terça-feira, junho 23, 2015

A Bíblia não é o Google

É comum algumas pessoas enviarem perguntas do tipo: "onde a Bíblia fala sobre tal assunto?". Ou virem com questionamentos bem específicos e detalhados, mas quererem que se "comprove com textos bíblicos" específicos a resposta.

Pessoas assim pensam que a Bíblia é algum tipo de Wikipédia ou Google, onde a gente tem um assunto na cabeça e ela é "obrigada" a ter as melhores respostas, o mais próximo possível da nossa realidade atual.

O problema para este tipo de situação é que esquecemos algumas coisas bem simples com relação à Hermenêutica Bíblica, ou seja, não levamos em consideração requisitos básicos para se interpretar as Escrituras. Por exemplo:

- A Bíblia precisa ser compreendida em seus princípios universais. Isso significa que nem todo assunto está mencionado ou é abordado nas Escrituras, por isso precisamos entender o princípio universal que está por trás de tal assunto. Ex.: cocaína. Você não encontrará esta palavra na Bíblia, e nem mesmo o assunto "drogas" como é entendido pela sociedade atual; entretanto, existem princípios bíblicos que tratam do cuidado do corpo e da mente que podem perfeitamente ser utilizados na compreensão do que a Bíblia fala sobre as drogas.

- Um outro requisito para se entender a Bíblia é ter em mente que ela não foi escrita, a princípio, para brasileiros do século XXI, por isso precisamos estudar o contexto no qual determinadas passagens foram escritas, para que possamos compreender bem o que o autor quis que seus leitores entendessem. Ex.: a mulher deve ficar calada na Igreja. Não se pode pegar esta "ordem" paulina e tentar aplicá-la aos dias atuais, sem se considerar onde, como e porque Paulo fez esta declaração.

É por não se levar estes e outros importantes requisitos hermenêuticos em consideração que surgem as mais absurdas e infundadas interpretações dos textos bíblicos. Por isso precisamos evitar os dois extremos desse tipo de situação:

1. Achar que a Bíblia é "obrigada" a ter todas as respostas, o que pode me levar a torcer determinados textos para se moldarem à minha interpretação pessoal do tema;

2. Pensar que porque um assunto não é abordado na Bíblia (ou seja, nos livros que formam o cânon sagrado) ele não deve ser alvo de indagações ou questionamentos, tornando-se um "mistério" não revelado.

Acredito que foi exatamente para evitarmos estes tipos de erros na interpretação da Bíblia que o Senhor concedeu (e, talvez, ainda concederá novamente) o dom de profecia à igreja remanescente. Afinal, nas palavras do apóstolo da graça, o dom de profecia seria um importante mecanismo de crescimento da Igreja de Deus dos últimos dias.

"E Ele mesmo concedeu uns para apóstolos, outros para profetas, outros para evangelistas e outros para pastores e mestres, com vistas ao aperfeiçoamento dos santos para o desempenho do seu serviço, para a edificação do corpo de Cristo até que todos cheguemos à unidade da fé e do pleno conhecimento do Filho de Deus, à perfeita varonilidade, à medida da estatura da plenitude de Cristo, para que não mais sejamos como meninos, agitados de um lado para outro e levados ao redor por todo vento de doutrina, pela artimanha dos homens, pela astúcia com que induzem ao erro" (Efés. 4:11-14).

Não vou me estender no tema do dom de profecia, pois já escrevi outras postagens sobre o assunto (clique aqui).

Hoje eu só queria chamar a atenção para este "hábito" que temos de achar que todo assunto, por mais específico e peculiar que seja, tenha que estar citado no Texto Sagrado... Isso nem sempre acontecerá. 

Devemos estudar as Escrituras com oração e dedicação, para que o Senhor nos mostre os princípios vitais nEla contidos. Somente assim teremos as respostas para todo assunto que nos interessar... E quando algo não estiver, textualmente, mencionado na Santa Bíblia, ainda há o vasto acervo deixado pelo Espírito de Profecia, no qual alguns temas são desvendados e/ou ampliados ao sincero estudante da Palavra de Deus.


"antes, santificai a Cristo, como Senhor, em vosso coração; e estai sempre preparados para responder com mansidão e temor a qualquer que vos pedir a razão da esperança que há em vós" (1Ped. 3:15).

Nenhum comentário:

Cursos Básico, Médio e Avançado

Ebook 101 Razões