segunda-feira, julho 14, 2014

Uma Doença Chamada "Tristeza". Como enfrentá-la?


Conversando com um colega sobre depressão, lembrei de uma reportagem que a revista ÉPOCA fez há alguns anos sobre o assunto. A matéria de capa trazia a manchete sobre o tema da "tristeza".

A reportagem me chamou a atenção, entre outros pontos, devido à lista de personalidades que sofreram de depressão:

BEETHOVEN - um dos maiores gênios da música, era atormentado pela depressão.
NIETZSCHE - filósofo ateu declarado, o qual "decretou" a morte de Deus, vivia depressivo e tinha pensamentos suicidas. Com apenas 40 anos foi internado com crises de loucura, que permaneceram até o fim de seus dias (ele não conhecia a "paz" que só Jesus pode dar...).
VAN GOGH - pintor que sofreu de depressão durante toda a vida, por fim, matando-se com um tiro no peito.
SANTOS DUMONT - "pai" da aviação, que também sofria de depressão profunda, e também cometeu suicídio.
FERNANDO PESSOA - escritor português que escreveu obras tristes e melancólicas, como reflexo de sua própria vida. Morreu de complicações no fígado, em virtude de entregar-se à bebida.
JANIS JOPLIN - cantora americana, sofria de depressão desde a adolescência. Bebia muito e morreu por overdose de heroína.
ELIS REGINA - considerada a maior intérprete da música brasileira, também sofria de momentos de depressão. Morreu de overdose de álcool e cocaína.

Depressão

Segundo a Organização Mundial de Saúde, a depressão estará entre as doenças que mais vão matar nos próximos anos. Alguns dizem que ela ficará na 2ª posição do ranking de doenças fatais.

Na Igreja, é também comum encontrarmos pessoas que passam por momentos de depressão. Às vezes pode ser resultado de um trauma recente, ou mesmo de problemas trazidos há vários anos. Essa "tristeza" vai se tornando uma patologia tal que a pessoa já não consegue mais sentir prazer em nada, e a tendência é pensar apenas em suicidar-se.

Na Internet existem alguns bons materiais que nos ajudam a entender o tema da depressão:

Como a depressão pode fazer com que você se sinta exausto e desamparado, você desejará e provavelmente necessitará de ajuda de outras pessoas. Entretanto, quem nunca sofreu um distúrbio depressivo pode não compreender completamente seus efeitos.

As pessoas não têm a intenção de [magoar o depressivo], mas poderão dizer e fazer coisas que magoam. É interessante que as pessoas que lhe são mais próximas leiam esta matéria para que possam compreendê-lo melhor e ajudá-lo.

Como Ajudar Alguém com Depressão?

A coisa mais importante que alguém pode fazer por uma pessoa deprimida é ajudá-la a se submeter a um diagnóstico e a um tratamento adequados. É importante encorajá-la a continuar se tratando até que os sintomas desapareçam (após várias semanas), ou a procurar tratamento diferente, se não ocorrer melhora. Às vezes, pode ser necessário marcar uma consulta e acompanha-la até o médico, bem como verificar se ela está tomando a medicação corretamente.

A segunda coisa mais importante é oferecer-lhe apoio emocional. Isto envolve compreensão, paciência e encorajamento. Procure conversar com a pessoa deprimida e escute-a com atenção. Não menospreze os sentimentos expressos, porém chame a atenção para a realidade e ofereça esperança. Referências a suicídio são importantes [e indicam o real desejo de cometê-lo]. Devem sempre ser relatadas ao médico.

Convide a pessoa deprimida para caminhadas, passeios e outras atividades físicas. Insista delicadamente se seu convite for recusado. Encoraje a participação em atividades que anteriormente lhe proporcionavam prazer, como: passatempos, esportes, atividades culturais ou religiosas, porém não a force a assumir rapidamente muita responsabilidade de uma vez. O deprimido necessita de distração e companhia, porém cobrar demais dele pode piorar-lhe a sensação de fracasso.

Não acuse o deprimido de se fingir de doente ou de ser preguiçoso, nem espere que ele melhore de uma hora para outra. Com o tempo e tratamento adequado, a maioria das pessoas com depressão melhora. Tenha isto em mente e procure reafirmar à pessoa deprimida que, com o tempo e ajuda, ela se sentirá melhor.

