sábado, março 26, 2011

Já ouviu falar no "crente pirata"?

Certo dia eu estava no centro da cidade onde moro, e observei um desses vendedores de CDs e DVDs piratas, que proliferam aos montes nas diversas cidades do Brasil.

Mas o que me chamou a atenção e me levou a refletir melhor sobre este tipo de comércio, foi o fato de que o vendedor era um evangélico, e em seu "carrinho" estavam sendo vendidos apenas CDs de cantores evangélicos, principalmente do meio pentecostal.

Cada CD era vendido a R$ 2,00, com "direito" a uma capinha xerografada e uma sacolinha plástica para levar o produto. Observei que a maioria dos CDs eram coletâneas de diversos cantores consagrados pelo público. Um dos títulos era "Músicas para Homens Evangélicos".

Os CDs eram produzidos no mais autêntico estilo "pirata": uma mídia barata, sem impressão serigráfica, apenas com um "X" escrito a lápis (provavelmente o "logotipo" do vendedor, para identificar em uma possível troca por defeito de gravação).

R$ 2,00... apenas R$ 2,00!

Fui para casa pensando em todas aquelas pessoas que gravaram os discos originais, e que agora estão sendo "lesados" por aquele vendedor (e por uma infinidade de outros). Provavelmente ele é mais um dos muitos desempregados do nosso País, sem muita qualificação profissional, e que vêem nestes comércios informais um meio de ganhar o "pão de cada dia".

Mas... é justo?!

Conheço amigos que gravaram CDs, e sei da dificuldade que é para realizar um projeto desses. E as dificuldades são exatamente no campo financeiro. Qualquer músico que se aventure a ter seu próprio CD, por produção independente, não desembolsa menos que R$ 10.000,00 para ver suas primeiras cópias prontas para serem comercializadas. E olha que neste valor já incluo os gastos para as viagens de divulgação do trabalho, hospedagem, alimentação, etc. Não é fácil... nem barato! Existem muitos por ai que são "filhinhos ou filhinhas de papai", ou que são "apadrinhados" por alguma gravadora ou estúdio, e que não fizeram esforço algum para realizarem o sonho... mas a grande maioria é de pessoas honestas, humildes e dedicadas à Obra de Deus.

Aqueles que fazem da música o seu ministério, muitas vezes passam dias longe da família, divulgando e vendendo seu trabalho; dormem em salinhas de fundo de igrejas; recebem calotes de "irmãos"; se alimentam mal; e o que, na minha opinião, é pior: muitas vezes são humilhados e maltratados por santarrões que questionam o fato de o músico montar sua banquinha para expor seu material na saída do culto... Oh, Senhor, quanta hipocrisia!

E depois de tanta luta... de tanta lágrima... de tanta privação... vem alguém e simplesmente, com uma tacada do "Nero", faz cópias e mais cópias do seu trabalho e sai vendendo por ai a R$ 2,00.

A indústria da pirataria é injusta e desleal para qualquer músico, mas para os músicos cristãos, aqueles que fazem do louvor a Deus um ministério de vida, transmitindo em forma de poesia cantada aquilo que, às vezes, dezenas de sermões não conseguem produzir, para estes a pirataria é mais cruel e desumana.

Um cristão autêntico... aquele que pauta sua vida pelo que é nobre e correto... não deve ficar tratando seus "irmãos" desta maneira. O CD original pode até ser 10 vezes mais caro que o pirata, mas o motivo é simples: foi produzido com suor e dedicação.

Nós não podemos continuar praticando este tipo de coisa, seja comprando (ou copiando para vender) CDs e DVDs, ou xerocando livros, pois tal procedimento está totalmente distante do ideal divino para o povo de Deus.

"Trate os outros como gostaria de ser tratado".
"Ame seu irmão como você ama a si mesmos".
"Não roube".
"Dê a César o que é de César".
"Não defralde ninguém".

Decorar doutrinas, aprender ritos gélidos, apontar o dedo de acusação para os que caem, vestir uma capa de "santarrice"... tudo isso é muito fácil, e a maioria de nós consegue viver esta vida sem muito "remorso". Mas o que o mundo precisa urgentemente é de pessoas que "não se comprem e nem se vendam", e que sejam tão fiéis à Palavra de Deus "como a bússola o é ao polo" da Terra.

Da próxima vez que formos comprar algum CD, DVD ou livro devocionais, prefiramos os originais, pois, mesmo pagando um pouco mais, estaremos contribuindo com o ministério de algum irmão ou irmã em Cristo.

"Assim, pois, pelos seus frutos os conhecereis" (Mateus 7:20).

