segunda-feira, abril 27, 2015

Como a ovelha vê o pastor?

Frequentemente alguns me escrevem criticando os pastores e as lideranças religiosas (inclusive da Igreja Adventista). Devido à minha postura "denominacional", pensam que eu uso o blog para defender os pastores e demais líderes, e me acusam de ser "alienado"...rsrsrs.

Como eu já disse outras vezes, eu não estou defendendo ninguém, apenas não acho certo alguém subir no púlpito e utilizar-se da confiança que os membros têm nos escritos de Ellen White, por exemplo, para criticarem a liderança da Igreja com citações apócrifas.

Mas, refletindo sobre alguns e-mails e comentários que recebo, e no exemplo de alguns líderes que já conheci, fiquei pensando no motivo pelo qual a figura do pastor está tão desgastada entre os Adventistas. Tenho certeza que alguns sites de dissidentes contribuem muito para isso, pois eles distorcem fatos e apresentam uma imagem equivocada do ministério pastoral, que não reflete a realidade da IASD.

Por isso, resolvi, como ovelha que sou, escrever algo para os PASTORES, para que eles possam entender onde estão falhando em sua relação com os membros, e assim terem uma Igreja mais edificada e unida.

O Pastor na Bíblia

A primeira referência bíblica que encontramos aos pastoreio é logo nos primeiros capítulos de Gênesis, com relação à profissão de Abel (4:2). Também é em Genesis que surge à primeira menção a Deus como sendo o Pastor do Seu povo (49:24).

O Salmo 23 é mundialmente conhecido como o Salmo do Pastor, pois expressa de forma poética a maneira como o Senhor ampara Seus filhos, em semelhança à figura do pastor que cuida do rebanho de ovelhas, oferecendo-lhes amparo, abrigo, proteção, cuidado... e amor.

No Novo Testamento, os Evangelhos também confirmam esta "imagem" na qual as pessoas que não têm um líder que as oriente e proteja são comparadas a ovelhas sem pastor (cf. Mat. 9:36).

Mas é em João 10 que Jesus apresenta a imagem do trabalho pastoral como essencial ao cuidado do rebanho, colocando-Se Ele próprio como o supremo Modelo a ser seguido pelos líderes cristãos.

"Eu sou o bom pastor. O bom pastor dá a vida pelas ovelhas... Eu sou o bom pastor; conheço as minhas ovelhas, e elas me conhecem a mim, assim como o Pai me conhece a mim, e eu conheço o Pai; e dou a minha vida pelas ovelhas" - João 10:11, 14-15.

Dessa forma, seguindo o exemplo de Jesus, os pastores do rebanho de Deus (a Igreja) devem ser homens que amem as ovelhas, não se incomodem com seu "cheiro", as protejam dos perigos que rondam constantemente o rebanho (os "lobos" devoradores), saibam usar o "bordão" e o "cajado" com sabedoria, e estejam dispostos a darem sua própria vida pela salvação destas ovelhas.

"Pastoreai o rebanho de Deus que há entre vós, não por constrangimento, mas espontaneamente, como Deus quer; nem por sórdida ganância, mas de boa vontade" - 1Ped. 5:2.

"
Atendei por vós e por todo o rebanho sobre o qual o Espírito Santo vos constituiu bispos, para pastoreardes a igreja de Deus, a qual ele comprou com o seu próprio sangue" - Atos 20:28.


Vemos, então, que a Bíblia utiliza a figura do "pastor" de uma maneira muito sublime e privilegiada, bem como de grande responsabilidade, por ser o instrumento humano para conduzir o rebanho que o Senhor comprou com um preço tão grandioso - Seu sangue.

O Pastor na IASD

Eu já escrevi anteriormente que o pastor Adventista assume uma "função" mais parecida com a do apóstolo no NT, enquanto que o Ancião é quem assume a "função" de pastor na igreja local, pois este é o modelo deixado pelos apóstolos para que a Igreja de Cristo prosperasse... o que aconteceu!

Porém, devido à cultura na qual estamos inseridos (muito influenciada pelos modelos paroquial católico e congregacionalista protestante ), o pastor é visto pela membresia como aquele responsável pelo cuidado primeiro do "seu" rebanho, e quando ele falha neste cuidado os resultados são os que temos visto por ai: críticas, dissidências, ex-membros magoados, processos judiciais, desavenças, etc.

Vejamos algumas citações de Ellen White sobre o trabalho pastoral:

"O ministro de Cristo é como os outros homens. Certo, ele arca sob responsabilidades mais sagradas do que um comerciante comum, mas nem por isso é infalível. Ele é rodeado de fraquezas, e precisa de graça e iluminação divina. Precisa da unção celestial a fim de fazer seu trabalho com exatidão e êxito, dando plena prova de seu ministério. Há os que ignoram o caminho da vida e salvação, e esses encontrarão no pastor piedoso alguém que lhes ensinará o que fazer para ser salvos" - Mente, Caráter e Personalidade, vol. 1, pág. 262.

