segunda-feira, julho 16, 2012

Quando começou a graça?

Há alguns meses, um famoso pregador pentecostal da atualidade, que mantém um programa diário em horário nobre na TV, disse que a graça só começou a existir depois de Jesus. Segundo ele, antes de Jesus não havia graça no mundo. Para confirmar sua declaração, o aclamado missionário citou o seguinte verso do Evangelho de João:


"Porque a lei foi dada por intermédio de Moisés; a graça e a verdade vieram por meio de Jesus Cristo" (1:17).

Mas... há algum fundo de verdade nisso?

Primeiramente, precisamos definir o que é a graça divina.

Uma passagem bíblica chave para entendermos o que significa a graça é a seguinte:

"pois todos pecaram e carecem da glória de Deus, sendo justificados gratuitamente, por sua graça, mediante a redenção que há em Cristo Jesus" (Rom. 3:23-24). 
Vemos que, para Paulo, a graça era a resposta de Deus ao problema do pecado, ou seja, para o pecador arrependido, o Senhor concede um "perdão" especial, uma "absolvição" legal da condenação do pecado. Para o filho de Deus que foi revestido pela "graça" não há mais penalidade dos pecados passados, pois o Senhor Jesus pagou o preço por todos eles ao derramar Seu sangue, inocente, no Calvário. Paulo ainda acrescenta que esta "graça" divina para o pecador é concedida gratuitamente, ou seja, NADA do que o homem faça ou deixe de fazer pode "comprar" este dom precioso de Deus em seu benefício.

No site Bibliaonline, mantido por Adventistas, encontramos também a seguinte definição para a graça:

"No N.T. é aquele favor que o homem não merece, mas que Deus livremente lhe concede - algumas vezes é posta em contraste com a lei (Rm 6.14) - e também exprime a corrente de misericórdia divina, pela qual o homem é chamado, é salvo, é justificado, e habilitado para viver bem e achar isso suficiente para ele (Gál. 1.15 - Efés. 2.8 - Rom. 3.24 - 1Cor. 15.10 - 2Cor. 12.9)".

Esclarecido, então, o que seja a graça, vejamos se há referências a ela no AT.

A Graça no Antigo Testamento

A passagem bíblica considerada por muitos como o primeiro "pacto" de salvação entre Deus e o homem é Gên. 3:15, quando o Senhor promete que, no futuro, o inimigo seria derrotado por um "descendente" da mulher. Isso nos mostra que desde o Éden já foi incutida no homem pecador a esperança de salvação para as consequências terríveis que o pecado traria sobre todos.

Poderíamos também citar diversos exemplos de pessoas que foram "agraciadas" (rsrs) com o perdão divino, começando pelo próprio casal edênico e passando por personagens muito conhecidos, como por exemplo Abraão, Jacó, Moisés, Raabe, Sansão, etc.

Mas, e a expressão "graça"? Encontramos ela no AT, com o mesmo sentido com que é tratada no NT? Na minha opinião, alguns dos mais significativos estão nos Salmos:

"Volta-Te, SENHOR, e livra a minha alma; salva-me por Tua graça" (6:4).

"No tocante a mim, confio na Tua graça; regozije-se o meu coração na Tua salvação" (13:5).

"Não ocultei no coração a Tua justiça; proclamei a Tua fidelidade e a Tua salvação; não escondi da grande congregação a Tua graça e a Tua verdade. Não retenhas de mim, SENHOR, as Tuas misericórdias; guardem-me sempre a Tua graça e a Tua verdade" (40:10-11). É curioso como, aqui, o salmista usa o mesmo vocabulário usado por João no texto citado pelo pregador da TV...

"e a Ti, Senhor, pertence a graça, pois a cada um retribuis segundo as suas obras" (62:12).

"Porque a Tua graça é melhor do que a vida; os meus lábios Te louvam" (63:3).

"Bendito seja Deus, que não me rejeita a oração, nem aparta de mim a Sua graça" (66:20). Este é o meu verso favorito de toda a Bíblia.

"Quanto a mim, porém, SENHOR, faço a Ti, em tempo favorável, a minha oração. Responde-me, ó Deus, pela riqueza da Tua graça; pela Tua fidelidade em socorrer" (69:13).

"Responde-me, SENHOR, pois compassiva é a Tua graça; volta-Te para mim segundo a riqueza das Tuas misericórdias" (69:16).

"Porque o SENHOR Deus é sol e escudo; o SENHOR dá graça e glória; nenhum bem sonega aos que andam retamente" (84:11).

"Justiça e direito são o fundamento do teu Trono; graça e verdade Te precedem" (89:14).

"Ele é quem perdoa todas as tuas iniquidades; quem sara todas as tuas enfermidades; quem da cova redime a tua vida e te coroa de graça e misericórdia" (103:3-4).

