sexta-feira, junho 12, 2015

Guarda do Sábado e os Serviços "Essenciais"

Há alguns dias recebi um e-mail de uma irmã nossa que, por sua vez, havia recebido uma mensagem eletrônica com o "desabafo" de um militar Adventista que estava questionando o porquê de não se "liberar" para que profissionais de áreas consideradas essenciais (polícia, bombeiros, saúde, transportes, distribuição de água e energia, etc.) pudessem trabalhar aos sábados, uma vez que a Bíblia diz, segundo o irmão militar, que devemos "fazer o bem" neste dia.

Eu pesquisei na Internet, e vi que a mensagem original foi colocada em um desses sites de membros revoltosos e críticos, em janeiro de 2002, ou seja, há mais de 13 anos. Parece que ultimamente o tema voltou à tona através de fóruns em um site para Diretores de Clubes de Jovens Adventistas na Internet.

A pedido desta minha irmã e amiga, eu escrevi para ela minha opinião sobre o tema, e resolvi aproveitar o momento para colocar também aqui no Blog, uma vez que são muitos os amigos que o acessam semanalmente, e esta temática (guarda do sábado por alguns profissionais) pode ser proveitosa para muitos outros.

O irmão militar acima citado, "exigia" um posicionamento oficial da Igreja sobre o tema, uma vez que, segundo ele, a liderança da Igreja estava sendo injusta para com os Adventistas que trabalham nestas profissões, não os "liberando" dos plantões aos sábados. O principal argumento do irmão é o fato de que a sociedade não pode prescindir destes serviços essenciais e, portanto, os Adventistas que trabalham neles não estão transgredindo o 4º mandamento, pois atuam em conformidade com o que Jesus falou sobre o "fazer o bem" aos sábados, segundo o irmão.

Como eu já mencionei em uma postagem anterior, 90% das dúvidas que tanto martelam na mente de muitos Adventistas já foram respondidas devida e cabalmente pela Igreja. O problema é que são poucos os que procuram se manter informados... A maioria prefere apenas criticar... 

Sobre esta questão, existe um capítulo inteiro no livro "Declarações da Igreja", publicado há vários anos pela CPB (adquira-o clicando aqui). Muitos outros temas polêmicos são também abordados neste livro: aborto, pesquisas embrionárias, homossexualismo, etc. Vou transcrever abaixo um trecho do livro sobre a guarda do sábado em algumas profissões. Depois eu faço os meus comentários.


Observância do Sábado
Extraído de “Declarações da Igreja” (Tatui, SP: Casa Publicadora Brasileira, 2005), pág. 207-209.

Trabalho Secular Relacionado com o Sábado

1. Declaração de princípio
A visão bíblica do sábado inclui uma dimensão divina e humana (Mat. 12:7). A partir da perspectiva divina, o sábado convida o crente a renovar seu compromisso com Deus, cessando o trabalho diário para adorar a Deus mais plena e livremente (Êxo. 20:8-11; 31:15-16; Isa. 58:13-14). Na perspectiva humana, o sábado convoca o crente a comemorar o amor criador e redentor de Deus, revelando misericórdia e solicitude para com o próximo (Deut. 5:12-15; Mat. 12:12; Luc. 13:12; João 5:17). O sábado, assim, abrange a cessação do trabalho secular com o propósito de amar a Deus e realizar atos de amor e bondade para com os semelhantes.

2. Trabalho essencial e de emergência

A fim de exaltar a santidade do sábado, os adventistas devem fazer escolhas sábias na questão do emprego, guiados por uma consciência iluminada pelo Espírito Santo. A experiência tem demonstrado que há riscos na escolha de vocações que não permitam a adoração do Criador no sábado, livre de envolvimento com o trabalho secular. Isso significa que evitarão empregos que, embora essenciais para o funcionamento de uma sociedade tecnologicamente avançada, possam oferecer problemas quanto à observância do sábado.
 

As Escrituras e o Espírito de Profecia são explícitos quanto aos nossos deveres como cristãos para com os semelhantes, mesmo no dia de sábado. No contexto moderno, muitos empregados em ocupações relacionadas com a salvação de vidas e propriedades [por exemplo: médicos, enfermeiros, bombeiros, policiais, socorristas, etc.] são chamados a tratar de emergências. Arranjar trabalho regular de fim de semana que requeira o uso das horas do sábado num emprego lucrativo de atendimento de emergência, ou aceitar trabalho nos fins de semana em ocupações de emergência para aumentar a renda familiar, não se harmoniza com os princípios de observância do sábado apresentados por Cristo. 
Atender a situações de emergência que envolvam risco de vida e segurança é diferente de ganhar o sustento por envolver-se rotineiramente nessas ocupações durante o sábado, já que frequentemente são acompanhadas por atividades comerciais, seculares ou rotineiras (ver os comentários de Cristo sobre o resgate de bois ou ovelhas caídas em valetas, e sobre a ajuda de pessoa em necessidade em Mateus 12:11 e Lucas 13:16). Ausentar-se da Casa de Deus nos sábados, negando-se à comunhão com os outros membros, pode exercer um efeito desanimador sobre a vida espiritual.
 

Muitos empregadores das chamadas áreas de serviços essenciais estão dispostos a fazer concessões aos guardadores do sábado. Quando essas não forem feitas, os membros devem rever cuidadosamente os princípios bíblicos sobre a guarda do sábado e, sob essa luz, examinar o tipo de atividades, ambiente, exigências de trabalho e motivos pessoais, antes de envolver-se no trabalho aos sábados. Devem perguntar ao Senhor como o fez Paulo na estrada de Damasco: “Senhor, que queres que eu faça?”. Quando prevalece essa atitude de fé, somos persuadidos de que o Senhor levará o crente a discernir Sua vontade e dará a força e a sabedoria para segui-la.

