sexta-feira, março 20, 2015

"Três dias e três noites no seio da Terra..."


Se tem uma questão que, vez ou outra, volta à tona, é a que trata do período EXATO em que Jesus ficou na sepultura. Devido a esta polêmica, existem até alguns cristãos (inclusive "adventistas") que acreditam que Ele não morreu na sexta-feira (apesar de todas as evidências bíblico-históricas), mas sim na quarta-feira, pois só assim daria exatamente 72 horas sepultado.
 
Vamos aproveitar para relembrar algo importante sobre este tema, pois certamente você vai se deparar com ele em algum momento de seu ministério missionário.
 
Três dias e três noites” – Jesus quando cita Jonas (cap. 1:17), em Mateus 12:40, emprega a frase "três dias e três noites". A pergunta quanto ao tempo que Jesus permaneceu na sepultura surgiu de uma incompreensão moderna da chamada "contagem inclusiva", método comum na Antiguidade, segundo o qual se contava tanto o dia (ou ano ou mês) no qual começava um período, quanto o dia em que terminava, não importando quão pequena fosse a fração desse dia (ou ano ou mês) inicial ou final. Eis alguns exemplos bíblicos:
 
No livro de 2Reis 18:9-10, lemos o seguinte: “No quarto ano do rei Ezequias que era o sétimo ano de Oséias, filho de Elá, rei de Israel, Salmanasar, rei da Assíria, subiu contra Samaria, e a cercou e, ao fim de três anos, tomou-a. No ano sexto de Ezequias, que era o ano nono de Oséias, rei de Israel, Samaria foi tomada”. Observe que Salmanasar subiu contra Samaria no quarto ano de Ezequias, e a tomou no ano sexto. Hoje, nós diríamos que Salmanasar levou dois anos para tomar Samaria (6 - 4 = 2) porém o texto bíblico diz que foi “ao fim de três anos”. Ou seja, pelo método da contagem inclusiva, foram contados o 4º, 5º e 6º anos do reinado de Ezequias.
 
A Bíblia dá vários períodos de "três dias" que concluíram DURANTE o terceiro dia, e NÃO DEPOIS do terceiro dia, e que portanto não eram períodos de três dias completos de 24 horas. Veja Gên. 42:17-29; conferir 1Reis 12:5, 12 com 2Crôn. 10:5 e 12.
 
Há exemplos desta "contagem inclusiva", não somente entre os judeus, mas também entre outros povos da Antiguidade. Esse sistema era comum no Egito, Grécia e Roma, e ainda é usado hoje no Extremo Oriente. Em alguns países do Oriente se computa a idade dando à pessoa um ano mais do que se dá no Ocidente. Assim um coreano que diz ter 25 anos tem somente 24 segundo a nossa contagem ocidental. Segundo o cômputo chinês, um menino que nasce na última parte do ano tem dois anos no ano seguinte, pois está vivendo o segundo ano de sua vida, conforme o calendário; e no começo do ano seguinte completará três anos de vida mesmo que só um desses anos seja um ano completo. Os gregos chamavam a Olimpíada, que se realizava de quatro em quatro anos, de pentaeteris (período de cinco anos).
 
Como o costume de empregar o cômputo inclusivo está bem comprovado por seu uso entre os hebreus, em outras nações antigas no Oriente e até nos tempos modernos, parece pouco razoável entender as palavras de Jesus quanto ao período de três dias segundo o uso de nosso método matemático moderno ocidental. Os ouvintes de Jesus contaram os "três dias", segundo o seu costume, em forma sucessiva: sexta-feira (parasceve pascal), sábado e domingo (primeiro dia da semana).
 
Os que se apegam a detalhes para questionarem as sólidas doutrinas cristãs gostam de se arrogar o "zelo" de estarem sendo fieis às palavras do próprio Cristo: "ficarei três dias e três noites no seio da Terra", e usam este argumento para dizerem que apenas se Ele morresse na quarta-feira é que tal afirmativa seria verdadeira.
 
Pelo que vimos acima, este argumento é fragilíssimo, pois não leva em conta uma pergunta muito importante em matéria de interpretação da Bíblia (e que muitos preferem ignorar): para quem estavam sendo dirigidas aquelas palavras? Como eles a entenderiam, levando-se em conta sua cultura na época?
 
Ou seja, não resta a menor dúvida, para o estudante sério e sincero da Palavra de Deus, que o nosso Senhor morreu mesmo no dia que hoje chamamos de "sexta-feira", permaneceu todo o sábado na sepultura, e ressuscitou nas primeiras horas do dia que hoje chamamos de "domingo". Para Seus ouvintes, este fato não causou o menor problema com relação à citação que Jesus fez de Jonas, pois em ambos os casos, os envolvidos passaram TRÊS DIAS E TRÊS NOITES "sepultados" (um no ventre do peixe, e o Outro na tumba).
 
Aliás, por que será que dos 3 dias que Jesus passou "descansando" na sepultura, somente o SÁBADO foi utilizado integralmente? Será coincidência? rsrs
 
"e conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará" (João 8:32).

Adaptado de: Forum Now (contagem inclusiva dos judeus)

8 comentários:

Anônimo disse...

Gilson,

Não continue rindo!

Não é coisa para rir e fazer ridicularização! Isto é sério!

Se Sou gentio?

