quarta-feira, setembro 16, 2015

A "santidade invisível"

Você já ouviu falar em uma santidade que é "invisível"?

Tem uma passagem bíblica que me intriga.

"Também conservei em Israel sete mil, todos os joelhos que não se dobraram a Baal, e toda boca que o não beijou" - 1Reis 19:18.
Este é um dos relatos mais conhecidos da Bíblia. Muitos são os sermões que se pregam a cada ano com base na experiência de Elias no Carmelo.

E o que me intriga neste verso?

Poucas linhas antes, encontramos Elias aparentemente SOZINHO diante de um exército de adoradores de Baal a serviço de Jezabel. Segundo o texto sagrado, Elias ficou em cima do monte, incitando o povo a tomar uma decisão:

"Então, Elias se chegou a todo o povo e disse: Até quando coxeareis entre dois pensamentos? Se o SENHOR é Deus, segui-o; se é Baal, segui-o. Porém o povo nada lhe respondeu" (18:21).

Aparentemente, apenas Elias, e ninguém mais, estava ao lado do Senhor naquela ocasião. Ele ainda foi mais longe e disse que SOMENTE ELE, dentre todos os profetas do Senhor havia ficado para enfrentar a batalha (v. 22).

O desfecho, todos conhecemos. Elias saiu vencedor após um dia inteiro de ridícula demonstração de adoração pagã (semelhante à que vemos hoje em alguns lugares). Deus havia sido vitorioso, e todo o povo reconheceu, afinal, que somente Ele é o Senhor (18:39).

A arrogância de Elias

Algum tempo depois, Elias se encontra escondido com medo da sentença condenatória de Jezabel... Sim, o mesmo irônico e sarcástico profeta que havia humilhado centenas de funcionários do diabo, agora estava escondido, dentro de uma caverna, com medo de uma mulher... A Bíblia é mesmo fantástica, não é?!

Em seu esconderijo, Elias argumenta com o Senhor sobre sua condição aviltante... chega a pedir mesmo a morte! E no alto de sua arrogância religiosa, Elias diz ao Senhor:

"Tenho sido zeloso pelo SENHOR, Deus dos Exércitos, porque os filhos de Israel deixaram a tua aliança, derribaram os teus altares e mataram os teus profetas à espada; e eu fiquei só, e procuram tirar-me a vida" (19:10).

Na cabeça de Elias, somente ele era fiel... somente ele era zeloso... somente ele permaneceu firme à aliança... somente ele...

É quando o Senhor faz, na minha opinião, a intrigante revelação:

- Que nada, Elias... deixa de ser arrogante! Ainda existem 7000 no meio do povo que permaneceram fieis, e não se curvaram diante dos falsos deuses.

E eu pergunto:
- Onde estavam estes 7000? Por que eles não se apresentaram quando Elias estava conclamando o povo à decisão? Quando ele acusou a todo o povo de estar "coxeando" entre dois pensamentos, porque estes sete mil se calaram (cf. 18:21)?

Deus é mesmo "ilógico"

Há algum tempo eu escrevi aqui sobre o quanto considero Deus um Ser "ilógico", e a história de Elias na caverna só vem me confirmar esta "tese".

É muito comum, infelizmente, encontrarmos em nossas igrejas algumas pessoas que se consideram mais zelosas, santas e consagradas que outras. Exemplos:
- Eu faço culto familiar, e você não faz...
- Eu levanto de madrugada para orar, e você não...
- Eu chego cedo todo sábado na igreja, e você só chega atrasado...
- Eu devolvo o dízimo e a oferta minuciosamente, e você não...
- Eu sigo a Reforma de Saúde nos mínimos detalhes, mas você...
- Já li todos os livros do Espírito de Profecia... e você?
- Eu aboli a televisão da minha casa, e você não...
- Eu detesto sermão "enlatado", mas você...
- Eu sou Adventista de berço... e você?
- Eu estou em todas as semanas de oração... e você?
- Todo ano eu vou para o retiro de carnaval, das mulheres, dos PGs... e você?
 

Eu, eu, eu, eu... esse é o problema do arrogante, do falso zeloso, do pseudo-consagrado. Ele usa coisas que, a princípio, são boas e importantes na vida cristã, e faz delas um "chicote" para atormentar seus irmãos menos "consagrados".
Quantas vezes não vemos pregadores subirem ao púlpito imbuídos da arrogância de Elias, e esbravejarem: "Só eu e minha família fazemos as coisas direito por aqui... se quiserem se salvar, olhem para mim..."! Um dia vi um pregador deste "naipe" discursando no IAENE... e nossa professora de Psicologia na época depois confirmou o Transtorno Obsessivo Compulsivo pelo qual o iminente pregador estava passando.

E Deus, em Sua infinita, abundante e terna misericórdia, olha para estes arrogantes, escondidos em suas cavernas, e diz:
- Filho, pára com isso! Cai na real! Seja mais humilde e reconheça que você não é nada perfeito... e você sabe que Eu sei disso muito bem... Mesmo que você não consiga ver, Eu tenho muitos outros filhos fieis aqui, mesmo entre estes que, aparentemente, estão calados, improdutivos e estáticos. Eles também estão vivendo a fé verdadeira, assim como você. Por isso, querido filho, não seja arrogante, e saia dessa sua caverna de egoísmo!

É maravilhoso ver nas entrelinhas da Bíblia o quanto o nosso Deus é diferente de nós, em todos os sentidos. Aleluia!

Nós somos arrogantes, presunçosos, invejosos, ciumentos, vingativos, implacáveis, egoístas...

Ele é TODO AMOR E MISERICÓRDIA.

Da próxima vez que nos sentirmos tentados a bater no peito e dizer "só eu", vamos nos lembrar que ao nosso lado podem existir outros "sete mil" que estão firmes na fé, mesmo que nossos olhos pecadores não consigam enxergar isso.

Um comentário:

A.K.Renovatto disse...

Muito bom o texto, edificante. Existem certos tipos de crentes assim mesmo: que se acham mais santos que os outros. Certa vez ouvi um senhor todo "prosa" contando suas "santidades" aos quatro cantos, que fazia culto doméstico, visitava enfermos etc. Devemos fazer isso, mas não por aparência. O maior problema do homem é o egocentrismo e a vaidade. Não é raro ver atitudes de crentes que gostam de se exaltar falando de quantas horas oram por dia, que faz jejum completo etc. Acho que até perde o valor diante dessas atitudes. E ainda bem que Deus é amor e misericórdia, e mesmo diante de nossas fraquezas e orgulhos bobos, nos dá a chance de mudar.

Cursos Básico, Médio e Avançado

Ebook 101 Razões