3. Decisões morais relativas à observância do sábado

Os privilégios sabáticos são algumas vezes negados ou restringidos por organizações militares, educacionais e políticas, entre outras. Para evitar e/ou reduzir essas situações lamentáveis, devem-se considerar as seguintes sugestões:
 

a) Um administrador competente da Igreja, de preferência o diretor do Departamento de Deveres Cívicos e Liberdade Religiosa, deve ser designado para manter-se informado sobre as circunstâncias que poderiam minar a liberdade de culto aos sábados. Quando necessário, no caso da possibilidade de alguma legislação ou medida prejudicial aos adventistas, esse líder procurará interceder junto às autoridades responsáveis. Isso pode evitar a promulgação de leis que restrinjam ou neguem os privilégios sabáticos.
 

b) Os membros adventistas devem ser encorajados a defender pela fé o princípio da guarda do sábado independentemente das circunstâncias, descansando na certeza de que Deus honrará a lealdade a Ele.
 

c) Os membros da igreja devem oferecer ajuda espiritual, moral e, se necessário, material para outros que estejam passando por problemas por causa do sábado. Esse apoio servirá para fortalecer a dedicação ao Senhor não só da pessoa que está enfrentando os problemas relativos ao sábado, mas da Igreja como um todo.

O trecho acima é parte de um documento que foi votado pela Comissão Executiva da Associação Geral, em 9 de julho de 1990, durante a assembleia da Associação Geral realizada em Indianápolis, Indiana (EUA). 

Veja que há quase 30 anos a Igreja já se pronunciou sobre o tema!!!

::::::::::::::::::::::::::::::::::

Vemos que as orientações são muito claras, e aqueles que as seguirem terão grande oportunidade de crescimento em sua fé. Observe que desde 1990 a Igreja se pronunciou a respeito desta questão, o que mostra que não há nenhum "descaso" ou "negligência" para com os profissionais destas áreas, como tem sido amplamente alardeado nos sites dos dissidentes equivocados, que mencionei acima.

Sabemos que o sábado será a "pedra de toque" da mensagem de Deus para estes últimos dias, exatamente porque este é o ÚNICO mandamento que aponta para Deus como Criador, Redentor e Mantenedor de todo o Universo, constituindo-se o sábado no próprio Selo de Deus, de acordo com o livro do Apocalipse.

"Tão verdadeiramente como foi colocado um sinal sobre as portas das habitações dos hebreus, para proteger o povo contra a ruína geral, será colocado um sinal em cada um dos que pertencem ao povo de Deus. O Senhor declara: "Também lhes dei os Meus sábados, para servirem de sinal entre Mim e eles, para que soubessem que Eu sou o Senhor que os santifica." Ezeq. 20:12." - Eventos Finais, pág. 220-221.

"Os que vencem o mundo, a carne e o diabo, serão os agraciados que receberão o selo do Deus vivo" - Idem, pág. 221.

"Vi que a presente prova do sábado não poderia vir até que a mediação de Jesus no lugar santo terminasse e Ele passasse para dentro do segundo véu; portanto os cristão que dormiram antes que a porta fosse aberta no santíssimo, quando terminou o clamor da meia-noite no sétimo mês, em 1844, e que não haviam guardado o verdadeiro sábado, agora repousam em esperança, pois não tiveram a luz e o teste sobre o sábado que nós agora temos, uma vez que a porta foi aberta. Eu vi que Satanás estava tentando alguns do povo de Deus neste ponto. Sendo que grande número de bons cristãos adormeceram nos triunfos da fé e não guardaram o verdadeiro sábado, eles estavam em dúvida quanto a ser isto um teste para nós agora. ...Satanás está agora usando cada artifício neste tempo de selamento a fim de desviar a mente do povo de Deus da verdade presente e levá-los a vacilar" - Idem, pág. 222.

"O sábado será a pedra de toque da lealdade; pois é o ponto da verdade especialmente controvertido. Quando sobrevier aos homens a prova final, traçar-se-á a linha divisória entre os que servem a Deus e os que não O servem.Ao passo que a observância do sábado espúrio em conformidade com a lei do Estado, contrária ao quarto mandamento, será uma declaração de fidelidade ao poder que se acha em oposição a Deus, é a guarda do verdadeiro sábado, em obediência à lei divina, uma prova de lealdade para com o Criador. Ao passo que uma classe, aceitando o sinal de submissão aos poderes terrestres, recebe o sinal da besta, a outra, preferindo o sinal da obediência à autoridade divina, recebe o selo de Deus" - Idem, pág. 225.

A cada dia que passa nossa lealdade a Deus será provada com mais intensidade. Alguns, conscientes de sua fé, terão que escolher entre suas profissões, suas famílias, seus bens, etc., ou a fidelidade a Deus. É uma escolha difícil, mas terá que ser feita. Clique aqui e relembre o exemplo daquele irmão (também militar) que preferiu ser preso a obedecer uma ordem de transgredir o sábado do Senhor.

Não podemos "acalentar" a consciência com o pensamento de que os serviços "essenciais" são tão "essenciais" que liberam os que nele trabalham da guarda do sábado, conforme o ensina a Bíblia. Infelizmente, o próprio povo que hoje já pratica esta fidelidade a Deus no 4º mandamento está, paulatinamente, sendo influenciado por estes movimentos de "flexibilização" na guarda do Dia do Senhor. Em Israel (a nação de Moisés), por exemplo, existem bares que abrem normalmente na sexta-feira à noite (isso foi inclusive tema de uma matéria veiculada recentemente na imprensa brasileira), com o objetivo de atender aos turistas. Algumas congregações Adventistas em um determinado país do mundo, começaram a fazer dois cultos no sábado: um de manhã para os membros que trabalham à tarde, e outro à tarde para os membros que trabalham de manhã. Para você ver que lá os serviços "essenciais" estão também tomando o lugar da obediência a Deus. Pasmem!!!

Parece algo insensível e radical dizer a um militar, por exemplo, que o melhor seria ele largar a farda e trabalhar em outra atividade, do que deixar de se beneficiar da guarda do sábado, tanto do ponto de vista físico, quanto espiritual. Mas, por exemplo...

