terça-feira, dezembro 25, 2012

Como incrementar os cultos de Domingo?

Há alguns meses eu escrevi algo sobre os cultos de quarta-feira, e muitas pessoas escreveram para dizer que as dicas deixaram estes cultos mais atrativos em suas igrejas.

Quero agora relembrar alguns pontos sobre os de domingo.

Eu espero que a realidade em sua igreja seja diferente, mas o que tem se tornado uma rotina na Igreja Adventista é que o único culto no qual o templo fica cheio é o do sábado de manhã. Nos outros dias (em especial, na quarta e no domingo) a freqüência é muito menor do que a do sábado.

Por que isso acontece?

O que podemos fazer para que todos os cultos fiquem cheios de adoradores felizes e comprometidos com o Evangelho? Será que estamos falhando em algum ponto, o qual poderíamos melhorar?

Eu quero hoje abordar em especial o culto de domingo, por ser considerado na IASD como um culto "evangelístico", ou seja, voltado à pregação para não-crentes.

Normalmente, a "liturgia" que observo na maioria das nossas igrejas aos domingos é a seguinte:
1. Serviço de cânticos monótono e feito só para "cumprir tabela" (uns 10 minutos)
2. O culto inicia com a entrada do pregador e o anúncio do primeiro hino (uns 5 minutos)
3. É feita uma oração inicial (uns 2 minutos)
4. Se houver alguém para cantar, então há uma música especial (uns 3 minutos)

Veja que já se foram uns 20 minutos (no máximo!)... e ainda restam mais de 40 minutos para completar o tempo normal do culto.

Esse é um tempo muito longo para um sermão evangelístico, se a pessoa não tiver domínio da arte da pregação ou não estiver preparada para apresentar o sermão (alguns, visivelmente, não se prepararam... e outros ainda dizem isso no púlpito...rsrs).

Resultado: os irmãos vão perdendo o interesse em vir ao culto de domingo (e quando vêm, raramente trazem visitantes) porque o culto não lhes preenche as necessidades. Motivos:
- Músicas sem alegria
- Sermão enfadonho e mal elaborado, que não atende às necessidades das pessoas
- Quase nenhuma participação dos adoradores durante o culto

Isso é uma grande pena, porque eu creio que a Igreja Adventista do 7º Dia é uma das melhores em qualidade musical, tem um acervo de conhecimento bíblico inigualável por qualquer outra denominação, apresenta uma mensagem evangélica sem gritarias ou apelos dramáticos e insistentes (como os verificados em outros lugares)... etc.

Então, o problema está exatamente em que não estamos usando este maravilhoso arsenal "litúrgico" em nossos cultos. Eu gostaria de apresentar algumas sugestões para que o culto em sua Igreja se torne uma bênção para os que comparecerem.

Recepção
- Todo mundo gosta de ser bem recebido, e o mesmo vale para a igreja.
- À porta, deve estar um grupo de 3 ou 4 recepcionistas que abracem esta tarefa como um ministério.
- Pessoas sorridentes, amáveis e simpáticas, e que transmitam um sentimento de que o adorador está chegando a um lugar onde ele será sempre bem tratado e valorizado.
- Os bebedouros e banheiros devem estar visíveis e limpos, para que as pessoas vejam o quanto temos respeito pela Casa de nosso Deus.
- Bíblias, coletâneas ou hinários devem estar disponíveis para os visitantes poderem participar ativamente dos momentos do culto.

