terça-feira, junho 11, 2013

O "antitrinitarianismo" dos pioneiros adventistas

Há uma expressão na língua portuguesa que é bem "curiosa".

"FAZER OUVIDO DE MERCADOR".

O que significa isso?
Uma das explicações que encontrei foi que esta expressão se baseia nos relatos de mercadores do Oriente Médio, de séculos passados, que ganhavam a vida vendendo tapetes, utensílios domésticos e bugingangas nas feiras do deserto. Quando alguém vinha com alguma reclamação, eles faziam de conta que ouviam, mas não davam a mínima importância ao que os fregueses estavam dizendo.

Ou seja, "fazer ouvido de mercador" é o mesmo que "não dar importância", "fingir que está ouvindo o que o outro diz", etc.

Parece que esta situação tem tudo a ver com algumas pessoas que insistem em "bater na mesma tecla" (olha ai outra expressão da nossa língua...rs), e não "viram o disco" (outra!...rs). Estou me referindo aos nossos queridos irmãos que não creem mais na doutrina bíblica da Trindade.

Vez ou outra eu recebo e-mails de membros deste grupo dissidente, que parece que usam como tática a velha história de usar "ouvido de mercador". TUDO... isso mesmo... TUDO que eles questionam na doutrina da Trindade já foi devidamente respondido e explicitado, como eu já mencionei aqui diversas vezes. Mas estes irmãos, ou não se deram ao trabalho de ler o material que já foi produzido sobre o assunto, ou não estão muito interessados em esclarecerem o tema, ou estão agindo de má fé para conosco.... Prefiro não crer nesta terceira hipótese!

Apenas por desencargo de consciência, uma vez que já escrevi sobre isso aqui no blog, e a Igreja, como Instituição, também já publicou muito material sobre o tema, vou colocar uma resposta que preparei há alguns anos sobre uma das "teclas" mais batidas por este grupo.

"Os Pioneiros Adventistas não criam na Trindade", é o que nossos irmãos insistem em dizer.

Mas será que isso é verdade? Vou tomar como base da minha explicação um folheto que chegou em minhas mãos, enviado por um grupo antitrinitariano que envia correspondências às igrejas, se passando por Adventistas preocupados com o desvirtuamento doutrinário da nossa Igreja.

Vocês que acompanham o blog há algum tempo já devem estar cansados de verem este tema se repetir aqui. Me desculpem a redundância, mas quero dormir em paz sabendo que não me silenciei diante de tanta mentira...

::::::::::::::::::::::::::::

Em suas primeiras linhas, o folheto do “Ministério 4 Anjos” já levanta a questão de que desde os tempos bíblicos “a minoria... estava com a verdade, enquanto a maioria estava em apostasia”. Eles se julgam esta minoria, perseguida e humilhada, que está com a verdade completa, enquanto os pastores, administradores, líderes da Igreja e membros em geral, estão TODOS apostatados. E já que eles são a minoria em comparação com o restante dos membros da Igreja Adventista que continuam crendo na Trindade, então eles só podem estar com a razão. É o que dizem... Será?!

Interessante notar que algumas linhas adiante no folheto, eles mesmos concordam com a fragilidade desde argumento. Para tentar comprovar que estão com a verdade em condenar a “heresia” da Trindade, como eles mesmos denominam, passam agora a bater em uma única tecla – a de que OS PIONEIROS criam na Trindade, e que durante os 50 anos em que se formou o corpo doutrinário da Igreja Adventista, TODOS OS PIONEIROS eram unânimes em defender que a Trindade não é um ensinamento bíblico, e que somente após a morte de Ellen White é que os pastores, quais “lobos devoradores”, introduziram a nefasta heresia em nossas crenças. Mas será mesmo assim? Será mesmo que os tais “pioneiros” criam todos que a Trindade era um ensinamento não-bíblico, uma contaminação do “vinho de Babilônia”? Vejamos, então...

Reflita agora detidamente nas citações que o tal “Ministério 4 Anjos” apresenta para PROVAR que no início de nossa Igreja a Trindade não fazia parte do corpo de crenças:

Mediante cuidado e labor incessantes e esmagadora ansiedade, tem a obra ido avante, até que agora a verdade presente está clara, sua evidência não é posta em dúvida pelos sinceros... A verdade agora é tornada tão clara que todos a podem ver, e abraçar, se quiserem; mas foi necessário muito trabalho para trazê-la à luz como está, e tão árduo labor jamais terá de ser realizado outra vez para tornar a verdade clara” – Ms 2, 26/08/1855.