O que dizer a um muçulmano que se converte ao Adventismo, mas tem 5 esposas?O que dizer a um suinocultor que se converte ao Adventismo, mas vive da venda de porcos?
O que dizer a um pai de santo que se converte ao Adventismo, mas quer continuar "recebendo espíritos"?

 
Algumas decisões que temos que tomar, para vivermos a fé que abraçamos, podem ser radicais, mas deverão ser tomadas... mais cedo ou mais tarde.

Como eu costumo dizer, O SÁBADO É UMA QUESTÃO DE FÉ, e por isso somente quando amadurecemos na fé é que saberemos o quanto é importante a fidelidade a Deus.

É óbvio que não se trata aqui de guardar o sábado PARA me salvar... mas PORQUE sei que já estou salvo... e justificado.



"Fui moço e já, agora, sou velho, porém jamais vi o justo desamparado, nem a sua descendência a mendigar o pão" - Salmo 37:25

PS: Fico me perguntando por onde será que anda o irmão militar que, há mais de 13 anos, estava tão propenso a trocar a guarda do santo sábado pela manutenção dos serviços "essenciais" no qual ele trabalhava... Estará "guardando a fé"?... Espero que sim.

37 comentários:

Betania disse...

È a questão de serviços essenciais está realmente ficando comum entre nós, pois na igreja onde frequenta já ouvir muitos jovens falar que iriam optar pela profissão A ou B por que era na área de saude ai poderiam trabalhar aos sábados sem problemas eu fico trista em ver que estão planejando , transgredir o sábado sobre esse pretexto... e tenho uma amiga que está fria , quase não vai a igreja por que é tecnica em enfermagem e muitas vez dar plantão aos sábados..

Anônimo disse...

Talves seja muito facil para os que trabalham nas redes adventista dizer que não devem trabalhar aos sabados mas para quem tem responsabilidades com familia e filhos isso não é bem assim,meu marido é militar e meus filhos e eu somos adventista ele deseja ser só que seu trabalho não lhe deixa outra escolha a não ser trabalhar no sabado,então sua decisõa de batizar ficara adiada até que ele tenha como guardar sabado.

Silvemar disse...

Acreditar nas promessas de Deus e estar disposto a assumir as consequencias é uma questão de fé.Imagino que se os mártires fossem condescendentes nós não os teríamos. A igreja dos últimos dias, aquela de Apocalipse 7, não olhará para as condições por perder ou ganhar. OLhará para Cristo e por isso deverá ter mesma qualidade da igreja apostólica: Éfeso. Se houver nos últimos dias um cristianismo de conveniência, esta conveniência deverá ser Cristo e Sua vontade.
Sem radicalismo, mas sim, sim ou não,não.

Anônimo disse...

O problema não é trabalhar realizando a ajuda ao próximo.Na minha opinião, o problema seria que a pessoa receberia pelo dia do trabalhado(no caso o sábado).

Anônimo disse...

O APOSTOLO PAULO FALA EM 1º CORINTIOS 13; QUE ELE PODERIA ENTREGAR SEU CORPO PARA SER QEIMADO EM PROL DE ALGUÉM; SE O MOTIVO NÃO FOSSE O AMOR... NADA DISSO TERIA VALOR PARA ELE. PERGUNTO! O QUE MOTIVA UM ADVENTISTA TRABALHAR NO SÁBADO; O AMOR AO PRÓXIMO; OU MEDO DE PERDER O EMPREGO? RESPONDA COM SINCERIDADE DE CORAÇÃO...

Alexandre M. Dias disse...

Prof. Gilson,

As vezes falam que os adventistas se beneficiam de trabalho de outros ( por exemplo-motoristas de ônibus, cobradores...) para ir a Igreja. São como nossos servos que estão trabalhando para nós.Creio que não são servos sobre o nosso domínio . Se todos guardassem o sétimo dia os seres humanos se preparariam de forma organizada e cristã para deslocamento de longas distância. Como podemos nos posicionar quanto a estas pessoas que estão de alguma forma nos servindo?

Prof. Gilson Medeiros disse...

Olá, Alexandre.

Eu não penso que as pessoas que não guardam o sábado na atualidade, mas nos beneficiam com seu trabalho, estejam "nos servindo", e que por isso estejamos transgredindo o mandamento de alguma forma, como nossos críticos gostam de dizer.

Veja o exemplo de Jerusalém na época de Jesus.
Haviam, por exemplo, soldados romanos que trabalhavam durante o sábado. Mas isto não impedia os judeus de guardarem este dia. O próprio Jesus guardava o sábado, independente de que houvesse gentios que o transgrediam (cf. Lucas 4:16).

Portanto, se as pessoas sabem que devem guardar mas preferem desobedecer a Deus, eu não devo me sentir constrangido em pegar um ônibus, por exemplo. No dia que aquele motorista ou cobrador conhecer sobre a Lei de Deus e resolver guardar o sábado, então ele será "livre". É o mesmo que ocorria quando um soldado romano, por exemplo, se convertia ao judaísmo. Ele deixava de ser "escravo de César" e agora era um "servo de Cristo". Infelizmente ainda existem muitas pessoas hoje que preferem continuar como escravos de César (comércio, indústria, etc.) do que servia a Deus, guardando Sua Lei.

Um abraço.

Anônimo disse...

Matéria essencias do curso de medicina que são ministradas no sábado,se não as faço,será que não estaria eu sendo uma pessoa negligente para com meu próximo?. Pois se um dia eu me deparar numa situação de emergência e a vida de uma pessoa estiver em risco e eu não conseguir salvá-la devido a falta de conhecimento na área que eu não me dediquei,porque era ministrada no sabado?Gostaria de receber orientações,pois logo me formarei em medicina e sou baizado a 1 ano, sou novo na fé e não tenho muita opinião formada sobre o assunto. Esse blog é muito importante pois tira todas as nuvens de dúvida que o inimigo insiste em colocar sobre nossas cabeças.......