Música
- Uns 30 minutos antes do culto começar, o grupo do louvor (algumas igrejas chama de "ministério de louvor/adoração") deve iniciar com cânticos e hinos que criem a atmosfera ideal para o ínício da programação.
- A sugestão é que as músicas escolhidas para este momento sigam uma espécie de "gráfico":
a. Músicas solenes e calmas (ponto baixo do gráfico)
b. Músicas alegres e vibrantes (ponto alto do gráfico)
c. Músicas que mantenham o espírito de alegria e animação (o gráfico permanece no alto)
d. Músicas que criem uma atmosfera de entrega e devoção solene (o gráfico desce)
e. Uma música que prepare o espírito para a recepção da mensagem daquela noite
- Se na sua igreja existem instrumentistas, faça uso deles, pois o Play-back é interessante, mas a música acompanhada de instrumentos ao vivo ganha um brilho sem igual.
- Lembre que existem visitas na Igreja, por isso não se deve pensar que todos já conhecem a letra das músicas. Prepare coletâneas ou transparências para que ninguém fique sem participar por não conhecer o que está sendo cantado.
- A música que produz efeito duradouro no adorador é a congregacional, ou seja, os louvores apresentados por solistas ou grupos não devem tomar mais do que uma pequena parte do momento do louvor. Os adoradores precisam cantar, sentir a música, e participarem ativamente da adoração... não apenas como "ouvintes", mas como "cantores" também.
- As pessoas que estiverem dirigindo os louvores devem ser entusiasmados e motivarem a congregação a cantar com o coração e com o entendimento.

"A música é um dos meios mais eficazes para impressionar o coração com as verdades espirituais. [Através dela] as tentações perdem o seu poder, a vida assume novo sentido e propósito, e o ânimo e a alegria se comunicam a outras pessoas" - Ellen White, Educação, pág. 167.

Pregação
- A pregação que produz efeito é aquela que o Espírito de Deus inspirou o pregador a trazer.
- Por isso, temas "sociológicos", "psicológicos" ou "filosóficos" não devem ocupar o lugar da pregação poderosa da Palavra de Deus.
- Muitos pregadores são "eloquentes", ou seja, "pregam bem", mas sua pregação não tem conteúdo fundado nas Escrituras. São teologicamente vazios! Alguns se limitam a "pescar" textos bíblicos isolados, e fazem uma verdadeira "colcha de retalhos" unicamente para dar "apoio" ao tema que está sendo pregado. Já vi pregadores usarem textos bíblicos que não tinham nada a ver com o que estava sendo pregado. Isto é uma tremenda falta de respeito para com o Espírito de Deus!
- Os sermões devem atingir a necessidade da alma, o desejo anelante de cada adorador ali presente. Pregar sobre os 7 (ou 8) reis de Apocalipse 17 pode ser interessante, mas será que vai preencher o vazio de alma que todos nós temos? Tentar descobrir quem são os 144.000 pode trazer a admiração de alguns para com o pregador, mas estará este tema cumprindo o papel de salvar almas do pecado?
- Você que é pregador deve lembrar que o sermão de domingo deve ser feito especialmente para atingir os não-crentes, ou seja, a temática deve ser puramente evangelística: salvação, perdão, justificação, volta de Jesus, milagres de Cristo, etc.
- Pregue de forma simples, sem palavras "decoradas do dicionário". Apresente o sermão de tal forma que tanto o Doutor quanto aquele irmão semi-analfabeto entendam e aproveitem o seu sermão.
- Não é hora de criticar a roupa das irmãs, ou a irreverência das crianças, ou a falta de espírito missionário dos jovens, etc. Pregue sobre Jesus e Seu amor... e vidas serão transformadas!
- Todo sermão deve encerrar com um APELO concreto. Um pregador que encerra seu sermão com chavões ("que o Senhor abençoe você... amém!") e não dá oportunidade para que as pessoas expressem sua entrega a Cristo (levantar de mãos, ficar em pé, ajoelhar para orar, ir à frente, etc.) perdeu grande oportunidade de impressionar os corações com o Espírito Santo de Deus. Um sermão assim não merece mais do que uma nota 3 ou 4 (numa escala de 0 a 10).

"Porque decidi nada saber entre vós, senão a Jesus Cristo e este crucificado... A minha palavra e a minha pregação não consistiram em linguagem persuasiva de sabedoria, mas em demonstração do Espírito e de poder, para que a vossa fé não se apoiasse em sabedoria humana, e sim no poder de Deus" (1Cor. 2:2-5).