Não procure ninguém remover os alicerces de nossa fé – os alicerces lançados no princípio de nossa obra, pelo piedoso estudo da Palavra e pela revelação. Sobre estes alicerces temos estado a construir nestes cinqüenta anos passados. Poderão os homens supor que tenham achado um novo caminho, e sejam capazes de lançar um alicerce mais firme do que o já lançado. Mas isto é um grande engano. Homem nenhum poderá pôr outro fundamento além do que já foi posto” – Review and Herald, 03/03/1904 (cf. Test. Seletos, vol. 3, p. 273-274).

Veja que EM NENHUM MOMENTO os textos acima dizem alguma coisa sobre a Trindade. A senhora White fala apenas sobre a “verdade presente”, sem definir o que venha a ser esta “verdade”, afirmando que ninguém poderia adulterar esta “verdade” ou remover os marcos doutrinários que haviam sido postos ao longo dos anos. Mas ela não identifica quais eram estes “marcos doutrinários”.

Para tentar resolver este problema, o folheto do “Ministério 4 Anjos” apresenta então outra citação:

Deus me tem dado luz acerca dos nossos periódicos. O que é isto? Ele falou que os mortos hão de falar; como? As suas obras os seguirão. Nós estamos repetindo as palavras dos pioneiros em nosso trabalho; de quem sabe quanto custa procurar pela verdade como um tesouro escondido. Eles avançaram passo por passo sob a influência do Espírito de Deus. Um por um desses pioneiros já morreu. A palavra que me foi dada é: Faça com que o que esses homens escreveram no passado torne a ser escrito”.
“Quando o homem vier mover um alfinete do nosso fundamento o qual Deus estabeleceu pelo Seu Santo Espírito, deixe os homens de idade que foram os pioneiros no nosso trabalho falar abertamente, e os que estiverem mortos falem também, reimprimindo os seus artigos das nossas revistas. Juntemos os raios da divina luz que Deus tem dado, e como Ele guiou Seu povo, passo a passo no caminho da verdade. Esta verdade permanecerá pelo teste do tempo e da experiência” – Manuscript Releases, vol. 1, p. 55, 24/05/1905.

Onde Ellen White falou nesta passagem sobre Trindade? Em NENHUMA linha.

Então, qual era essa “verdade” defendida pelos pioneiros, e que não poderia ser alterada nem “um alfinete” sequer?

Certamente eram os temas característicos que diferenciavam a Igreja Adventista das demais igrejas: Santidade do sábado, Guarda da Lei Moral dos 10 Mandamentos, Mensagens proféticas de Daniel e Apocalipse, Estado do homem na morte, Doutrina do Santuário, Reforma de saúde, Dízimos e ofertas, etc.

É muito fácil isolar porções dos Testemunhos de Ellen White, e tentar fazer uma “colcha de retalhos” para defender o nosso ponto de vista. Mas isso não é correto, nem ético, nem cristão.

Para sair dessa situação, já que em nenhum momento Ellen White definiu, nas passagens acima, o que constituiria a “verdade presente”, o pessoal do “Ministério 4 Anjos” então tenta levar o pensamento dos leitores à certeza de que Ellen White estava dizendo que TUDO que os pioneiros ensinaram, seja o que for, era uma verdade ABSOLUTA, incapaz de conter erros ou concepções humanas.

Para tanto, eles começam a “pescar” algumas citações de artigos escritos por ALGUNS destes pioneiros, como se tais artigos representassem a fé geral dos Adventistas naquele tempo. Interessante notar que eles só escolheram citações de pessoas que condenavam a Trindade, pois certamente haviam OUTROS PIONEIROS que aceitavam esse ensinamento bíblico (mas é mais fácil ocultar parte da verdade... e essa sempre foi uma tática do inimigo de Deus).

E todas as citações escolhidas eram de datas bem remotas (1856, 1861, 1863, 1869). Veja que são utilizados artigos publicados apenas alguns anos após o surgimento da Igreja, que oficialmente só ocorreu em 1863. Neste período o corpo de doutrinas ainda estava sendo formado, e não se pode dizer que porque ALGUNS pioneiros tinham pensamento contrário ao ensinamento bíblico sobre a Trindade, isto significa que esta era a voz de Deus para Sua Igreja naquela época.

Ao longo dos primeiros anos, foram muitos os pontos doutrinários que foram sendo alterados, pois os pioneiros vinham de diferentes denominações religiosas (dentre elas a Conexão Cristã, que era anti-trinitariana), e por isso ainda traziam uma “bagagem” doutrinária que precisava ser deixada de lado (é o mesmo que ocorre hoje quando um pentecostal, por exemplo, se converte ao Adventismo, mas traz consigo ainda o estilo barulhento de culto, as manifestações emocionais dos dons do Espírito, os hábitos com relação à alimentação, a mentalidade "congregacionalista" do ministério, etc.). As orientações foram progressivas, e no decorrer dos anos, diversos pontos errados foram abandonados, e outros tomaram forma.

