quarta-feira, dezembro 16, 2015

Um pecado chamado "vaidade"

Estes dias eu estava conversando com uma pessoa sobre temas bíblicos próprios dos Adventistas, e entrou o tema do USO DE JOIAS e MAQUIAGEM.

O assunto é polêmico, e provoca sempre muitas reações "acaloradas" dos defensores e dos contrários ao uso de acessórios, maquinagem, certos vestuários, etc. 

Meu objetivo é levar você, estimado(a) amigo(a), a refletir sobre temas importantes da nossa fé - eu estou certo que você vai, mesmo que não concorde comigo, pelo menos parar um pouco para analisar o assunto.


Primeiro, vejamos a definição de VAIDADE:
"valorização que se atribui à própria aparência, ou quaisquer outras qualidades físicas ou intelectuais, fundamentada no desejo de que tais qualidades sejam reconhecidas ou admiradas pelos outros".

É bem comum os jovens, e mesmo alguns adultos, fazerem perguntas do tipo:
- É pecado mulher usar calça comprida?
- É errado usar uma maquiagem bem "levinha"?
- Por que não devemos usar joias, nem mesmo aquelas mais discretas?
- É pecado pintar o cabelo? (esta me foi feita por uma senhora que estava "desesperada" em saber a resposta, pois falaram para ela que é um terrível pecado cobrir os cabelos brancos)

 

E por ai vai...

Sempre que me fazem perguntas deste tipo eu respondo com outra pergunta... Quase um "método socrático"... rsrs

"Qual a motivação que leva você a desejar usar maquiagem, joias, roupas da moda, cortes de cabelo modernos, etc?"
 

A resposta para esta pergunta vai determinar se o que você gosta de fazer é "certo" ou "errado", do ponto de vista bíblico/teológico, conforme creem os Adventistas.

1. Se você usa um batom bem clarinho (tom de pele), para parecer mais bonita aos outros; ou
2. Só veste as roupas da última moda, não pela qualidade do material, mas para não ficar "parecendo velha(o)"; ou
3. Usa aquela "pulseirinha" disfarçada de relógio, e ainda vira o mostrador para escondê-lo sob o pulso; ou
4. Gosta de vestir aqueles calças ultra, super, hiper, mega apertadas, com cintura baixíssima, e ainda usa a desculpa de dizer que "só encontramos dessas no comércio"; ou
5. Se usa uma correntinha (gargantilha em alguns lugares do Brasil) bem "discreta" por baixo da blusa, apenas para não ficar com o pescoço tão "sem brilho"; ou
6. Pinta as unhas com aquele esmalte bem clarinho, quase tom de pele (quando não prefere os de tom escuro e chamativos...), para dar um "brilho" especial às unhas; ou
7. Você é um daqueles rapazes (vamos pegar no pé deles agora...rsrs) que gosta de usar aquele tipo de penteado "não gosto de pente", apenas para ficar mais identificado com os galãs da telinha; ou
8. Deixa aqueles "filetes capilares" no rosto, com os desenhos mais chamativos, e ainda chama isso de "barba"; ou

9. Aderiu à moda "barba de lenhador", porque as meninas gostam (será?!), e você quer parecer mais "descolado"; ou
10. Gastam todo o salário do mês só para incrementar o carrão, e chamar a atenção das meninas.


Etc...etc...etc...etc...

 

E N T Ã O ..............

Cuidado!

Você pode estar entrando por um caminho muito perigoso, e que tende a nos levar cada vez mais longe das orientações bíblicas sobre a modéstia, bom gosto no vestuário e discrição.

Ou seja...

Se para aquela pergunta básica que eu fiz acima (em negrito), sua resposta é:
- Para ficar mais bonito(a)
- Para chamar a atenção dos(as) gatinhos(as) para mim
- Porque não quero ficar fora da moda
ou outra parecida...

 

Você está incorrendo no pecado da VAIDADE.

