sexta-feira, maio 17, 2013

É possível guardar todos os mandamentos?

"Prof. Gilson, é realmente possível guardar todos os mandamentos da Lei de Deus?"

Certa vez eu ouvi alguém dar um "não" como resposta a esta pergunta. Para tal pessoa, vivemos em um mundo muito afastado de Deus e, por isso, torna-se praticamente impossível ser fiel na guarda de todos os preceitos que o Senhor deixou.

Porém, eu sinceramente não creio que o Senhor escreveria Seus preceitos em uma tábua de pedra (cf. Êxo. 31:18), se tais mandamentos estivessem além dos limites da nossa possibilidade real.

Os legisladores humanos é que têm sido muito hábeis em criar leis que não "passam do papel", pois não estão em harmonia com a realidade das pessoas. Mas isso não ocorre com a Lei de Deus, pois é o Senhor mesmo Quem nos dá a força necessária para permanecermos fiéis aos Seus Mandamentos, ou melhor, à Sua LEI DA LIBERDADE, como Ele mesmo ensinou.

Ou seja, é claro que a Lei de Deus pode ser plenamente obedecida em todos os seus pontos! O que ocorre é que nós, seres humanos pecadores, sempre procuraremos uma maneira de nos desviar dela, e fatalmente encontraremos muitas boas "justificativas" para vivermos neste estado "marginal" da Lei do Senhor.

E os que dizem que a Lei passou?

Infelizmente, aqueles que professam o Cristianismo em nossos dias, em sua grande maioria, pregam um desprezo à Lei de Deus, que beira a blasfêmia. Deus escreveu, com Seu próprio dedo, em tábuas de pedra, os 10 princípios que deveriam ser seguidos pelo Seu povo em todas as eras, pois tal Lei é o próprio reflexo do caráter do Senhor (cf. Êx 31:18; Jr 31:33; Hb 8:10). Por toda a Bíblia vemos que Ele sempre transmitiu mensagens de chamado à obediência para com a Lei moral. Através dos escritores bíblicos, muitas foram as mensagens que deveriam servir de motivação para que o povo nunca se afastasse do cumprimento da Lei (cf. Sal. 89:30-32; todo o Sal. 119; Êx 16:14; Pv 7:2; Jr 9:13; 16:11; Os 8:1, 12; etc.).

Hoje em dia, porém, muitos alegam que “a Lei passou”, pois vivemos no chamado “tempo da graça”. Ora, isso soa estranho aos ouvidos de quem realmente conhece a Bíblia, pois a Lei e a graça sempre andaram juntas. A graça não existiu somente a partir do ministério terrestre de Jesus (cf. Sal. 6:4; 13:5; 40:10-11; 62:12; 66:20; 69:13; 89:14; Is 60:10; Zc 12:10; etc.); bem como a Lei moral não foi abolida na Cruz (cf. Mt 5:17-19; At 24:14; Rm 2:13; 3:20, 31; 7:7-8, 12; Tg 1:25; todo o cap. 2 de Tiago; 1Jo 3:4; etc.).

Importantes estudiosos não-adventistas têm afirmado que não devemos rejeitar o Antigo Testamento e seus ensinos, dando valor apenas ao Novo Testamento, especialmente porque eles estão intimamente ligados. Dentre estes teólogos, quero citar D. A. Carson, Douglas J. Moo e Leon Morris, que na sua Introdução ao Novo Testamento dizem o seguinte:

... Não há nenhum indício de que os escritores do Novo Testamento queiram rejeitar alguma parte do Antigo Testamento canônico sob a alegação de ser incompatível com sua fé cristã em desenvolvimento. Paulo chega a insistir em que o motivo pelo qual as ‘Escrituras’ foram escritas foi a instrução e o encorajamento dos cristãos (Rm 15:3-6)” - (p. 546).

Aqueles que estudam a Bíblia destituídos de preconceitos, verão claramente que há uma Lei que nunca passou, nem passará, pois como poderíamos imaginar um Deus Criador e Mantenedor que não tem uma Lei para dirigir e julgar a vida do Seu povo?! Chega a ser um absurdo pensar assim!
Porém, eu gostaria de convidar os companheiros de "blogagem" a ponderar comigo sobre um fato que observo entre aqueles que esbravejam com tanto zelo a mensagem de que a “Lei passou”. Se você indagar qualquer pessoa que considera que a Lei de Deus não mais deve ser observada pelos cristãos atuais, você verá, assim como tenho visto inúmeras vezes, que a questão não é a Lei em si, pois há 9 pontos da Lei Moral que os protestantes aceitam sem pestanejar, enquanto que os católicos, apenas 8. Em qualquer igreja evangélica, uma pessoa que cometer adultério, assassinato, furto, idolatria, etc., certamente passará por alguma sanção disciplinar, podendo ser até mesmo excluída da comunhão da igreja.

