha esposa sofreu abuso também, na infância e na adolescência. Ela me contou mais cedo que relatou parte do que sofreu para que pudesse orar por ela. Deve saber de quem falo. É uma mulher jovem, bonita, mas triste, com traumas, sequelas, doenças psiquiátricas. Peço oração para ela também, sei que ela já pediu, pois me falou os nomes de irmãos para quem ela pediu oração e citou esse blog. Na verdade ela está com problemas com filho mais velho, com doenças e ela entra em pânico quando vê a situação complicada. Aproveitei esse momento para escrever, em que ela está fazendo nosso filho dormir. Desde já agradeço a compreensão.

Cursos Básico, Médio e Avançado

Ebook 101 Razões