quinta-feira, abril 13, 2017

Não há por que ter medo do Pai

Um dia destes, minha filha caçula (Iris) perdeu um celular novinho que eu havia comprado no aniversário dela. Usou por apenas 2 meses. Foi a uma consulta médica, e esqueceu o celular em algum lugar do consultório, e depois não o achou mais.

Eu estava no trabalho e soube do ocorrido através de Gabi (minha filha núm. 1). Segundo ela, a maior preocupação de Iris era o receio de qual seria minha reação: Nas palavra de Gabi, Iris estava "com medo" de mim.

Confesso que fiquei muito chateado pela negligência dela, que aos 12 anos já deveria ter o devido cuidado para evitar coisas desse tipo. Muitas vezes (e este foi um caso), os pais e mães fazem esforços e sacrifícios financeiros para poderem presentear os filhos com aquilo que eles tanto gostariam de ganhar no aniversário. Nem sempre o dinheiro está sobrando, e a gente precisa fazer verdadeiros malabarismos nestas horas... Você que é assalariado(a) e tem filhos sabe do que estou falando. Quantas vezes deixamos de comprar algo para nós mesmos, para podermos priorizar os filhos?!

Mas, a minha reação de bronca pelo ocorrido com o celular não durou muito, pois fiquei pensando que teria sido pior se ela tivesse perdido o aparelho em um assalto, por exemplo.

Os pais são assim: não sabem guardar ira pelo erro dos filhos.

Quando Gabi me falou que a irmã estava "com medo" da minha reação, lembrei de um relato bíblico que me traz muito conforto e segurança sobre a maneira como Deus (nosso Pai) olha para mim... recentemente falei sobre isso aqui, e hoje falarei com outro enfoque.

O abraço do Pai nunca será de ira ou bronca

Jesus exemplificou a maneira paternal com que Deus cuida dos Seus filhos rebeldes através de uma parábola - a do filho pródigo (se ainda não leu, veja em Lucas 15).

Resumidamente, a parábola conta a narrativa de um filho rebelde que pediu sua parte na herança do seu pai, e foi "curtir a vida" com seus amigos e na farra. Depois que o dinheiro acabou (grana fácil sempre acaba rápido), ele se viu sozinho, faminto, maltrapilho, em uma terra estranha... e longe da casa do pai.

Segundo Jesus, o jovem pensou em retornar, mas "com medo" da reação do pai, ele criou um pedido de desculpas amparado no desejo de ser apenas um servo, um empregado, na casa do seu pai... filho, na sua tola cabeça, ele não merecia mais ser.

Diz o relato que quando o jovem retornou pelo caminho em direção à casa onde fora criado, alguém o estava esperando... quem?

"Estando ainda longe, seu pai o viu e, cheio de compaixão, correu para seu filho, e o abraçou e beijou" - Lucas 15:20


Ele mesmo... o pai!


Quando o filho moribundo começa a dizer as palavras humilhantes e constrangidas que vinha ensaiando ao longo do caminho, o pai percebe o sofrimento do filho e o interrompe. 

Na minha versão do texto, o pai diz:

"Deixa de tolice! Você jamais será um servo em minha casa... em nossa casa. Aqui você será SEMPRE tratado como um filho querido. Você é o que tenho de mais importante neste vida, juntamente com seu irmão, e não é porque você cometeu um erro que eu agora vou deixar de te amar e querer você perto de mim... Venha, levante-se! Temos que preparar um festa pelo seu retorno... meu querido filho".

Sabe, nós, pais, temos um profundo sentimento de amor por nossos filhos e filhas. Segundo o texto bíblico, eles são a "herança do Senhor" para nós. Não há como guardar ira, ódio, rancor por um filho, especialmente quando ele é pequeno, frágil, e comete erros sem pensar muito nas consequências.

