sexta-feira, maio 05, 2017

A linda canção de amor de Cantares

Há algum tempo, uma amiga me pediu para colocar alguma postagem sobre o livro de Cantares. E este é mesmo uma livro muito especial, pois trata de uma temática não muito presente no restante da Bíblia: relacionamento íntimo entre um homem e sua esposa.


“Que os seus lábios me cubram de beijos!”

Deve ter sido algum acidente para que um texto tão expressivo sobre um romance com cenas que explicitam amor, sensualidade, crise e companheirismo entre um casal faça parte do livro sagrado, ainda pensam alguns. Mas, isso é para quem não alinha amor conjugal e sexo com a aprovação de Deus. Estes ficam com as bochechas vermelhas ao ler os 8 capítulos da poesia romântica e não conseguem perceber a inspiração.
Mas Cantares de Salomão deveria ser estudado por todos os casais para descobrir a beleza e as alegrias que um relacionamento baseado em verdadeiro amor produz.

O amor conjugal e todas as delicias que esse relacionamento proporciona para a mente e o corpo é um presente de Deus. É uma linda expressão de amor do Criador para os filhos criados, em perfeição, com as próprias mãos, pondo ao dispor, na proporção devida, a felicidade de viverem a plenitude do prazer, da harmonia, da afeição das descobertas e sensações vitais.

Cantares não é um erro; é um acorde que, por mais dissonante que pareça, faz a beleza do amor de Deus ser cantado com tal sonoridade: singular e completa.

Os personagens da poesia inspirada amam e são amados um do outro. Isso só pode ser divino. Há uma cumplicidade e uma admiração que se manifestam, entre o casal, com o poder de ensinar com propriedade o que sustenta uma relação. Neste caso temos um homem amando e que é amado. O amado continuamente dá ênfase ao que a amada tem de melhor. A louva pelos atributos que lhe chamam a atenção:

“você é a mais bela de todas as mulheres”
“O seu rosto é lindo”
“deixe-me ouvir a sua voz; pois a sua voz é suave, e o seu rosto é lindo.
“Como você é bela, minha querida! Como você é linda! Como os seus olhos brilham”
“Como você é perfeita.”
“Com um só olhar, meu amor … você me roubou o coração”

Perceba que esse homem esbanja elogios. Investe em gestos e palavras de carinho. E isso é irresistível. Não há mulher que resista a tanto galanteio, tanta habilidade em dizer-lhe coisas agradáveis. Um homem tem todo o poder de afirmar a autoestima de uma mulher. O que um marido diz repercute nas emoções, na sexualidade, na perspectiva de vida de uma mulher que, em resposta, ama com todas as forças que a condição feminina lhe permite ou se fecha sob o peso do desafeto.

Há relacionamentos secos de carinho. Há homens que pouco valorizam o amor verbalizado, mas é fato que o amor expresso desenvolve-se dia após dia e torna o casamento e a família um lugar de tremendas conquistas.

A mulher de Salomão é bem parecida com as mulheres de todos os tempos: se apaixonam, amam e se entregam.E eis a resposta de uma mulher amada:

“Você é meu e eu sou sua.”

Um marido que sabe expressar afeto, que usa a linguagem da intimidade e do reconhecimento consegue fazer uma mulher feliz e a torna eternamente envolvida.

“Entre dez mil homens, o meu amado é o mais bonito e o mais forte. ..”

“O seu falar é doce e tudo nele me agrada.”

É o que eu disse: A mulher se apaixona e se entrega a um homem que diz palavras agradáveis. Sulamita o descreve como um homem lindo e forte, mas arremata com a afirmação que ele é agradável e diz coisas bonitas ao seus ouvidos.

Com essa plataforma de respeito e admiração, de conquista mútua, o casal tem tempo de estarem juntos e se olharem nos olhos. Eles investem tempo sozinhos. A relva é o leito. A paisagem é o cenário e os dois vivem momentos lindos e ternos. Há toques, caricias, intimidade sexual e declarações de amor que permanecem além do momento. Eles não amam calados. Não sucumbem a crença de que é pressuposto que se amem já que estão casados. Não. O amor que sentem é declarado constantemente. Ela diz:

“O meu amor está falando comigo.” – Esse casal se comunica. Salomão verbaliza o que sente. É lindo e próspero. É descrito numa poesia dos moldes hebraicos e com riqueza de detalhes que torna tão explicito ser “carne da mesma carne e ossos dos ossos de quem se ama” com tamanha ternura.
E que relacionamento não dá certo quanto há diálogo? O silêncio é que é mortal. Impede o crescimento emocional e o perdão. As palavras bem ditas são curativas.