13 Tu, pois, fala AOS FILHOS DE ISRAEL, dizendo: Certamente guardareis meus sábados; PORQUANTO ISSO É UM SINAL ENTRE MIM E VÓS NAS VOSSA GERAÇÕES; para que saibais que eu sou o SENHOR, que vos santifica.
14 Portanto guardareis o sábado, porque santo é para vós; aquele que o profanar certamente morrerá; porque qualquer que nele fizer alguma obra, aquela alma será eliminada do meio do seu povo.
15 Seis dias se trabalhará, porém o sétimo dia é o sábado do descanso, santo ao SENHOR; qualquer que no dia do sábado fizer algum trabalho, certamente morrerá.
16 GUARDARÃO POIS, O SÁBADO OS FILHOS DE ISRAEL, celebrando-o nas suas gerações por aliança perpétua.

PERGUNTA:

1 - Você é descendente de Israel?
2 - Você é contado em suas gerações?
3 - Fazendo sua árvore genealógica poderás saber!

Diga que as outras Igrejas são filhas da meretriz porque não guardam o sábado Judaico, que era um sinal entre Deus e os Israelitas!

Traga este sinal para você e continue rindo!

Esqueça também as recomendações de Paulo para não julgar ninguém por este motivo, ou seja sábados! Colossenses 2:

16 Portanto, ninguém vos julgue pelo comer, ou pelo beber, ou por causa dos dias de festa, ou da lua nova, ou dos SÁBADOS,

Julgue também os Romanos(gentios), e esqueça de levar em conta

Romanos 14:
4 Quem és tu, que julgas o servo alheio? Para seu próprio senhor ele está em pé ou cai. Mas estará firme, porque poderoso é Deus para o firmar.
5 Um faz diferença entre dia e dia, mas outro julga iguais todos os dias. Cada um esteja inteiramente seguro em sua própria mente.

JÁ VIU NO APOCALIPSE E EFÉSIOS O SINAL DE CADA POVO,OU SEJA, DOS JUDEUS, DOS 144.000 E DOS GENTIOS.

Pense melhor antes de reivindicar dos gentios aquilo que Deus não exigiu deles.

Irmão Cristão preocupado com vossa maledicência quanto aos outros cristão não Judeus.

Dos Cristãos Judeus é lógico exigir deles a guarda do sábado, mas dos Cristãos gentios extrapola a recomendação de atos 15:

21 Porque Moisés, desde os tempos antigos, tem em cada cidade quem o pregue, e cada sábado é lido nas sinagogas.

Pense melhor

de um Amigo Cristão gentio!

Gilson Medeiros disse...

Caro Anônimo, é melhor rir do que chorar, pois a desobediência à Palavra de Deus hoje é enorme.

A propósito, os cristãos não são "gentios". Paulo não considerava seus irmãos como gentios, e sim como "ex-gentios".

Respeito sua opinião sobre o sábado, apesar de discordar veementemente dela pois está em desarmonia com minha única regra de fé: a Bíblia.

Um abraço.
Gilson.

Gilberto disse...

Nem tive o cuidado de ler todos comentários.
Vou tecer os meus:
1ª questão: 3X3=72 horas, essa doutrina é aceita, pelo que sei, pelos Adventistas da Promessa.
2ª questão: 3X3=48 horas, não podemos deixar de olhar que essa doutrina, é um dógma da Igreja Católica.
3ª questão: essa doutrina não se trata de uma questão de vida ou morte dos que a aceitam, pois não se trata de fé, mas sim de opnião intelectual.
Obs. Se vc estuda-la a luz dos comentários a favor dos três dias inteiros, tem muita lógica. Isso é uma questão apenas de sobrevivência dos impérios doutrinários, quiçar de seus tesouros materiais.

Gilson Medeiros disse...

Caro Gilberto, obrigado pelo cometário.

O que os Adventistas crêem sobre o assunto também tem "muita lógica", e nada quem que ver com a proteção de "tesouros materiais", mas com fé nas Escrituras.

Se Jesus tivesse de fato passado 3 dias inteiros (72 horas na sepultura), alguma coisa estaria errada com a Bíblia, segundo os Evangelhos.

Um abraço.
Gilson.

Gilberto disse...

Eu pergunto ao irmão, já se deu conta que a disarmonia quanto ao Evangelho é justamente o que o irmão defende!?
Ao menos procuremos na bíblia algum lugar, em que se afirme que O Senhor, desceu ao túmulo, num ou noutro dia, não tem.
Porém não podemos negar; no quebra-cabeça da interpretação, vamos concordar, os termos: metade da semana, sinal, fim do sábado, isso mostra contudentemente que os acontecimentos se deram em tempo propositalmente definidos.
O irmão estudou o outro lado da sua interpretação?
Ou o irmão se fixou na tradição?
Obrigado!

Gilson Medeiros disse...

Caro Gilberto, como você mesmo diz, os acontecimentos se deram em tempos já determinados. E não é preciso muito "quebra-cabeça da interpretação" para ver que Jesus morreu em uma sexta-feira (pouco antes do pôr-do-sol) e ressuscitou nas primeiras horas do domingo.

Não vejo nada de tradição aqui. Somente a leitura do texto bíblico.

Um abraço.
Gilson.

jsilva disse...

É tão simples!

Lucas 23
54 Era o dia da preparação (sexta-feira), e começava o sábado.


João 19
31 Então, os judeus, para que no sábado não ficassem os corpos na cruz, visto como era a preparação (sexta-feira), pois era grande o dia daquele sábado, rogaram a Pilatos que se lhes quebrassem as pernas, e fossem tirados.


Gilberto, acho que vc "não teve cuidado de ler" a Bíblia...deve ser isso...

Anônimo disse...

Que boa essa sensação e certeza de já estarmos salvos e de fazer parte da única igreja verdadeira e que salva
IGREJA ADVENTISTA DO 7° DIA
Nós estamos com a verdade!

Cursos Básico, Médio e Avançado

Ebook 101 Razões