Atualizado a pedidos

30 comentários:

Fabiana Bueno disse...

Olá Professor... por diversas vezes vi pirataria de filme ou música secular, mas primeira vez pirataria de cd evangélico que por consequência para envagélicos,na sua maioria. É uma pena, mas não tem como evitar.
Com a globalização e a mídia em alta, é quase impossível, desde que haja conscientização de ambas as partes, não apenas como ouvinte mas também como cantor.
Fabiana Bueno

Prof. Gilson Medeiros disse...

Pois é, Fabiana, vc tem razão quando diz que os cantores também devem se conscientizar de sua participação no problema.

Como cantora, considero que vc sabe bem o que está dizendo.

Obrigado pelo comentário.

Anônimo disse...

Prof. Gilson, o que é pecado é você comercializar, e não comprar CD`s piratas.

pois tenho visto muito CD`s muito caros. pergunto eu: aqueles irmãos que moram em na roça fora das cidades grandes, onde não tem condições de pagar 30,00 reais por um CD? será que eles não pode comprar um Cd de 2,00 reais?

ora, o que está acontecendo hoje, é que os contores evangélicos querem ficar ricos a custa de CD`s por 30, 00 reais cada, fora os "show gospel" que temos que pagar entrada.

A Bíblia diz: "de graça recebei de graça dai".

Ass: Divalcir da Silva - AC
da I.A.S.D de Senador Quiomard - AC

Prof. Gilson Medeiros disse...

Caro Divalcir, não podemos JAMAIS isolar textos bíblicos de seus contextos, e tentar usá-los para apoiar argumentações equivocadas.

Se os cantores gravassem seus CDs de graça, então eles poderiam cedê-los de graças. Mas não é isto que acontece.

Sua argumentação é frágil por uma questão bem simples: ela torna relativa uma determinação que a Bíblia declara como absoluta. Senão, vejamos...

- Um marido pode cometer adultério alegando que sua esposa não o satisfaz sexualmente?
- Um ladrão pode roubar impunemente sustentando-se no argumento de que roubou para comer?
- Posso transgredir o sábado com a justificação de que meu patrão não me liberou neste dia?

Percebe?!

Não podemos relativizar os princípios bíblicos. Os cantores deram duro para gravarem seus trabalhos, e merecem ser remunerados por isso. O valor do CD (que não chega aos R$ 30,00 mencionado) é justo para cobrir os devidos custos e ainda propiciar o sustento necessário ao cantor (lembra do verso: "o trabalhador é digno do seu salário"?).

Quem compra um CD pirata é tão contraventor quando quem o comercializa, da mesma forma que quem compra um artigo roubado é tão errado quanto quem o furtou/roubou/assaltou.

Já está na hora de pararmos com esta "verdade relativa", e começarmos a viver à altura do Evangelho de nosso Senhor Jesus Cristo.

Tenho certeza absoluta que Ele JAMAIS compraria um CD pirata de um cantor cristão.

Anônimo disse...

MARCODRADE@BOL.COM.BR

QUEM DO FARELO COME COM OS PORCOS VIVE

PIRATARIA É CRIME E DESOBEDECER
A PALAVRA DE DEUS É PECADO
ROMANOS 13
ABRAÇOS

Edima disse...

Concordo em gênero e grau, a violação do direito autoral é realmente crime, porém a lei que trata desse crime não pune o comprador, só pune quando ele reproduz com a finalidade de obtenção de lucro. É claro que não dar para justificar a compra de CDs violados, pois esses materiais geram prejuízos sociais e econômicos, violência além de afrontar a consciência. Isso precisa mudar, mas isso só vai ocorrer se todas as partes se envolverem, cantores, gravadoras, sociedade, entre outros. Não adianta dizer que é crime enquanto não houver consciência de todas as partes. É absurdo a venda de um CD envagélico, seja lá qual for a religião, pelo valor de R$20,00 a R$30,00, ainda mais se tratando de músicas que louvam a Deus. Lembre-se Jesus Cristo advertiu severamente aqueles que usavam o nome de Deus para comércio. Para os verdadeiros crentes a música pode ser seu sustento, mas jamais poderá ficarem ricos com ela, porque ninguém pode ficar abastado usando o nome de Deus, isso contraria tudo o que nosso querido Jesus propôs. Não sou crente, mas minha mãe é e ela concorda totalmente comigo nesse assunto.

Prof. Gilson Medeiros disse...

Cara Edima, concordo com cada palavra que vc escreveu.

Um abraço.

Anônimo disse...

