quinta-feira, fevereiro 09, 2017

O que é a "justificação" pela fé

Como o tema da justificação pela fé é um dos que mais me atrai (inclusive este também será o foco do meu próximo livro, se Deus assim o permitir), e um dos que mais vejo desconhecimento por parte de meus irmãos e irmãs Adventistas, decidi atualizar uma postagem sobre este maravilhoso assunto.

Como o homem pode se tornar justo (ser justificado)?
1. Segundo a avaliação bíblica, todo o ser humano descendente de Adão é pecador, portanto não tem justiça em si mesmo.

Como está escrito: Não há justo, nem sequer um, não há quem entenda, não há quem busque a Deus; todos se extraviaram, à uma se fizeram inúteis; não há quem faça o bem, não há nem um sequer” – Rom. 3:10-12.

Nesta passagem de Romanos, Paulo está citando um pensamento do AT (Salmo 14:1-3 e 53:1-3).

Pois todos pecaram e carecem da glória de Deus” – Rom. 3:23.

2. O homem torna-se justo (ou seja, é "justificado") quando pela fé aceita a Jesus Cristo.

Porque Deus amou ao mundo de tal maneira que deu o seu Filho Unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna” – João 3:16.

Mas agora, sem lei, se manifestou a justiça de Deus testemunhada pela lei e pelos profetas; justiça de Deus mediante a fé em Jesus Cristo, para todos [e sobre todos] os que creem; porque não há distinção... sendo justificados gratuitamente, por sua graça, mediante a redenção que há em Cristo Jesus” – Romanos 3:21, 22, 24.


Aquele que não conheceu pecado, ele o fez pecado por nós; para que nele fôssemos feitos justiça de Deus” – II Coríntios 5:21.

Jesus Cristo – a melhor "definição" de justiça
Eis que vêm dias, diz o Senhor, em que levantarei a Davi um Renovo justo; e, rei que é, reinará, e agirá sabiamente, e executará o juízo e a justiça na terra. Nos seus dias Judá será salvo, e Israel habitará seguro; será este o seu nome, com que será chamado: Senhor Justiça Nossa” – Jeremias 23:5,6.

Esse título “Senhor Justiça Nossa” também é aplicado a Jesus Cristo por Ellen White.

Jeremias também testificou da vinda do Redentor como um príncipe da casa de Davi” – Atos dos Apóstolos, pág. 223.

Justiça de Deus acha-se centralizada em Cristo. Recebemos a justiça recebendo-O a Ele” – O Maior Discurso de Cristo, pág. 18.

Jesus Cristo é nossa justiça pela Sua vida irrepreensível, de perfeita obediência à lei de Deus e pela Sua morte vicária na cruz.

Podemos ver nas Escrituras que a alienação do homem de Deus determinou duas consequências fatais: ele está inteiramente sem justiça e está sob uma sentença de morte. Portanto, para o homem ser salvo, Deus precisa fazer duas coisas: Ele deve remover a sentença de morte e Ele deve providenciar justiça perfeita e divino poder que traga o homem de volta a um relacionamento com Deus. O primeiro requisito Deus preencheu pela morte de Cristo; o segundo, pela vida de justiça que Jesus viveu na terra. Este é o evangelho, ‘o poder de Deus para a salvação’ (Rom. 1:16)” – Salvation Unlimited, pág. 26.

O "Processo" da Justificação Pela Fé

A justificação pela fé deve ser compreendida como o ato de Deus, pelo qual Ele remove a sentença de condenação, a qual o homem está exposto como consequência de seus pecados, libertando-o de sua culpa e atribuindo-lhe os méritos de Cristo.


Este ato ocorre no momento em que o mérito de Cristo é apropriado pela fé, sendo designado como ato forense ou judicial, visto que Deus pronuncia um juízo sobre o homem, que lhe confere uma posição inteiramente diferente e direitos inteiramente diferentes.

Na justificação, o relacionamento do homem com Deus é restabelecido de tal maneira que agora o homem encontra-se perdoado de todos os seus pecados, não sendo mais culpado perante Deus, mas aparecendo perante Ele como aceito e justo, em quem Deus não encontra mais nada para punir, com quem Ele não tem mais uma atitude de desagrado.

Através deste ato de justificação que emana de Deus, nós recebemos a remissão dos pecados e a imputação da justiça de Cristo.

Para Deus, desde o momento em que a fé é exercida, Ele vê tudo o que Cristo realizou com se tivesse sido feito pelo homem. Na justificação, o homem recebe gratuitamente, pela fé, além do perdão dos pecados, o poder para viver uma vida de justiça em Cristo.

Assim, a justificação concede: perdão, promoção e poder!


"A justificação é um ato da Divindade através de Cristo pelo homem, através do Espírito Santo no homem, para que o homem transformado pela graça possa obedecer aos reclamos divinos [Efés. 2:1-10]" - Luiz Nunes, Crises na Igreja Apostólica e na IASD, pág. 39-40.

"O perdão de Deus não é meramente um ato judicial pelo qual Ele nos livra da condenação. É não somente perdão pelo pecado, mas livramento do pecado. É o transbordamento do amor redentor que transforma o coração" - Ellen White, O Maior Discurso de Cristo, pág. 114.

Que maravilha!


Adaptado da apostila de Soterologia (SALT-IAENE 2004).

3 comentários:

Anônimo disse...

Ola Professor Gilson, achei esta materia excelente, principalmente porque nao so temos o perdao dos nossos pecados, bem como, O PODER DE DEUS para vencermos o poder do pecado em nossas vidas, como resultado da aceitacao da GRACA DE CRISTO atraves da fe.Muito se fala do perdao, mais pouco se fala do PODER DE DEUS em nossas vidas, onde nos permite cumprir os requisitos DIVINOS.
DEUS O ABENCOE E GUARDE.

Abracos,

Marcello latta

Gilson Medeiros disse...

Olá, Marcello.
Você está corretíssimo! Falamos muito sobre o perdão de Deus, Seu amor, Sua graça... mas precisamos também conhecer que a graça é o "poder" (a dinamite) de Deus em nossas vidas.

Um abraço.
Gilson.

A.K.Renovatto disse...

Este também é um tema que muito me atrai... Muito gratificante ler esse texto! Que Deus possa continuar lhe abençoando e capacitando para levar o evangelho de Cristo às pessoas!Ore por minha família, Pr Medeiros.

Cursos Básico, Médio e Avançado

Ebook 101 Razões