Eis alguns exemplos (retirados dos livros de História Denominacional da IASD):

SÁBADO – A grande maioria dos pioneiros não acreditava na guarda do sábado, pois vinham de denominações que desprezavam a lei de Deus e santificavam o domingo. Quando Joseph Bates surgiu com esta mensagem da santidade do 7º dia, muitos se opuseram, a princípio. Mas Deus orientou Sua Igreja durante os anos de estudo da doutrina, e a mensagem do sábado foi aceita e clarificada progressivamente, até tornar-se a torrente de luz que conhecemos hoje.

PREGAÇÃO DO EVANGELHO – Os que participaram da pregação de Guilherme Miller sobre a volta de Jesus, e passaram pelo desapontamento de 1844, ainda demoraram certo tempo para poderem compreender seu papel na pregação da verdade presente. Alguns achavam que não necessitavam pregar para ninguém fora dos EUA, pois a porta da graça já estava fechada (entre estes estava a própria Ellen Harmon – que depois do casamento se tornaria Ellen White – também cria dessa forma: Tiago White, Joseph Bates, etc.); outros acreditavam que só deveriam pregar entre os americanos, e por isso as atividades missionárias dos Adventistas só ocorreram alguns anos mais tarde, quando só então os missionários começaram a cruzar os mares para levar a mensagem do Advento a outros povos. Deus, ao longo do tempo, também precisou orientar Sua igreja sobre este assunto. 

Este pensamento (chamado de “teoria da porta fechada”) só foi abandonado plenamente após 1849, quando Ellen White recebeu iluminação especial sobre o tema. Os pioneiros estavam equivocados também neste ponto, e se fôssemos aceitar TUDO que eles ensinaram e escreveram, também deveríamos deixar de pregar para o mundo, ou melhor, nem mesmo nós teríamos ouvido a mensagem, pois ela nunca deveria sair dos Estados Unidos, conforme criam ALGUNS NO COMEÇO.

TEMPERANÇA E REGIME ALIMENTAR – É interessante observar que, NO COMEÇO, muitos dos pioneiros defendiam o consumo abundante de carne de porco, uso do fumo, e hábitos alimentares e físicos que muito comprometeram a saúde de alguns pioneiros daquela época. Muitos morreram na flor da idade, por não se preocuparem com a reforma de saúde ou hábitos temperantes do dia-a-dia. Somente em Junho de 1863 foi que Ellen White recebeu uma visão mais detalhada sobre a reforma de saúde, que seria a primeira de muitas outras que o Senhor daria para orientar Sua Igreja. Também neste assunto foi necessário que o Senhor conduzisse PROGRESSIVAMENTE Sua Igreja, para que ao longo do tempo a reforma de saúde e temperança passasse a fazer parte do estilo de vida dos Adventistas do 7º Dia. Se fôssemos dar ouvidos absolutamente a TUDO que os pioneiros ensinaram, também deveríamos voltar a comer carne de porco (e olha que uma banda de porco era o salário pago a alguns dos pastores da época!), usar o fumo, sangrias contra febre, e outros absurdos que foram cometidos, ENQUANTO O SENHOR NÃO OS ILUMINOU TOTALMENTE SOBRE O ASSUNTO.

JUSTIFICAÇÃO PELA FÉ – Todos sabem que a grande controvérsia na Igreja Adventista sobre o tema da justificação pela fé, ou seja, do modo como o homem é salvo por Deus, ocorreu na década de 1880, culminando na Conferência Geral de 1888. Haviam acirrados debates entre os dois principais grupos dos nossos pioneiros: de um lado os que criam numa salvação puramente pela fé, independente das obras (Ellen White, Jones e Waggoner, por exemplo); e do outro lado estavam os que eram conhecidos por “legalistas”, pois achavam que a salvação só vinha como consequência de se obedecer detalhadamente a lei de Deus. Para este segundo grupo, a salvação não se dava somente pela fé, mas o homem também precisava fazer sua parte (as obras) para que fosse considerado “apto” a alcançar a salvação. O próprio Uriah Smith (tão citado pelos antitrinitarianos como o sumo representante do pensamento dos nossos pioneiros) era assumidamente legalista, e utilizava as publicações da Igreja (pois ele era o editor da Review and Herald na época) para defender seus pontos de vista, em oposição a outros que defendiam a justificação pela fé, como Ellen White, Jones e Waggoner. Eu pergunto: estava Uriah Smith certo em defender a salvação pelas obras?