Caro Prof. Gilson

Analisando seu contexto de pirataria, isso poderia ser aplicado a todo tipo de produto que houvesse algum tipo de direito autoral? assim como os softwares proprietários? Como WindowsXP, que na sua maioria custa em média cerca de R$ 600,00 cada licença.Tenho muito procurado sobre esse assunto e já que o Sr. entrou nele, gostaria de saber, seria considerado pecado, utilizar de um "windows xp pirata" para que o mesmo fosse utilizado em uma igreja, ou de outro programa de computador, um exemplo prático como um editor de vídeos, todos estes para o bem da obra de Deus? seria pecado utilizar desta forma?

Atenciosamente.
Guilherme

IASD Alto Boqueirão Curitiba.

Prof. Gilson Medeiros disse...

Caro Guilherme, o uso de programas de computador pirata não só é anti-ético, mas também ilegal. Dá cadeia!

Portanto, não pode ser algo nobre, mesmo que sua destinação seja para a pregação do Evangelho. Não seria isso um tipo de "fogo estranho"?!

Há muitas opções de bons softwares livres, com licença freeware, e que substituem grandemente os programas pagos.

Vamos fazer o correto, da maneira correta... sempre!

Um abraço.

HAMAS_KGS47-JIHAD disse...

Só lembrando. Talvez não sei afirmar ainda, a troca arquivos na internet não visando lucros não deveria ser crime. Se eu baixo um cd de tal cantor na net não é crime desde que eu apenas use para leitura no meu pc e nao faça distribuição com fins lucrativos. Arquivo hospedado na net não deveria ser crime. Talvez infelismente aqui no Brasil não temos a mesma visão dos outros países que a troca de arquivos na net não é crime, mas esta mudando ja esta situação.

Justiça disse...

O problema aqui não é o crime. Os operadores do Direito vão achar mil e uma jurisprudência para desculpar um erro.
A questão é se eu estou tirando algo do meu próximo, se o " não furtarás" está sendo realizado. Isso sim deve ser levando em conta.

"baixar não é crime", "comprar não é crime", "usar somente no meu PC não crime"

Puxa vida! Leiam o texto novamente! O problema é moral e não simplesmente legal.

Só um detalhe: pastor vc já viu o tanto de pirataria que acontece dentro de nossas igrejas?

Não me refiro a membros, mas sim para o uso das próprias Igrejas...

Rogério - RJ disse...

Este é um assunto complexo. Por mais que concorde que copiar um CD, seja ele para ouvir ou para vender seja uma prática reprovável, não podemos retira-la de seu contexto. Em dias onde muitos tem acesso a internet e a grande maioria não tem condições de arcar com custos dos CD´s originais, considero um erro os músicos e gravadoras ainda insistirem num modelo de comercialização cada vez mais obsoleto (CD). Deixo claro que não estou aprovando a prática da cópia, apenas constatando um fato.
Porque não investir em possibilitar downloads de MP3 legalizados (O site de música Secular Sonora já faz isso), onde os custos de produção e distribuição seriam suprimidos (não haveria gasto com impressão de encarte, com a mídia, com o transporte, com atravessadores, etc...)possibilitando uma redução do valor pago pelo download? Repito, insistir em utilizar um formato ultrapassado como o CD (ultrapassado para quem tem acesso a net e usa MP3) , seria o mesmo que tentar vender discos em vinil... Penso que está faltando um pouco de "visão" para boa parte das gravadoras...

HAMAS_KGS47-JIHAD disse...

Uai... Mas o cristão não tem que respeitar as leis, aliás, não tão somente respeitar mas como cumpri-las? Se a lei determinar que troca de arquivos pela internet não é crime o que a minha consciência vai me acusar?! Se for algo for legal pela justiça então logo não estarei fazendo o que é errado se baixar um determinado arquivo pela net para uso no meu PC, então logo, não estarei furtando nada.

Gilson Medeiros disse...

Caro Hamas, lembre-se que nem tudo que é "legal" é "ético"..

Por exemplo:
o aumento dos salários da cúpula do Poder Legislativo foi "legal"... mas foi "ético"??

Um abraço.
Gilson.

HAMAS_KGS47-JIHAD disse...

O que devo fazer nesse exemplo que você citou? Recusar o salário?! Ou pedir exoneração do meu cargo?

Ou que dizer da legalização da troca de arquivos na net? Devo boicotar? Ou os músicos não deveriam se adequar a realidade?! A nova tendencia?! Hoje no Brasil, existem gravadoras que fazem o download por alguns centavos de cada faixa. E apoiam ainda a divulgação na internet. Ou porque alguns hits viraram tão conhecidos? A informação propaga como uma velocidade tremenda. Só não se adpta a nova realidade quem realmente não quiser.