Fonte: Portal Natural

O que o Espírito Santo ensinou sobre Depressão?

Trechos do livro "Como Lidar com as Emoções", de Ellen White (2007).

"Uma criança frequentemente censurada por alguma falta especial, vem a considerar aquela falta como uma peculiaridade sua, ou alguma coisa contra que seria vão esforçar-se. Assim se cria o desânimo e a falta de esperança, muitas vezes ocultos sob a aparência de indiferença ou rebeldia" (pág. 55).

"Minha irmã, se quiser obter preciosas vitórias, encare a luz que procede do Sol da Justiça. Fale com esperança e fé, e ações de graças a Deus. Seja animada, esperançosa em Cristo. Aprenda a louvá-Lo. Esse é o grande remédio para as doenças da mente e do corpo" (pág. 58).

"(...) Nossos sentimentos poderiam nem sempre ser de natureza alegre; as nuvens por vezes ensombrariam o horizonte de nossa vida; mas a esperança do cristão não repousa sobre a base arenosa dos sentimentos. (...) Quando a depressão nos envolve, isso não é evidência de que Deus tenha mudado. Ele é o mesmo 'ontem, e hoje, e eternamente' - Heb. 13:8" (pág. 62).

Portanto...
A esperança é Jesus... sempre!

Veja também:
- O cristão e a depressão
- Livro "Como sair da depressão"
 

11 comentários:

Flávio César Teixeira disse...

Pastor: Qual o motivo da grande quantidade de pessoas depressivas hoje na Igreja?

Prof. Gilson Medeiros disse...

caro Flávio, estamos em meio a um mundo doente, e fatalmente também estaremos sujeitos aos mesmos dramas sociais, emocionais, familiares, profissionais, financeiros, etc., pelos quais todos passam.

Porém, creio que a mensagem da Cruz é poder (cf. Rom. 1:16-17). E como tal ela pode nos libertar de todas as "amarras" do mal, inclusive a depressão. Por isso, acredito que um dos motivos pelos quais tantos crentes passam pela depressão, além dos fatores nitidamente patológicos, é o fato de não entenderem o real sentido da graça em suas vidas, e viverem uma religião de "fachada", sem alegria, sem libertação, sem certeza da salvação.

Quanto levamos a religião como um fardo, não dá outra: a depressão será nossa companheira!

o melhor amigo da minha vida disse...

Sabe pastor,
eu era muito negativa,minha auto-estima estava sempre la embaixo,toda vez que algo dava errado,ja vinha o pensamento negativo(principalmente em relaçao a Deus)meus pensamentos viajavam e como eu queria e quero agradar a Deus,eu sofria muito,porque eu caía,dai ja vinha o desanimo,a desesperança,mas de repente Deus me deu um novo pensamento,um pensamento de esperança,de que eu posso vencer(confiando em Cristo)e comecei a viver um novo pensamento no qual esta me trazendo para mais perto de Cristo,de repente veio tambem um pensamento de uma mudança em minha vida,alimentaçao,habitos,sabe,dai eu comecei uma reforma,so que uns dias eu fracassei e agora me seni triste e com medo de me afastar de Deus,o q faço?
eu quero vive uma vida em Cristo,uma vida de liberdade,a qual so Deus pode conceder,por favor me ajude.
Eu tenho so 19 anos e quero desde ja seguir a Cristo fielmente.
quero me liberta de mim mesma,
Minha mae tem depressao profunda entao eu devo ter tambem depressao,mas eu quero me libertar desse mal.

Prof. Gilson Medeiros disse...

Cara amiga, não se engane! Dependendo do grau de depressão, somente uma ajuda profissional poderá nos ajudar a vencer esta doença da mente.

Sugiro que você converse com um bom psicólogo cristão, pois ele saberá ajudar sua mãe e você mesma a encontrarem o maravilhoso caminho da alegria no Senhor.

Chacon disse...

Phil Collins parce que tem depressão profunda e deixou de cantar. não sou especialista, mas às vezes acho que a depressão de vem da sensação de incapacidade de alcançarmos alguma coisa, seja lá o que for.

passos2 disse...

A falta de amor a Deus e ao próximo é a raiz de todos os problemas emocionais.

Mt 24:12 ...o amor se esfriará de quase todos.