Ele chegou mesmo a se opor aos próprios conselhos de Ellen White. Felizmente, Uriah Smith, George Butler (o então Presidente da Conferência Geral), e outros, reconheceram QUE ESTAVAM ERRADOS, e a crise foi resolvida. A Igreja Adventista passou a intensificar esta doutrina, QUE SEMPRE EXISTIU, mas que estava adormecida devido ao pensamento EQUIVOCADO de ALGUNS de nossos pioneiros. Foi a partir de então que Ellen White escreveu os grandes livros sobre a justificação pela fé – Caminho a Cristo, Desejado de Todas as Nações, Maior Discurso de Cristo, etc.

Esta é mais uma prova de que a consolidação do corpo doutrinário da Igreja Adventista se deu com o tempo, e não podemos pegar citações de livros isolados do início do Movimento e dizer que tais pensamentos eram os “marcos” doutrinários que jamais poderiam ser removidos.

DOUTRINA DA CARNE SANTA – Este era um ponto interessante defendido por ALGUNS pioneiros, que logo deixou de ser pregado, tamanho o absurdo teológico que representava. Os defensores de tal teoria diziam que estavam com a “carne santa” e por isso não poderiam mais pecar. Estavam selados pelo Espírito Santo de tal maneira que nada os poderia influenciar novamente para a vida de pecado. Em poucos anos esse ensino foi abandonado, também devido à PROGRESSIVA orientação dada por Deus à Sua Igreja que estava ainda dando seus primeiros passos. Deveríamos, também, voltar a crer neste ENSINO DOS PIONEIROS? Seria este também um dos tais “marcos doutrinários”? É óbvio que não!

Mais informações sobre o desenvolvimento teológico de nossas doutrinas pode ser encontrado em livros da história denominacional de nossa Igreja, como, por exemplo, na excelente obra do Pr. Enoch de Oliveira, A Mão de Deus ao Leme, apenas para citar um dos vários livros que estão à nossa disposição.

Como exposto acima, foram MUITOS os pontos doutrinários EQUIVOCADOS nos quais criam ALGUNS PIONEIROS do movimento adventista, ainda em seus primeiros anos. Não podemos dizer que TUDO que eles ensinaram, mesmo através de nossas revistas e periódicos, era a máxima expressão da verdade presente. Muitos se utilizavam de sua influência como redatores e diretores das revistas para escreverem em defesa de seus pontos de vista PARTICULARES (como Uriah Smith, por exemplo), apesar de que haviam outros que discordavam de suas opiniões. Ao longo do tempo, o Senhor concedeu orientações à Sua amada Igreja, através do ministério de Ellen White, para que esses equívocos fossem retirados, e a doutrina pura de Cristo se aprofundasse no movimento Adventista.

O mesmo ocorreu com a Trindade...

Pelas datas apresentadas no folheto do “Ministério 4 Anjos”, vemos que os artigos dos chamados “pioneiros” não refletiam ainda a totalidade do pensamento que o Senhor estava reservando para Sua Igreja.

O ÚNICO, ou talvez mais alardeado, ARGUMENTO utilizado pelos opositores da doutrina da Trindade veio abaixo, pois podemos comprovar facilmente que os pioneiros não eram infalíveis em suas afirmações. Por inúmeras vezes o folheto do “Ministério 4 Anjos” repete a mesmíssima ideia de que os pioneiros criam durante 50 anos que a Trindade constituía o “vinho de babilônia”, e que foram os pastores que corromperam a doutrina da Igreja, após a morte de Ellen White.

Será que os autores desse folheto não conhecem a história da nossa Igreja, ou estão agindo de má fé, tentando enganar nossos amados irmãos Adventistas e fazê-los descrer na administração e nos pastores? Parece que este é o objetivo final destes movimentos pseudo-reformatórios.

Vejamos [MAIS UMA VEZ] o que diz o Espírito de Profecia...

Deus tem uma Igreja, um povo escolhido; e pudessem todos ver como eu tenho visto, quão intimamente Cristo Se identifica com Seu povo, não se ouviria uma mensagem como essa que denuncia a igreja como Babilônia” – Ellen White, A Igreja Remanescente, 16-17.

Quando homens se levantam, pretendendo ter uma mensagem de Deus, mas em vez de combaterem contra os principados e potestades, e os príncipes das trevas deste mundo, eles formam um quadrado, virando as armas de guerra contra a igreja militante, tende medo deles. Não possuem as credenciais divinas... O Senhor não confere a nenhum homem uma mensagem que desanimará e desalentará a igreja” – Idem, p. 18-19.

No folheto publicado pelo irmão S. e seus companheiros, ele acusa a igreja de Deus de ser Babilônia, e insiste em que haja uma separação da igreja. Esta é uma obra que não é honrosa nem justa. Compondo aquele folheto, serviram-se de meu nome e de meus escritos para apoio do que eu desaprovo e denuncio como erro... Não hesito em dizer que os que insistem nessa obra estão muito enganados” – Idem, p. 33.