Quantos sonhos seriam sem fim e quantos amores seriam eternos se construíssem um enredo assim: conversando, namorando sempre, olhando nos olhos e dizendo coisas lindas de se ouvir, trocando juras de fidelidade e sendo totalmente desejáveis um para o outro. Esse casal blinda as entradas do adultério, das frustrações e das separações.

Isso não significa que sempre será tempo bom e não há crise alguma. Não. Os conflitos existem, mas são resolvidos e deixados no passado.Permanece apenas o aprendizado.

“O inverno já foi, a chuva passou.” – A vida não é o tempo todo poesia e céu azul. Mas o tempo sombrio, o casal não estabelece o fim. Talvez, um tempo mais recluso, mais introspecto, mas não menos amoroso. A expectativa é que logo irá nascer o sol da nova estação. Haverá flor no campo, relva verde, pássaros cantando e muito amor em todo o tempo até que o tempo cinza vai passando e as nuvens carregadas dão lugar ao céu azul de verão. Por algum motivo, em uma das bodas, um procura o outro e não encontra. Sai a procura até encontrar. Quando encontra abraça e beija. É isso. Alguém precisa ceder, ir ao encontro, abraçar e beijar. Um ajuda o outro a recomeçar sem que nada ou ninguém interfira. A princesa de Salomão pede ás mulheres de Jerusalém, que prometam não perturbarem os momentos de amor dos dois. Que ninguém perturbe os nossos.

“Sessenta soldados, os melhores de Israel, faziam a guarda pessoal do Rei.”
“Cada um armado com uma espada, por causa dos perigos da noite.”

Marido e mulher precisam estar protegidos dos perigos que cercam um relacionamento. Há limites que são guardados, há segredos que não devem ultrapassar a porta do quarto. As janelas da intimidade com outros precisam ser fechadas e para isso usa-se a espada da fidelidade em pensamento, palavras e gestos. Os principais guardas de um casamento são o respeito, o compromisso, a fidelidade, o perdão e os gestos de amor.

- O respeito protege o valor que o outro possui.
- O compromisso é a confirmação dos votos feitos no altar, com testemunhas e na presença de Deus.
- Perdão é para todo dia ser liberado e esse por si só já é uma expressão divina de amor. Mas ainda se desdobra em reconhecimento e dedicação ao outro. Olhando nos olhos do outro celebrando a união.
- A fidelidade é o laço que une o humano ao divino.
Vejam ainda algumas expressões do amado para a amada .
“Pode haver sessenta rainhas, oitenta concubinas e muitas moças”
“mas eu amo somente uma …
Todas as mulheres olham para a minha amada e dizem que ela é feliz …”

Estas são revelações que definem a maior prova de amor e que resulta em felicidade; deste os tempos que Deus criou uma mulher para um homem e celebrou o que considerou ser muito bom, pessoalmente. De lá até aqui nada mudou. Amar é ter compromisso com a felicidade do outro, até por que, esse outro é pedaço da alma. O nome de um está gravado no coração do outro e esse tipo de amor é forte e nem as águas apagam, jamais. Esse é o amor que não se compra e nem se vende: é amor pra toda a vida. É reflexo de Deus em nosso olhar.

Amor é pra ser perfeito e pra ser eterno até que dure a infinita misericórdia de Deus sobre todos nós. É o som do coração de Deus – o Cântico dos Cânticos.


Autora: Darleide Alves


veja também:
- perguntas e respostas sobre o livro de Cantares


2 comentários:

Cacau disse...

Matéria simplesmente linda e incrível!!! Amei a forma como o assunto foi abordado. Gosto de Cantares e foi uma surpresa ver essa matéria. Muito bom mesmo! Fica com Deus!

A.K.Renovatto disse...

Cantares de Salomão descreve o amor de maneira sensual entre um homem e sua mulher, em uma linguagem poética. Sem dúvidas um livro que todo casal cristão deveria ter em consideração e inspiração, principalmente nos dias de hoje, onde o amor e sexo é banalizado de maneira geral. Pena que vejo poucas pessoas pregando sobre esse tema. Pregadores se preocupam com vários temas e acabam deixando este tema de lado. Outras vezes, quando algum pregador quer pregar sobre Cantares de Salomão, fala como simbolismo do amor de Cristo por sua Amada Igreja. Sei que o livro é tão abrangente que está certo também essa interpretação. Mas raramente um pregador se atreve a pregar esse livro, falando abertamente do que o livro fala claramente: amor e sexo. Apreciei bastante o artigo! Parabéns pelo tema abordado! Que Deus o abençoe!

Cursos Básico, Médio e Avançado

Ebook 101 Razões