quarta-feira, maio 25, 2016

O perigo do Perfeccionismo

Muitos Adventistas ainda mantêm o pensamento de que podemos alcançar uma "perfeição" moral tal que nos torne incapazes de cometer pecado. Frequentemente se levantam pregadores querem trazer esta nova "luz" para a Igreja, disseminando verdadeiras heresias por onde passam.

Uma das passagens mais citadas é:

"Qualquer que permanece nEle não peca; qualquer que peca não O viu nem O conheceu" (1Jo 3:6) - Almeida Revista e Corrigida.
 

Com base nesta declaração, estas pessoas dizem que, se ficarmos realmente ligados a Deus, não praticaremos nenhum pecado.

O que acontece é que este verso não foi traduzido seguindo um "detalhe" da gramática grega. A versão Almeida Revista e Atualizada (ARA) corrigiu esta aparente "falha". Veja:

"Todo aquele que permanece nEle não vive pecando; todo aquele que vive pecando não O viu, nem O conheceu".
 

A expressão "vive pecando" está escrito no tempo verbal grego que dá um sentido de "presente contínuo". Ou seja, a pessoa que permanece em Deus vive CONTINUAMENTE afastando-se do pecado. Não é um ato passado, pontual (que no grego bíblico é chamado de "aoristo"), mas durante toda a vida. Por isso o texto da ARA está mais coerente com o que João escreveu em sua epístola.

Portanto, NÃO é possível viver sem pecar.

Esta teoria equivocada do "PERFECCIONISMO" não é nova entre os Adventistas, e já provocou acalorados debates no passado. Graças a Deus, que o Espírito Santo, a Pessoa da Trindade que nos conduz em direção à Verdade, sempre guiou a Igreja para longe destes fanatismos e interpretações pessoais das Escrituras.

O que disse Ellen White sobre o assunto?

“Cristo é nosso exemplo: o perfeito e santo exemplo que nos tem sido dado para seguir. Nunca podemos nos igualar a Ele, mas podemos imitá-Lo e nos parecermos de acordo com nossas possibilidades.” – Review and Herald, 05/02/1895.

“O ensino dado com relação ao que é denominado ‘carne santa’ é um erro. Todos podem obter agora corações puros, mas não é correto pretender nesta vida possuir carne santa. O apóstolo Paulo declara: ‘Eu sei que em mim, isto é, na minha carne, não habita bem algum.’ Rom. 7:18. Aos que têm procurado tão ativamente obter pela fé a chamada carne santa, quero dizer: Não a podeis obter. Nem uma pessoa dentre vós tem agora carne santa. Ser humano algum na Terra tem carne santa. É uma impossibilidade.” – Mensagens Escolhidas, vol. 2, pág. 32.

“Se aqueles que falam tão francamente de perfeição na carne, pudessem ver as coisas sob seu verdadeiro aspecto, recolher-se-iam com horror de suas ideias presunçosas. Mostrando o engano de suas suposições quanto à carne santa, o Senhor está buscando impedir que homens e mulheres deem às Suas palavras uma interpretação que leve à corrupção do corpo, da alma e do espírito. Seja esse aspecto de doutrina levado um pouco mais longe, e conduzirá à pretensão de que seus defensores não podem pecar; de que uma vez que tenham carne santa, suas ações são todas santas. Que porta de tentação se abriria assim!” – Idem.

“Quando os seres humanos receberem carne santa, não permanecerão na Terra, mas serão levados ao Céu. Se bem que o pecado seja perdoado nesta vida, seus resultados não são agora inteiramente removidos. É por ocasião de Sua vinda que Cristo deve transformar ‘nosso corpo abatido, para ser conforme o Seu corpo glorioso’” – Eventos Finais, pág. 269.

“O fanatismo, uma vez iniciado e deixado às soltas, é tão difícil de extinguir como o incêndio que tomou conta de um prédio. Os que entraram nesse fanatismo [carne santa] e o mantiveram, fariam muitíssimo melhor em estar empenhados em obra secular; pois devido a sua atitude incoerente estão desonrando ao Senhor e pondo em perigo o Seu povo. Muitos movimentos dessa espécie surgirão neste tempo, quando a obra do Senhor deve manter-se elevada, pura, sem superstições e fábulas. Precisamos estar em guarda, manter íntima ligação com Cristo, para não sermos enganados pelos ardis de Satanás.” – Mente, Caráter e Personalidade, vol. 1, pág. 43.


Para um material mais completo, veja: 

Revista Parousia sobre PERFECCIONISMO
 

Os que desejarem conhecer melhor este movimento perfeccionista que se infiltrou no meio Adventista há décadas, poderão estudar um bom livro de História Denominacional. 
Sugiro o excelente material do Dr. Luiz Nunes (publicado pelo UNASP), o qual mostra claramente a relação entre as Crises na Igreja Apostólica e na Igreja Adventistas do 7º Dia.