Ora!
Se “a Lei” passou, então porque condenar as pessoas que a transgridem? Se vivemos hoje no chamado “tempo da graça”, porque então a quebra dos Mandamentos não é imediatamente perdoada e relevada, uma vez que, como dizem, tal Lei não mais existe como norma para o povo de Deus dos nossos dias? Por que os protestantes condenam os católicos romanos pela adoração de imagens, se os primeiros acreditam que a Lei não vale mais (cf. Êx 20:4-6)? Os católicos romanos, pelo menos aqui, são mais sinceros, pois não ficam dizendo que os 10 Mandamentos passaram; o que aconteceu, dizem os católicos romanos, foi que a igreja deles simplesmente mudou a Lei – basta conferir no Catecismo. Ou seja, tanto os católicos romanos, quanto os protestantes contrários à Lei, estão no mesmo barco, pois desprezam as claras palavras que o Todo-Poderoso do Universo escreveu com Sua própria caligrafia divina (cf. Êx 31:18) – a única lei da Bíblia que Deus não permitiu ao homem escrever por si mesmo! Pense nisso!

Vemos, então, que aqueles que afirmam que a Lei passou, na verdade, estão agindo de má fé, pois o que eles querem atacar não é a Lei como um todo, pois está evidente que as igrejas protestantes continuam seguindo 9 Mandamentos da Lei moral. O que está realmente na mente destas pessoas é a nulidade do 4º Mandamento, exatamente o que requer a adoração ao Senhor no dia em que Ele determinou – o sábado do sétimo dia (cf. Gên. 2:1-3; Êx 16:1-5; 20:8-11).

É muito claro nas páginas das Escrituras, como vimos até aqui, que a Lei moral dos 10 Mandamentos nunca passou, e permanece até hoje como a norma pela qual o Senhor “medirá” o caráter daqueles que professam o nome de Cristo em suas vidas (cf. Tg 2:10-12; Mt 7:21-23; Jo 14:15; 1Jo 2:4).

Por esta razão, os Adventistas levantam bem alto a bandeira da guarda incondicional dos 10 Mandamentos da Lei moral de Deus, não como meio de salvação (como já expliquei exaustivamente aqui no blog), mas como demonstração de amor e gratidão pela graça que Deus derrama abundantemente em nossas vidas, e mais ainda porque Ele mesmo nos concede o poder necessário para guardarmos a Sua santa Lei (cf. Sal. 37:25; 1Pe 1:2; Dt 28:13; Tt 3:3-7; Ef 2:10).

"Grande paz têm os que amam a tua lei; para eles não há tropeço" - Sal. 119:165.

A paz do Senhor!!!!! 
A verdadeira!!!!!

12 comentários:

Amigos Adventistas disse...

Prof. Gilson Medeiros, sempre olho seu Blog, e também muitas informações contidas aqui levo para meu Blog, com as dedicatorias para o autor original, agora relacionado a este tema gosto muito dos versos que encontramos em:
Lucas 1:5 - 6 - " Exixtiu no tempo de Herodes, rei da Judéia um sacerdote chamado Zacarias da ordem de Abias e cuja mulher era das filhas de Arão, e seu nome era Izabel.
E eram ambos justos perante o Deus, andando sem repreensão em todos os mandamentos e preceitos do Senhor."
Portanto é sim possivel guardar os mandamentos de Deus.
Obrigado e que Deus continue o Abençoando
Claudecir

Prof. Gilson Medeiros disse...

Obrigado, Claudecir, pelas palavras de carinho e incentivo.
É claro que podemos guardar os mandamentos, mesmo de forma imperfeita, pois foi para isso que o Senhor os criou.
O que importa para Deus não é a perfeição na guarda da Lei, pois Ele sabe que nunca seremos perfeitos. Mas Deus quer ver se temos um espírito de obediência voluntária, de amor absoluta por Ele.
Há muitos que se amparam num falso amor a Deus para livrá-los da obediência. Dizem que Deus não quer sacrifício, e por isso preferem desobedecer.
Graças a Deus que nós, que seguimos Sua Lei, sabemos o quão bom e revigorante é o sentimento de estar fazendo o melhor que podemos.
O que faltar... Deus completa!

