terça-feira, janeiro 03, 2012

A Divindade - parte II

O "antitrinitariano" Uriah Smith

Há alguns meses, estive relendo o excelente livro do
Dr. George Knight sobre o debate Adventista ocorrido em 1888 acerca da justificação pela fé ("A mensagem de 1888", Casa Publicadora Brasileira, 2004). Sugiro a leitura desta obra a todos os que desejam conhecer melhor a história da nossa Igreja, e como as doutrinas que hoje temos como "ponto pacífico" foram resultado de profundos e acalorados estudos dos nossos primeiros líderes.

Ao ler o livro, me veio à mente a maneira quase idolátrica com que alguns dissidentes modernos tratam alguns dos personagens históricos do Adventismo. Tais pessoas, ou por ignorância (talvez por isso "toda ignorância seja atrevida", como dizia o Pr. Luiz Nunes nos meus tempos de Seminário), ou por má fé, ou pela junção destes dois motivos... insistem em afirmar que TUDO o que os pioneiros ensinaram deve ser considerado como a suprema e infalível revelação do Senhor para o Movimento Adventista.

Como já mencionei aqui, um dos preferidos é o Pr. Uriah Smith. Como ele se declarava antitrinitariano (ou seja, contrário ao ensino da Trindade), seus argumentos são utilizados como prova máxima para os dissidentes "internéticos", de que a compreensão atual da IASD sobre a doutrina bíblica da Trindade é uma fraude, e que os pioneiros não criam neste ensino, sempre citando Uriah Smith como o mais destacado apologeta da época.

Não há dúvidas de que Uriah Smith deu uma imensa contribuição à Igreja, em especial com relação aos temas proféticos de Daniel e Apocalise. Mas um estudo sincero e sem preconceitos da História do Adventismo mostrará que o Pr. Smith está longe de ter sido INFALÍVEL em seus posicionamentos doutrinários. Tenho certeza que isso você nunca leu em algum material distribuído pelos sites dos adeptos do antitrinitarianismo.

Apenas para defesa da verdade, quero destacar alguns parágrafos do livro acima citado:

"[Uriah] Smith não se indispôs apenas com Waggoner (outro protagonista da crise soterológica de 1888), mas também com Ellen White no período pós-1888, pelo fato de ela haver apoiado os dois jovens pastores em Minneápolis. Durante os anos seguintes, Smith seria líder do grupo envolvido em lançar dúvidas sobre o trabalho de Ellen White" (pág. 150).

Vejo que o Pr. Smith, apesar de todo conhecimento profético que dispunha, não era muito humilde para aceitar que estava errado, e, assim como muitos fazem hoje, quando lhes faltava bons argumentos, apelava para o ataque ao Espírito de Profecia, colocando dúvidas sobre a direção divina do ministério de Ellen White... mudam os soldados, mas as armas continuam as mesmas!

"Em março de 1890, [Ellen White] endereçou uma carta para Smith, dizendo que desde Minneápolis ele estava 'enganando a si mesmo e aos outros'. Disse ainda que ele havia 'enfraquecido a mente e a fé' de muitos nos Testemunhos" (idem).

Ai está o resultado de lançar as sementes da dúvida, da rebeldia e da crítica: a apostasia!
Não é isso o que tem acontecido com estes dissidentes modernos que trabalham unicamente para minar a fé do povo da profecia? Não é essa a mesma situação que temos hoje verificado na vida de muitos que deixam as fileiras do Adventismo, para se aventurarem em movimentos puramente cismáticos? Onde estão os talvez milhares de leitores dos sites dissidentes? Estão todos firmes na fé?

"Durante três anos, porém, as palavras [de advertência e exortação a Uriah Smith para que se voltasse para a Verdade] caíram em ouvidos moucos. Smith havia cavado um buraco e se enterrado nele. Em 25 de novembro de 1890, ela escreveu: 'você é bem parecido com o pastor Butler [o presidente da denomianção na época, e que também rejeitou, a princípio, o ensino sobre a salvação unicamente pela fé] - não confessa um passo errado e dá muitos outros para justificar o primeiro. Se você vencesse essa obstinação que está arraigada em sua vida e caráter, o poder de Deus faria de você um homem de eficiência até a própria consumação dos séculos" (idem).

