quarta-feira, outubro 20, 2010

A Tecnologia a Serviço da Fé

Uma ótima notícia para os amantes da exegese bíblica, e para os que gostam de se "aventurar" no estudo das Escrituras em suas línguas originais: hebraico, aramaico e grego.

Vejam a matéria veiculada no portal G1:

O departamento israelense de antiguidades e o Google anunciaram nesta terça-feira (19) o lançamento de um projeto para divulgar, na internet, os manuscritos do Mar Morto, que contêm alguns dos mais antigos textos bíblicos.

O plano, que custará US$ 3,5 milhões (2,5 milhões de euros) tem o objetivo de disponibilizar gratuitamente esses documentos, que possuem cerca de 2 mil anos.

"É a descoberta mais importante do século 20 e vamos compartilhá-la com a tecnologia mais avançada do século 21", afirmou a responsável pelo projeto do departamento israelense, Pnina Shor, em uma coletiva de imprensa em Jerusalém.

A administração israelense captará imagens em alta definição utilizando uma tecnologia "multiespectral" desenvolvida pela Nasa. As imagens serão, posteriormente, publicadas na internet pelo Google em uma base de dados. As traduções dos textos também serão colocadas à disposição. Shor afirmou que as primeiras imagens estarão disponíveis nos próximos meses e o projeto terminará em cinco anos.

"Todos os que possuem uma conexão à internet poderão acessar algumas das obras mais importantes da humanidade", disse o diretor do centro de pesquisa e desenvolvimento do Google em Israel, Yossi Mattias.

Descoberta arqueológica


Acredita-se que os 900 manuscritos encontrados entre 1947 e 1956 nas grutas de Qumran, no Mar Morto, constituem uma das descobertas arqueológicas mais importantes de todos os tempos. No material encontrado, há pergaminhos e papiros com textos religiosos em hebraico, aramaico e grego, assim como o Antigo Testamento mais velho que se conhece.

Fonte:
Portal G1

Os manuscritos do Mar Morto, descobertos de forma "miraculosa" na década de 1940, literalmente "calaram a boca" dos críticos da época, que diziam que a Bíblia que os cristãos utilizam é uma cópia de cópias, e que por isso não merecia nenhuma confiabilidade.

Com os manuscritos das cavernas de Qunram, ficou comprovado que as traduções atuais da Bíblia Sagrada são PERFEITAMENTE FIÉIS aos textos que foram escritos por volta do início da própria Era Cristã. Ou seja, as traduções da Bíblia resistiram a quase 2000 anos de transmissão do texto, muitas vezes de forma apenas oral, e não sofreram nenhuma alteração que pudesse desvirtuar o sentido da Palavra ou macular o entendimento de algum doutrina, levando-se em conta que existem milhares de fragmentos dos manuscritos bíblicos. Nenhuma outra obra da cultura mundial resistiu a isso de forma tão precisa e sob tantos ataques durante a Idade das Trevas.

Como era de se esperar, DEUS PREVERSOU SUA PALAVRA, e não deixou que o homem pecador a adulterasse.

Através desta parceria do Google (só fiquei me perguntando a intenção deles com isso...) todos nós poderemos acessar de nossa própria casa aqueles que são os mais antigos e preservados escritos da Santa Bíblia.

Louvado seja o Senhor por mais esta bênção!

2 comentários:

João disse...

ÔÔ! Glória.

Cauane disse...

Excelente!!! Na verdade depois de mais de 2000 anos a mensagem ter sido preservada sem adulteração da palavra de Deus já parece ser por si só um milagre! Pena que muitos ficam com as palavras dos críticos sobre traduções e não sabem sobre essas descobertas. Saber disso faz grande diferença.

Cursos Básico, Médio e Avançado

Ebook 101 Razões