Prof. Gilson Medeiros disse...

Caro "Anônimo", permita-me sugerir que, como novo na fé, você não perca nenhuma oportunidade de expandir seus conhecimentos sobre a mensagem Adventista, pois isto servirá muito para seu fortalecimento espiritual.

A revista Adventist World de fevereiro deste ano, traz uma matéria exatamente sobre um estudante que, como você, se viu no dilema de formar-se em Medicina assistindo aulas durante o sábado.

O testemunho destes irmãos que passam pelo mesmo que nós passamos, conforme a Bíblia orienta, devem servir para nosso crescimento na fé. Portanto, não deixe de ler a matéria (vc pode conseguir a revista com algum irmão da igreja que tenha assinatura).

Em seu lugar, eu pleitearia junto à faculdade para fazer a disciplina em outro horário, como a Lei nos permite.

Na dúvida, vale sempre o que a Bíblia diz:

"antes importa obedecer a Deus que aos homens".

Sérgio disse...

Prof. Gison e amigos,
Gostaria de pegar um gancho na dúvida do irmão Alexandre. Antes, porém, gostaria de deixar claro que não é minha intenção perturbar a mente das pessoas, e muito menos abalar a fé de ninguém, só acho que essa questão deve ser muito bem esclarecida de maneira que tenhamos uma opinião firme e unânime como guardadores do Sábado ao sermos indagados por alguém. Pois bem, quando usufruímos do serviço oneroso colocado a nossa disposição, seja ele serviço de transporte, energia, agua-esgoto, telefonia, saúde, estabelecemos uma relação de contratual em que são partes o tomador (nós) e o prestador (empresa de transporte, energia, telefonia etc...). Ora, esta relação contratual é onerosa, ou seja, ela é paga e ninguém está sendo enganado quanto a isso, existe alguém trabalhando no Sábado para que nós sejamos antendidos, ou seja, o prestador está nos servindo sim, pois está sendo remunerado por nós (quando pego o ônibus eu tenho que pagar pelo trecho, caso contrário não poderei utilizá-lo. Quando faço uma ligação telefônica, tenho que pagar pelos minutos, caso contrário a ligação não se completa), isto é fato. Portanto, peço vênia ao amigo professor, mas não concordo com a vossa afirmação “Eu não penso que as pessoas que não guardam o sábado na atualidade, mas nos beneficiam com seu trabalho, estejam "nos servindo"”, pois não vejo coerência do ponto de vista lógico, mas respeito.
O que estou querendo dizer com isso é que eu não posso dizer que nesta relação contratual eu tenho um salvo-conduto dado por Deus pois o meu motivo é nobre (ir à igreja) e o motivo do prestador do serviço de transporte é torpe (obter remuneração) e, portanto ele é pecador e eu não, ele transgride o Sábado é tem culpa, eu trasgrido o Sábado e fico sem culpa (pois, tanto ele como eu estamos transgredindo o Sábado). Como sair de uma situação destas, como pregar a um motorista de trasporte coletivo sobre o Sábado, afirmar que ele será trasgressor se cumprir sua escala no Sábado e em momento posterior tomar a condução que ele está dirigindo para ir a igreja no Sábado. Outrossim, nossos hospitais e igrejas precisam das empresas prestadoras do serviço de energia para prestarem seus serviços de saúde e orientação espiritual, e para isso pessoas, que também são filhos de Deus, estão trabalhando aos Sábados para nos fornecer a energia.
Deus aceita o nosso culto racional, e, portanto, precisamos nos posicionar racionalmete e com fundamento.
Espero que não tenha ofendido ninguém com minhas considerações, pois pela graça de Deus sou Adventista do Sétimo dia e defensor dos 10 mandamentos dados no monte Sinai a Moisés.
Um grande abraço a todos e que o Senhor Jesus possa nos esclarecer e abençoar sempre.
Sérgio IASD Central de Campo Grande - MS

Anônimo disse...

Gostaria de saber quanto a este comentário de SERVIÇOS ESSENCIAIS e as instituições adventistas. Como se coaduna com colégio, hospitais e internatos adventistas que funcionam 24 horaS por dia, 7 dias por semana ?
João Carlos -Goiânia

Gilson Medeiros disse...

Olá, João Carlos.
Não conheço internatos ou escolas que funcionem "24 horas por dia, 7 dias por semana".

No caso de instituições que necessitam, por questões relativas à sua área de atuação, funcionarem no sábado, os profissionais que assim "trabalham" não o fazem pelo dinheiro, mas pelo espírito missionário. É bem diferente de um empregado em uma instituição secular, que sabe que se faltar no sábado terá seu salário descontado, punições e até demissão.

Na Bíblia vemos claramente que os que "trabalhavam" para manter as instituições religiosas, ou sejam, que trabalhavam para Deus, para benefício de Sua Obra (seja no Templo, seja nas sinagogas, etc.).

O mesmo princípio bíblico é seguido pela IASD em suas instituições.

Um abraço.
Gilson.

Anônimo disse...

Olá Pr. Gilson.

Por favor gostaria que comentasse a dúvida do Sergio pois é a minha também. Quero deixar claro que sou ASD, mas tenho esta dúvida. As pessoas estão trabalhando para nos servir com energia, água, telefone etc... E isso TODO Santo Sábado. Isso não faria de nós pessoas que não guardam o sábado?

Att
Jonas

Gilson Medeiros disse...

Olá, Jonas.

O que diz o mandamento do sábado?

"...nem tu, nem teu filho.. nem teu servo... nem teu animal".

Veja que o que Deus determinou foi que EU ou MEUS "SERVOS", ou seja, aqueles que estão SOB MEU COMANDO, não devem trabalhar no sábado. Portanto, se o motorista do ônibus está trabalhando no sábado, eu não sou culpado disso, mas sim ele e seu patrão.