"Há muitos no mundo e na Igreja que inconscientemente anseiam pela mensagem: ‘Os teus pecados estão perdoados’. Portanto, em cada sermão, o pregador precisa proclamar a justificação" - LaRondelle, O que é salvação?, p. 78.

Depois do culto
- Dizem os estudiosos que se todos vão embora nos 10 primeiros minutos após o culto, é porque a igreja está carente de relacionamentos sociais entre seus membros.
- Na saída é o momento de fazer amizade com os visitantes; convidá-los para a reunião do Pequeno Grupo; para retornarem no próximo sábado; para iniciarem uma série de estudos bíblicos; etc.
- Será interessante ter um pequeno lanche (chás, sucos, biscoitos, bolo, etc.) ao final de algum domingo especial (o primeiro ou último do mês, por exemplo), pois estas ocasiões criam uma atmosfera propícia para estreitar os relacionamentos entre os membros da igreja, e faz com que todos se sintam parte de uma grande família.

:::::::::::::::::::::::::::

Nossos cultos de domingo têm tudo para serem os mais frequentados da semana (especialmente por visitantes), pois poucos estarão trabalhando ou estudando no domingo à noite.

Se isto não está ocorrendo, é porque não estão sendo oferecidas condições para que os adoradores sintam-se motivados a irem à igreja.

Aquela história de que "quem não vai é porque não quer ir, ou não está convertido ainda" é uma desculpa típica de pessoas de espírito pobre, que não querem admitir que não estão fazendo o melhor para Deus e para Sua Obra de salvação.

"Deus move uma montanha, quando o homem não tem forças para fazê-lo;
Mas não move uma palha, quando o homem tem forças para fazê-lo".

Pense nisso!

13 comentários:

Anônimo disse...

Parabens, percebemos o quanto o Espirito de Deus usou voce ao nos alertar para problemas que muitas vezes jogavamos aos faltantes dos cultos. Que Deus continue Te abençoando e que tal comentar sobre os cultos de quarta-feira. Um grande abraço.

Jaime Junior
Sertaneja PR

Anônimo disse...

O artigo foi muito propício para o momento!

Gilson! gostaria de saber se por acaso vc tem ou sabe onde encontra a versão digital do livro/tese do Dr. Samuele Bacchiocchi "From Sabath to Sunday" em Português ou mesmo outro idioma!

Se não, sabe me dizer se já existe tradução desse livro para português ou pelo menos em espanhol? Conheci o "Do Sábado para o Domingo", da CASA, mas é de Calyle B. Hynes.

Já perguntei para alguns colegas e ex-professores e ainda não sei! Se puder me ajudar eu agradeço

Um abraço pra toda família

pastorronilson@yahoo.com.br

Anônimo disse...

irmão Gilson, lí sua matéria sobre o culto do domingo, é incrível mas não só nos domingos mas, também nas quartas feiras. as ígrejas ficam vazias, já ví dias em que tinham apenas 08 pessoas no culto da quarta, já nas igrejas de outras denominações, são cheias em todos os cultos. será que realmente somos adoradores. ou apenas estamos cumprindo um ritual para não cairmos de vez nas coisas mundanas.

Anônimo disse...

OS NOSSOS CULTOS SÓ IRÃO MELHORAR QUANDO OCORRER A PROFECIA DE JOEL 2:28... PRECISAMOS DO ESPIRITO SANTO EM NOSSO MEIO...
MAS ANTES DE OCORRER O VERSO 28.. TERÁ DE OCORRER E IRÁ ACONTECER O QUE ESTÁ ESCRITO NO VERSO 27.

PRIMEIRO O VERSO 27... DEPOIS O VERSO 28...

lili disse...

ola boa noite!nao sou batizada mais minha e minhas irmas sao,mais fico triste porque e exatamente como voce escreveu os cultos as pessoas nao vao pq nao tem um bom sermao,que possa sentir a presença do espirito santo,as pessoas so falam de ter ou nao ter o que conseguiu eo que nao conseguiu,gostaria de saber o que posso fazer para alertar as pessoas daqui pois fico triste demais....um anbraço
o meu email:
alicemenezes33@yahoo.com.br
sou de macaé:rj

luiz claudio disse...

