quarta-feira, abril 13, 2016

Tenho sido como Jonas?

A história do "profeta fujão" sempre me levou a refletir na importância de atendermos ao chamado divino no campo missionário.

Mas, há outro aspecto da vida deste profeta que também me chama a atenção...

"Viu Deus o que fizeram, como se converteram do seu mau caminho; e Deus Se arrependeu do mal que tinha dito lhes faria e não o fez" (Jonas 3:10).
 

A continuação deste relato nos mostra uma das facetas mais obscuras e egoístas do coração humano:

"Com isso, desgostou-se Jonas extremamente e ficou irado" (4:1).

- Como é possível alguém ficar "extremamente desgostoso" e "irado" pelo fato de Deus não ter destruído uma cidade inteira?!
- Como pode alguém que havia sido tão maravilhosamente liberto do ventre do grande peixe (não era uma baleia, diga-se de passagem) e, logo em seguida, sentir tanta sede de sangue?!
- Como entender o fato de um profeta de Deus, um enviado do Altíssimo, ser uma pessoa com um coração tão vingativo e cruel?!

 

Pois é... a história conta que Jonas era assim! 
Ele não se conformou pelo fato de que Deus ouviu o clamor dos ninivitas, e Se compadeceu deles, derramando-lhes Sua graça e Sua misericórdia.

Fico imaginando Jonas, vagando pelas ruas da cidade, pregando a destruição iminente, e dizendo em seu coração:


- Vocês vão ver, raça de víboras! O meu Deus não vai ter um pingo de pena de nenhum de vocês! Vocês não perdem por esperar! Continuem em suas orgias!
 

Porém, como eu já tenho dito aqui várias vezes, Deus age de uma forma muito "ilógica" do ponto de vista humano. Talvez seja exatamente por isso que nós ainda não tenhamos sido consumidos em nossa hipocrisia e falsa religiosidade... Ele "também" tem misericórdia de nós!

Existem muitos "Jonas" por ai

É uma pena que a fé em Deus não nos livre de mantermos em nosso coração sentimentos tão maus e diabólicos quanto a vingança, o ódio e a intriga! Infelizmente, a capa da religiosidade tem mascarado nossa verdadeira face, a qual, em muitos momentos, se revela mais negra e vil do que a dos piores "ímpios".

Jonas estava com um coração tão cheio de raiva e preconceito contra o povo de Nínive, que não pode aceitar o fato de que eles, vis e devassos como eram, também estavam na mira da graça de Deus. O profeta, apesar de pregar sobre um Deus que é misericordioso e bondoso, não cria nisso. Jonas representa perfeitamente aqueles de nós que só conseguem ver o lado de "justiça" de Deus, mas nunca conseguem enxergar a Sua face de "misericórdia", "graça" e "amor" reveladas constantemente nas Escrituras.

Conheço muitos "crentes" (inclusive Adventistas) que olham para os outros "de cima para baixo", ou seja, com aquele ar de "sou melhor que você". Tais pessoas não conseguem entender como Deus pode amar uma prostituta, um drogado, um adúltero, um presidiário, um político corrupto que faz turismo com o dinheiro público, ou um prefeito que desvia o dinheiro que serviria para a merenda dos alunos carentes... da mesma maneira que ama aqueles que professam publicamente crer em Seu nome.

A diabólica doutrina do inferno de fogo eterno tem contribuído com esta maneira deturpada de alguns verem a graça de Deus pelos pecadores. Algumas pessoas gostam de pensar que aqueles que não aceitarem a doutrina de sua denominação, arderão no fogo eterno, em caldeirões de água fervente, com diabinhos espetando seus corpos e dando fezes para comerem e urina para saciarem a sede... Era assim que o quadro era pintado na Idade Média, e tem encontrado reflexo ainda hoje.

A experiência de Jonas deve nos mostrar que não podemos JAMAIS exultar pela perdição eterna de uma alma sequer. Ele concluiu sua pregação e foi para um lugar bem alto, para assistir "de camarote" o desespero e a agonia do ninivitas. Imagino que Jonas deve ter olhado fixamente para o Céu, à espera do fogo e do enxofre que aniquilariam seus inimigos.

Mas no coração do Senhor haviam outros planos, pois os ninivitas também mudaram sua maneira de proceder.... arrependeram-se e suplicaram a misericórdia divina. Um povo pagão reconhecendo que há um Deus no Céu... Aleluia!

Nós somos facilmente apegados à letra da lei. Se o Manual diz que é para disciplinar, então que assim seja! Se diz que é para banir da comunhão os insubordinados, então que se faça dessa maneira!

Se Deus tinha dito que destruiria Nínive, então por que voltar atrás? Onde ficaria a "honra", o "bom nome" do profeta?! Como ficaria "a imagem" da sua religião, da sua igreja?!

Ora... 

