sexta-feira, janeiro 27, 2017

"É preciso amar as pessoas como se não houvesse amanhã..."

Já sei que alguns vão achar meio "herético" o título que dei para esta postagem, porque este é o verso de um rock nacional que fez muito sucesso nos anos 80 e 90.

Mas ela transmite uma verdade, e isso é o que importa...

Certa vez eu estava lendo a revista Adventist World, e confesso que fico cada vez mais impressionado com a maravilhosa obra que muitos irmãos e irmãs Adventistas voluntários realizam ao redor do mundo. Se você não tem sua assinatura da Revista Adventista, não sabe o bem que está perdendo, pois são testemunhos, notícias e estudos fantásticos que chegam até nossos lares mensalmente!

A revista que citei trouxe algumas matérias de missionários Adventistas
(voluntários ou não) que estão ganhando muitas almas para Jesus, fazendo o que Ele nos ensinou a fazer: SEMEAR O AMOR.

Mas, o tema da postagem de hoje não é sobre o trabalho missionário mundial da Igreja Adventista do 7º Dia... hoje não!

Quero aproveitar um trecho de um dos artigos da revista que li na ocasião, o qual foi escrito pelo Pr. Reinder Bruinsma, diretor de Comunicação da União Holandesa. Em seu artigo (
leia aqui na íntegra), o pastor fala sobre a impressão que ele tinha da pessoa de Paulo, o apóstolo, e de como esta impressão mudou quando ele estudou mais detidamente o final da epístola ao Romanos.

Ao final do artigo, o Pr. Bruinsma faz a seguinte declaração (ou seria um desabafo?!):

"(...) Se não vejo o rosto humano por trás dos problemas [administrativos enfrentados na rotina diária do trabalho da Igreja], estou em grande falta, pois valorizo mais os regulamentos do que as pessoas. Se o que eu ou qualquer outro líder da igreja fizer não tiver uma face humana, é melhor deixar de fazer".

 
E ele continua...

"Se quisermos trabalhar para a igreja, em qualquer nível, como obreiro assalariado ou como voluntário, devemos amar as pessoas. É significativo que a carta aos romanos não termina com altas declarações doutrinárias e teológicas, mas com alusão a pessoas - indivíduos com nome e rosto".

"Hoje, ao discutirmos teologia, doutrina, problemas sociais e morais; ao criarmos regulamentos, ou seja lá o que for, toda a perspectiva mudará se permitirmos que essas questões assumam um rosto humano".

 
Confesso que me emocionei ao ler tão bela declaração, saída do coração de um homem que dedicou sua vida à Igreja de Deus e, talvez, em sua jornada já tenha cometido o erro de não olhar para o ser humano por trás de algum problema administrativo. E fiquei mais satisfeito ainda em saber que este "novo" enfoque que o Pr. Bruinsma deu para sua atuação "profissional" veio da contemplação da Palavra de Deus - a Fonte primária e única de todo regulamento, doutrina e prática eclesiástica.... pelo menos, assim deveria ser!


Estes dias estive conversando com um amigo da época da faculdade de Teologia, e ficamos lembrando de alguns colegas que hoje não atuam mais no ministério... alguns, por falhas pessoais que os impediram de continuar; outros, porque se depararam com "chefes" despóticos e pouco cristãos; outros mais porque não receberam o apoio necessário quando precisaram de um ombro amigo...

Ai eu me pego refletindo:

- Quantos dos que já passaram pelos bancos das congregações ASD saíram machucados (e ainda não sentem o desejo de retornar), porque não foram tratados com compaixão e misericórdia depois que erraram?!

- Quantos jovens não desanimam anualmente, e apostatam da fé, porque não são entendidos nem amados pelos que se acham mais "santos" e "consagrados" do que eles?!

- Quantos evangelistas já não se sentiram menosprezados e humilhados, porque não receberam a compreensão da liderança quando os resultados numéricos de batismo não foram os esperados?!

- Quantos ex-pastores e ex-obreiros (e suas respectivas famílias) hoje vivem uma vida de amargura e frustração, porque foram "descartados" depois de cometerem alguma falta, sendo tratados com todo o "cálice da ira" da Organização?!