Concordo com o artigo embora pense que assim como é fácil dizer que as pessoas não freqüentam por que não querem, também é fácil para elas dizerem que não vão por que o culto não é agradável.E o que elas fazem para mudar o quadro? Simplesmente não comparecer é procurar o caminho mas fácil.

Anônimo disse...

Não é de hoje que se fala sobre a falta de "adoradores" nos cultos de quarta-feira e de domingo.
Já me perguntei: Por que????
E ainda não sei como responder.
Não precisamos fazer comparações, mas é oportuno dizer que nas outras "igrejas" a frequência dos adoradores é infinitamente maior que nas "nossas" igrejas. O que as outras igrejas tem, que não temos nas nossas?
O pastor fez várias sugestões.
Concordo com as mesmas, porém chego à conclusão, que por um determinado tempo até funcione, mas depois tudo volta ao "normal", ou seja, a frequência diminui.
Isto me intriga. Eu mesmo já deixei de ir aos cultos, sem um motivo especial que justificasse minha ausência. Gilson você tocou num assunto que é um grande problema que a Igreja Adventista precisa resolver. Como? não sei.
Temos tudo de melhor: Cânticos maravilhosos, bons pregadores, mensagens poderosas. E mesmo assim, pouco valor se dá aos cultos de quarta-feira e de domingo.
Realmente dá pra concluir que somos Sabatistas, gostamos de ir à igreja somente aos sábados, e de manhã, porque à tarde no culto dos jovens a frequência também é mínima.
Gostaria que tudo isto mudasse. Que os adoradores adventistas fossem de fato a "cabeça" e não a calda.
Com sua licença lanço aqui um desafio: VAMOS VIRAR "ESSE JOGO" vamos sair do "zero" a "zero", vamos alcançar uma vitória de goleada. Que DEUS nos ajude.

Marcos

Maria Gonçalves disse...

Excesso de cultos, de sermões, de obrigações...O povo sentado a ouvir, cansado do dia, da manhã, da noite. Adorar na ação: levar a paz e o amor de Cristo à comunidade perto da igreja local. Como? Investigar quem precisa de ajuda, casos de solidão de idosos, por exemplo.Organizar grupos de crentes que prestem apoio a essas pessoas nas quartas-feiras à noite, domingos à tarde e à noite, sábados à tarde, feriados.Conversar com eles, prestar-lhes cuidados de higiene, tratar da sua alimentação, serem nesses dias irmãos amorosos. No entanto, é necessário expor o assunto nas manhãs de sábado para aprovação e efetuar reuniões aos sábados á tarde para delinear os planos. Se o grupo for de cristãos a ideia é posta em prática, se não, a adoração é fictícia. Não basta falar de amor ou escrever sobre ele,sendo igreja há a força do grupo que pode derrubar preconceitos e fazer um serviço social de elevada qualidade.

Gilson Medeiros disse...

Cara Maria Gonçalves, como eu já disse em outra ocasião, duvido muito que você seja tão "leiga" quanto se apresenta...rsrsrs

Os Adventistas não se contentam apenas em ouvir sermões ou fazer "reuniões sabáticas". Graças ao bom Deus, temos um reconhecido e mundial programa de missões e assistência social.

Mas nada é tão perfeito que não possa ser melhorado, não é mesmo?!

Um abraço.
Gilson.

Clube de Jovens Antares disse...

