terça-feira, fevereiro 25, 2014

Não confunda "Graça" com "libertinagem"

Vejam que texto fabuloso:

"Pois certos indivíduos se introduziram com dissimulação, os quais, desde muito, foram antecipadamente pronunciados para esta condenação, homens ímpios, que transformam em libertinagem a graça de nosso Deus e negam o nosso único Soberano e Senhor, Jesus Cristo" (Judas 4).

Comentando a expressão "transformam em libertinagem a graça do nosso Deus", a Bíblia de Estudo de Genebra (de orientação Presbiteriana), diz o seguinte:

"Os oponentes de Judas eram culpados de antinomismo - a convicção de que os cristãos não têm obrigação alguma de seguir a lei moral como regra de vida. Tal ensino foi um problema permanente na Igreja Primitiva (Rm 3:8; 6:15; 1Co 6:12-15; Gl 5:13), especialmente onde a ênfase de Paulo sobre a justificação pela graça mediante a fé era mal entendida e pervertida" (pág. 1521).

Segundo o comentarista, havia uma classe de pessoas, NA IGREJA, que defendiam que a Lei de Deus havia passado, e que os novos crentes não mais deveriam se submeter às suas reivindicações. Qual foi a resposta de Judas para isso?

Estas pessoas transformaram a GRAÇA em "LIBERTINAGEM"
(tradução do termo grego ASELGEIA).

É curioso observarmos que este fato tão atual já fazia parte das "disputas teológicas" ainda na época dos primeiros cristãos. Assim como hoje, no primeiro século também existiam os pseudo crentes que tentavam justificar um modo de vida desobediente à Lei de Deus, com o argumento furado de que a graça cobria qualquer violação dos Mandamentos.

Na posição de líder da Igreja, Judas se deparou com os mesmos problemas que os que desejam ser fieis a Deus na guarda da Lei Moral (os 10 Mandamentos - cf. Êxo. 20:3-17) se defrontam hoje, quase 2000 anos depois. Nada mudou!

Os Adventistas do 7º Dia frequentemente são bombardeados com a mesma heresia da época dos apóstolos, a qual a Teologia chama de ANTINOMIA, ou seja, a declaração absurda de que a Lei passou, e que agora, por vivermos no tempo da graça, não precisamos mais nos submeter à obediência a qualquer mandamento. 

A mesma indignação que Judas sentiu, nós também devemos sentir!

Esta "graça barata" ou "libertinagem" que é ensinada nos púlpitos evangélicos de muitas igreja da atualidade, nas palavras do escritor inspirado, não tem nada que ver com o ensino da Graça que Paulo demonstrou tão magistralmente. Assim como naquela época, muitos hoje também confundem os escritos de Paulo e ensinam coisas que o apóstolo jamais intentou ensinar (cf. 2Ped. 3:14-16).

É mesmo uma pena que tanta gente, até sincera, se deixe levar por heresias como estas, que ensinam que a Lei passou! Mas, no fundo, nós sabemos quem está por trás de tudo: o inimigo de Deus. Desde o princípio que ele tenta subverter a verdade com mentiras mascaradas. Por exemplo:

Deus disse: "se comer, morre";
O diabo disse: "não morrerás"... e o povo continua crendo na mentira até hoje (inferno eterno, reencarnação, alma penada, purgatório, etc.).

Deus disse: "Lembra-te do sábado";
O diabo disse: "Guardarás domingos"... e o povo continua crendo na mentira até hoje (em muitos lugares, o sábado é o dia da faxina nas igrejas... que absurdo!).

Deus disse: "Se Me amais, guardareis os Meus mandamentos";
O diabo disse: "A lei passou"... e o povo continua crendo na mentira até hoje.

Portanto, caros amigos, esta heresia ensinada nos púlpitos de muitas igrejas que professam ser cristãs, não é nova... não começou no Movimento Pentecostal do séc. XIX, nem no neopentecostal do séc. XX, e nem mesmo na Reforma Protestante do séc. XVI. 

Esta heresia que ensina que a Lei passou é tão antiga quanto a própria Igreja, pois o diabo sempre procurou obscurecer o entendimento e desviar a atenção dos menos avisados e dos que preferem viver na "libertinagem" de uma "graça barata".

E o que é GRAÇA?
Clique aqui e veja diversas postagens que já escrevi sobre o tema.