- Quantos dos pastores e líderes esqueceram dos exemplos deixados por Jesus, e tratam seus subordinados como "escória", produzindo em seus corações uma compreensível revolta pela administração eclesiástica?! Os sites de críticos estão ai para confirmaram esta dura certeza!

- Quantos dos que hoje atacam a Igreja tão ferozmente, não iniciaram este espírito de rebeldia após sentirem "na pele" a arrogância e anti-cristianismo de algum administrador, departamental ou distrital?!

 

- Quantos daqueles que sentam ao seu lado no culto, a cada manhã de sábado, já decidiram que não mais voltarão, porque simplesmente ninguém perceberá sua ausência?! Talvez o sábado passado tenha sido o último deles na sua igreja! 

Já pensou nisso?????
 

"É preciso amar as pessoas como se não houvesse amanhã...".

Esta frase pode até ter sido cantada em shows regados a drogas e sexo... mas exprime uma verdade universal, e deve ser colocada em uma moldura dourada para "ornamentar" a parede de cada lar, escritório, igreja ou sala de aula, na minha modesta opinião.

Da próxima vez que você (administrador, pastor, professor, ancião, diácono, líder, membro...) for tentado a agir seguindo as "normas e regulamentos" da praxe, faça o que o Pr. Bruinsma foi levado pelo Espírito Santo a nos ensinar: AME AS PESSOAS.

Isso não quer dizer que os regulamentos devam ser descartados... mas eu e você nos sentiremos muito melhor sabendo que não deixamos de olhar o "rosto" por trás do "problema".


"Nisto conhecerão todos que sois meus discípulos: se tiverdes amor uns aos outros" - João 13:35.

É fácil guardar o sábado, não matar, não adulterar, não roubar, deixar de comer isso ou aquilo, devolver dízimo e doar ofertas, ser um bom marido e uma boa esposa... 

mas AMAR de verdade... é outra história!

veja também:

 

15 comentários:

Fabiana disse...

Parabéns Profº linda mensagem!
Deixo aqui um pouco do meu apoio.
Devemos sim, nos preocupar com as pessoas em vez de regras.

Anônimo disse...

Estimado Professor Gilson Medeiros, diretor do ELPIS Teologia, Deus nos ama tanto, portanto é muito importante que roguemos a Ele o dom do amor. De fato há muitos obreiros, ex-pastores, e, principalmente, membros da igreja que abandonam a fé diante de serem totalmente ignoradas. Por isso devemos olhar para Jesus acima de tudo. Mas é muito oportuno o seu artigo. Parabéns e Deus o abençoe!

Wagner disse...

Parabéns! você conseguiu sintetizar o sentimento que tinha guardado durante anos, pois passei por essa experiência em minha igreja, me senti tão revoltado a época que abandonei e saí da igreja e o pior é que ninguém tentou resgatar a ovelha perdida. Ainda vejo em muitos irmãos essa frieza e falta de amor. Mas, também aprendi com o tempo, que devemos olhar para Cristo pois as pessoas são falhas e o joio um dia será separado do trigo.

Que Deus lhe abençõe irmão.

Prof. Gilson Medeiros disse...

Caro Wagner, o texto reflete o que também havia em meu coração, pois passei pela dolorosa experiência de comprovar que nem todo "irmão" é um amigo (cf. Prov. 18:24).

Assim como vc, hoje só olho para meu Amigo Maior, pois sei que dEle jamais receberei ingratidão, injustiça ou decepção.

Um abraço.

Luis disse...