"Os que saem como pastores, têm uma solene responsabilidade pesando sobre eles, a qual é estranhamente negligenciada. Alguns gostam de pregar, mas não dedicam trabalho pessoal às igrejas" - Cons. sobre Mordomia, pág. 104.

"Os que ocupam a posição de subpastores devem exercer atento cuidado sobre o rebanho do Senhor. Isto não quer dizer vigilância ditatorial, mas que propenda a encorajar, fortalecer e a levantar. Ministrar significa mais que pregar sermões; significa trabalho zeloso e pessoal. A igreja na Terra é composta de homens e mulheres falíveis, que necessitam de esforços laboriosos e pacientes para que sejam disciplinados e educados para trabalhar de forma aceitável nesta vida, e serem na futura coroados de glória e imortalidade. Necessita-se de pastores - pastores fiéis - que não lisonjeiem o povo de Deus, nem o tratem com dureza, mas alimentem-no com o pão da vida - homens que sintam diariamente na vida o poder convertedor do Espírito Santo, e que cultivem amor forte e altruísta por aqueles por quem trabalham" - Atos dos Apóstolos, pág. 526.

"Nossos pastores que têm ido para lugares importantes para realizar reuniões em tendas, têm cometido muitas vezes erro sério ao dedicar todo o tempo para pregar. Deveria haver menos sermões, e mais ensino - ensinar o povo e os jovens a trabalhar com êxito. Os pastores devem tornar-se eficientes em ensinar outros a como estudar a Bíblia, e em exercitar a mente e as maneiras dos que se desejam tornar obreiros na causa de Deus. E devem estar prontos a aconselhar e instruir os novos na fé, que aparentemente possuam capacidade para o trabalho do Mestre" - Obreiros Evangélicos, pág. 76.

Vê-se claramente que há uma relação entre avançar em busca de novas ovelhas, e cuidar das que já estão no rebanho. O equilíbrio entre estes 2 focos de ação é o desafio para o trabalho de todo pastor que deseje mesmo ser uma bênção para o rebanho.



De nada adiantará se ele for campeão de batismos (mero multiplicador de fichas), se virar as costas para suas ovelhas mais "idosas" quando elas necessitarem de seu auxílio. Trazer novas ovelhas ao rebanho é sempre bom, pois o renova, mas isso não pode ser o mais importante, sob pena de o pastor ser tentado pelo pecado da exaltação pessoal ("sou o que mais leva fichas para o concílio"), arrogância (achar que ele é quem produz batismos, esquecendo que apenas "ovelhas geram ovelhas") ou desânimo (pensar que seu ministério é "fraco" unicamente porque não consegue batizar tanto quanto o colega do distrito ao lado).



O Pastor que eu Quero Ter

Encontrei um belo poema sobre o trabalho do pastor, que serve para nos mostar como a ovelha "enxerga" seu pastor. Assim, ele pode ver como desempenhar melhor seu trabalho...
A você querida igreja
queremos hoje saudar
e ao pastor, com certeza,
aqui homenagear

Este é o nosso pastor
que nos guia pelo caminho
que nos leva ao Senhor
mesmo entre a flôr e o espinho

Não há quem o possa comparar
a qualquer homem comum
pois Deus não iria separar
para sua obra qualquer um

Este é um homem de Deus
que deseja os céus alcançar
às vezes distante dos queridos seus
para muitas almas ganhar

Trate bem o seu pastor
e queira sempre ajudar
com muito zêlo e amor
para a obra de Deus avançar

Não se turbe o coração
conte sempre com o pastor
pois com fé e oração
ele alivia sua dor.

Ao nosso pastor amigo
queremos hoje dizer
pode contar comigo
em tudo o que for fazer

Não se preocupe em pedir
temos mãos para o labor
nosso lema é sempre ir
ao trabalho do Senhor

Obrigado meu pastor
por sempre conosco estar
louvando ao Nosso Senhor
na alegria ou no pesar

Seja do jeito que for
queremos contigo ficar
pois o trabalho do Senhor
jamais poderá parar

Deus abençoe o Pastor!

Fonte: Site do Jovem Adventista

:::::::

Caros pastores, nós, suas "ovelhas", somos pessoas de carne e osso, com sentimentos, sonhos, anseios, frustrações e angústias das mais variadas. Não deixem que as dificuldades do dia-a-dia, a pressão administrativa por resultados (fichas, alvos, cifrões, etc.) ofusquem de sua mente o principal objetivo do seu ministério, aquele pelo qual vocês juraram dedicarem a vida quando estavam saindo do Seminário: cuidar do rebanho de Deus nesta Terra.

Em seus sermões, lembrem que nós temos necessidades a serem supridas, esperanças a serem reavivadas, e lutas a serem enfrentadas. Não deixem de abrir a Palavra de Deus para nos confortar, em lugar de apenas promoverem departamentos, campanhas, projetos, etc.