O mesmo com relação ao serviço de água. Quer eu utilize ou não a água, os empregados da companhia continuarão trabalhando. Eu não tenho nenhuma "autoridade" sobre eles, e portanto não posso determinar se eles guardarão o sábado ou não.

As estruturas sociais do antigo Israel não eram tão complexas quanto as nossas, até mesmo porque eles viviam em uma teocracia, bem diferente do que conhecemos hoje!

Em resumo, eu não sou responsável pela transgressão das pessoas que escolheram trabalhar em serviços que funcionam aos sábados. O que eu posso (e DEVO) fazer é não transgredir o dia do Senhor, nem "obrigar" que meus "servos" (pessoas que trabalham para mim) também transgridam este sagrado dia.

Um abraço.
Gilson.

jsilva disse...

Quando eu entrei na Igreja no final dos anos 90, ainda via muitos desses testemunhos de gente que venceu, mesmo sendo obrigado a trabalhar no sábado. Conhecia profissionais de enfermagem que faziam de tudo para estar na Igreja. E tinha alguns que quando tinham que trabalhar, devolviam o dinheiro para Deus. (não sei até que ponto isso resolve)
Eu mesmo tive problemas em uma grande estatal só porque não quis participar de algumas festas na sexta e no sábado.
E também lembro de muitos testemunhos de milagres em nossa Igreja.
Mas hoje tudo tem ficado muito normal. Dinheiro e diversão se tornou a base da vida.
Televisão, internet, estudo, festas e até trabalho no sábado já está se tornando comum entre muitos adventistas.

Talvez por isso uma grande Igreja com mais de 2000 mil membros batizou apenas 8 pessoas em 2011 e sendo praticamente os filhos de adventistas.

Quando porém vier o Filho do homem, porventura achará fé na terra? Lucas 18:8

Gabriel de Albuquerque disse...

Entenda...O nosso senhor Jesus cristo nos livrou da condenação da lei..leia sobre o que Jesus ensinou,leia as cartas de paulo e verás que você esta se baseando apenas em um texto sem contexto...se fixando apenas na letra do velho testamento,sem conhecer o novo tempo da graça...é claro que oque esta no velho testamento não deve ser jogado fora,existe uma essência,como no sábado por exemplo..significa guardar um tempo para Deus,mas com a vinda de Jesus,não somos obrigados a guardar exclusivamente o sábado,por que não guardar todos os dias?- Nenhuma condenação há pra quem esta em cristo Jesus.. Romanos 8 versículo 1...Então...quando a pessoa diz por exemplo,que você é ladrão por não dar o dizimo..estaria ela certa?Claro que não

Gilson Medeiros disse...

Caro Gabriel, entenda... respeito "sua" opnião, mas não posso concordar com ela pois está frontalmente contrária à Bíblia.

Como frisei, é a "sua" opinião, totalmente baseada no famoso "eu acho".

Faço minhas suas palavras finais, mudando apenas o exemplo, se me permite:

"Então...quando a pessoa diz por exemplo,que você é idólatra por se prostar diante de uma imagem de gesso.. estaria ela certa? Claro que não".

Será?!!!

Um abraço.
Gilson.

Anônimo disse...

Gilson, sou ASD.
Passei num concurso do Poder Judiciário do Espírito Santo. Para o exercício do cargo, existe uma escala de plantão a ser obedecida. Significa, portanto, que mais ou menos de 4 em 4 meses, mesmo sem trabalhar, é necessário que eu passe, no sábado, das 12:00 às 18:00 no prédio do Fórum. Isso é para o caso de aparecer alguma medida urgente, como um habeas corpus, por exemplo. Se não aparecer medida urgente, não sou obrigada a fazer trabalho algum. Esse plantão ocorre também em dias outros, como domingos e feriados.
Estou pensando em assumir o cargo.
O que você me diz, que poderia me ajudar, sobre essa situação específica?

Gilson Medeiros disse...

Cara Anônima, em seu lugar, eu conversaria com o responsável pela escala para solicitar que eu não ficasse de plantão no sábado, e me colocaria à disposição para ficar em QUALQUER outro dia, inclusive domingo, véspera de Natal, reveilon, etc. Tenho certeza que os seus colegas vão preferir trocar o dia da escala, para não caírem nesses feriados que o pessoal gosta tanto.

No mais, é orar e ter certeza que Deus não desampara os que Lhe são fieis.

Um abraço.
Gilson.

João Cordoba disse...

Li o blog e gostei, adicionando informações ao meu conhecimento. A partir de hoje levando em conta o posicionamento da igreja, começo a cobrar o fechamento dos hospitais adventistas que empregam médicos e enfermeiras, lhes pagam pelo dia de sábado trabalhado. Fazer o que prega é o melhor testemunho e fica claro que a igreja vai acabar chegando a conclusão que transgride o sábado, determina através de escalas que os profissionais da saúde também o façam através do trabalho secular e do recebimento pelos trabalhos prestados por seus profissionais. Infelizmente é isso, questão de lógica através do que se prega e se pratica....

DAVIDSON CASTRO disse...

Eu preciso de ajuda neste sentido. Eu me batizei em maio de 2012 e sou profissional de saúde, mas me questiono sobre a necessidade ou não da minha profissão atuar neste dia em prol da vida. Sou Educador Físico e trabalho em uma academia de ginástica. Quando entrei na empresa o combinado foi de segunda a sexta e sábados ou domingos por escala. O Educador Físico é o profissional capaz de prescrever exercício com finalidade de promover saúde, estética, e combater várias patologias e causadoras destas como: Diabtes, Hipertensão, Osteoporose, etc ... Já pensei no assunto e acho que os alunos podem perfeitamente fazer exercício nos demais dias da semana sem ser o Sábado,eu tive a oportunidade de entender a palavra de Deus, mas certamente algumas pessoas que estão fazendo exercício neste dia nunca nem ouviram falar de sétimo dia, nem de Jesus. Gostaria de ler algumas opiniões. Eu particularmente não conheço nenhum adventista Educador Físico, embra saiba que tem muitos. Seria bom conhecer algum colega na mesma situação que eu.