Veja também: 

EU COSTUMAVA SER PERFEITO, do Dr. Knight (um ex-legalista).

Quero, ainda, aproveitar para alertar os diretores e diretoras de Escola Sabatina sobre a escolha das pessoas que dirigem as Unidades de Ação a cada sábado. Verdadeiras heresias e blasfêmias têm sido disseminadas, exatamente porque pessoas sem nenhuma condição teológico-doutrinária de serem professores estão sendo colocadas em tais funções.

A Igreja de Deus precisa ser protegida contra estas pessoas que se consideram acima dos demais em matéria teológica, e acreditam que são os "donos da Verdade". Se elas mantêm um espírito de orgulho intelectual, críticas, discórdias e dissidências, NÃO PODEM ser colocadas para ensinarem os membros.

"Como o carvão é para a brasa, e a lenha, para o fogo, assim é o homem contencioso para acender rixas" (Prov. 26:21).
 

2 comentários:

Andreas Johannes Müller disse...

Estou estudando acerca desse tema, e digo, ainda não tenho respostas claras.

Ambos mostram textos bíblicos e de Ellen White... Ambos parecem verdadeiros.

Vejo, por um lado, os "pré-lapsarianos", muitas vezes vivendo sem os princípios de reforma, principalmente os de saúde e relativizando a importância de um reavivamento e reforma (fica só na teoria, mas na prática nem mesmos os pastores, que deveriam ser exemplo, praticam).

Por outro os "pós-lapsarianos" buscando a santidade, mas vistos como "hereges".

Não é fácil entender.

Sobre os textos mencionados sobre "carne santa" fui pesquisar um pouco mais sobre o que os pós-lapsarianos pensam e não é isso que acreditam. Nada tem a ver o texto de EGW com o que eles acreditam. Eles não creem na carne santa, não creem que nossa natureza irá mudar. Eles creem é possível MESMO em natureza pecaminosa, ATRAVÉS unicamente de Cristo, vencer o pecado, porque o pecado é uma ESCOLHA. Logo, precisamos BUSCAR não pecar, e o resultado é com CRISTO. Isso é justificação pela fé. Agora, quando olhamos para Ap 14, que a igreja de Cristo, no fim, está "sem mácula" pensamos: "É impossível para mim, não pecar". Justifcação pelas obras. O trabalho não é nosso.
É óbvio que por nós mesmos não é possível, mas duvidar do que DEUS PODE fazer em nós, na minha opinião é heresia. Se estivermos com Deus, o resultado é COM Ele. O meu papel é buscar santidade, buscar sua presença, para vencer o pecado e estar em pé, no tempo de angústia, sem intercessor.

É isso o que dizem...

Alex Santos disse...

Me desculpem está respondendo, mas sou Adventista a mais de 35 anos e nunca ouvi falar que a igreja é pré lapsariana. O tratado de teologia Adventistas diz que a natureza de Cristo é única ele é o unigênito de Deus, não é pré e nem pós. Quando criança aprendi que pecado é mais que apenas uma questão de escolha, envolve pensamentos, sentimentos e uma gama de situações além da compreensão do pecador.
Pecado é transgressão da lei, mas a prática da lei é o amor, Paulo em I Coríntios mostra o verdadeiro amor. O perfeccionismo entende que a transgressão da lei é algo simplesmente de caráter comportamental externo, mas isso é uma interpretação bastante forçada.
A Bíblia exalta o amor como uma disposição mental, espiritual de sentimentos e atitudes, onde não existe impaciência, ciúmes, soberba, vaidade, agressividade física ou moral, ressentimentos, brigas, guerras, alegrias fúteis e uma gama de situações muito além da compreensão do pecador. É BN por isso que na Bíblia diz que aquele que olha para uma mulher com intenção impuras, em seu coração já cometeu pecado, Paulo em Romanos diz: Tudo que não provém da fé é pecado. Não é uma questão simplista do certo e errado, assim pensavam os fariseus, pegavam os princípios de Deus e transformavam em dez regras a serem seguidas. Ellen White diz que a lei de Deus é ampla em suas reinvidicações, se a lei se referice somente a conduta externa, os homens não seriam culpado dos maus pensamentos, desejos e planos.
Review Herawd 1898.
Se você briga com sua mulher, então pecou, se pensa em brigar está pecando, se passou pela praça e viu mendigos e não fé nada, então pecou, poderia inumerar milhares de pecados corriqueiros que praticamos durante o dia. Negar isso ou inventar desculpas seria hipocrisia, pois Jesus não ficava parado, ele alimentava multidões e fazia milagres por onde passava, demonstrando como praticar os mandamentos que nós pecadores não fazemos. Nunca diga que pecado é apenas uma questão de escolha, pois a prática dos mandamentos é o amor.

Cursos Básico, Médio e Avançado

Ebook 101 Razões