terça-feira, dezembro 16, 2014

Qual a "verdadeira" religião?

Estes dias eu estava revendo uma reportagem sobre a tragédia no Rio de Janeiro, e uma coisa me chamou a atenção: pessoas que estavam se dedicando a cuidarem dos desabrigados das enchentes e deslizamentos de terra, mas em especial dos ÓRFÃOS da tragédia.

Passou o relato de um casal que mantinha uma instituição especialmente voltada para abrigar estas crianças que perderam os pais e não teriam quem cuidasse delas quando saíssem do hospital. Me veio à mente o verso bíblico do livro de Tiago, estudado na Escola Sabatina deste trimestre:

"A religião pura e sem mácula, para com o nosso Deus e Pai, é esta: visitar os órfãos e as viúvas nas suas tribulações e a si mesmo guardar-se incontaminado do mundo" (1:27).

A palavra que foi traduzida por "visitar" na versão Almeida Atualizada (a mais comum entre os Adventistas) é EPISKEPTOMAI, um termo grego que tem um significado bem mais abrangente do que simplesmente fazer uma "visita de cortesia", como a que um Ancião ou Pastor faz para algum membro da congregação. Ou seja, o termo original escrito por Tiago (irmão mais velho de Jesus), exprime uma visita especial, fruto do profundo desejo de ajudar alguém que está em necessidade, no caso, as viúvas e órfãos. Não é apenas visitar por visitar, mas procurar o necessitado para lhe estender a mão, oferecer ajuda, emprestar o ombro, acolhê-lo no lar, dar-lhe o alimento necessário, etc.

Assistindo a matéria sobre as pessoas que estavam abrindo seus lares para acolher os desabrigados, e os que estavam dispostos até mesmo a adotarem estas crianças que perderam TUDO, inclusive seus pais, fiquei pensando: ESTE É O VERDADEIRO ESPÍRITO DO CRISTIANISMO PREGADO POR JESUS.

Muitas vezes pensamos que ser religioso, ter fé, é simplesmente frequentar uma igreja, fazer uma "profissão" em algum credo doutrinário, ajudar financeiramente... e pronto! Mas ser cristão vai muito além disso! Muito além!

Fiquei pensando como seria a nossa sociedade se TODAS as famílias cristãs resolvessem adotar uma dessas crianças que ficam anos e anos nos orfanatos. As que são recém-nascidas, têm olhinhos azuis, cabelos e pele clara, facilmente encontram um novo lar. Mas a maioria passa a infância e adolescência sem conhecerem o que significa ser chamado de "filho", "filha"... ou chamar alguém de "pai", "mãe".

Sei que parece algo utópico, irreal, impossível... pensar que todos os cristãos passariam a tomar parte ativa neste processo social. Mas creio que, em certo sentido, o Cristianismo Primitivo é mesmo utópico para nossos dias. Em geral, nos contentamos em fazer uma doação de sangue no Calvário, uma distribuição de cestas básicas no Natal, e pronto!

Mas e o restante do ano?! Será que as pessoas só necessitam de alimento no final do ano? Ou os hospitais só precisam de sangue no período da Semana Santa? Claro que não! Mas parece que estamos mais "motivados" a participar destes "mega-eventos", com cobertura na mídia e tudo mais, e nos esquecemos de que os necessitados estão ao nosso lado TODOS OS DIAS...

Situações como aquelas do Rio de Janeiro, São Paulo, Minas, Nordeste (há alguns anos foi Alagoas que ficou devastado pela chuva), etc., devem nos levar à reflexão sobre nosso papel no mundo, nossa "luz" ou "sal" que tem mudado a vida de pessoas e comunidades.

A fé pura e verdadeira, a que de fato agrada a Deus, tem que ver com ação, participação, solidariedade, amor ao próximo... o resto é religiosidade... e isso todas as demais religiões praticam.

"A religião pura e sem mácula, para com o nosso Deus e Pai, é esta: visitar os órfãos e as viúvas nas suas tribulações e a si mesmo guardar-se incontaminado do mundo".

Valeu, irmão Tiago!

4 comentários:

Anônimo disse...

Realmente, o cristão precisa ter mais amor, mais ação, mais envolvimento...
E esse negócio das crianças é verdade, os casais só escolhem as crianças de pele clara e olhos azuis para adotar, como se as crianças fossem mercadorias em um mercado onde se escolhesse a melhor marca de um produto para levar para casa. Racismo puro e cristianismo zero.

Chacon disse...

Perfeito o post. POr que você acha que o mundo está como está? Vou te contar um casa de quando eu frequentava a Igreja em SP: certa vez proibiram os irmão de dar alguma coisa para outros irmãos necessitados, tudo teria que sair das Dorcas. Sinceramente? Uma estupidez do tamanho do mundo. A Igreja era bem grande, tinha irmãos que não tinham onde morar literalmente, como poderia por exemplo levar uma cesta básica? O sujeito precisava de uns trocados para comer, ou pagar um hotelzinho pra passar a noite, coisas como estas me desanimaram muito dentro da Igreja, e não tinha um irmão membro ai das comissões para dizer que estava errado, afinal parece que pastor é o cara que mais sabe no mundo. Esse conceito acaba comigo, mas seu post está genila. Estou estou en San Francisco na CA, cheguei semana passada e volto pro México no final da outra, nunca ví um lugar com tanto homeless, e doentes, e drogados e coisas assim, acho que nem em SP ví tanto assim, é um absurdo de gente morando na rua, gente que vc ve que tem problemas psiquitos, com drogas, alcool, ou simplesmente não tem mas um trabalho e uma casa, me doi o coração, me dá uma angústia, queria mudar o mundo, queria que Jesus voltasse hoje e acabasse com tudo, tudo, tudo, esse mundo não dá mais, mas falta pouco. Abraço meu querido dica com Deus.

Anônimo disse...

O irmão está encontrando um caminho melhor!

Passo agora a mostrar-lhes um caminho ainda mais excelente.
1 Coríntios 12:31 - cap 13

Gilson Medeiros disse...

Caro Chacon, mais uma vez obrigado pelos comentários, que só enriquecem as postagens do meu blog.

Um abraço.
Gilson.

Cursos Básico, Médio e Avançado

Ebook 101 Razões