domingo, março 04, 2012

Qual a obra de um "profeta"?

Um desses dias eu estava assistindo um programa de televisão promovido por uma denominação neo-pentecostal, e uma pessoa deu um testemunho mais ou menos assim:

"Eu li a Palavra que estava em Ezequiel, e então comecei a profetizar a minha bênção".

Pelo que entendi, ela quis dizer que a passagem lida no livro de Ezequiel serviu para dar-lhe a resposta para a bênção que ela estava esperando.

Em outras denominações, o "profeta" é aquele que se levanta no meio do culto e começa a "revelar" os pecados ocultos dos presentes à reunião.

Ai eu fiquei me perguntando: Mas é isso mesmo que significa "profetizar"? Me veio à mente a questão de que muitos Adventistas também não tenham, talvez, uma compreensão clara sobre a obra de um profeta, apesar de esta Igreja ser uma das que crêem na manifestação especial deste dom para a denominação. No nosso caso, na vida e ministério de Ellen Gould [Harmon] White.

Aproveito, então, para colocar aqui um esboço sobre a sistematização desta doutrina.

A Função do Profeta no Plano de Deus

Desde o mais distante passado, Deus tem muitas vezes falado através de pessoas a quem Ele tem inspirado com divinas mensagens. O chamado ao ofício profético não vem por indicação humana, mas emana de Deus. Este “chamado” vem com o convincente e autoritativo poder do Espírito Santo à pessoa escolhida (Heb. 5:4; 2Pe. 1:21).

Terminologias Adotadas

Os profetas foram, no mais remoto passado, chamados por diversos nomes, entre os quais:
• Vidente (1Sm 9:9), ou seja aquele que vê as coisas além da visão “natural”.
• Ele foi designado também como um mensageiro (2Crôn. 36:15).
• Também foi identificado como uma atalaia. (Ezeq. 3:17).

Contudo, o mais comum é o título de profeta, cujo significado é:
• Aquele que prevê o futuro: preditor.
• Aquele que fala por Deus: pregador.

Funções do Profeta

Chamados de todas as posições sociais e profissionais, os profetas foram instrutores de religião e de moral, reformadores e conselheiros, guias espirituais e preditores de eventos que acontecerão num imediato ou distante futuro.
Alguns, como Elias, operaram milagres; enquanto outros, como João Batista, não o fizeram. Porém, movidos por Deus, todos eles anunciaram mensagens vindas do Céu, não suas próprias (Osé. 12:10; Dt 18:18-19; Zc 7:12).

Sentido Etimológico

A palavra “profeta” deriva do grego prophetes, que quer designa uma pessoa que fala em lugar de outra como intérprete ou proclamador. A palavra "profeta", no hebraico, é nabi, cujo sentido genérico é aquele que anuncia, ou o anunciante. Assim, nabi era uma pessoa que Deus qualificava para falar em nome dos homens.

O termo “vidente”, usado no Português, vem de duas palavras hebraicas: roeh (1Sm 9:9) e hozeh (Isa. 30:10). Esta nomenclatura se deve ao fato de que a pessoa escolhida entrava em “visão”. A primeira vez que a palavra “visão” é usada nas Escrituras acontece em Gên. 15:1, embora não seja Abraão a primeira pessoa a ter visão.

As Revelações de Deus ao Profeta Ocorrem de Diferentes Formas

• Manifestação pessoal da 2ª Pessoa da Divindade (Jr 31:33 cf. Hb 10:15 e 17).
• Comunicação oral, com ou sem aparição de símbolos (Mt 3:16-17).
• Aparição de anjos que davam instruções de Deus (Jz 13:3 e 7; Dn 9:20 e 22).
• Mediante a ação do Espírito Santo sobre a mente para comunicar conceitos mais claros ou infundir convicção (At 20:23).
• Mediante sonhos (Gn 28:11-15).
• Mediante visões (Nm 24:4, 16; 12:6).

A Restauração do Dom nos Últimos Dias

João apresenta, em Apoc. 12:17, o povo remanescente como possuindo o dom profético (cf. Ap 19:10). Os Adventistas do Sétimo Dia são únicos neste tema, no sentido que unicamente eles:
• Reivindicam encontrar suas raízes proféticas em Apocalipse 10.
• Reivindicam encontrar uma mensagem profética em Ap 12:17.
• Reivindicam encontrar sua mensagem profética em Ap 14:6 a 12.

As Características do Remanescente (último representante do povo de Deus)
• Ap 12:17 - A guarda dos Mandamentos de Deus e a posse do Testemunho de Jesus, definido como Espírito de Profecia.
• Ap 14:12 - A paciência (perseverança) na espera da 2ª vinda, juntamente com a guarda dos Mandamentos e a posse da fé de Jesus.

Através do seu estudo das Escrituras, os Adventistas Sabatistas (precursores da IASD atual) encontraram a associação da Lei de Deus com o Dom Profético (Pv 29:18 cf. Lam. 2:9 cf. Ez 7:26). Ao lado desta relação, eles precisavam demonstrar através de testes bíblicos quando um profeta é genuíno. Foram encontrados os seguintes “requisitos” bíblicos para o reconhecimento de um profeta verdadeiro:
• Conformidade com “a lei e o testemunho” (Isa 8:20).
• Fidelidade às verdades da fé (Dt 13:1-5).
• Saudável caráter dos frutos que apresentam (1Jo 4:1-3; Mt 7:10).

Segundo o historiador Leroy Froom, muito cedo em sua história “os adventistas sabatistas ficaram insatisfeitos, porque em harmonia com as predições e especificações da Bíblia, o dom de Profecia tinha agora sido manifesto no movimento adventista através da obra de Ellen G. White. Ela foi escolhida por Deus para ajudá-los a manter seus pés na sólida rocha da Escritura” (Prophetic Faith of Our Fathers, v. 4, pág. 972).

O Significado de "Espírito de Profecia"

O Apocalipse (19:10) declara que o “Testemunho de Jesus” (12:17) é o “Espírito de Profecia”.
• Testemunho acerca de Jesus.
• Testemunho de Jesus, que procede dEle para o Seu povo.

As duas traduções são gramaticamente aceitas. Por isso os Adventistas do Sétimo Dia estão certos em entenderem que o dom de profecia se trata do “Testemunho de Jesus”, que se traduz: “da parte de Jesus”, e que não é algo apenas "a Seu respeito".

Paralelismo de Ap 19:10 e 22:8-9

• Em ambos os textos, João caiu aos pés do anjo para adorá-lo.
• Em ambos os textos, o anjo rejeita a adoração, dizendo “não”.
• Em ambos os textos, o anjo começa dizendo: “Sou teu conservo e de teus irmãos”.
• Em ambos os textos, é dito que só se adora a Deus.

Todos estes paralelismos nos fazem crer que o termo “profetas” de Ap 22:9 tem o mesmo significado de “Espírito de Profecia” de Ap 19:10, ou seja, “profeta” é a explicação da expressão “Espírito de Profecia”.

“O final surgimento do Espírito de Profecia, eles arrazoaram, é para ser neste tempo visto em inseparável conexão com o renascimento da guarda dos Mandamentos de Deus e a restauração da original fé de Jesus” (Froom, v. 4, pág. 974).

Adaptado da apostila de DOP, SALT-IAENE (2002)

"(...) Crede no SENHOR, vosso Deus, e estareis seguros; crede nos Seus profetas e prosperareis" - 2Crôn. 20:20.

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...