A experiência que ví e que passei é a de que em cada Igreja há um dono, ou alguns donos, grupelhos que mandam e desmandam. Ví váias vezes o pastor pregar uma coisa e ninguém seguir o que foi pregado, na verdade isso acontecia (ou acontece ainda, não sei, com frequência). Só para se ter uma idéia, meu cunhado, era dos desbravadores, começou a frequentar uma Igreja mais perto de sua casa, não havia desbravadores por lá, ele, com autorzação criou o clube, contudo, os membros formaram um grupo e proibiram seus filhos de frequentar os desbraadores, essa é a mentalidade que temos, conclusão: meu cunhado, minha irmã e meus sobrinhos abandonaram a Igreja. Culpa deles? Alguém pode dizer; foram fracos. Eu digo: pode ser, mas é justamente na fraqueza que precisamos de ajuda, eles precisavam daquilo, precisavam se sentir uteis, mas não tiveram apoio dos donos da Igreja. Poucos tem a capacidade de ver que precisamos amar, mas amar não só o irmão da Igreja, amar qualquer um. Tudo está contaminado, até a Igreja, e é por isso que poucos serão salvos mesmo frequentando a Igreja. Sei lá esse tema é algo que mexe muito comigo, pois também sai por causa dos donos da Igreja e coisas que ví por lá. Mas conheci uma pessoa que era diferente de tudo isso que estava lá, ela dava seus cursos Bíblicos aos Sábados depois do culto e domingos à noite, não se metia em rodinhas, não se metia em fofocas, em nada, era escola sabatina, culto e aulas. Era a pessoa que mais conhecia da Doutrina e de outros temas que já conheci, ela conhecia mais que muitos pastores, mas não se metia em nada, levava sua vida. Era uma senhora de quase 80 anos, que venho às lagrimas ao escrever sobre ela e de lembrar, era como uma mãe para mim. Infelizmente se foi, o que eu tinha de exemplo humano na Igreja estava lá, e ela se foi, e então eu me fui também. Estou tentando voltar, espero que consiga, bom..., falei demais. Abra;co a todos.

Gilson Medeiros disse...

Prezado Luis, sei perfeitamente o significado de suas palavras, e o quanto esta situação pode estar angustiando você.

Mas eu aprendi uma coisa: por mais ingrata e injusta que seja a igreja, ela ainda é a menina dos olhos de Deus, e um dia Ele saberá colocar no seu devido lugar todos estes que estão trazendo escândalo e apostasia sobre ela.

Não desista!

Um abraço.
Gilson.

Luis disse...

Obrigado pelas palavras!!

Maria Gonçalves disse...

O senhor falou em resultados numéricos de batismo, em como as pessoas podiam ser menosprezadas por não atingirem essas metas.Mas porque é que uma igreja tem que traçar metas numéricas de batismo? Não basta ir evangelizando? Não basta dar a conhecer Jesus?Fora das horas de trabalho, podem ir aos parques, jardins e falar simplesmente do evangelho sem compromissos de batismo. O ano passado, uma senhora minha conhecida membro da igreja, por ter falado comigo durante três dias nas horas do trabalho sobre a bíblia e aflorado uma ou outra doutrina da igreja perguntou-me se eu me queria batizar.É claro que não podia visto ter tão pouco conhecimento. Mas aquela proposta foi demasiado repentina e inesperada, portanto, fora de propósito.

Gilson Medeiros disse...

Prezada Maria Gonçalves, nenhum planejamento deve existir sem um alvo, uma meta a ser alcançada.

Na pregação do Evangelho não é diferente. Devemos, sim, termos alvos a serem alcançados, como forma de mensurarmos os esforços que estão sendo feitos. O problema é quando os alvos se tornam obsessivos.

Quanto à sua experiência com a senhora que convidou-lhe para ser batizada, não posso dar minha opinião por não conhecer os detalhes, só sei que o Espírito Santo é quem nos dirige e talvez Ele tenha oferecido a você uma oportunidade naquele momento... só a Eternidade dirá!

Um abraço.
Gilson.

Anônimo disse...

Sim,a igreja faz tudo isso e mais um pouco...não lembram de seu amor,nem de seu trabalho(eu que o diga)Por experiência própria sei o que é ser descartada e esquecida.Mas,nossa fé tem que ser maior,é dolorido,mas o importante é tentar sacudir a poeira e prosseguir,afinal,sirvo ao meu Deus ,não a pastores...levantar a cabeça é preciso...amar as pessoas tb...quem sabe um dia a gente aprende

A.K.Renovatto disse...