Portato, A CULPA É DELA.
Desta "danada" que tem levado muitos jovens e adultos (tanto homens quanto mulheres) a fecharem os olhos às claras orientações sobre este assunto, não só na Bíblia mas também (e especialmente) no Espírito de Profecia.

Como não temos tempo aqui para discorrer sobre a teologia do uso de joias, adornos, pinturas, vestuários da moda, etc., sugiro que você leia o excelente artigo do Dr. Bacchiochi, publicado na Revista Diálogo Universitário (clique aqui). E depois reflita sobre a maneira mais apropriada para um jovem ou adulto Adventista se "exibir" para o mundo.

Está aberto o desafio...

Um comentário:

A.K.Renovatto disse...

Vaidade: tema polêmico e controverso no meio cristão. Um ponto me chama a atenção: sempre que se fala em vaidade as pessoas de cara já se lembram de maquiagem, corte de cabelo da moda, traje, joias etc. Interessante também notar que sempre se pega mais no pé das irmãs, por isso, achei bom perceber que pelo menos aqui nesse blog, o pr foi coerente em mencionar os homens, afinal, a vaidade masculina anda a todo vapor ultimamente rsrs.
No capítulo 1 de Eclesiastes já fala "vaidade de vaidades, tudo é vaidade". Eu não farei rodeios, direi de modo "direto" mesmo: todo ser humano normal e saudável têm alguma vaidade, se não for uma exterior, tem alguma interior. Talvez aquele que critica a mulher que usa joias e calça comprida, está criticando sem se "tocar" que tem outras vaidades: usar sapatos caríssimos e ostentadores, uma gravata de marca cara, um bom perfume importado... Sim, a vaidade não é apenas "trajes, joias e maquiagem" não mesmo. A mulher que se arruma quer sim se embelezar para si mesma e para os outros e não há nada de errado nisso se feito sem ostentação e com moderação. Um homem do mesmo modo, ao vestir um terno alinhado com uma gravata de acordo e se "entupir" de perfume importado, está também querendo se sentir "ajeitado e bonitão" para si e para os outros... esse tipo de vaidade exterior, com moderação (veja esse detalhe e não me atirem pedras) é saudável e normal. Não adianta alguém dizer que está isento de toda vaidade porque estará mentindo.

A Bíblia em 1 Pedro 3:3-5 e 1 Timóteo 2:9-10 se refere a questão de prioridade e não de proibição. O que está orientando o texto é que o que deve sobressair em uma pessoa ( no caso particular da Bíblia, uma mulher) não é a aparência e sim o caráter da pessoa, o espírito manso, tranquilo. Como todo mundo gosta de falar de joias e maquiagem, vou pegar um exemplo com uma mulher. Uma mulher pode estar com uma maquiagem sóbria e elegante, brincos bonitos mas discretos e ainda assim, refletir o caráter cristão com sua postura e testemunho de vida. Do mesmo jeito que uma mulher pode estar sem maquiagem alguma, com saia comprida, sem joias e no entanto não estar refletindo o caráter cristão e ainda ter alguma vaidade interior (soberba, vanglória etc) que é bem mais grave do que a vaidade com a aparência.
Vaidade vai além do exterior e eu particularmente entendo ao meditar na Bíblia que a vaidade tão criticada ali, é a vaidade interior, daqueles que gostam de se vangloriar, receber aplausos, ser reconhecidos por todos, orgulho, soberba. Como cristãos devemos nos preocupar sim com a vaidade exterior, para não pecar no excesso, mas devemos nos preocupar mais ainda com a vaidade interior, a vaidade do coração, aquela vaidade que ninguém vê, só você e Deus sabe dela. Em Provérbios está cheio de versículos que fala sobre a arrogância e o mau comportamento, dando a entender que a vaidade interior é sem dúvida a pior de todas! E para encerrar meu comentário termino com o texto que gosto muito:

"Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas convêm. Todas as coisas me são lícitas; mas eu não me deixarei dominar por nenhuma delas." 1Co 6.12

Gostei do artigo e apesar de discordar em parte, é ótimo para reflexão.

Cursos Básico, Médio e Avançado

Ebook 101 Razões