sexta-feira, maio 24, 2013

Quando a vaidade vira pecado

Estes dias eu estava vasculhando meus "alfarrábios" e encontrei uma notícia publicada há algum tempo em um site, e que me chamou bastante atenção na época: 

"Mulher atropela homem e não o socorre porque tinha horário no cabeleireiro".

Vejam o que diz o texto:

A norte-americana Louise Davidson, de 77 anos, atropelou Matthew Clark, de 25 anos, que vinha em uma moto, mas continuou seu caminho, deixando a vítima ferida na rua, porque não queria perder a hora no cabeleireiro, segundo o jornal "Palm Beach Post".

Louise Davidson, de Boynton Beach (cerca de 100 km de Miami), foi presa por ter deixado a cena do acidente. Clark tinha a preferência de passagem e tentava dobrar uma rua quando o veículo dirigido pela idosa o acertou.

"Não tenho nenhum problema com pessoas idosas, mas elas deveriam ter um pouco mais de cuidado na estrada e serem honestas com si mesmas sobre se deveriam continuar dirigindo", disse Matthew Clark ao "Palm Beach Post". Ele foi socorrido pelos bombeiros com feridas pelo corpo, mas seu estado é bom.

A mulher foi liberada depois de ter pago uma fiança de US$ 3 mil, informou a polícia.

Fonte: Portal G1

::::::

Pois é... até onde vai a vaidade humana? O desejo de sentir-se "belo/a"? Mesmo que esta "beleza" seja apenas exterior, porque o interior... Misericórdia!


Ou melhor, no dia em que descobrirem um "batom" ou "pozinho" que disfarce o egoísmo, a inveja, o ciúme... não vai dar pra quem quer... rsrs

Aproveito a ocasião para relembrar um texto que coloquei aqui há tempo, mas que é uma temática sempre atual, porque a vaidade, demonstrada no uso de pequenas joias (sabe aqueles anéis e pulseiras disfarçados?!), maquiagem "leve", roupas "de marca", cortes de cabelo extravagantes e demais "adornos" exteriores, é algo que parece fazer cada vez mais parte da vida da sociedade moderna... inclusive dos professos "cristãos".

Aliás, lembro que há alguns anos uma escola Adventista perto de Porto Alegre foi alvo na mídia por ter impedido a entrada de um garoto com cabelo "moicano"... Como a juventude atual não tem nada na cabeça, acabam copiando estas bobagens que veem na TV a todo instante.


Outro detalhe:
A vaidade não é um "privilégio" apenas das mulheres, porque há muito homem que faz de tudo para estar "antenado", e até já ganhou um novo "rótulo" dos estudiosos da área: METROSSEXUAL.

De um modo bem resumido, a vaidade se torna pecado quando ela ocupa mais do que deveria no tempo (e no bolso) do cristão. Alguns poucos exemplos...
- se você costuma se atrasar para a Escola Sabatina porque não consegue sair sem fazer a chapinha e a maquiagem;
- se você perde todo o culto do sábado porque tem um casamento para ir neste dia à noite;
- se você gosta de copiar os modelos de penteados e roupas das novelas;
- se você nunca tem dinheiro para ajudar nos projetos missionários, mas sempre guarda algum para a manicure e o salão;
- se sua barba ou bigode seguem a tendência dos jogadores de futebol e funkeiros;
- se você vive enrolado(a) no cartão de crédito porque gasta muito com perfumes, roupas, sapatos, bolsas, camisas do time, etc.

então...

A vaidade está se tornando um "deus" em sua vida... e isso é pecado... E DOS GRANDES!

Sei que este é um tema que sempre dá muito "pano pra manga"...rsrs

Por isso concluo com as palavras do santo apóstolo:


"seja, [o adorno] porém, o homem interior do coração, unido ao incorruptível trajo de um espírito manso e tranquilo, que é de grande valor diante de Deus" (1Ped. 3:4).

Veja também
- Um pecado chamado "vaidade"
- Causa da morte: VAIDADE


11 comentários:

Anônimo disse...

prof.não sou ninguém para julgar ninguém mas a igreja está deixando o mundo entrar na igreja sutilmente, e um dos pontos mais bem amostra é a questão da vaidade as mulheres da igreja todas de maquiajem e outros detalhes, mulheres de pastores se comportando como mulheres do mundo, hoje saímos para um louvor quando chegamos lá naõ diferenciamos quem é adventista é qum é visitante, temos medo de levar as pessoas a quem estamos dando estudo pois elas podem se assustarem ou até mesmo se sentirem no direito de fazerem também, se damos o estudo contra a vaidade pra elas e as levamos para um lugar onde fica totalmente exposto pessoas com esse comportamento cmo explicarmos?

Prof. Gilson Medeiros disse...

Caro "Anônimo", sempre é mais fácil nos deixarmos influenciar pelo que é "do mundo" do que pelo que é "de Deus".