Everton Soares disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Sergio Candido Marcelo Junior disse...

Ola, a paz seja convosco
semana passada foi me revelado a verdade, creio q devemos guardar o sabado, mais a duvida q nao sai da minha cabeça e os trabalhos q nao podem cessar, sera q a lei do sabado nao esta sendo extremamente rigida parecida com os fariseus antigamente ao ponto de nao apoiar um trabalho q seja essencial para a vida, nao sei muito sobre a biblia estou aprendendo agora a lei do sabado q foi o mandamento esquecido pelo povo q sao influenciados pelas "mulheres". Sera q nao esta havendo uma precipitação em relaçao as pessoas q trabalham nos sabados contra a sua vontade mais q trabalham pq veem q essa profissao e necessario q seja realizada todos os dias se nao seria um caos. E se a pessoa q trabalhou no sabado nos serviços essenciais como policiamento, saude e etc devolvessem para Deus dia q eles receberam ou simplismente retire o dinheiro daquele sabado e queime. Muito obrigado espero q vcs entendam o meu ponto de vista e se possivel me orientem pois quero e devo colocar Deus em primeiro lugar na minha vida,

Gilson Medeiros disse...

Caro Sérgio Candido, o sábado é uma questão puramente de fé. Simples assim!

Creio que, se desde o Éden, o povo tivesse permanecido fiel ao Senhor, não precisaríamos hoje de policiais, hospitais, etc. Este tipo de atividade profissional é uma decorrência da própria existência do pecado em nossas vidas.

Por isso, não podemos justificar a transgressão ao sábado com o pensamento de que estamos trabalhando em algo "útil" para a sociedade. Se houvesse este tipo de "permissão", Deus teria deixado escrito no mandamento... concorda? Mas lá é muito claro: nem tu, nem teu filho, nem tua filha... ninguém que dependa de você ou esteja ao seu serviço direto!

Devolver o dinheiro ganho com o trabalho no dia do Senhor, não resolve. Deus não precisa de dinheiro... Ele quer nossa adoração, nossa obediência, nosso amor.

E o sábado revela tudo isso. Revela ao Universo que Deus é, de fato, o primeiro em nossa vida.

Sugiro que você acesse o seguinte site, e veja a beleza de ser fiel ao Senhor guardando o dia que Ele mesmo escolheu:

http://www.sabado.org/

Um abraço
Gilson.

Anônimo disse...

O que penso sobre a guarda do sábado.
Pela tamanho desse comentário pode ser que seja dividido em duas partes.
Primeiramente pela palavra de Deus não fica dúvida sobre a Lei de Deus (aliás a única parte da bíblia escrita pelo próprio Deus). É o quarto e claríssimo mandamento, mandamento com o qual Deus dedicou maior tempo para escrever. Reparem que em qualquer tradução houve grande cuidado em escreve-lo.
Outro ponto importante é a atenção que temos de ter em relação à interpretações de conveniência que várias igrejas e líderes religiosos tem em relação aos 10 mandamento, e em especial à Guarda dos Sábados.
A Igreja Católica simplesmente trocou o dia, acrescentando inclusive dias de festas!!! Retirou o segundo mandamento (porque será????), e dividiu o último mandamento em dois. Meu DEUS!!!!!!!!!!!!!!!!!
Já vi vídeo do Silas Malafaia ensinando que o sábado era para os Judeus da época, e que o dizimo sim é Lei (porque será?????).
E vários outros usam inclusive interpretações erradas e com textos pontuais bíblicos, sem coloca-nos no contexto. Exemplo clássico é Efésios 2, onde se confunde mandamentos de ordenança de Deus aos judeos (circuncisão, tabernáculo, sacrifícios com sangue de cordeiros..) com a Lei dos 10 Mandamentos.
Bom... então, CUIDADO e Discernimento na leitura da palavra de Deus é sem dúvida dom que devemos pedir ao próprio Deus.
Em relação aos serviços essenciais, a Bíblia também é clara, quando o próprio Jesus, quando observado na guarda dos sábados, foi colocado a prova quando os pagãos queriam pega-lo em contradição. Lembram que viram Jesus fazendo o bem (milagres) aos sábados e perguntaram se não estaria transgredindo a Lei de Deus???? Alí fica claro que Jesus guardava o sábado, inclusive foi questionado em sua conduta exatamente no sábado. Mas Deus (Jesus) diz que guardar o sábado não significa deixar de fazer o Bem.
E aqui é o ponto onde precisamos chegar. E os serviços essenciais. Seria fácil, mas a humanidade, por volta 300 (aprox. DP, no mês de março) por meio do Imperador Constantino, colocou o Domingo como dia sagrado, curiosamente um rei "convertido", mas que pelos estudos históricos trazia contigo ainda o paganismo. Nasceu então o Dia do Sol (sunday, domingo..). O Deus Sol, idolatrado pelo antigos Romanos. Tempos depois a Igreja Romana adota também o domingo como dia Santo!! E alegam a ressurreição de Jesus como aceitação para a alteração do quarto mandamento!!!! Dai pra frete, humanidade estabeleceu todos os seus direcionamentos, operacionais, político, religiosos, trabalhistas, legislações, jurisdições, e por ai vai, onde tudo foi "edificado" em torno dessa legislação humana.
Inclusive, em varias acordos de classes trabalhistas, trabalhar aos sábados se paga rendimentos em regime extraordinário.
Bom... então, podemos dizer que vivemos em um mundo organizado pelos homens, que modificaram a Lei de Deus. Portanto, vivemos contra a vontade de Deus.
Tudo seria mais simples e agradável aos olhos de Deus.
Veja...
continua no próximo comentário....

Anônimo disse...

