sexta-feira, setembro 18, 2015

Que sermão pregar?!

Você é um pregador do Evangelho? Então, faça o seu melhor!
 

Há alguns dias falei que a Igreja é um lugar de "refúgio" para as mazelas do dia-a-dia. E alguns pediram que eu fosse mais "didático" sobre como devem ser os sermões pregados nos cultos Adventistas.

É certo que um dos momentos mais esperados é aquele da pregação da Palavra de Deus, ou seja, o sermão. Porém, como eu disse em outra postagem, alguns têm subestimado a utilização deste momento, fazendo com que as pessoas (os adoradores) voltem para casa com a mesma sensação de vazio de alma com que chegaram para adorar. Isso chega a ser um pecado da liderança!

Vamos relembrar o que escreveu um dos grandes teólogos Adventistas do séc. XX acerca deste assunto:

"Há muitos no mundo e na igreja que inconscientemente anseiam pela mensagem: 'os teus pecados estão perdoados'. Portanto, em cada sermão, o pregador precisa proclamar a justificação [ou seja, a salvação]" - LaRondelle, O que é salvação?, pág. 78.

O que o saudoso Dr. LaRondelle disse foi que os púlpitos Adventistas devem ser (muito bem) utilizados na pregação da mensagem de salvação em Cristo. E isto tem sido olvidado por alguns pregadores, na minha opinião. Em muitas ocasiões temos visto sermões recheados de filosofia, pedagogia, psicologia, economia, atualidades, alarmismos... até novelas... mas pouca TEOLOGIA... ou nenhuma!!!!

Muitos preferem falar apenas do tamanho das saias, do comprimento dos cabelos, de não comer isso ou aquilo, de eventos escatológicos sensacionalistas, das conspirações para o decreto dominical, das bestas, dos pastores, etc... e não falam ao povo que Jesus está ansioso para carregar nossos fardos. Tenho plena certeza que muitos dos nossos irmãos ainda não tiveram um encontro real com Deus, porque simplesmente DESCONHECEM o que a Bíblia ensina sobre a abundante e incompreensível graça de Jesus. Lembram do Oséias?! Pois é, o povo continua perecendo por falta de conhecimento da salvação...

Sabemos tudo sobre eventos escatológicos, datas, sinais, bestas, leis, temperança, etc... mas quase NADA sobre a justificação em Cristo.

O que estou querendo dizer?

Observo que alguns pregadores escolhem um verso bíblico apenas como ponto de partida para sua peça de oratória, mas fogem totalmente do que a passagem realmente diz, e muitas vezes o simples estudo aprofundado do texto bíblico escolhido seria o suficiente para impressionar a mente e o coração dos ouvintes. Já vi pregadores utilizarem 10 versos bíblicos isolados em um único sermão, o que acaba resultando apenas numa "colcha de retalhos" de vários "mini sermões". Não é à toa que são pouquíssimos os sermões que realmente marcaram nossa experiência cristã. Quer ver? De quantos você se lembra?!

Para tentar ajudar aqueles que desenvolvem o pesado privilégio de servirem como mensageiros de Deus à Sua Igreja amada, eu apresento abaixo alguns simples conselhos que ouvi, li e pratiquei ao longo dos anos, e que podem melhorar em muito a qualidade da pregação e, especialmente, o RESULTADO que esta pregação promove na vida da Igreja.

Passos para o preparo de sermões bíblicos poderosos

1. Orar ao Senhor pedindo sabedoria, e escolher o texto tendo em vista a NECESSIDADE da Igreja e o DOMÍNIO do pregador sobre o assunto.

2. Ler o texto e o contexto para familiarizar-se com o seu conteúdo. Leia o que o Espírito de Profecia fala sobre a passagem. Pesquise no Comentário Adventista e em Dicionários teológicos.

3. Dissecar o texto em forma de frases, cada qual contendo uma única verdade (exegese básica). Assim você vai mostrar para a Igreja o que o texto REALMENTE ensina, e não o que você IMAGINA que ele ensina.

4. Determinar a ideia central ou assunto.

5. Em seguida, determinar as diversas ideias complementares ou de apoio à ideia central.

6. Ler todo o material necessário para uma correta compreensão do texto (comentários, dicionários, gramáticas, léxicos, outras versões bíblicas da passagem, etc.). Em alguns casos, é essencial o conhecimento sobre a cultura da época na qual o texto foi escrito.

7. Preparar o esboço. Este passo é feito através da organização dos pensamentos do texto, no que chamamos de DESENVOLVIMENTO do sermão (deve ter, no máximo 4 partes).

8. Dar sustentação ou apoio, isto é, complementar o esboço com comentários, citações, ilustrações, exemplos, estatísticas, definições, etc. SEMPRE inclua ilustrações curtas, cotidianas, em seu sermão. Mas cuidado para não ficar só falando o quanto você é bom, sua família é perfeita, etc., etc., pois o povo logo vai perceber que você só está querendo se promover e passar por "santinho" ou "dotô em Bíblia".

9. Preparar a conclusão. Não esquecer JAMAIS de fazer um claro e objetivo APELO ao final do sermão. Um sermão sem apelos será ALEIJADO, mesmo que o pregador seja um especialista em eloquência. É através do apelo que o pregador leva a congregação à ação.

10. Quando estiver tudo pronto, prepare a introdução do seu sermão. Inicie-o de forma a preparar a mente dos ouvintes para o que será estudado no texto bíblico. Evite os velhos "chavões" de sempre, ou contar "piadas" para quebrar o gelo. Também não caia no TERRÍVEL ERRO de dizer que foi escolhido de última hora, que não se preparou devidamente, etc. Isso mata o sermão antes mesmo de começá-lo.

::::::::::::::::::::

Se o sermão for bem preparado e bem fundamentado nas Escrituras, fruto da comunhão pessoal do pregador com a Fonte de todo o poder da Igreja, os irmãos sairão do culto com a sensação de que o Espírito Santo de Deus falou aos seus corações, de verdade.

Nossa Igreja precisa ser melhor alimentada nesta fase final da história do Mundo. E o melhor alimento que podemos dar é através de uma pregação profunda e poderosa sobre a justificação pela fé em Cristo Jesus.

Deixe que a Bíblia mostre para sua Igreja o quanto a graça de Jesus é abundante, e o quanto Ele está desejoso de que todos alcancemos a vitória nEle.

"A minha palavra e a minha pregação não consistiram em linguagem persuasiva de sabedoria, mas em demonstração do Espírito e de poder, para que a vossa fé não se apoiasse em sabedoria humana, e sim no poder de Deus" - 1Coríntios 2:4-5.

Eis a receita de um poderoso sermão!


2 comentários:

Douglas disse...

Achei que até no fim do artigo ia aprender sobre a justificação pela fé que você mencionou que precisa ser mais pregado....mas nada....como pregar aquilo que os teólogos não ensinam?

Gilson Medeiros disse...

Caro Douglas, se você fizer uma pesquisa aqui no blog encontrará inúmeros textos que ensinam sobre a justificação pela fé.

A Lição da Escola Sabatina também nos alimenta com frequência sobre este assunto. Sugiro que você se dedique um pouco mais a buscar o alimento que Igreja nos oferece profusamente... às vezes nós que não queremos (ou não sabemos) como aproveitar.

Um abraço
Gilson.

Cursos Básico, Médio e Avançado

Ebook 101 Razões