Pelo texto que escrevi já deu para ver qual é minha opinião sobre o tema. Acredito que vaidade por amor a modismos é, sim, pecado, mesmo que hoje ela seja revelada tão sutilmente... inclusive entre os homens!

Você está correto em não assumir a posição de juiz, pois todos temos nossas falhas; se não for na vaidade será, certamente, em outra área tão ou mais abominável.

O que sei é o seguinte: Deus conhece os corações, e sabe todas as coisas, portanto deixo com Ele a tarefa de dizer quem está ou não correto.

Anônimo disse...

Gostaria que colocasse um artigo bem profundo sobre vestuario precisso ler e indicar para algumas pessoas

obrigada giselle

Prof. Gilson Medeiros disse...

Cara Giselle, obrigado pela dica.

Um abraço.
Gilson.

Ricardo disse...

Prof. Gilson,
Que o Senhor continue sendo uma benção nas mãos de Deus para orientar no que tange a vontade de Deus.
Se me permite, não concordo quando diz acima que devemos deixar que Deus julgue quem está correto ou não nesta questão, pois pelo que percebi vc não concorda com a vaidade que hoje é praticada em nosso meio e falar a verdade (logicamente com amor) não é condemar nin´guém.
Creio que a situação chegou a este ponto, pois aqueles que deveriam logicamente aconselhar e não julgar, que são os líderes da igreja, não definem bem claramente o princípio bíblico para este assunto, incentivando um reavivamento em nossas igreja a começar pelas mais influentes suas esposas e cantoras.
Como ancião de igreja tenho procurado falar com amor, mas com clareza, sobre alguns pontos que tem trazido escândalo para a causa de Cristo e para honra e glória de Deus não vejo as pessoas receberem como um julgamento.
Creio que se deveria haver mais orientação sobre isso para os novos jovens e irmãos no que diz respeito a vaidade, música, alimentação, cinema e outros, para mostrar a diferença que dever haver entre um cristão e um mundano como escrito em Fil. 02:15-16.
Fique com Deus
grande abraço
Ricardo

Ricardo disse...

Caro prof. Gilson,
Que o vc continue sendo uma benção nas mãos de Deus para orientar as pessoas.
Se permite, discordo quando diz que devemos deixar para Deus julgar quem está correto ou não nesta questão, quando percebo que vc mesmo não é a favor da vaidade, tendo com fundamento a palavra de Deus.
Creio que devemos sempre expor a verdade para as pessoas (logicamente com amor), para mostrar o perigo de seguir uma direção errada.
Os nossos líderes deveriam definir com clareza e orientar mais nossos membros nessas questões como moda, música, alimentação, namoro, etc, mostrando com muito amor a diferença que deve haver entre os cristãos e os mundanos como apresentada em Fil. 02:15-16.
Sou ancião de igreja a muitos anos e para honra e glória de Deus tenho falado sobre alguns assuntos e percebo que as pessoas não tem recebido como um julgamento, embora se esses assuntos fossem ditos pelos líderes máximos que são os pastores (distritais e departamentais) teria um peso muito maior.
Assim entendo que a igreja está nesse estado é porque falta pregar mais sobre estes assuntos, mostrando que quando amamos a Jesus, tudo o que não está de acordo com sua vontade deve ser eliminado.
Fique com Deus
grande abraço
Ricardo

Edson disse...

Pastor, parabéns pelo Blog. Muito bom mesmo. Para mim, foi um achado muito valioso. Parabéns também pela publicação de comentarios prós e contra os temas. Isto é importante.

Gostaria de colocar minha opinião sobre o tema deste artigo. Para mim a vaidade é sem dúvida nenhuma um problema sério na igreja. Tanto para homens quanto para mulheres. Li em seus artigos e outros artigos que você usou como referencia citações sobre Jezabel, a prostituta de Apocalipse, etc. Estão corretos, mas isso não significa dizer que a vestimenta descrita são indicação pecaminosa. Muitas outras pessoas de má conduta apresentadas na bíblia usavam roupas e maquiagem, digamos, dentro dos padrões.
Vale lembrar também que há textos na bíblia que dão a entender que um atavio não é pecado. Alías, um noivo espera sua noiva ataviada e linda. No caso da calça comprida para as mulheres, por exemplo, há muito já está introduzida na vida da igreja (não no culto) e não é mais tida como pecado.
Creio que há diferença entre costumes e princípios. Um costume sofre alteração ao longo do tempo. Princípios não. Talvez hoje a maquiagem e as joias ainda causem escândalo. Mas daqui a alguns anos, quem saberá? Usar adereços ou maquiagem de forma pecaminosa ocorrerá sem dúvida, mas aí o que estará sendo pecado não é o adereço em si, mas a vaidade. Modéstia não significa não usar roupas bonitas, ou não usar maquigem. Modéstia é usar roupas dentro do seu padrão de vida, sem ostentação e sem menosprezo pelos que não podem ter o mesmo. É saber que usar roupas caras em ambiente simples, embora seu dinheiro possa compra-las, é humilhar o próximo.
Uma mulher pode ser muito estravagante e mesmo vulgar sem usar nenhuma batom vermelho na boca ou um vestido escarlate. Por outro lado, muito que sobem ao púlpito com ternos Armani, Dior, etc, embora não sejam perceptíveis, ostentam muito mais, e são muito mais vaidosos e pecadores.