Conclusão

Sigamos firmes na fé, pois temos a certeza de que o Senhor guia Seu povo no meio das trevas, e o conduz para Sua maravilhosa luz (cf. Apoc. 14:12; 12:17; João 8:32).

O diabo está irado, mas a Lei de Deus é eterna e nos acompanhará para sempre!

"Aquele que diz: Eu O conheço e não guarda os Seus mandamentos é mentiroso, e nele não está a verdade" (1Jo 2:4).

Que declaração forte, não acha!? 
Mais dura do que esta só a que Jesus profetizou em Mateus 7:21-23.... tremo só de lembrar!


Veja também:
- Os Adventistas e a Lei de Deus
- O que a Bíblia ensina sobre a Lei de Deus
- Jesus e a leis de saúde do AT

2 comentários:

Anônimo disse...

Legalismo começa sutilmente, pregando “Permissivismo é vergonha. Zelemos pelo testemunho de Cristo. Coloquemos mais esta regrinha que já está consagrada pela igreja. Etc.”. No final, legalismo resulta em Menonitas que só vestem preto e usam tecnologias da Idade Média; em monges hermitões ascetas e auto-flagelantes; em Velvet Hills Baptist Church, com réguas e gabaritos no hall de entrada, para cabelos, saias, etc., com páginas em branco assinadas por cada membro e dadas ao pastor ditador, verdadeiro deus, com “livrão do permitido e não permitido”, que vira outra bíblia, com pressões psicológicas dignas da Gestapo e KGB.

Somos salvos pela fé e só pela fé, sem as obras da lei (Rom 3:28 compare com Efe 2:8-10 Gas 2:16); Não estamos debaixo da lei, mas da graça (Rom 6:14-15) ...:

Obras são o resultado de amor, gratidão, infinita vontade de agradar quem nos salvou com seu sangue; Obras são o resultado de uma vida consistente com uma salvação tão maravilhosa e incapaz de ser perdida (Efe4:1; Rom 6:12, 12-16; Jo 14:15).

Evitemos a menor sombra de PERMISSIVISMO.

Permissivismo começa sutilmente, pregando “Legalismo é escravidão, é viver na Lei, é insulto ao Evangelho. Somos verdadeiramente livres, podemos fazer tudo que nos pareça ter decência e ordem. Evitemos pregar sobre as proibições, preguemos positivamente...” No final, permissivismo termina com ... bem, não precisamos dizer, é isto mesmo que você tem visto escandalizando pessoas em quase todas as “igrejas” de hoje!

osvaldo disse...

Ola sr. Gilson, até agora não pude pensar, e ter a visão que voçes tem, mas farei aqui meus argumentos que me fazem ter este direcionamento com relação a Graça de Deus e a lei.
Analizando a nossa lei humana, eu não as tenho como direção para minha vida,mas eu a cumpro, diferentemente de obedecer, porque tudo foi criado por Deus para nosso bem. A lei diz não matar
e nisto estamos guardados protejidos pelos que matam, pois a lei foi criada para nos protejer, não para que nos vivessemos em função dela, sermos guiados por ela, isto falo os que nasceram de novo, pois para estes não haveria necessidade de lei, pois são guiados pelo Espirito de Deus, e neles não habita o desejo de matar , pois se isto ainda reside no coração é porque não nasceu de novo.
Ora do que me serve a lei humana, não matar, não roubar, não adulterar, de nada serve para mim, pois vivo como se ela não existisse, pois não impera em meu ser estes instintos, pois compreendi com clareza o que é realmente amar o proximo como a mim mesmo.
Assim é também a lei de Deus, ela não foi feita para o justo, mas nós nos beneficiamos dela,pois somos também protegidos, pois isto ela proibe , pois a promessa de que todos que praticam a iniquidade serão julgados, assim tambem é a lei humana, todos que matam são julgados, e nisto somos beneficiados por ela.
Ela foi criada para nos protejer, não para que vivessemos guiados por ela, pois quem vive assim é o tal que vive na letra, e não no Espirito.
A graça veio para completar, aquilo que era impossivel a lei, o perdão aos filhos de Deus, pois mesmo não tendo o desejo de matar, sou capaz de cometer tal pecado, e terei perdão se isto acontecer involuntariamente, numa situação de anormalidade de meu ser.
Continuarei estudando, com muita atenção a este assunto, pois como voçe mesmo disse desde tempos se dicutem este assunto Grato.

Cursos Básico, Médio e Avançado

Ebook 101 Razões