Aqueles que afirmam que as igrejas adventistas do sétimo dia constituem Babilônia, ou qualquer parte de Babilônia, deveriam ficar em casa... Em vez de trabalhar com meios divinos para preparar um povo que subsista no dia do Senhor, eles se puseram ao lado daquele que é um acusador dos irmãos [- o diabo]” – Ibidem.

[Estes que criticam nossa Igreja] escolhem dos Testemunhos certos trechos que acham que podem ser torcidos de modo a apoiar sua atitude e os põem numa moldura de falsidade, para que o seu erro tenha peso e seja aceito pelo povo... Pretender que a Igreja Adventista do Sétimo Dia seja Babilônia, é fazer a mesma declaração que faz Satanás” – Idem, p. 39.

Vemos por estas breves citações, a preocupação de Ellen White, já em seu tempo, para com aqueles que se levantam em nossas igrejas e começam a pregar que nossa mensagem está errada, que a Igreja Adventista está igual a Babilônia, e que a liderança perdeu o rumo do caminho demarcado pelo Senhor.

A Igreja jamais cairá, pois “as portas do inferno nunca prevalecerão contra ela”. Esses que saem de nossas fileiras, por não concordarem com pontos administrativos ou doutrinários, e começam agora a atacar a Igreja e a liderança, estão fazendo a obra de Satanás, conforme escreveu Ellen White. Alguns chegam até a abrirem suas próprias denominações, num claro desconhecimento do que a Bíblia fala sobre os "últimos tempos" que estamos vivendo atualmente.

O que podemos fazer é orar para que o Espírito Santo, a maravilhosa terceira Pessoa da Trindade, lhes abra os olhos para que vejam o erro que estão cometendo em se separarem do povo de Deus destes últimos dias.

22 comentários:

Ezequiel (ezeksalt@hotmail.com) disse...

Excelente matéria... Pena que tantas pessoas querem defender "a verdade" sem conhecê-la e se envolvem com mentiras em nome de Deus e se colocam na posição de julgar a igreja de Deus baseados em um desconhecimento da história da igreja e da revelação bíblica... parabéns pela matéria Gilson!!!

Prof. Gilson Medeiros disse...

Caro Ezequiel, obrigado pelo comentário.

É como diz a Bíblia: a Verdade é uma luz que vai brilhando cada vez mais, e jogando as trevas para longe.

Um abraço.

manu disse...

Olah... Feliiz sabadO!

Msm nao concordando com as coisas ke foram ditas ai em cima, msm sabendo cm anda a nossa igreja nos ultimos dias, msm acreditando ke a Doutrina da trindade eh de origem satanica, quero dizer ke ainda assim me considero adventista, pOis espero no advento de Cristo!! Gostaria de postar aki um video muito interessante:
http://www.youtube.com/watch?v=odQ37w-qpYI

Gilson começou dizendo primeiro no inicio do texto"Estou me referindo aos nossos queridos irmãos que não crêem mais na doutrina bíblica da Trindade."
Mas na verdade vc6 nao pessam assim msm. Nao somos keridos pra vc6, ou melhor, p vc6 somos a ovelha negra da igreja, pois eh assim ke muitos dos irmaos da igreja se referem a nos! Axo ke nos nao devemos tentar mudar a mente de vc6 e nem vc6 a nossa, ateh pq nao temos poder para isso.! Isso compete a Deus, mas msm assim temos ke permitir ke o seu santo espirito trabalhe em nos!

Gilson Medeiros disse...

Caro Manu, obrigado pelo comentário.

Mas acredito que você não tenha lido além da "primeira parte", como você mesmo diz...rsrs

Anônimo disse...

Muito obrigado por ter escrito sobre esse assunto... estava com várias dúvidas sobre esta doutrina e em relação aos nossos pioneiros, já q é um ponto q somos "atacados" na internet por pessoas de outras denominações...

Muito Esclarecedor...Que Deus o Abençoe

Anônimo disse...

Sr.Gilson Medeiros.
O sr tem um excelente curriculo, formado e bem "letrado",estudioso e inteligente, pena que lhe falte a verdadeira "Guia de Deus".
Que Deus em nome de Jesus Cristo tenha misericordia e lhe abra o verdadeiro entendimento enquanto ha tempo...
Sandra Rocha
adventista do setimo dia,mas nao membro da igreja que fez "tratado de amizade com o Vaticano em 2000"

Gilson Medeiros disse...

Prezada Sandra, obrigado pelo comentário.

Por ser uma questão de fé, me resguardo o direito de ser respeitado em minha crença, assim como respeito a sua, apesar de discordar dela.

Um abraço.
Gilson.

D&P7 disse...

Caro Pastor...