Como seria bom que os "ouvidos moucos" do antitrinitarianismo de hoje em dia também se abrissem para a beleza da revelação bíblica, que só existe na unidade, e NUNCA na divisão! Fecho os olhos, e imagino Ellen White escrevendo as mesmas palavras para alguns líderes antitrinitarianos de nossos dias... "Crede nos Seus profetas e prosperareis"... Aleluia!

"Em janeiro de 1891, ao acompanhar a leitura de uma Semana de Oração redigida por Ellen White enfatizando o arrependimento em relação com a justiça pela fé, [Smith] convocou uma reunião com ela e diversos ministros da direção da obra. Nessa reunião confessou muitos dos erros que cometera em Minneápolis. Conforme disse a Sra. White: 'Ele havia caído sobre a Rocha e se quebrado'" (pág. 151).

Que coisa linda!
Um grande líder, eminente teólogo, que equivocou-se feio em sua interpretação sobre o tema da salvação (já imaginou quantos foram influenciados para a perdição com o erro doutrinário de Uriah Smith????!!!!!), mas que soube arrepender-se e pedir perdão publicamente pela sua falsa interpretação da Bíblia. É uma pena, porém, que tenha demorado tanto tempo!

Oro a Deus para que os "fãs de Uriah Smith" de hoje também se encham do mesmo espírito de humildade que ele teve, e o quanto antes reconheçam o grande mal que estão fazendo ao se rebelarem contra a Divindade.

Afinal, quantos mais ainda serão desviados da fé para as trevas da crítica e da apostasia?!


"A graça do Senhor Jesus Cristo, e o amor de Deus, e a comunhão do Espírito Santo sejam com todos vós" - 2Cor. 13:13.

8 comentários:

gkcontas disse...

Pois eh pastor.. a irmã White corrigiu e falou que Uriah Smith estava errado quanto a questao da salvacao unicamente pela Fé...

Como profeta e serva de Deus, ela fez o que deveria ter feito.. corrigir o irmão que estava em erro.. assim como corrigiu tambem a Kellogs..

Estou há 3 anos em busca dos textos em que ela corrigiu os antitrinitarianos tambem, em relação às suas crenças.. só que ainda nao encontrei nenhum!

Assim que eu encontrar, lhe mandarei para postar em seu blog.

Fique com o Eterno (Jd 25; Ap 4 e 5)

Gilson Medeiros disse...

Prezado "gkcontas", eu também ainda não encontrei algum texto onde ela "corrige" os que comiam carne de porco e usavam tabaco, mesmo entre os ministros de sua época.

Talvez seja porque ela tenha preferido, nestes casos, em vez de apenas corrigir, escrever vastos e inúmeros livros mostrando as vantagens de um estilo de vida saudável, vegetariano e longe dos erros que se cometiam em seu tempo.

Creio que o mesmo deve ter ocorrido com relação à Trindade. Em vez de, APENAS, corrigir os antitrinitarianos, Ellen White preferiu escrever muitos e muitos textos mostrando a clareza da existênca das 3 Pessoas da Divindade, como você já deve ter conhecimento.

Pena que, para alguns, é mais fácil fundamentar a fé no que, hipoteticamente, não foi dito, no que naquilo que está claramente revelado, límpido como o mar de vidro da Nova Jerusalém.

Ah, me faça um favor:
quando encontrar o texto onde ela CORRIGE os que criam na Trindade, me avise.

Um abraço.
Gilson.

Walter disse...

Muito oportuno o texto Pastor. O livro do Knight "Em busca de Indentidade" é o preferido pelos antitrinitarianos (deve haver alguma forma mais de fácil de se escrever isso... rsssss). Fazem referência ao início do livro para justificar a crença de que o Espírito Santo não é um ser Pessoal, bem como de que Cristo tenha sido gerado pelo Pai.