A frase mais comum, quando alguém precisa de alguma ajuda, é " não tenho tempo nem dinheiro". Enquanto não tivermos tempo nem dinheiro para o nosso próximo, sempre teremos problemas emocionais.
Quem sempre tem tempo e dinheiro para ajudar alguém, estará mais seguro contra a depressão.

Que Deus nos abençoe!

Francisco A. de Azevedo disse...

Senhores,

Tem pessoas que tem distúrbios, algumas por desiquilíbrio químico, outras hormonal, outras deformação cerebral, outra insuficiência circulatória, outras tem síndrome do pânico, já outras sofrem de paranoia, outras diferentemente, sofrem assédio espiritual, são demonizados, satanizados por seus líderes religiosos, que acham que podem diagnosticar tudo e colocam a pessoa num estado de desespero e desesperança a ponto chegar até ao suicídio. Concluindo as coisas são bem mais complexas do imaginamos, ou supomos. Muitos religiosos querem saber mais que os médicos, mas na realidade deviam se recolher ao seu encargo ensinar princípios morais e religiosos, sem achar que sabem tudo para não prejudicar os que são fracos o tem problemas mentais ou psicológicos.

Estudem por exemplo, sobre a "síndrome do pânico" Tem mito irmão com este problema, e que não é devidamente entendido pelos irmãos, levando-o a sofrimentos extremos face a esta incompreensão e estes erros de diagnóstico, vindo de pessoas incompetentes.

ESPAÇO PENSAR disse...

Tristeza não é doença... tristeza faz parte da nossa condição de seres humanos. Lamentável ver a associação entre tristeza e depressão. Ambas são coisas bem diferentes... Seria legal rever esse posicionamento.

Gilson Medeiros disse...

Caro "Espaço Pensar", o objetivo da postagem não foi tecer uma exaustiva reflexão científica sobre a depressão.

Meu foco foi analisar a reportagem da citada revista.

Na cultura popular, longe dos casulos dos pseudo-intelectuais, depressão é sim expressa através de profunda tristeza pela vida. E depressão, conforme a OMS, é doença!

Um abraço.
Gilson.

A.K.Renovatto disse...

Com todo o respeito tenho que discordar do comentário de "Espaço Pensar". Claro que todo ser humano irá em algum momento sentir-se triste, desanimado (pelos problemas da vida, perda de um ente querido, insatisfação no trabalho etc). Porém, a tristeza pode sim indicar uma doença e como identificar isso? Uma pessoa pode se sentir triste, mas ela deve conseguir "superar" isso e voltar ao seu estado "normal" dentro de pouco tempo. Quando a tristeza é persistente, a pessoa não consegue sair daquele estado de tristeza profundo, já é doença: depressão. E sei que há cristãos que relutam contra aceitar que depressão seja doença, muitos acham que quem está com depressão é porque não "está bem com Jesus" e que crente não tem esse problema. O primeiro passo é aceitar que depressão é doença sim e que sem tratamento psicológico e psiquiátrico, a pessoa é "vencida", sozinha ela não consegue vencer o problema. Não é fácil lidar com um depressivo, e muitas vezes ele é mal compreendido, rotulado de "fresco", de "mimado", "preguiçoso" (porque a pessoa perde o ânimo de fazer tudo). Conheço depressivos que já ficaram dias sem sair do quarto e sem ver a luz do sol porque não sentia ânimo e forças para sair da cama (minha esposa também chegou nesse nível, de não sair da cama por dias). Sua resposta Pr Medeiros a esse "Espaço Pensar" foi oportuna. Deixando de lado o palavreado rebuscado, depressão pode ser resumida em uma "tristeza persistente", "perda de interesse pela vida". Com o tratamento há melhora, embora em alguns dos casos, há momentos de recaída (já vi casos), onde é necessário acompanhamento psiquiátrico e psicológico, em alguns casos por toda a vida. Conheço pessoas que estão melhores, mas se deixarem a medicação a depressão se instala de novo. Não é uma luta fácil, principalmente se a depressão é profunda, mas com tratamento dá para melhorar muito a qualidade de vida da pessoa e ela voltar a se interessar pela vida e voltar a sorrir.

Gilson Medeiros disse...

Caro A.K.Renovatto,

Também comungo do seu pensamento.

Um abraço
Gilson

Cursos Básico, Médio e Avançado

Ebook 101 Razões