quinta-feira, fevereiro 25, 2016

Jesus escolheu salvar o pecador

Hoje resolvi compartilhar com vocês a passagem bíblica que mais me impressiona, pois creio que foi nesta ocasião que o nosso destino foi "selado". Certamente muitos já conhecem o texto, mas existem centenas de leitores deste blog que estão vindo aqui pela primeira vez, e muitos destes ainda estão tendo seus primeiros contatos com a Palavra do Senhor.

Por isso, também fiz a postagem em forma de "esquema", para que você possa utilizar em um sermão, caso deseje.

Mateus 26:36-45
 

(vv. 36-37)
Jesus encerrou Seu trabalho de pregação com os discípulos e realizou a última Ceia. Logo após, o grupo dirige-se ao jardim do Getsêmani para um momento especial pelo qual Jesus teria que passar. Judas já não estava mais com o grupo, portanto Jesus e os 11 chegam à entrada do jardim, onde ficam alguns deles e apenas 3 entraram com Jesus.
 

Pedro, Tiago e João são os convidados a partilharem de um momento especial no ministério de Jesus. Eles têm a tarefa de orar para que nem eles nem Jesus fraquejassem naquele momento crucial para a história da Humanidade. 

O que aconteceu? 
Eles atenderam ao apelo de Cristo, ou O decepcionaram nesta hora tão difícil? 
Que lições podemos tirar desta experiência?
 
I. A PRIMEIRA DECEPÇÃO

Nesta hora de dor, Jesus contava com a oração dos Seus amigos (v. 38). Naquele momento de grande angústia, Ele esperava contar com o apoio daqueles a quem Ele tinha tanta estima e consideração, afinal, aqueles 3 eram Seus melhores "amigos" em toda a Terra. Um deles era tão intrépido ao ponto de jurar que até morreria pelo Senhor... Outro, diz a Bíblia que costumava se deitar junto ao peito de Jesus, e foi aquele a quem o Mestre entregou o cuidado de Sua viúva mãe.
 

A angústia pela qual Ele estava passando era tremenda. Todos os pecados da Humanidade Lhe pesavam sobre os ombros. (v. 39). Ao retornar para perto do trio, em busca de conforto e apoio, Jesus vê que os discípulos mais amados deixam-se vencer pelo sono (vv. 40-41).

Quantas vezes já aconteceu de Jesus ir em busca de nosso auxílio, e nós estarmos “dormindo”?
 

Mas, o que significa estar “dormindo”? Pode significar muitas coisas...
1. Negligência no trabalho missionário.
2. Vergonha de testemunhar do Evangelho para nossos amigos ou familiares.

 

Recordo-me que quando eu fui batizado (em 1994), eu ainda não estava totalmente preparado para ser um cristão autêntico. Aos 19 anos de idade, eu me sentia incomodado pelo preconceito que a maioria nutre para com os “crentes”. Então, eu escondia a Bíblia ao ir para a Igreja, pois não queria ser identificado com um “irmão”. Eu a colocava dentro de uma sacolinha de supermercado, e ia caminhando normalmente para que ninguém percebesse que ali estava uma Bíblia. Quando estava perto de chegar na Igreja, retirava a Bíblia da sacola e a colocava sob o braço, para que os irmãos não me criticassem pela minha vergonha em testemunhar.
Que bobagem! Eu estava com vergonha tanto dos de fora da Igreja quanto dos de dentro dela. Isso aconteceu até o momento em que percebi que não deveria agir assim. Cristo morreu por mim, por amor a mim, e eu ali estava, com vergonha de testemunhar dEle para os outros.
Foi quando supliquei de Deus o perdão pela minha falta de fé, e passei a não mais ter vergonha de ser cristão, e enfrentar o preconceito de cabeça erguida, certo de que ao meu lado estava a Majestade do Céu.

 

II. A SEGUNDA DECEPÇÃO

O texto bíblico menciona que novamente Jesus retorna  para perto dos Seus amigos, após longas horas de dor e angústia, e os encontra dormindo, pois “seus olhos estavam pesados” (v. 43). 


O que faz nossos olhos ficarem tão “pesados”, que não conseguimos nem mesmo passar um breve momento orando a Deus, buscando o poder?
 

Tenho algumas sugestões:
1. Orgulho pessoal – nos impede de sentir a necessidade de Deus, pois nos achamos muito autossuficientes.
2. Vaidade – ela anuvia nossa mente das coisas espirituais e celestes, e nos faz fixar os olhos apenas no que é desta terra.
3. Falta de amor fraternal – semeando a discórdia entre os irmãos, e deixando de enxergar que temos tantas (ou mais) faltas do que eles.
4. Falta de fé – que nos leva a não termos a certeza de que Deus nos ouve e nos vê a cada instante, e em todo o lugar.

 

III. A TERCEIRA DECEPÇÃO

A angústia de Cristo era tanta que Seu suor transforma-se em sangue (Lc 22:44). Naquela hora de luta e dor, todo o peso pelo pecado da Humanidade recaía sobre Ele, sozinho. O Céu ficou em silêncio para ver se Jesus sairia vitorioso, sem usar o poder real que Lhe era conferido.
 