Ocorre que ignoram a menção feita ao Desejado de Todas as Nações, no qual Ellen White escreveu que em Cristo não haveria vida derivada ou emprestada, mas sim original.

Demais disso, convém salientar que se aplicarmos o raciocínio de que devemos seguir totalmente a crença dos pais da igreja, tal como eles acreditavam quando o movimento adventista começou,teremos razão em acreditar que ao menos Ellen White acreditava na Trindade já naquela época, uma vez que foi egressa da Igreja Metodista.

Tal contenda é debelada quando consideramos como premissa lógica e necessária do adventismo o conceito de que a Verdade é dinâmica e progressiva, aliás, esse é maior ensinamento transmitido por Knight.

Forte Abraço!

Gilson Medeiros disse...

Caro Walter, excelente comentário!
Obrigado.

Anônimo disse...

Ola Pastor
Vejo que o Sr é um grande defensor da nova teologia Adventista um amante da denominação, gostaria que o Sr me explicasse este texto da Sr. Ellen White:
“Vi que Deus tem filhos honestos entre os adventistas nominais e as igrejas caídas, e antes que as pragas sejam derramadas, ministros e povo serão chamados a sair dessas igrejas e alegremente receberão a verdade. Satanás sabe disto, e antes que o alto clamor da terceira mensagem angélica seja ouvido, ele suscitará um excitamento nessas corporações religiosas, a fim de que os que rejeitaram a verdade pensem que Deus está com eles. Ele espera enganar os honestos e levá-los a pensar que Deus ainda está trabalhando pelas igrejas. Mas a luz brilhará, e todos os honestos deixarão as igrejas caídas, e tomarão posição ao lado dos remanescentes.”
Primeiros Escritos, pág.261
Em Qual Igreja estes remanescentes estarão freqüentando? A IASD não faz parte de nemhuma corporação religiosa? Quem são os filhos honestos que estão entre os Adventistas nominaise e as igreja caídas? Como será possível proclamar a mensagem do terceiro anjo como igreja oficialmente estabelecida? se hoje não se pode falar contra a ICAR ou outra igreja qualquer devido os acordos ecumênicos.

Gilson Medeiros disse...

Caro "Anônimo", obrigado por seu comentário.

Entendo seu ponto de vista, e compreendo também que existem muitos "adventistas nominais" que assistem semanalmente aos gélidos cultos sabáticos de muitas congregações.

Mas o texto que vc citou é muito claro em demonstrar que Ellen White NÃO tinha a IASD em mente quando falou sobre "corporações religiosas", "igrejas caídas", "ecumenismo", etc.

Basta uma leitura "gramatical" para verificar que ela quis falar sobre as igrejas (corporações religiosas) apostatadas, rebeldes à Lei do Senhor.

Não há como, honestamente, "forçar" este texto para utilizá-lo em defesa de uma pseudo-apostasia babilônica entre os Adventistas do 7º Dia.

Não haverá outra "igreja" após a Igreja Adventista do 7º Dia - a 7ª do Apocalipse.

É assim que creio.

Um abraço.
Gilson.

irmão leitor disse...

Professor, os fatos "completos" da história provam que a doutrina da Trindade é correta.
Mas, se você estivesse falando de "arrependimento", que história linda também, hein?!!!
A misericórdia e a paciência de Deus foram manifestadas em favor do presidente da organização e do diretor da publicadora. Sim, fizeram alguns estragos, mas, ao seu tempo, responderam com arrependimento.
Uriah Smith nos deixou o belo hino de nº 145 - Jesus voltará, com poder voltará...

Eder Theodoro disse...

Caro Medeiros.

Quero te parabenizar pela sua inteligência e presteza em defender a trindade. Vossa senhoria não poupou nem Urias Smith para justificar tal doutrina. Obrigado por me chamar de dissidente pois, assim eu sou. O que seria do mundo sem esses dissidentes que não se calam ante a corrupção religiosa? Parabéns você faz o seu papel eu porém fico com o ASSIM DIZ O SENHOR e nunca assim diz o pastor. Abração.

Cursos Básico, Médio e Avançado

Ebook 101 Razões