Pr Medeiros, apesar de seu receio de achar que alguns iriam rotular o tema da postagem de "herético", acredito que a maioria que leu o texto, compreendeu o que quis passar. Para ser sincero, não vejo mal em colher as mensagens boas, mesmo que elas não sejam ligadas a religião. Essa música por exemplo, gosto muito dela, já ouvi muito rsrs e passa mesmo uma mensagem interessante. Se cada pessoa soubesse amar e valorizar uma pessoa agindo como se fosse o último dia que a fosse ver...quanta diferença haveria! Apesar de parecer dramático não sabemos mesmo se teremos oportunidade de consertar algo pendente com alguém, então como cristãos devemos mais do que nunca nos empenharmos em amar como se não houvesse amanhã. Temos a tendência de imaginarmos que sempre teremos chance de "mais tarde" acertarmos as contas com alguém, fazermos as pazes...Mas e se não der tempo?! Temos que fazer o bem HOJE, amar HOJE (isso que falo serve para mim, muitas vezes não consigo agir assim com certas pessoas, mas sei que é errado). Certas oportunidades só aparecem UMA vez na vida: pode ser uma visita de alguém que nunca pisou numa igreja e resolve ir numa igreja (essa oportunidade pode ser única e se ninguém notar essa pessoa, fazer vista grossa, pode ser que nunca mais ela entre numa igreja novamente). Isso foi apenas um exemplo. Parabéns pelo artigo! Muito bom!

Gilson Medeiros disse...

Obrigado pelo comentário, A.K.Renovatto

Resolvei trazer este assunto de novo à tona, depois de conversar com uma amigo que passa por esta situação agora, e ver que pouca coisa tem mudado ao longos dos anos... Afinal, somos humanos, e como humanos, somos pecadores.

A igreja é um grande hospital, já disse alguém... por isso devemos estar atentos à necessidade de todos, esperando que alguém também esteja preocupado com a nossa própria necessidade.

A Eternidade nos revelará muita coisa, e uma delas será a enormidade do amor de Deus por nós e por aqueles que, de alguma forma, tenhamos desprezado ao longo da jornada.

Um abraço
Gilson.

Débora Avelar disse...

Muito bom o post! Lindo e verdadeiro! Sobre: "Quantos evangelistas já não se sentiram menosprezados e humilhados, porque não receberam a compreensão da liderança quando os resultados numéricos de batismo não foram os esperados?!" Fiquei um tempo acompanhando e apreendendo o trabalho dos obreiros da associação da minha região, e tenho percebido uma forte pressão para batismos. Uma preocupação com números ao invés de se preocupar com o próprio candidato ao batismo, que muitas vezes não está nem preparado para dar esse importante passo! Vi muitos irmãos se afastarem da igreja também, por não concordar com determinadas doutrinas,porque antes do batismo não obtiveram o conhecimento necessário. Creio que todo o "extremo" é perigoso, o apego demasiado pelas regras da igreja e pregar uma graça barata, sem compromisso e transformação de vida (como tenho visto muito na minha igreja - adentrando no meio dos jovens principalmente) levando muitos a ruína espiritual e consequentemente o abandono da fé. Todo equilíbrio é primordial!

Gilson Medeiros disse...

Prezada Débora, obrigado pelo comentário.

É uma pena que este tipo de coisa seja tão comum ainda hoje... mas... Deus está no comando, e quando for a hora certa, Ele endireitará o que precisa ser endireitado.

Continuemos orando para que não nos falte a sabedoria de olhar para as pessoas com o mesmo olhar de graça e amor com que Jesus tem para conosco.

Um abraço
Gilson.

A.K.Renovatto disse...

Vi o seu retorno sobre meu comentário anterior, Pr Medeiros, certos assuntos como esse, devem sempre estar sendo tocados para que as pessoas se conscientizem! Gostei bastante desse texto e sei que muitos precisam de receber essa mensagem!E ao voltar a trazer a mensagem, mais pessoas serão edificadas. Deus o abençoe.

Cursos Básico, Médio e Avançado

Ebook 101 Razões