Sou membro da IASD de Princesa Isabel distrito de Patos/ PB.
Gostei muito de ler este artigo ele esclarece muitas das minhas dúvidas, porém não a todas.
Na minha região tenho me deparado com alguns pensamentos do tipo antitrinitariano que tem me dado uma certa dor de cabeça dois grupos diferentes lutam contra a minha igreja aqui nesta região, um grupo defende fortemente as Ídeias de um tal de NICOTRA e outro grupo defendem as ídeias do ISRAELITAS DA NOVA ALIANÇA.
Amo muito aos meus irmãos e ao vê-los deixando as nossas fileiras por causa deste equívoco muito me angustiei agora comecei um incansável estudo sobre o assunto trindade para poder defender minha fé e não ter que ver outros ppróximos meus abandonando a fé.
em resumo preciso de sua ajuda como de muitos outros homens e mulheres de fé para sufocar essas heresias próximas a mim.Me ajude enviando o material que você tiver para o meu e-mail Danielomax_7@hotmail.com.

Isso é sério pastor já pedi ajuda ao homem que se diz pastor do meu distrito mas ele não se posicionou e percebi que na verdade ele não tem muita luz sobre o assunto.
Me ajude por favor.

Meu nome: Daniel Batista de Lima.

Gilson Medeiros disse...

Olá, Daniel.

Como não estou responde através de meu notebook, agora, não poderei enviar-lhe neste momento o material que você solicitou. O enviarei assim que for possível.

Mas você pode encontrar muito material que te ajudará na defesa da doutrina bíblica da Trindade, acessando o seguinte link:

http://prgilsonmedeiros.blogspot.com/search/label/Trindade

Todos os posts deste link tratam deste importante assunto.

Um abraço.
Gilson.

PS.: tenha paciência com o seu distrital, pois é possível que ele tenha tido outras tarefas para atender, e acabou esquecendo da sua. Lembre que todos somos humanos, e dependemos uns dos outros... sempre.

Empresário AMWAY Eder disse...

Lamento a que ponto chegou Manu, em que você a exemplo dos fariseus nos tempos do novo testamento se dirigir a Jesus Cristo como o filho de Belzebu, o mesmo você se dirigi aos seus antigos irmãos se é que de fato tenha sido algum dia. Alguns pontos da Bíblia terão uma clara compreensão na eternidade ao lado de Deus. Enquanto vivemos num mundo de pecado com uma mente finita e limitada não compreenderemos ao todo. Contundo devemos ser agradecido a Deus pela a luz que temos. Viver uma vida de especulação tendo como pano de fundo rancor, ódio pessoais ou vinculados a pessoas ou grupo descontente com a obra de Deus confiadas a Igreja de Laodiceia a sétima igreja na cadeia profética é lutar contra Deus. Eu insto que o amigo examine a sua consciência, reveja suas conclusões, não ande pelo caminho de Datã, Abirão... Pois todos pereceram por tentar o Senhor Deus com espírito de rebelião... Se o Senhor é o que diz ser, provai. Quanto ao Medeiros os elogios sinceros, pois faz um belíssimo trabalho que é responder as dúvidas dos internautas. Abçs. Eder

Gilson Medeiros disse...

Caro Eder, obrigado pelo comentário.

Um abraço.
Gilson.

osvaldo disse...

ola, lendo alguns comentarios, fiquei horrorizado quando vejo alguem expressar a frase (origem satanica), quando se trata de compreenção, e sabemos que nem tudo nos é revelado, nem tudo, nos é aberto os olhos pra vermos, e é assim que seremos até o dia final.
Muitas coisas eu sei como elas realmente são, e assim é com todos, cada um sabendo o que realmente lhe aprouve o Espirito de Deus.
Cada um de nós deveriamos seguir conforme o entendimento que o Sr. nos deu, isto sem criticar o entendimento alheio, de outra forma só estamos dizendo que o Espirito de Deus só revela a nós, este pensamento não procede de Deus.
Aprendi de Deus,que a humildade é o primeiro passo para a sabedoria, houvir sem contender, e depois meditar e buscar em Deus entendimento para compreender também como os outros, pois sei que ´´e Ele (Deus) quem abre nossa mente e nos revela como ele quer.
Estas diferenças por um lado é bom pra que se disponte os mais sabios em certos assuntos, mas os sabios não sejam soberbo, pois so é dado em parte este entendimento.
Então reflitam, Deus da o entendimento conforme Ele quer, e com certeza não lhe é dado todo entendimento, então como dizer que a doutrina da trindade é de origem maligna, sabemos que os que se perdem são a maioria, e sabemos que a maioria acretida na trindade.
No antigo testamento Deus sempre se revelou como o unico, não a outro Deus não ha outro Pai, não ha outro Criador, não ha outro Salvador,não ha outro Alfa e Omega, Alem Dele não existe outro, e o Messias diz que nosso Deus é o unico, então não podemos ignorar estes pensamentos, e sim buscar sem sessar, esta luz que ilumina a muitos. O crer não vem de nós é dom de Deus.

