terça-feira, dezembro 11, 2012

Por que o justo sofre e o ímpio prospera?

Nós, cristãos, por vezes somos tomados pelo pensamento de que Deus não cuida verdadeiramente do Seu povo. "Se Deus realmente está conosco", pensamos, "por que então os cristãos precisam sofrer tanto"? "Por que Deus não impede que as mazelas que acometem aos que não O amam caiam também sobre os que procuram viver do lado dEle"?

Esta foi a grande dúvida que inspirou Asafe a escrever o Salmo 73 (se ainda não leu este Salmo, faça isso agora). Como sacerdote encarregado de cuidar dos cantores (1Cr 25), Asafe tinha uma grande sensibilidade para expressar em palavras o que se passa no íntimo da alma humana. No Salmo 73 ele coloca para fora tudo que o atormentava com relação à prosperidade dos maus e a aparente apatia de Deus para com os sofrimentos do Seu povo.
Após comparar as facilidades e visíveis "vantagens" que os ímpios têm sobre os justos (vv. 1-16), Asafe pára e se dá conta de que estava olhando as coisas sob uma ótica errada. Deus não abençoa os ímpios e desampara os justos. A recompensa final de ambos é que deve ser o foco da atenção.

Se para o ímpio a vida terrena parece ser tão feliz, ao final, quando Deus colocar um fim ao pecados e suas consequências, o justo é que sairá vitorioso.

Quando Asafe parou para pensar em Deus e Sua misericórdia (v. 17) viu o quanto estava errado, e o quanto é mais vantajoso, desde agora, permanecer ao lado do Pai (vv. 18-28).

A história de Asafe se repetiu na vida de um jovem estudante de teologia, no ano de 2002... há cerca de 10 anos!

No final de novembro daquele ano, o jovem rapaz foi tomado de surpresa ao saber que dentro dele estaria se desenvolvendo uma tumoração que já estava com cerca de 6cm (o tamanho de um limão grande).

A descoberta fatal começou quando ele teve uma forte crise de anemia que o fez parar no consultório de um Hematologista no interior da Bahia. A princípio a suspeita recaiu sobre algum sangramento interno proveniente de uma possível úlcera estomacal. Começaram os exames, a tensão foi aumentando e, após passar por uma transfusão de sangue para repor os níveis necessários (um deles estava na casa de 5,5, quando o mínimo normal é 11,5), foi detectado que ele estava mesmo era com uma tumoração a nível de intestino delgado.

Aos 28 anos de idade, casado, pai de 1 filha de 4 anos, estudante do 2º ano de Teologia do SALT-IAENE, isso caiu como uma bomba. E começou a surgir a pergunta: “Senhor, por que eu?”.

A solução mais indicada para o caso seria a intervenção cirúrgica, pois só ela poderia propiciar condições de coleta de material para biópsia, extração do tumor, e continuação do tratamento com prováveis seções de quimioterapia, caso fosse necessário. A cirurgia foi marcada para 27 de fevereiro do ano de 2003, véspera de Carnaval.

À medida que se aproximava o dia, aumentava a tensão e preocupação nele, em sua família e em seus amigos. O que viria depois? Como seria a recuperação? Ele voltaria a ter uma vida normal? Veria sua filhinha chegar à idade adulta? Daria para continuar o curso de Teologia e chegar à formatura? Tudo era dúvida...

Na noite que antecedeu à cirurgia, deitado na cama do hospital, preocupado, calado, ele contou que podia ouvir o burburinho das músicas que agitavam o carnaval de Feira de Santana.

Como Asafe, ele pensava:

- Senhor, por que eu? Eu não fumo, não bebo, não tenho uma vida imoral ou promíscua. Há 9 anos entreguei minha vida em Tuas mãos, e hoje estou me preparando para Te servir melhor.... e o Senhor permite que esta doença, terrível, se abata sobre mim.... Por quê? Tanta gente aí fora estragando suas vidas na prostituição e intemperança, e eu aqui, neste leito de hospital, prestes a passar por uma intervenção que poderá limitar a minha vida para sempre.... se não ocorrer o pior. Senhor, por que?

Mas Deus tinha um plano... Ele sempre o tem.

Por algum motivo que só será plenamente revelado na eternidade, Deus sabia que aquele jovem estudante de teologia precisava passar por toda aquela agonia de alma. Isso estava servindo para moldar seu caráter e ajudá-lo, talvez, a ser um cristão mais empático com os sofrimentos do próximo.

Graças a Deus, assim como Asafe, o seu pensamento mudou!

Ele se colocou nas mas do Todo-Poderoso para que Ele operasse a obra que fosse necessária naquele momento. Naquela mesma noite anterior à cirurgia, Deus o fez lembrar de uma participação que o Pr. Bullón faz em uma antiga música da Samadello. É mais ou menos assim:

- "Deus não te prometeu que neste mundo você não teria dificuldades. Ele prometeu que em meio ao vale da sombra da morte Ele nunca te deixaria... e Ele está ai perto de você".

A cirurgia passou, a doença foi extirpada, e na Sua infinita bondade Deus lhe permitiu continuar o curso e preparar-me para melhor contribuir em Sua obra.

(...)

Eu sou aquele jovem... Foi em minha vida que o Senhor operou tão grande milagre. E hoje resolvi contar novamente esta história, pois acredito que alguém que a esteja lendo também precisa, assim como eu precisei (e ainda preciso diariamente) entender que Deus não desampara Seus filhos... Nunca!

Não há o que temer quando estamos com Deus ao nosso lado. Por algum momento podemos até vacilar, mas Sua mão de amor e graça estará estendida para nos amparar na hora em que necessitarmos.