E tantos outros...

Pelo visto, alguém que não concordaria com o prezado pregador que mencionei acima era Davi. Afinal, ele foi um dos muitos personagens do AT que sabiam por experiência própria que a graça do Senhor já se manifestava naqueles dias.

Portanto, neste início de semana, é importante saber que a GRAÇA não se iniciou com o ministério terrestre de Jesus, pois a graça, a misericórdia, o perdão... SEMPRE EXISTIRAM, desde quando o pecado passou a ser uma realidade na vida dos filhos de Deus.

O que Jesus veio fazer foi dar uma revelação mais ampla, mais abrangente sobre este precioso dom divino. Conforme o Comentário Adventista de João 1:17, "João não tem o propósito de insinuar que era mau o sistema revelado por meio de Moisés, em comparação com o que agora era revelado por meio de Cristo, a não ser que, embora era bom o sistema de Moisés, o de Cristo é melhor (ver Heb. 7:22; 8:6; 9:23; 10:34). (...) Ao afirmar que a 'verdade' vem por meio de Cristo, João O identifica como a realidade que era assinalada por todos os símbolos e cerimônias do AT, que não eram mais que uma sombra dos bens vindouros. Em Cristo o símbolo acha seu cumprimento na realidade (Colos. 2:16-17). Em nenhum sentido João indicou que o sistema do AT era falso ou errôneo".

Louvado seja Deus, porque não nos deixa nas trevas em nenhum tema importante para nossa salvação!

"Bendito seja Deus, que não me rejeita a oração, nem aparta de mim a sua graça" (Salmo 66:20).

Oh glória!

10 comentários:

Anônimo disse...

Prezado Pr. Gilson Medeiros, sempre tive dificuldade de entender plenamente o que é a Graça. As informações acima eram de meu conhecimento, mas o que é a Graça realmente? Compreendi lendo um livro da CPB, que, infelizmente, não sei mais qual é, pois li vários ao mesmo tempo. A Graça é o plano que Deus fez na eternidade para a salvação do homem. O plano é a Graça. Jesus é a consolidação desse plano. A fé é o estender da mão para aceitação do plano.
Assim fica mais fácil de compreender.

Douglas Borges
IASD Méier.

Gilson Medeiros disse...

Caro Douglas, muito obrigado pelo comentário esclarecedor.

Um abraço.
Gilson.

Francisco A. de Azevedo disse...

Gilson,

Saudações cristãs!

O Post no meu entender é verdade!

Gostaria de também ver publicados os comentários discordantes em outros assuntos.

Pois a verdade só pertence a Deus!

irmão leitor disse...

Que alegria ler sobre Graça!
Na estrada para Emaús, nosso Salvador resgatou o que se dizia dEle desde Gênesis, ou seja, tudo que o Céu estava fazendo em favor da humanidade caída.
Deus não abandonou o pecador. Deus não deixou o pecador ser um brinquedo nas mãos do inimigo.
Aprecio esse tema. Principalmente quando é resgatado o valor do Antigo Testamento.
Lamentavelmente o nome de Deus é associado a morte, destruição, e outras coisinhas desse gênero.
Ora, se a Graça já estava no propósito de Deus antes do homem cair, e instituída simultaneamente à queda, por que atrelar Seu nome a coisas que foram geradas pelo pecado?
O que era propósito no Céu, foi instituído no Éden, percorreu todo o Velho Testamento, e foi estabelecido na Cruz do Calvário. Ali foi consumado, mas foi lá atrás, bem lá atrás, que começou a Graça.
Mais uma vez, obrigado Senhor.

Chacon disse...

Gilson, você como sempre esclarecedor, mas se quisessemos ser "rápidos no gatilho" hehe, o argumento lógico para o missionário seria: "Porque a lei foi dada por intermédio de Moisés; a graça e a verdade vieram por meio de Jesus Cristo" (1:17). Ok, e Jesus existe desde quando? Perguntaríamos ao missionário? Segundo a Bíblia: No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus e o Verbo era... Deus." Pronto papo encerrado com o missionário. Outra coisa, coitado dos que nasceram antes de Cristo, não teriam salvação, pois: pela Graça sois salvo... O missionário não deve ser bom só de NT, tem que ser bom de AT e de lógica. Abraço

Blog Adventista disse...

Sinceramente Gilson quando essas pestes dessas outras igrejas vem debater bíblia comigo eu nem respondo mais. Não sabem nem ler e muito menos interpretar a bíblia.
Muito esclarecedor o tópico.

osvaldo disse...