Enfim, quero dizer apenas que, em minha opinião, essa é uma questão de foro íntimo, que deve sim ser tratado como outros temas de foro íntimo, com orientação sobre os extremos, mas sobre o qual a igreja não pode normatizar ou causar discriminação ou mesmo disciplinar.

No mais, grande abraço e mais uma vez, parabéns pelo blog!

Gilson Medeiros disse...

Caro Edson, obrigado pelo comentário.
Gostei do seu ponto de vista, e equilíbrio sobre a questão.

Um abraço.
Gilson.

Chacon disse...

Gilson, quando vejo uma pessoa extremamente adornada de pulseiras, brincos, colares, tornozeleiras, piercings etc, a 1a coisa que vem a mnte é paganismo, idolatria. Desculpe se estou errado, mas me leva a isso. Será que o Senhor proibe justamente por isso?Quem fez esses adornos que significados trazem? Nao sabemos. Certa vez minha mulher comprou uns inocentes sapinhos lindinhos engracadinhos para por no jardim. Nao eram sapos formais eram estilo caricatura ou esse tipo de coisa. Quando vi aquilo disse a ela: Vc comprou sapo pra por no jardim? Que é que tem de mais= Tao bonitinhos? Márcia, isso é uma imagem de um bicho, ainda que nao adoremos, sao engracados e nao é legal ter isso em casa, nao gosto. Ela: sao bonitos vao ficar bla bla bla. Bom os sapos ficaram uma semana, e nessa semana uma porcao de coisas aconteceu de mal e ela chegou atpe a quebrar o pé ou ter uma torcao forte nao lembro. Eu to fora com todo esse tipo de coisa. Ah... os sapos foram devidamente quebrados e... lixo.

Gilson Medeiros disse...

Caro Chacon, eu também creio que joias e maquiagem não devem fazer parte da vida do cristão, pois são o reflexo da vaidade que estará ainda arraigada no nosso coração.

Um abraço
Gilson.

Anônimo disse...

Antes de mais nada quero deixar claro que minha intenção não é polemizar nem causar discussões, é apenas como vejo o tema vaidade.

Para mim a vaidade tão condenada pela Bíblia é a soberba, a vaidade interior, é a vanglória, é a pessoa que sempre almeja ser aplaudida perante as pessoas. Quanto à maquiagem, corte de cabelos e adornos não vejo isso como condenável. Sobre 1Ped 3.4 não vejo a condenação de adornos, mas sim recomendação para não deixar o exterior falar mais alto, ser mais importante que o interior. O interior deve sobressair sempre num espírito manso e incorruptível. Uma pessoa pode estar maquiada e bem vestida e no entanto estar mostrando através de seu modo de agir um espírito reto e incorruptível. E uma pessoa pode estar sem adornos, de cara lavada e estar pecando na vaidade da vanglória, orgulho. Já presenciei pessoas se vangloriando de não usar maquiagem, nem esmaltes e detonar a outra por estar com uma maquiagem e unhas feitas. Não se mede o caráter de uma pessoa analisando se esta está de brinco, esmalte ou batom. Então isso é relativo. Também vejo as pessoas falarem somente de maquiagem, cabelo, quando falam de vaidade. Quando vamos nos arrumar para sair geralmente pegamos o melhor sapato, uma roupa que consideramos bonita e apresentável, enfim, ninguém quer sair de qualquer jeito. As pessoas quando se arrumam (homens e mulheres) querem sim (por mais que neguem) ficar bonitos, apresentáveis. Acho sim que a pessoa tem de ser moderada, não sair ostentando por aí como muitos fazem. Mas a vaidade exterior moderada e equilibrada na minha opinião é importante, senão vira desleixo. Uma maquiagem, um corte de cabelo, uma roupa bonita, uma gravata elegante, um sapato bonito não vai fazer de uma pessoa um ser corruptível, sem escrúpulos , sem mansidão. A vaidade interior é o maior mal para um cristão, porque pela soberba, orgulho muitos se desviam da verdade e da fé em Jesus. Respeito aqueles que não usam adornos, maquiagem, apenas quis deixar minha opinião a respeito do assunto, que sempre foi tão debatido e tem gerado até mesmo polêmicas desnecessárias.

Cursos Básico, Médio e Avançado

Ebook 101 Razões