Continuação de comentário anteriormente enviado...
Jesus defendeu o "trabalho" para os serviços essenciais! Portanto, nossa legislação, deveria estar ajustada a isso. Somente operaríamos os serviços essenciais em regime de plantão, e com o mínimo necessário. Saúde, Segurança, transporte, alimentação de emergência, Socorristas, Fornecimento de Energia, Serviços de Água e Esgoto. Aliás, nos dias atuais, e com o nível tecnológico que vivemos, as grandes corporações operam esses sistemas com baixíssimo emprego de força humana.
Serviços básicos, como fornecimento de energia elétrica, serviços de água e esgoto, são praticamente operados por computadores e portanto requereriam baixíssimo emprego de pessoas para operarem em regime de plantão (jajá o leitor vai entender onde quero chegar).
Me grandes metrópoles como São Paulo, temos transportes públicos já totalmente computadorizados. Veja a linha amarela do metro de São Paulo, que transporta milhões de pessoas ao dia sem ao menos um operador dentro da composição.
Hoje mesmo, após meu entendimento de que o Sábado é o Dia do Senhor, sai pela manhã e andei um pouco por minha cidade, e vi uma população inteira operando como se o dia do sábado nada representasse de especial. Totalmente alheia à vontade de Deus. Muitos é claro por falta do conhecimento, muitos outros em opção (na verdade deverão fazer esta opção), e outros muitos ignorando totalmente.
Como seria então a guarda do Sábado com a tamanha necessidade dos famosos serviços essenciais??? Logicamente, como todos são contrários a vontade de Deus, criamos nossas necessidade. Deveríamos descontruir essa necessidade. Se todos guardassem os Sábados, nossas ruas seriam “vazias”, com os cristão naturalmente recolhidos em meditação e graças ao Senhor.
Portanto, pouquíssimas pessoas “trabalhariam” nesse dia (sábado). Em regime de fornecimentos essências, nas áreas que mencionei acima nesse texto. E, EEEE, quem “trabalhasse” nesse dia, sem desobedecer o quarto mandamento, e seguindo os ensinamentos de Jesus no novo testamento, deveria DOAR sua força de trabalhos. Isso mesmo, DOAR! Como Jesus no novo testamento. Doar o Bem! E por legislação o cristão teria a opção de “trabalhar” sem ser remunerado. Opção Fácil, sem dor, e de total aceitação sob a luz da palavra de Deus. Então, você não precisaria deixar sua profissão. E sabemos que muitos receberam o dom para cada ocupação. Bastasse dia de trabalho. Que tal???? Qual seria a objeção??? Nada maior aos olhos de Deus do que doar um dia inteiro de trabalho em favor dos necessitados. Como dor??? Diria por exemplo o militar. Hoje vou dar minha força de trabalho à segurança de minha cidade, ou da região onde atuo. Um enfermeiro diria.. hoje vou me doar em meu trabalho e não posso ser remunerado, pois hoje é dia do Senhor. Não seria um doação?

continua em próxima postagem.....

Anônimo disse...

Continuação de postagem anterior....
E energia elétrica que corre pelos fios e chega até nossas casas, até nossa igreja, até as linhas do metro, para funcionamento dos telefones nos casos de emergência, para funcionamento dos semáforos, para funcionamento dos hospitais, etc, etc, etc....
Todos o sistema estaria em operação em regime de plantão, tanto dos operadores quanto dos funcionários para as manutenções de emergência (aliás manutenções que dependendo do caso poderiam muito bem serem realizadas aos domingos ou logo na segunda-feira).
Pois bem, esse sistema de fornecimento de energia, e leia-se água e esgoto, seriam fornecidos normalmente, pois sabem que pagamos a conta uma vez ao mês. E não precisamos ir aos Bancos pagar nossas contas aos Sábados. E essas contas são compiladas por sistemas computadorizados que funcionam sem ação humana.
Aaaa.... e os aviões que estejam voando durante o sábado??? Simplesmente, o homem temeroso a Deus não viajaria aos Sábados, ou em viagens que sobrepusessem os sábados.
Não teríamos aviões nos ares no dia do Senhor.
OU SEJA................ temos saída para tudo. O não cumprimento do dia do Senhor vem da arrogância e “autonomia” da própria criação que nega seu Criador.
É sé querer.
Mas, sabemos que isso não acontecerá, pois as próprias profecias anunciam O Selo dos filhos de Deus. Sabendo que a reflexão acima, é para explicitar que o não cumprimento do Sábado é pela determinação do próprio homem, e não por falta de alternativas, resga a cada um de nós tomarmos nossa atitude e mudarmos nossas ocupações caso necessário, trabalhar em regime de doação para. Entregar nossas vidas nas mãos de Deu e e confiar de verdade, nos levarão a tomar as decisões mais sábias.
Abraços de um anônimo!!!!!!!

Anônimo disse...

Ha segurança trabalhando no sábado para proteger as instituições adventistas. Usufruimos então dos serviços para irmos a igreja, ligar um data show, ar condicionado etc, mantido por outras pessoas q estado pecando e nos não... Não existe um certo e outro errado. Na verdade todos estao errados então. Não vejo necessidade de microfone, ar condicionado e muitas outras coisas q tem pessoas trabalhando para ter o culto.É uma questão pessoal. Somente Deus para julgar.

Graziela disse...

O sábado não é o selo de Deus, concordo em guardar os sábados pois é um ato de confiança mas o selo de Deus é o Espirito Santo, se fosse o sábado somente uma elite seria salva, e a multidão que trabalha aos sábados estão perdidos? Quem pensa assim não tem compaixão pelo próximo então do que adianta guardar os sábados.

Gilson Medeiros disse...

Prezada Graziela, obrigado pelo comentário.

Como eu digo aqui no blog, minhas crenças se baseiam na Bíblia, unicamente, e mesmo quando não "concordo" com determinado assunto, procuro me sujeitar à Palavra de Deus, pois creio ser este o dever daqueles que se consideram cristãos.