Sei que existem pais que não são assim... e conheço homens e mulheres que têm uma imagem negativa da figura paterna exatamente porque não tiveram o direito de nascerem de pais que os amavam acima de tudo e de todos.

Talvez por esta razão foi que Jesus quis deixar uma figura tão marcante na parábola do filho pródigo... a figura de um Pai que ama, perdoa e esquece nossos erros... só basta voltarmos para Seus braços.

Você já sentiu a alegria de retornar aos braços do seu Pai?
Sente que errou feio, e tem vergonha de ser tratado novamente como filho ou filha?
Pensa que Deus já nem ouve mais suas orações, tamanho o afastamento que você hoje está dEle?

Aprenda com a parábola do filho pródigo o que eu aprendi, como filho e como pai:

"Deus nunca rejeita um filho querido, que retorna para Ele com o desejo de sentir-se amado e seguro".

Nunca!


5 comentários:

A.K.Renovatto disse...

Excelente texto! O comentário que fez sobre sobre sua filha (que ao perder o celular ficou receosa de sua reação como pai) ilustrou bem o assunto. Por mais que um pai fique chateado com o filho, a bronca dura só um instante e como bem ressaltou, e você mesmo pensou que poderia ter sido pior como sua filha ter perdido o celular num assalto, o que de fato, teria sido muito pior, porque além de perder o celular, a vida de sua filha estaria em risco numa situação dessas! Se nós como seres humanos, imperfeitos tentamos proteger, cuidar e amar os filhos sem medida, imagine Deus que é Perfeito! Muitos erram e ficam com medo de Deus jamais perdoá-los, jamais voltar a ser recebidos pelos braços do Pai, mas Deus é amor, misericórdia e sempre acolhe àqueles que querem voltar a se relacionar com Ele. Deus pode até corrigir a quem ama, quando este erra. Mas sempre está de braços abertos e como bem lembrou: seu abraço não vêm com ira! Gostei muito do texto! Que Deus em sua infinita Graça, continue lhe abençoando!

Gilson Medeiros disse...

Obrigado, meu caro A.K.Renovatto.

Como pais, sabemos muito bem o quanto o Senhor tem misericórdia de nós, Seus filhos rebeldes.

Um abraço
Gilson.

Anônimo disse...

Muito Bom o texto.Isso me lembra quando EGW ouviu um sermão na sua igreja de origem e que o pastor estava dando "chibatadas" e mostrando um Deus severo!
Aquela jovem ficou deveras preocupada e foi quando um pastor a visitou e falou como realmente era Deus,o Amor em excelência.
Pra mim,o Senhor não franze a testa ao nos reprender,não grita ao nos aconselhar,não aponta o dedo ao nos exortar!
E esse era e é o "chefe"que eu sempre quis ter,o "Pai"que eu sempre imaginei,o amigo que eu sempre esperei.
Infelizmente,eu Fernando ,não correspondo a altura desse imenso amor que a todo o instante age por mim.mas uma coisa eu acho espetacular e mexe comigo:
A teimosia desse Senhor em querer me salvar e me levar pra junto dele,SEMPRE!
Parabéns pelo texto!Devemos usar esses textos como sermãos nas nossas igrejas!"O Deus imcomparável e seu amor incomum".
Isaias 43:25 é um tesouro pra mim porque onde eu abundei no pecado...
Deus o abençoe amigo(apesar de não nos conhecermos)Pastor Gilson.

Gilson Medeiros disse...

Obrigado pelo comentário, meu caro Fernando.

Um abraço
Gilson.

Cacau disse...

Resolvi comentar...li essa matéria duas vezes e nas duas vezes foi como resposta às dúvidas interiores que tenho. Têm dias que sentimos como se Deus não fosse receber de braços abertos e perdoar, algo mais ou menos assim...Bom ler e sentir como resposta. Muito boa a matéria. Vou pedir para quem puder orar por Pedro. Fica com Deus.

Cursos Básico, Médio e Avançado

Ebook 101 Razões