robson pratts disse...

bem sou adventista do setimo dia comesei a estudar sobre o asunto e descobri qe nao entendia o qe era a trindade,Deus e um mais e tres um Deus triuno, como assim?axo qe nem a igreja se define ao certo sobre como explicar isso,existe tres tronos?se existe tres deuses, mas a biblia dis qe so a um Deus,Deus e tres pessoas distintas,se for assim a tres deuses minha mente nao conseghe entender como Deus deixou bem CLARO NA BIBLIA QE DEVEMOS ADORAR SO UM DEUS E O ALFA E O OMEGA, NOS PRIMEIRO MANDAMENTO, FICA BEM CLARO (DIANTE DE MIM), em fim a mil e pocas passagem qe dis qe Deus e um so afirmando isso , mas nao a nenhuma dizendo qe deus e tres porqe?porqe nao existe a palavra trindade na biblia? sera qe os verdadeiros pioneiros os apostolos como paulo um dos maiores teologos nao conhecia essa palavra?como hoje e tao falada, prefiro ficar com a biblia.

Iran disse...

“Quem me dera ao menos uma vez entender como um mesmo Deus ao mesmo tempo é três!”
Realmente a lógica humana firmada nos princípios da “identidade”, “não contradição” e do “terceiro excluído” não compreende o dia como sendo uma parte clara e escura ao mesmo tempo ou a Dividande como Pessoas distintas, mas com a mesma Natureza.
Assim, penso que o “não terás outros deuses diante de mim” é um princípio moral de adoração da Natureza divina, não um princípio lógico para orientar a adoração de uma só Pessoa.

Chacon disse...

Como alguém pode entender de Trindade, se nao sabe nem escever? Acho que tem que comecar do comeco, por uma questao de princípios. Aprender a ler e escrever, depois de devidamente alfabetizado, aprender um pouco de matemática, física e outras exatas para lhe dar um pouco de lógica, ler alguns livros em portugues, ainda que lhe custe, mas com tempo vai melhorando, ai entao, discutir alguma coisa, em portugues. Depois que o cerebro está funcionando devidamente, entao tenha a opiniao que quiser, mas primeiro tem aprender a escrever. Abraco.
P.S. Meu teclado está em espanhol, nao tenho alguns símbolos.

claudio sampaio disse...

vejamos o que Ellen diz ser os Antigos Marcos:
Em Mineápolis, Deus concedeu preciosas
gemas da verdade ao Seu povo. Essa luz do Céu enviada a
algumas pessoas foi rejeitada com toda a resistência que os judeus
manifestaram ao rejeitar a Cristo, havendo muita discussão em torno
da defesa dos antigos marcos. Ficou evidente, porém, que quase
nada sabiam sobre o que eram os antigos marcos. Ficou claro e
foram feitos apelos diretos à consciência com base na Palavra de
Deus; contudo, as mentes estavam cauterizadas, seladas contra a
entrada da luz, porque decidiram que seria um perigoso erro remover
os “marcos antigos” quando não se estava removendo nada, além
das idéias errôneas do que constituíam os antigos marcos.
O passar do tempo em 1844 foi um período de grandes acontecimentos,
expondo ao nosso admirado olhar a purificação do santuário
que ocorre no Céu, e tendo clara relação com o povo de Deus na
Terra, e com as mensagens do primeiro, do segundo e do terceiro
anjos, desfraldando o estandarte em que havia a inscrição: “Os mandamentos
de Deus e a fé de Jesus.” Um dos marcos desta mensagem
era o templo de Deus, visto no Céu por Seu povo que ama a verdade,
e a arca, que contém a lei de Deus. A luz do sábado do quarto mandamento
lançava os seus fortes raios no caminho dos transgressores da
lei de Deus. A não-imortalidade dos ímpios é um marco antigo. Não
consigo lembrar-me de alguma outra coisa que possa ser colocada na categoria dos antigos marcos. Todo esse rumor sobre a mudança
do que não deveria ser mudado é puramente imaginário.
Neste tempo Deus deseja que um renovado impulso seja dado à
Sua obra. Satanás observa isso e está determinado a impedi-lo. Sabe
que se puder enganar o povo que proclama crer na verdade presente,
[e puder fazer com que creia que] a obra que o Senhor designou a
Seu povo é a remoção dos marcos antigos, algo que devem, com
[22] o mais determinado zelo, resistir, então, exultará sobre o engano
que os levou a acreditar. A obra para este tempo certamente tem
surpreendido a muitos com seus vários obstáculos, por causa das
falsidades apresentadas à mente de muitos dentre nosso povo. O
que seria alimento à igreja é considerado perigoso e impróprio para
lhe ser dado. Essa pequena diferença de idéias é permitida para
debilitar a fé, causar apostasia, quebrar a unidade, semear discórdia,
tudo por não saberem pelo quê estão lutando. Irmãos, não é muito
melhor desenvolver a sensibilidade às coisas espirituais? O Céu olha
para nós, e o que poderia pensar a respeito dos recentes avanços?
Na atual condição, construir barreiras não somente nos priva das
preciosas vantagens da grande luz, mas justamente agora, quando
tanto precisamos, colocamo-nos onde a luz não pode ser comunicada
do Céu para que a possamos levá-la a outros. — Manuscrito 13,
1889. - Citado em: O OUTRO PODER, PAG. 22-23.