Anônimo disse...

Em Apoc.14:12 diz que os santos perseveram na guarda dos mandamentos de Deus.Quem são os santos?É o povo que faz a vontade de Deus(Salmos148:14).SE a lei realmente fosse abolida com a morte de Cristo,não teriam santos depois de sua morte,então só seriam salvos antes da morte de Cristo ,pois alguns perseveraram nos mandamentos de Deus.O que eu quero dizer é que se não precisa guardar os mandamentos as três mensagens angélicas ficam sem sentido(Apoc14:6-12).Os mandamentos são imutáveis,ontém ,hoje e para sempre(Heb13:8).Devemos guardar todos os mandamentos,na matemática de Deus 10-1=0(Tiag2:10).

Rosenaldo disse...

Gilson, Eu creiu piamente que Deus lhe usa e está lhe usando para esses ministério. Admiro-o bastante pelos seus sermões e pela sua pessoas. (Número 6:24 aou 26) um Grande Abraço. Rosenaldo - Poço de Pedra.

Prof. Gilson Medeiros disse...

Caro Rosenaldo, obrigado pelas palavras de estima e incentivo.
Fico muito feliz em poder ajudar um pouco para o crescimento na fé dos meus irmãos e irmãs, e o blog tem me dado oportunidade para isso.

Um abraço.

Gleice Medeiros disse...

A declaração de que Cristo por sua morte aboliu a lei do Pai não tem fundamento. Se tivesse sido posssível mudar a lei, ou pô-la de parte, não teria sido necessário que Cristo morresse para salvar o homem da pena do pecado. A morte de Cristo, longe de abolir a lei, prova que ela é imutável. O Filho do Homem veio para engrandecer a lei, e torná-la gloriosa. White- GC pág 466.
Cristo ao morrer na Cruz do calvário engrandeceu a lei do Pai deante de todo o universo. AMÉM!!! Está Escrito: Então, vereis outra vez a diferença entre o justo e o perverso, entre o que serve a Deus e o que não o serve. Malaquias 3: 18.
Sou Adventista vai fazer 12 anos e para a honra e glória de Deus, tenho dois irmãos que batizaram ano passado e um primo que voltou para os verdadeiros caminhos do Senhor. Jesus está voltando, mais do que nunca devemos exaltar a lei de Deus e sermos obedientes aos seus preceitos.

Kleber Monazio disse...

Na verdade, a lei no sinal foi dada para um povo ignorante...Muitos naos e naos... e achamos q a lei eh esse monte de negativos...E a lei de Deus eh o amor, qd amamos a Deus de verdade, ai amamos os outros tb...e a lei sera uma coisa dentro de nos, uma coisa interna, facil e transparente... a lei eh amor eh so...amar a DEus sobre todas as coisas e ao proximo como a ti mesmo...................

Maria Gonçalves disse...

Aqui vai o comentário de uma leiga, não frequento qualquer igreja, por isso se mostrar ignorância, peço que me desculpem.
A lei, como conjunto de regras necessárias para uma sociedade sobreviver e não se aniquilar a ela própria, sempre será necessária.Os dez mandamentos(ou a maior parte deles) são imprescindíveis, quer tenham sido escritos por Deus ou não.Naturalmente que esses mandamentos existem noutras regiões
abrangidas por outras religiões(hinduísmo, budismo).Estão implícitos nas suas escrituras, não como mandamentos de Iahvé, mas fazendo parte de uma consciência individual e coletiva.O que me parece que os cristãos aboliram quando começaram a fundar as primeiras comunidades não foi a lei toda mas aquela que era desnecessária e que tinha a ver com rituais.Inclusivé a observação do sábado , pelo próprio exemplo de Jesus Cristo.Se formos tão rigorosos como os judeus antigos na observação da Lei, então teremos que julgar Jesus pelas infrações cometidas.Aí, deixaremos de ser cristãos. Ou não somos nada, ou convertemo-nos ao judaísmo.Esquecemo-nos de que a Lei, naquele tempo, era imposta de uma forma dura, até mesmo cruel.Quem podia fugir à observação da Lei? Parece mentira mas mesmo assim havia prevaricações. A mulher adúltera apanhada em flagrante (podia ter atenuantes,vivia uma vida sem amor), o homem que apanhava lenha, sabe-se lá se não teria alguém doente em casa que morreria de certeza se não se aquecesse...Os pontos duros da Lei é que foram abolidos e substituídos pela misericórdia, tal como Jesus tinha ensinado.Não acredito que S. Paulo tivesse incentivado alguém a matar o seu próximo sob o pretexto de que a Lei foi abolida. O facto é que quando se fala da Lei se generaliza e parece que abrange tudo. Na minha opinião, os cristãos simplificaram o código de conduta baseados nos conhecimentos que obtiveram de Cristo.
O sr. pastor vai, naturalmente, aconselhar-me a estudar as escrituras com alguém que sabe e deixar-me de «achismos». Mas estamos aqui para aprender uns com os outros, até Deus nos chamar.Portanto, fico à espera da sua resposta.