Pastor, já li suas postagens sobre dois dias de culto oficiais em nossa igreja, mas quero compartilhar uma dificuldade do nosso culto sabático! Me chamo Fábio, sou ancião na IASD Monte Cristo, na cidade de Itabuna-Ba, que pertence à União Nordeste (que se divide esse ano, e então faremos parte da União Leste). Aqui em nossa Associção, o primeiro sábado é dedicado à obra missionária, e por isso é chamado de sábado missionário. Toda liturgia na manhã deveria ser voltada para animar o espírito missionário da igreja, desde a Escola Sabatina. Inclusive, o sermão do Culto Divino é de "responsabilidade" do Ministério Pessoal local, ou seja, a direção do departamento é quem dirige o Culto Divino, sempre aos primeiros sábados. Eis aqui o ponto crítico. Há alguns dias sugeri ao irmão e primeiro-ancião que no primeiro sábado de outubro fizéssemos diferente com a igreja: que tivéssemos um sermão mais curto (coisa de 10 min. Um sermonete mesmo) e que levássemos a igreja para sair de porta em porta, visitando os vizinhos, amigos. Ele discordou e disse que não se pode fazer isso, só se pode quando anteceder uma semana de oração ou Evangelismo. Eu até tentei contestar, e mencionei Ellen White (Evangelismo, pág. 181, 338 e 442), mas não teve jeito. E disse que deveríamos ensinar à igreja, mas ele argumentou que esse é o dia de "alimentação" espiritual da igreja, que não se pode tirar o sermão do sábado, pois estaríamos deixando de alimentar a igreja com um sermão poderoso - palavras dele. E olha que quando chamamos a igreja para sair às ruas, Às vésperas de Evangelismo, não corresponde. Pastor, são 52 sábados no ano para "alimentar" a igreja, 12 deles exclusivamente missionários. Acho que um sábado não faria esse "estrago" na dieta dos irmãos. O que o senhor acha?

Gilson Medeiros disse...

Caro Fábio, obrigado pelo comentário.

Penso que tanto você quanto o ancião de sua igreja estão corretos. Vou explicar...

O sermão é importante para "motivar" e "inspirar". Não creio que um sermão "poderoso" converta ninguém. O máximo que se consegue é despertar um instante de reflexão. Se sermão desse jeito, nós já estaríamos no Céu, pois "papamos" cerca de 200 por ano!!!!

Entretanto, eles são importantes na "dieta" da Igreja. Como você bem sabe, 80% dos membros só assistem ao culto do sábado, e é o "único" momento na semana onde muitos deles abrem a Palavra de Deus... infelizmente!!! Por isso é tão importante que a nutrição desse dia seja adequada.

Por outro lado, concordo quando você tenta estimular a igreja ao trabalho em ação, pois não há outra forma de se fazer evangelização com a igreja! Mas sabe porque não gosto muito desse método de reduzir o culto de sábado para coloca a igreja nas ruas? Porque nem todos têm dom para isso. Na prática, apenas os missionários é que irão às casas para visitar ou distribuir literatura. A grande maioria, que não tem (nem procura ter) dom missionário ficará apenas "se escorando" em alguém... isso quando não ficará constrangido, envergonhado (?!) e sairá de fininho para casa... sabemos que é isto que, de fato, acontece.

Portanto, caro Fábio, parabéns pela iniciativa, e espero que você nunca perca esta chama missionário que Deus colocou em seu coração. Mas conte também com a sabedoria que Ele vai te dar para você mobilizar a igreja de forma equilibrada, produtiva e eficiente. Este é o papel da igreja nestes últimos dias: ser uma "escola" de formação de pregadores para cumprirem a missão.

Um abraço.
Gilson.

Chacon disse...

Oi Gilson, eu de novo dando pitaco, mas acrdito que uma estratégia boa, ou esquema, seria o que o Pastor Fernando Iglesias tem feito na central de Curitiba: ele esteve predicando a série O Clamor da Meia Noite I e II durante as noites de domingo, parece que há alguns grupos que cantam, ele mesmo canta, o tema é maravilhoso, e ele distribui os DVD's da série para quem assiste até 9 noites (estratégia de marketing). Pelo que tenho visto no youtube (ai tem a série toda) há muitas visitas o que é muito importante. Veja, entendo que o primeiro que deve aparecer na Igreja aos domingos à noite é o pastor da Igreja, e pelo que me lembro, espero não estar cometendo uma injustiça, nem sempre é ele quem da o sermão de domingo. Abraço

Alessandro iasd marcos freire disse...

obg vou tentar dinamizar a minha igreja tambem que Deus te abençoe irmã0

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...