Ola Sr. Gilson, lendo alguns comentarios, um me chamou atenção, quando falava sobre a salvação dos que viveram antes da Graça, chamando de coitados.
Realmente todos que viveram antes do Messias homem, não esperavam suas salvação na lei, ou melhor no cumprimento da lei, porque e obvio que ninguem cumpriu a lei, todos se erforçavam para cumpri-la, mas ninguem cumpriu.
Teve que vir o Messias homem, vir e cumprir, pois só Ele cumpriu, o Messias homem não existia antes no AT. A graça só veio a ser sancionada após a morte do Messias, pois antes todos estavam sobre maldição, e esta maldição só foi quebrada com a morte do Messias Homem que se fez maldito por nós, e também pelos que viveram no AT.
A Graça era um plano de Deus antes da fundação do mundo, nossos antepassados que viveram antes da lei, também não viveram na Graça,e sim esperavam por Ela pois Ela ainda não tinha sido manifestada, eles também esperavam a salvação no Messias homem que haveria de vir, pois como ja disse ´ja era um plano de Deus antes da fundação do mundo.
A Graça é para aqueles que confia e fé e confiança, muito mais que cumprimento, Ela foi manifestada em prol de nossas fraquezas, sendo impossivel o cumprimento de toda Lei.
Como já disseram que a salvalçao não é só para os bons, e sim para os que tem fé,confiança no Senhor.
Contarei uma história para ilustrar. Um pai tinha dois filhos,um dos filhos se dizia prudente, pois quando ele caminhava com o pai, ele olhava para traz, para os lados, para frente, onde pizar, onde passar, o que olhar, o que falar etc...
O outro filho, caminhava pulando cantando, descontraido, confiante, meu pai é o rei, meu pai e o Deus forte, ele é o todo poderoso, nada temerei, ele é o general, Qual dos dois filhos demonstravam a verdadeira fé.

osvaldo disse...

Ola Sr. Gilson, mas uma vez gostaria de expor aqui minha compreensão quanto a Graça de Deus.
A Graça é uma eleição, onde nem todos é alcançada por ela, por que a Graça não é para todos e sim para muitos, aos quais nosso Deus chamar. Muitos houvirão os chamados e poucos são escolhidos, foi o que o Messias disse certa vez, é necessario que se pregue a todos, mas só virão a Deus os que realmente Ele escolher, porque ninguem vai a Deus, busca a Deus ama a Deus, servi a Ele se primeiro Ele não reviver, atrair esta pessoa, é como um casal, pra gostar um do outro tem que haver algo que os atrai.È por isso que Ele dizia que ninguem pode vir a Ele se primeiro o Pai não o atrair, No AT vemos isto claramente, porque muitos dos profetas, reis foram escolhidos, mesmo cometendo pecados foram justificados, Os Judeus foram escolhidos não por ser bom, e nem obedientes, porque eles sempre foi um povo rebelde e contradizente a Deus, mesmo assim eles foram o povo predileto, e os outros viviam sem Deus, porque simplismente Deus não os escolheu, tanto que Deus mandava matar, distruir velhos crianças animais de outras nações, quando estas ameaçava seu povo.
Isto é a Graça imerecida, Deus ainda continua escolhendo os seus, dentre muitos, independente de ser bom ou mal, porque dali pra frente será Ele quem vai conduzir o tal até o fim, é o novo nascimento.
Eu não posso nascer se primeiro Deus não me reviver, plantar sua semente em mim pra que eu de frutos, porque eu estava morto Ele me reviveu.
Por mais que se diga, nós é que aceitamos, nós é que abrimos a porta, nós é que temos que crer, mas nada disso acontece, se primeiro Ele não nos aceitar, porque tudo procede Dele, o crer, o querer, o amar,o servir, isto pra mim é A Graça de Deus.

Gilson Medeiros disse...

Caro Osvaldo, como Adventista eu não creio dessa forma.

Pois acredito que Jesus foi muito claro em João 3:16 quando disse que Deus amou AO MUNDO, e TODOS os que nEle crêem se salvarão.

Esta falácia de eleição, não me convence.

Um abraço.
Gilson.

A.K.Renovatto disse...

Prezado "Blog Adventista" fez um comentário desnecessário, onde generalizou chamando pessoas de outras igrejas de "pestes" dizendo que não sabem ler e nem interpretar e que por isso não responde essas pessoas...Por experiência própria posso dizer que " pestes" que não sabem ler nem interpretar, tem em todas as denominações sem exceção. Uma pessoa pode manjar de Bíblia, mas se for arrogante, fizer acepção de pessoas e generalizar rotulando pessoas por causa de uns casos vistos...não tem entendido o mais básico do evangelho que é amar a Deus e a amar seu próximo. Esse próximo não é apenas o irmão de sua congregação, mas sim as pessoas no todo, incluindo as pessoas que chamou de " pestes". Gostei do artigo, mas a opinião dessa pessoa é de uma pobreza de espírito que só posso lamentar.

Cursos Básico, Médio e Avançado

Ebook 101 Razões