Gilson Medeiros disse...

Cara Maria Gonçalves, como você mesma diz são "argumentos de uma leiga", ou seja, são sua opinião pessoal.

Respeito, mas discordo totalmente, pois o que você diz não se harmoniza com as Escrituras, e é somente nelas que deposito minha fé.

Um abraço.
Gilson.

Iran disse...

Na busca pela excelência em gestão há um modelo de qualidade com praticas diferenciadas e que espelham o estado da arte no gerenciamento de grandes corporações. O modelo de excelência mede o grau de aderência das praticas vigentes em relação aquelas desejáveis. Ao se verificar a diferença na relação do que é feito aquilo que é preconizado naquele instrumento se processam ciclos de aprendizagem nos quais há um aperfeiçoamento continuado da empresa avaliada na busca pela citada excelência. Residindo nessa busca pela melhoria um caminho para a qualidade. Penso que os mandamentos sejam essa excelência para aperfeiçoar o ser humano, nem tanto por seu cumprimento ideal, o que é muito difícil para nos que não somos justos, mas como um instrumento de referencia para um aperfeiçoamento continuo, a partir da consciência da necessidade e desejo de caminhar em direção a Deus, após termos sido alcançado pela Graça e justificado pela fé.

Taís Angst disse...

Olá Pastor!! Paz de Cristo!

Estou escrevendo pois preciso de uma luz a respeito do Santo Sábado. Em 2004 batizei-me da Igreja Adventista, mas depois, pelos cuidados do mundo, fui me distanciando. Casei-me com um rapaz muito bom só que ele era católico apostólico romano e, desde então, eu frequentei várias vezes as missas dessa religião. Até que a pouco tempo atrás, o Santo Espírito de Deus, falou em mim e comecei a interessar-me novamente pela Verdade. Eu tinha uns cursos bíblicos antigos da época do meu batismo, peguei-os e fui fazer novamente todos. E orei, orei muito para meu esposo aceitar a Verdade. Até que, foi bem fácil,pela Graça de Deus, e ele começou a frequentar a Iasd comigo e com nossa nenê que tem 4 anos. Agora ele está firme da fé. Só que ele trabalha a noite em uma fábrica, o horário é das 16:00 as 2:00 da manhã, sendo que, então, quando se inicia o sábado ele está trabalhando. Não sabemos como fazer, pois eles não transferem para outro horário e nem abrem mão do trabalho dele depois do pôr do sol de sexta. É uma situação complicada, pois o mundo conspira contra os que são fieis a Deus. Seria pecado se ele continuasse a trabalhar nesse horário? nos sábados pela manhã sempre vamos ao culto de adoração, mas quem observa o sábado tem que o respeitar desde o seu inicio. Não sabemos como fazer!!

Gilson Medeiros disse...

Olá, Tais.
O sábado é uma questão de fé, de acreditar que é vontade de Deus que Seu povo respeite este dia (cf. Ezeq. 20:12, 20).

Eu mesmo já precisei rejeitar propostas de emprego e até provas de concurso por acreditar que a obediência a Deus é mais importante do que tudo. E Ele nunca, nunca me desamparou. Pelo contrário!

Sugiro que vocês orem juntos sobre a questão, e peçam que Deus lhes mostre o caminho a seguir. Quem sabe não seria a hora de iniciar um negócio próprio, ou mesmo partir para a busca de outro emprego?! Tenham a certeza que Deus estará com vocês (cf. Salmo 37:25).

Procurem o pastor distrital que atende à IASD ai em sua região. Tenho certeza que ele ajudará vocês a tomarem as melhores escolhas.

Um abraço.
Gilson.

Cursos Básico, Médio e Avançado

Ebook 101 Razões