Daqui a pouco vão dizer que quem não usa o livro "fisico" não estará sendo "ético" devido estar usando um KINDLE?

Os autores de livros por exemplo já vendem as suas obras como "pacotes" para leitores com direito a edições especiais somente para aqueles que compram, porem, permite a troca livre de suas obras com restrições.

Um exemplo de adaptação. A revista superinteressante disponibiliza edições de revistas passadas para leitores, porém não perde a "clientela" e continua vendendo, mesmo tendo a disposição das pessoas a internet. O que ela faz? Ela apenas concilia as coisas.

Só lembrando.

(arts. 1° do Código Penal e 5°, XXXIX e XL da Constituição da República).

- "Não há crime sem lei anterior que o defina. Não há pena sem prévia cominação legal."

Gilson Medeiros disse...

Hamas, o tema aqui não é adaptação às novas tecnologias e exigências do mercado. O tema é "pirataria", pura e simples.

Não posso concordar que seja normal (legal) a pessoa pegar um CD/DVD, tirar centenas de cópias e vender a R$ 2,00 cada uma, sem que o autor/produtor do material receba um tostão pelo seu trabalho. Isso, para mim, é roubo.

Na minha opinião, é a mesma situação de um cientista passar anos estudando algum experimento, desenvolver um importante tese, e antes de poder publicá-la, aparecer um estagiário qualquer do laboratório e assinar o artigo como se fosse seu, e publicar na Nature ou na Science... seria justo?! Para mim, não!

Como eu disse antes, não se trata de "legalidade" ou "jurisprudência"... trata-se de ÉTICA, tema, aliás, muito esquecido por muitos de nós, professos seguidores de Jesus, a Pessoa mais ética que já pisou nesta Terra.

Quanto à "cominação legal", ou "lei anterior", existe uma muito clara para este assunto:
"Não roubarás"!

E olha que ela é bem anterior ao próprio Direito Romano, tido como uma das bases da nossa doutrina jurídica.

Um abraço.
Gilson.

HAMAS_KGS47-JIHAD disse...

Concordo com a afirmação:

"Não posso concordar que seja normal (legal) a pessoa pegar um CD/DVD, tirar centenas de cópias e vender a R$ 2,00 cada uma, sem que o autor/produtor do material receba um tostão pelo seu trabalho. Isso, para mim, é roubo."

Porém não se pode dizer a mesma coisa ao aspecto de adaptação às novas tecnologias, ainda, quando estas são legalizadas.

E quanto a ética?! No caso de uma adaptação às novas tecnologias, seria muito aplicável, uma vez que estaria resolvendo o conflito de uma nova realidade.

Quanto mais, de fato é roubo: "...tirar centenas de cópias e vender a R$ 2,00 cada uma, sem que o autor/produtor do material receba um tostão pelo seu trabalho."

JPS disse...

Se quisermos se adaptar aos novos tempos, basta ler a Palavra de Deus, se ajoelhar em nosso quarto, e ouvir a voz do Espírito Santo, e depois colocar em prática.
É simples! Se não fizermos isso, corremos o risco de cair sempre na filosofia do erro: "nessa situação isso pode, "não agora não pode", "sim agora pode", "talvez sim, talvez não, quem sabe né"....

Gilson Medeiros disse...

Olá, JPS.

Muito obrigado pelo comentário.

Um abraço.
Gilson.

Anônimo disse...

caro amigo.

Tire me uma duvida. Comprei um cd original, mas como oda midia e sensiel poderia eu, gravar uma copia para meu uso e guardar o original.pois realmente ter o produto oeiginal e bem melhor porem se estragar lá se vão 25, 00 reais e coo hoje não temos condiçoes de comprar um cd todo dia acho melhor me precaver.

Gilson Medeiros disse...

Caro Anônimo, não vejo problema em tirar uma cópia de uma CD original que eu comprei, para preservar minha aquisição.

O que não deve ser feito é comprar um original para reproduzir e ganhar dinheiro sobre a venda, bem como adquirir CDs piratas, pois assim estaríamos violando as leis civis de direito autorial, e a lei moral de nos abstermos do furto.

Um abraço.
Gilson.

Washington Rodrigues de Oliveira disse...

Bom dia! tenho 2 duvidas:
1º pode-se gravar um cd ou dvd e dar para alguém para fim da pregação do evangelho?
2º posso gravar musicas ou videos na net, para uso pessoal sem fins lucrativos?
atenciosamente,

Gilson Medeiros disse...

Olá, Washington.
Na minha opinião isso não é pirataria.

Um abraço.
Gilson

Anônimo disse...