Breno Meireles disse...


“Deus possui uma igreja. Não é uma grande catedral, nem uma igreja oficialmente estabelecida, nem as diversas denominações, mas, sim, o povo que ama a Deus e guarda seus mandamentos. Porque onde estão dois ou três reunidos em meu nome, ali estou no meio deles. (Mat. 18:20) Ainda que Cristo esteja entre poucos humildes, esta é sua igreja, pois somente a presença do Alto e Sublime que habita a eternidade pode constituir uma igreja.” E.G. White. Manuscript Releases, 17, p. 81,82.

Anônimo disse...

Sou adventista e estou com o que a bíblia diz. Porque em Deus não há variação de duvidas. E crer em trindade (deuses) descaracteriza a personalidade de Deus. Ele não nos deixaria esta duvida, colocando risco a nossa Salvação em Cristo. Creio apenas no Unico Deus e no nosso Salvador Jesus.

secret disse...

Irmãos vejo incoerência em ambos os lados. Não podemos achar que somos donos da verdade, pois só existe um único dono que é o próprio Deus.
Alguns dos irmão usam o discurso de que creem em um único Deus esse argumento não prospera, pois creem também em Jesus como filho de Deus, e como Deus, pois João refere-se a Ele dessa forma "Ele estava com Deus e Ele era Deus". Se creem realmente em um único Deus como professam terão que desprezar o próprio Cristo, e sem Ele não há salvação, pois não há nenhum nome pela qual importa que sejamos salvos. Nesse sentido temos um textos Bíblicos que trabalham no sentido de que o Espírito Santo é Deus, vejamos

Atos 5

3 Então, disse Pedro: Ananias, por que encheu Satanás teu coração, para que mentisses ao ESPÍRITO SANTO, reservando parte do valor do campo?
4 Conservando-o, porventura, não seria teu? E, vendido, não estaria em teu poder? Como, pois, assentaste no coração este desígnio? Não mentiste aos homens, mas a DEUS.

O texto não diz que eles haviam mentido ao Espírito de Deus, mas ao próprio Deus, portanto o Espírito Santo é Deus, além disso esta diferenciado ambos como pessoas distintas.
Portanto, não sejamos prepotentes de querer carregar a verdade, por nós mesmo, confiemos na luz que Deus já nos deu, afinal que tenho eu de bom para que seja merecedor de tal luz não revelada antes.
Estudemos humildemente a palavra do Senhor e Ele com toda certeza vai nos fazer entender suas verdades, toda a verdade pelo próprio Espírito.

Andreas Johannes Müller disse...

Olá, pastor! Você já viu um movimento chamado "Adventista da Nova Aliança", liderado por Sodré Neto? Um abraço!

Gilson Medeiros disse...

Caro Andreas, não conheço esse movimento nem a pessoa que você citou.

Um abraço
Gilson.

Andreas Johannes Müller disse...

Olá, pastor! É um movimento de um ex-pastor adventista, Sodré Neto. Ele veio falar comigo no facebook e criamos uma amizade. Ele questiona diversos pontos do adventismo e seria muito legal se fizéssemos uma refutação, para que membros mais sensíveis não acabem angustiados (que é essa a função dos movimentos dissidentes). O site dele é: http://igrejaadventista.no.comunidades.net
O perfil do face: https://www.facebook.com/criacionismo?fref=ts
Grupo: https://www.facebook.com/groups/adventistanova/?fref=ts
Grupo de discussões: https://www.facebook.com/groups/adventistanova/?fref=ts


Ele questiona a visão sobre o sábado, sobre o juízo investigativo, sobre ellen white, entre muitas e muitas coisas. É um adventismo "evangélico", por assim dizer, mas que está tumultuando os adventistas.

Cursos Básico, Médio e Avançado

Ebook 101 Razões