Hoje estou certo de que “ainda que a minha carne e o meu coração desfaleçam. Deus é a fortaleza do meu coração e a minha herança para sempre” (Sl 73:26).

9 comentários:

Carlos Joel Fortes de Lima disse...

Caro prof. e pr Gilson, eu não conseguia a sua história, mas o meu coração se encheu de alegria e emoção ao saer como Deus operou poderosamente em sua vida. Apesar de não conhecê-lo pessoalmente tenho uma grande estima por você! Confesso que meus olhos ficaram marejados de lágrimas ao saber mais uma vez como Deus tem um plano para cada um de nós. "O homem faz os seus planos, mas é Deus quem dirige os seus passos".
Um grande abraço e que Deus continue o abençoando, para que continues sendo um vaso escolhido na obra do Senhor!

Anônimo disse...

Pastor, Deus me guiou para ler a sua experiência. Tenho passado por momentos de angústia! Notei uma elevação no meu pescoço e tenho feito exames, mas a minha alma tem estado aflita! Sei que o Deus que eu sirvo é poderoso para curar-me do que quer que seja! E, na provação, tenho sentido que o 4º Homem da fornalha está comigo! Louvado seja Deus que NUNCA desampara os seus filhos!

Ingrid Oliveira ! disse...

Muito inspirador esse texto ..eu A.D.O.R.E.I
Que Deus seja louvada pela sua vida.

Carlos de Oliveira disse...

Tenho uma doença em meu intestino que gerei devido ao sistema nervoso, ansiedade e parte emocional, esta doença está comigo desde setembro de 2007, mas desde que começamos um grupo de oração na igreja onde frequento ( igreja central de Campo Largo)sinto que DEUS está pondo sua mão sobre mim e estou sendo liberto desta infermidade,minha última consulta com o médico que esta acompanhando meu caso foi muito boa, porque estou com 80% curado,vou continuar com o tratamento por mais 3 meses e sinto que não vou mais precisar tomar remédios graças as Mãos de Nosso Poderoso DEUS. Não só o meu pedido, mas outros que já fizemos DEUS também está ouvindo e atendendo. Esse é meu testemunho para honra e glória de nosso Senhor Jesus Cristo. amém.

Pr. Jefferson S. Souza disse...

Fui contemporâneo, no SALT (IAENE), do Prof. Gilson Medeiros e pude acompanhar de perto os momentos turbulentos relatados neste artigo. Também me lembro do grande desespero do nosso querido prof., ao ser medicado com injeções (rsrs). Recordo-me também dos momentos tristes quando a pequena Gabriele sofreu graves queimaduras. É bem verdade que muitos acontecimentos do nosso dia-a-dia podem minar nossa fé, mas "tende bom ânimo"! Se Jesus venceu e nos garantiu a vitória, apenas creiamos nEle. Um forte abraço, continuo orando por vc e sua família.

Anônimo disse...

Que bom ler seu depoimento agora que vivo um drama familiar. Meu marido não me quer mais, sem motivos ou explicações. Questiono Deus: por que se eu nunca trai? nunca o tratei mal, nunca deixei de lhe dar atenção, apoiá-lo, admirá-lo? Acho que a provação está dura demais. Tenho medo de não resistir. A dor é tão grande que penso que vou morrer. Sei que o tempo de Deus não é o nosso, mas está se tornando insuportável. Por que comigo?

Gilson Medeiros disse...

Prezada esposa "anônima", com todo respeito, sugiro que você faça uma análise realista e sincera do seu relacionamento.

Será MESMO que seu marido não deu "pistas" de sua insatisfação? É comum, numa situação assim, que a esposa se coloque na posição de injustiçada e traída, mas a experiência já tem nos mostrado que em quase 100% dos casos, ambos têm sua parcela de culpa no desmoronar da relação conjugal.

Dê uma lida na postagem que coloquei há alguns meses para as ESPOSAS, e veja se você realmente entende o que é importante para o seu marido, para mantê-lo feliz e satisfeito com o casamento.

Um abraço.
Gilson.

Chacon disse...

Comecei a ler, e pensei: é dele mesmo que está falando. Eu entendo que Deus não abandona os que O amam. Tais situações nos edificam, mudam nossa maneira de amar a Deus. estava falando com minha esposa sobre isso justamente hoje. Ela está desempregada desde agosto creio. A empresa cometeu um grande erro com nossos vistos, ficamos ilegais, e eles ainda a mandaram embora. Ela obviamnte ficou com... aquea paavra que não gosto de escrever e falar que começa com ó..o. Até hoje ainda não arrumou emprego (aproveito para pedir orações). Ai eu disse à ela: será que esse rancor demasiado não está afetando a sua espiritualidade e a comunhão com Deus? Ainda disse: esquece, deixa nas mãos de Deus. Tive uma experiência de perdoar certas pessoas, e foi a melhor cosa que fiz, e esqueci absolutamente tudo, para mim o assunto nunca existiu, isso faz bem. A Bíblia diz que Deus sabe o que vai no coração do homem, e se Deus sabe, sabe quem o ama de verdade e quem pode amá-lo de verdade, basta uma mudança. Abraço

A.K.Renovatto disse...

Pr Medeiros, seu relato é muito edificante! Muitas vezes não entendemos o "por quê" de certas coisas que nos acontecem, mas Deus está no controle de tudo. Quantas pessoas não foram edificadas através de seu testemunho? Graças a Deus tudo deu certo e hoje pode fazer esse trabalho para a Obra do Senhor. Deus continue abençoando sua vida física e espiritual.

Cursos Básico, Médio e Avançado

Ebook 101 Razões