Sr. Gilson Medeiros, quando o senhor afirmou que "Na minha opinião isso não é pirataria", em resposta ao Washington... eu não entendi!!! Isso não foi uma contradição sua, quando afirmou que as cópias sem autorização são ilegais, pelo menos moralmente falando??? Ora, eu entendo que, se a cópia é feita sem autorização do autor (seja por qual meio for e para qual finalidade for), ela está eivada e sempre será um dano no mínimo material ao autor! E ainda: não importa se é para uso próprio, presente, evangelismo, etc, pois a cópia foi feita sem autorização! Será que Cristo iria fazer cópia de trabalhos protegidos por lei para "facilitar" suas pregações??? Algo para refletirmos?

PS: Quando a bíblia afirma: "Todo ser que tem fôlego de vida, louve", não está induzindo à pirataria ou a compra de CD´s, DVD´s em situação financeira apertada, simplesmente: louvemos com nosso comportamento, nossas atitudes, nossas ações e reações frente às necessidades do cotidiano de cada um, louvemos com o Hinário, Harpa Cristã, ou equivalente (belos hinos, por sinal). O que não pode é buscarmos subterfúgios para escondermos a imoralidade e desrespeito ocorridas com a cópia de produtos sem conhecimento e/ou autorização dos autores.

Fernandes: renironi@ig.com.br

Gilson Medeiros disse...

Caro Fernandes, respeito sua opinião, e concordo em "quase" tudo.
A única ressalva que faço é que a própria Lei do Direito Autorial no Brasil permite cópias para "uso próprio". Ou seja, se eu compro um CD/DVD original, e faço uma cópia para utilizar no meu carro, com o intuito de preservar o trabalho original, então não estou infringindo a lei. O problema está em se fazer cópias para REVENDA ou DISTRIBUIÇÃO, neste segundo caso, mesmo que seja sem fins lucrativos.

Um abraço.
Gilson.

Anônimo disse...

Só uma consideração: baixar uma mídia sem autorização do autor (sem pagar) ou comprar um CD pirata para uso pessoal não é considerado tecnicamente como crime. Mas, quem disse que pecado é somente aquilo que é crime? Exemplos? Homossexualismo não é crime, mas é pecado, vícios por drogas legais não é crime, mas é pecado, e tantos outros. A lei moral de Deus é mais abangente que a lei dos homens. A bíblia é clara em Jeremias:“Ai daquele que edifica a sua casa com injustiça, e os seus aposentos sem direito, que se serve do serviço do seu
próximo sem paga, e não lhe dá o salário do seu trabalho.” Profeta Jeremias 22:13.

Anônimo disse...

Esse assunto é polêmico justamente porque não existe uma lei bem feita para tratar dele.
A cópia sem autorização é ilegal em alguns casos, todos envolvendo o luvro, se não eu já não teria vários dos meus CDS preferidos, que de velhinhos ficaram com a mídia danificada.
Hoje, os próprios cantores e grupos musicais mais ligados na realidade disponibilizam parte de seu trabalho na internet gratuitamente, porque é uma forma de divulgar o trabalho. Eu mesma costumo baixar músicas para conhecer um CD antes de comprá-lo, se não gosto, não compro e não escuto. Se por uma lado nunca vi cantor evangélico ficar rico vendendo CD (a não ser os das grandes gravadoras, que eu nem considero evangélico de fato, mas mercadores da Palavra), por outro lado os cantores hoje em dia sabem que ganham muito mais se apresentando que vendendo CD. Com exceção dos irmaozinhos que bancam seu próprio trabalho, que se apresentam de graça nas igrejas e botam um banquinha de CDs no final.... aí, minha gente, copiar CD desses, além de pecado, é maldade das brabas.
Tia Lu

Gilson Medeiros disse...

Cara "Tia Lu", de fato é um tema muito polêmico, principalmente porque mexe na parte que mais dói no ser humano: o bolso...rsrsrs

Creio que vc está correta quando diz que o problema está na comercialização de obras outros autores, para obtenção de lucro.

Fazer uma cópia de CD para ter em casa, para uso pessoal, não creio que seja o problema.

Entretanto, o que vemos é muito "irmão" comprando DVD e CD pirata de R$ 2,00... neste caso, imagino que é uma transgressão ao mandamento do Senhor.

Um abraço.
Gilson.

Anônimo disse...

Fazer copias pra uso pessoal, não pra vender é considerado pirataria também?

Gilson Medeiros disse...

Caro anônimo, desde que você tenha adquirido o original, não creio que seja pirataria neste caso.

Um abraço
Gilson.

Cursos Básico, Médio e Avançado

Ebook 101 Razões