Nossos lares estarão sempre abertos às suas visitas de ânimo e conforto, especialmente naqueles momentos em que estivermos mais frágeis pelos tropeços da vida. Fazer reuniões e mais reuniões tem alguma importância... mas lembrem que será na casa do povo que os maiores resultados e as vitórias mais expressivas serão alcançadas. É no olho-a-olho, no ombro-a-ombro que vocês, caros pastores, conseguirão o respeito e o carinho de suas ovelhas.

Em sua extensa agenda de compromissos, encontrem sempre algum momento para estarem com suas ovelhas. Por alguns instantes, esqueçam os alvos numéricos, as promoções de cargos, os auxílios financeiros, e dediquem-se a cuidarem das ovelhas mais frágeis e mais carentes, em primeiro lugar, assim como de todas as demais.

Queremos sentir a alegria de podermos dizer: "aquele é o MEU pastor".

Queridos pastores, estaremos orando para que o nosso Bom Pastor, o Excelso Ministerial de todos nós, vele por vocês e suas valorosas famílias.


8 comentários:

Anônimo disse...

Acredito, que Deus tem proporcionado ao professor Gilson, um significado mais aprimorado a palavra pastor. Sem dúvida, como ovelhas queremos pastores que zelem pelo rebanho. Parabéns! Pela postagem.

Elvis disse...

Caro Pastor Gilson. Em meu último comentário fiz uma crítica dura ao seu comentário sobre "O que E.White não disse" em referencia a sua possível defesa à classe dos pastores.
Agora queria parabenizá-lo. "O Pastor que eu quero ter" foi algo realmente inspirador. Fantástico!
Que Deus continue o iluminando em seu trabalho.

Anônimo disse...

Parabéns, pela artigo.
O Pr. que eu quero ter... Esse Pastor, está aqui em nosso meio através de Seu Espírito. "onde tiver dois ou três reunidos em meu nome... ai estou" "Eis que estou convosco todos os dias..."
Mas um dia Ele irá voltar fisicamente e visivelmente. Volta logo Pastor.

Anônimo disse...

Compartilho com a opinião do "Anônimo" que disse:"...onde estiverem reunidos dois ou tres em meu nome,aí estou..."
Não há a menor dúvida que Esse é o verdadeiro Pastor (JESUS).
Quanto aos "pobres" pastores da IASD, deixam muito a desejar.
Se julgam superiores, melhores preparados, e não se dão conta que são: "miseráveis, pobres, cegos e nus".
Jesus durante seu curto Ministério terreno, deu provas do que é ser pastor de verdade.
É obvio que não dá pra comparar, todavia posso ainda me lembrar que no passado tivemos pastores que realmente fizeram jus à vocação.
Não faziam do Ministério uma profissão, mas sim uma verdadeira missão.
Já é tarde e a noite ja vem, não deixemos para amanhã o que se pode fazer hoje.
Pastores, acordem! Façam um reflexão!
Fiquem na PAZ!
Marcos Cruz

irmão leitor disse...

Pastores, nós, membros da igreja, somos amigos! A.M.I.G.O.S.!!!

Chacon disse...

Há pastores na IASD que não resta a menor dúvida que fazem um trabalho de Deus, guiados por Deus, cito 2 que amo escutar, porque me fazem pensar muito em Jesus, e como sou miserá vel: Fernando Iglesias e Roberto Motta. Roberto Motta já tive o prazer de assistir uma semana de oração. Roberto Motta tem uma série de creio que 18 sermões que são estudos Bíblicos, onde ele faz questão de não citar Ellen white, justamente para não causar polêmica. Deus quer um culto racional, uma adoração racional, não por fazer apenas, e notei que falta isso em muita gente, justamente no seu último post sobre namoro. O pastor não pode dizer o que cada um tem que fazer, nem Deus faz isso, mas tem que dizer qual é o caminho a Cristo, e ai cada um decide. Abraço

Anônimo disse...

Parabéns Gilson! Se todos os Pastores tivessem o conhecimento que você tem a nossa igreja não estaria hoje como está. O que gosto desse blog é que você mostra a realidade do que infelizmente anda ocorrendo em nossas igrejas.
Todos os pastores adventistas deveriam acessar esse blog para tomar umas aulas com você ...
Parabéns mesmo !
Muito bom texto !
Allan Kardec Xavier

Anônimo disse...

Estou escrevendo uma resenha sobre pastor, para publicar na virada do ano, estive aqui e gostei muito das suas colocações, muitas delas penso igualzinho, não sou adventista e estou decepcionada com os pastores da minha igreja. Atualmente, pensam em minha administração na igreja, igualzinho a um prefeito em uma prefeitura. Lembro do tempo que meu pastor dizia as almas que ganhei para JESUS, durante minha passagem por este templo. O mais importante hoje é...projetos, campanhas, reformas, etc. O ensino do evangelho e as ovelhas ficam em segundo plano. Parabéns!!!!!!!

Cursos Básico, Médio e Avançado

Ebook 101 Razões