Se você desejar se aprofundar no assunto, sugiro que leia outras postagens onde trato do sábado, e entenderá porque o considero, SEM SOMBRA DE DÚVIDAS, como o selo do Senhor:

http://prgilsonmedeiros.blogspot.com.br/search/label/s%C3%A1bado

Um abraço
Gilson.

Anônimo disse...

Ola! pr Gilson. Sou adventista, trabalho como vigilante(seguranca) noturno em escala12/36 plantao. muitas vezes o plantao comeca na sexta feira a noite e termina no sabado pela manha... A profissao de vigilante tem a mesma funcao da militar, que é proteger o patrimonio e salvar vidas. mesmo q o patrimonio seja privado, isso no meu entender... depois q chego do plantao no sabado pela manha... vou a escola sabatina... peço ao pr. Gilson que ore pela minha vida espiritual.

Flavio Ramires disse...

Trabalho com servidos essências conversei com meu superior sobre o sabado, ele entendeu e não me escala pra trabalho aos sabados trabalho dois domingos mas em caso de emergência eu atendo nesses três anos só me foi solicitado uma vez num sábado à tarde eu compareci normal não recebi pelas horas trabalhadas, e assim graças a Deus guardo o sabado que é um dia santo instituído por Ele

Gilson Medeiros disse...

Prezado Flavio, obrigado por compartilhar conosco sua experiência pessoal.

Continue assim, firme na fé que uma vez foi dada aos santos.

um abraço
Gilson.

Unknown disse...

Bom entendo eu que se vc pegou o ônibus no sábado para se locomover ė pq não tem outro meio de chegar até o local desejado então se o motorista e o cobrador não estivessem lá como vc iriam pra igreja por exemplo. É outra questão não consigo enxergar nos dias atuais uma forma de todos guardarem o sábado porque gente não tem como, por exemplo no hospital não pode parar, daí já ouvi gente falar mais os médicos adventistas só fazem cirurgia de urgência, pera aí não ė só de médico que depende um hospital, a técnica de enfermagem tem que medicar o paciente, trocar sua fralda entre outras coisas que não tem como esperar, mais daí se falar pra mim mais ela tá fazendo o bem, o bem se faz de graça então ela não pode cobrar e se ainda assim ela não cobrar pelo seu sábado trabalhado ela vai depender do cobrador, motorista, maquinista para chegar até seu local de trabalho pq no mundo que vivemos não ė todos que consegue ter um carro. Não ė falta de vontade sabe, se tem que guarda que guardamos mais como se não ė possível. Não enxergo um mundo totalmente parado para guardar o sábado exatamente pelas profissões que são essências, vi um pastor falando que não seria transgressão da lei sabática ir a farmácia comprar um remédio, bom mais se todos os farmacêuticos resolvem guardar o sábado daí fecha todas as farmácias e aí. Isso que não compreendi!

Gilson Medeiros disse...

Prezado Unknown, esse é o problema com a maioria dos pensamentos acerca do santo sábado... tudo se baseia no "eu acho", "eu penso", etc... e quase nada na Palavra de Deus.

O mesmo raciocínio que você utilizou para dizer que é impossível se guardar o sábado nos dias atuais, eu usaria para dizer que também é impossível não cometer adultério, dada a vasta erotização dos nossos dias... Então, devo também deixar o 7º mandamento de lado?!

Vê o absurdo que chegamos quando deixamos a Palavra de Deus para seguir nossos achismos pessoais?

Não conheço um único fiel guardador do sábado que não conheça a forma correta e divina de obedecer ao mandamento do Senhor com a consciência limpa, e na certeza de estar fazendo o que Ele nos pede.

Reveja seus conceitos... eles podem te levar para um caminho tortuoso (cf. Mateus 7:21-23).

Um abraço
Gilson.

??????????????? disse...

Olá, Pastor Gilson Medeiros!

Em primeiro lugar, gostaria de agradecer pelo esclarecimento. No entanto, em um segundo plano, gostaria de fomentar um pouco mais o assunto. Não para discordar, mas para obter melhor fundamentação sobre o tema.

01. Ao que me consta, instituições de saúde adventistas (hospitais) mantém o funcionamento no sábado (embora os serviços sejam reduzidos ao essencial), seria isto uma contradição ao que foi explicado acima?

02. A exemplo do que ocorreu em Neemias 13:19, quando Neemias colocou guardas às portas da cidade no dia de sábado (era um trabalho para os guardas), não seria um caso destes guardas ficarem sem culpa, se equipararmos ao que Jesus disse em Mateus 12:15?

Dentro do possível, aguardo resposta.

Gilson Medeiros disse...

Prezado(a) ???

Uma diferença enorme existe entre o trabalho dos guardas de Israel e aqueles que trabalham em serviços semelhantes hoje: aqueles trabalhavam sob orientação divina, ou seja, Israel era uma teocracia, e todos que trabalhavam nos serviços da cidade, o faziam diretamente para Deus, tanto no templo quanto na segurança do povo.... O mesmo não ocorre hoje, pois as pessoas não trabalham sob um propósito divino, mas apenas para o sustento diário. E esse sustento a Bíblia diz que devemos buscar apenas nos outros 6 dias da semana, pois no Sábado é o momento de reverenciarmos Aquele que nos dá a força para buscar o pão diário.

Com relação às instituições adventistas de saúde, no sábado os profissionais fazem um trabalho missionário, e não apenas para seu sustento, conforme explicado acima e em comentários anteriores.

Ou seja, um ponto básico para sabermos se o nosso trabalho seria ou não "justificável", é nos fazer uma pergunta:
"Corro risco de ser demitido se não for trabalhar?"

Se a resposta for "sim", então certamente não se encaixa no exemplos dos hospitais adventistas nem nos guardas de Israel do tempo da teocracia.

Na dúvida, obedeça ao mandamento... isso nunca falha!

Um abraço
Gilson .

Cursos Básico, Médio e Avançado

Ebook 101 Razões