Você consegue vê como o coração humano é mau e pecaminoso!? Queremos misericórdia, graça e perdão para nós, mas não agimos assim quando se trata daqueles que nos ofendem, magoam e traem. Para eles, a letra da lei! A "tábua de condenação"!

- Já imaginou a surpresa de alguns "conterrâneos" de Jonas quando encontrarem os ninivitas no Reino de Deus (Lucas 11:32)?!
- Já imaginou a surpresa de alguns "crentes" de hoje quando encontrarem seu vizinho ateu participando da Ceia do Cordeiro?!
- Já imaginou como vai ser um "choque" para alguns legalistas e fariseus modernos quando se depararem "na Glória" com aquele "irmãozinho" que era indisciplinado, negligente, e que não seguia as mesmas "regras morais" que aqueles determinavam?!
Se tem uma coisa que eu aprendi da história de Jonas é a seguinte:

Não devemos julgar as pessoas e, muito menos, condená-las à perdição, pois o Senhor ama a todos e sempre atenderá ao pedido sincero de socorro vindo dos lábios (ou da mente) de um de Seus filhos queridos... mesmo que este "filho" esteja todo enlameado pela sujeira deste mundo.

 
"...mas onde abundou o pecado, superabundou a graça, a fim de que, como o pecado reinou pela morte, assim também reinasse a graça pela justiça para a vida eterna, mediante Jesus Cristo, nosso Senhor" (Rom. 5:20-21).
 

Amém!


4 comentários:

A.K.Renovatto disse...

Muito bom o texto! Deixando à parte a menção que faz do inferno de fogo eterno (rsrs, esse negócio de caldeirão, urina e fezes não faz parte do que creio, embora creia no inferno de fogo eterno), o resto gostei muito e refleti. Na verdade eu penso que quando entrarmos no Reino de Deus teremos boas surpresas (justamente pela forma "ilógica" como Deus age). No geral as pessoas têm o costume de julgar os outros, falar mal da roupa de "fulana", criticar a oratória de "sicrano", torcer o nariz para os "não-crentes" como se fossem insignificantes e não fossem amados por Deus (muitos fazem isso pela religiosidade e hipocrisia). Muitos de nós éramos como àqueles que gostamos de reparar os erros, então devemos parar e pensar: se tivemos a chance de corrigir algum de nossos erros, de crer no Salvador e encontrar Nele o sentido da vida, por quê devemos achar que os outros não podem alcançar a graça e misericórdia de Deus?! Gosto de textos que nos levam à reflexão (deve ter notado que comento muito rsrs). Deus continue abençoando seu ministério de evangelismo.

OLIVEIRA disse...

CARO PROF GILSON,REALMENTE O TEXTO E MUITO BOM,MENOS O PARAGRAFO QUE TRATA DA LEI,E DO MANUAL DA IGREJA,REALMENTE NAO ENTENDI.DEVEMOS FAZER CERTAS COISAS SEM OMITIR OUTRAS,CERTO?ABRACOS,SEU IRMAO EM CRISTO

Gilson Medeiros disse...

Caro Oliveira, uma leitura atenta do texto e de outras postagens aqui do blog demonstrará que não falo mal do Manual, pelo contrário, cito ele em diversos momentos como sendo um guia a orientar a Igreja Adventista de forma precisa e sábia.

Entretanto, como cito no texto, muitos dos Adventistas que já conheci se utilizam do Manual apenas para chicotear e condenar os que cometeram algum erro. Neste ponto não é o Manual quem está errado, mas o fariseu o que o utiliza contra seu irmão de forma errada.

Um abraço
Gilson.

oliveira disse...

prezado prof Gilson Medeiros,realmente participar de comissao de igreja na e facil,ou voce usa o manual como guia e e taxado de fariseu,ou nao usa e passa como bonzinho.Como e muito mais comodo,mais tranquilo ,nao se cria dificuldades,entao se passa a mao na cabeca e vamos em frente,para que ficar se preocupando com o que e certo ou errado se afinal o que Deus quer e o coracao?Vamos icentivar a sua leitura,ja que e o nosso guia como igreja,ao inves de ficar taxando de fariseu quem o coloca em pratica.mesmo que sua intencoe lhe pareca correta, os errantes adoram esse tipo de texto ,o usando a seu favor chamando a comissao de fariseus e hipocritas.Espero ter conseguido me fazer entender,Ate porque quando lhe consultei sobre um assunto dificil que aconteceu em minha igreja,voce foi totalmente denominacional,positivo,agiu como manda o manual,e na epoca fizeram tudo errado ,fui voto vencido mas depois reconheceram o erro,entenda que sou a favor do amor mas que as vezes a justica tem que ser feita mesmo nos taxando de fariseus.fique com Deus.Abracos,seu irmao em Cristo

Cursos Básico, Médio e Avançado

Ebook 101 Razões