Toda a hoste satânica estava a atormentar a Cristo com o pensamento de que os discípulos (presentes e futuros) não mereciam tamanho sofrimento. Os Seus queridos discípulos O abandonaria seguidas vezes e rejeitariam Seu amor... inclusive eu e você. Nosso Salvador deve ter vislumbrado cada momento em que nós O negaríamos por palavras ou atos (inclusive os de omissão), e deve ter sentido profunda dor ao perceber que mesmo após anos e anos "professando Seu nome" (Mat. 7:21-23), muitos de nós nunca O conhecemos verdadeiramente.
 

Pela terceira vez, a Bíblia diz que Jesus vem em busca de uma palavra de apoio dos Seus amados, veio à procura da certeza de que não estava só naquele momento tão difícil.. afinal, haviam 3 companheiros que estavam intercedendo e orando por Ele durante aquela intensa batalha (v. 45). Mas... novamente eles estão “dormindo”.
 

Como somos insensíveis! Como somos negligentes em nossa vida espiritual!
 

O Senhor nos adverte seguidas vezes. Repetidamente ouvimos Seus conselhos, orientações, instruções... mas repetidamente nos fazemos de “surdos”.
 

Em alguns poucos momentos de emoção (retiros, congressos, campais, semanas de oração, vigílias, etc.) tomamos a decisão de nos entregar por completo ao Senhor. Mas não conseguimos... e novamente “dormimos”. 

Quantos sermões ouvimos por ano (calcula algo em torno de 200!), mas isso não produz a mudança que Deus espera em nossa vida... Por que somos assim?!

IV. A VITÓRIA AFINAL

O que mais me emociona nesta história do Getsêmani, é que Jesus decide prosseguir, custe o que custar. Mesmo conhecendo nossos pecados, Ele não nos abandona à própria sorte. Decide derramar Seu sangue e beber o cálice da dor, se este for o único caminho para redimir o pecador arrependido.
 

O amor de Jesus é mais forte que Sua dor. Que descoberta maravilhosa!
 

O Rei dos reis, o Senhor dos senhores, o Monarca absoluto do Universo me ama tanto, que Se dispôs a sofrer a suprema humilhação para que eu tivesse oportunidade de libertação... Que amor incompreensível!

Quero apresentar a você o texto que mudou minha vida, mesmo depois de já estar batizado na Igreja:

Jesus vê o desamparo do homem. Vê o poder do pecado. As misérias e os ais do mundo condenado erguem-se diante dEle. Contempla-lhes a sorte iminente, e decide-Se. Salvará o homem custe o que custar de Sua parte” – Ellen G. White, ODTN, pág. 692-693.

Aleluia! Jesus não desistiu!!!!!!!

CONCLUSÃO
 

Mesmo em meio a tamanho sofrimento, mesmo com a decepção de saber que Seus queridos discípulos O abandonariam em breve, e não resistiram nem mesmo alguns minutos de sono para orarem por Ele; mesmo assim, Cristo aceita ser o sacrifício expiatório pelos pecados de todos os homens.
 

Seu amor pela Raça Humana é mais forte que a dor física pela qual teve que passar. Nem todo o esforço dos demônios conseguiu fazer com que nosso Amigo desistisse de nós... Ele passou sozinho o "lagar" da dor e do sofrimento... Passou por tudo, sozinho, para que eu e você tivéssemos a chance de um dia poder contemplar novamente a face do Senhor.

Eu e você precisamos acordar do pecado. Abrir nossos olhos espirituais.
Deus tem expectativas a nosso respeito. Nosso testemunho pessoal deve ser o maior sermão que podemos pregar aos outros. Não podemos permitir que as dificuldades e temores do dia-a-dia nos impeçam de estarmos alertas quanto Jesus nos procurar.

 

Você está disposto a, assim como Jesus, permanecer firme pelo que é certo, e ser um vencedor(a) no grande dia de prova que está à nossa frente?
 

Faça uma oração de entrega ao Senhor, ai mesmo, em frente à tela do computador ou celular, e creia que Ele tocará com o Santo Espírito a tua vida de aflição...

Quando puder, leia o livro O Desejado de Todas as Nações, que foi escrito sob inspiração direta do Céu, e saiba mais detalhes sobre este tão grande amor que o Pai sente por você.

Garanto que isso mudará sua vida... para melhor!

Um comentário:

A.K.Renovatto disse...

Ao ler o seu relato de quando se batizou, percebi que hoje têm muitos que têm vergonha de se mostrar como "crente" ( a maioria são jovens que têm medo de parecerem "caretas" diante dos amigos "descolados"). Mas como seu próprio testemunho mostrou, Pr Medeiros, há tempo de se arrepender e perceber que ser "crente" em Jesus, é motivo de erguer a cabeça, de seguir com coragem servindo Aquele que deu a vida por todos nós pecadores. É uma honra servir a esse Amigo, crer em Jesus é motivo de alegria e não de vergonha.

Muito bom o texto, aprecio uma boa leitura, foi com prazer que li cada palavra deste texto. Deus o abençoe, Pr Medeiros. Ore por minha família.

Cursos Básico, Médio e Avançado

Ebook 101 Razões