quarta-feira, junho 10, 2015

Cristão X Religioso

Estes dias lembrei da Lição da Escola Sabatina de alguns trimestres passados, que recapitulou a história de Urias, um personagem "dos bastidores" que foi vítima das atitudes pecaminosas de Davi (2Sam. 11).
 
Procurei no meu arquivo e encontrei uma citação na Lição que tratava Urias como um exemplo de fidelidade ao Senhor, em contraste com o Rei Davi que, além de ter se eximido de ir à guerra (que deveria ser a atitude correta do líder do Exército) e ter preferido ficar na comodidade do Palácio Real em Jerusalém, ainda praticou cobiça, adultério, mentiras e, por fim, o assassinato do próprio Urias.
 
Na ocasião em que este assunto foi abordado na ES, fiquei observando os comentários dos membros da Unidade na qual eu estava, e o quanto os "irmãos" e "irmãs" têm uma ética deficiente, e uma compreensão equivocada deste tema na Bíblia. Foi comum ouvir um ou outro dizer que a culpa foi de Urias, que passou vários meses longe da família e preferiu ficar com os amigos no palácio do que ir para casa ver sua esposa. Não faltou quem dissesse que ele era um mau marido, que não gostava da esposa, que mereceu ser "traído", e que ele só morreu daquela forma porque não atendeu ao convite de Davi para ir para casa e ficar com sua bela esposa.
 
Quando o professor procurou mostrar o outro lado da questão, o lado da extrema ética e zelo de Urias pela sua fé em Deus (lembrando que ele, possivelmente, era um "estrangeiro convertido"), alguns "alunos" não concordaram, ficaram resmungando em conversas paralelas, e teve até um deles, que se considera muito conhecedor das Escrituras, que se levantou e saiu por não concordar com o que o professor estava explicando.
 
Esse é o ponto da questão que levanto hoje:
o que entendemos a respeito da ética bíblica?
 
O título desta postagem resume o que penso sobre este tema:
- É fácil decorar doutrinas e saber explicar detalhezinhos irrelevantes de Daniel e Apocalipse... mas devolver um troco recebido a mais no ônibus é bem mais "difícil"... ai fazemos de conta que não vimos nada...

- É fácil retirar da alimentação este ou aquele alimento "reprovável"; mas ser um funcionário eficiente, que faz sempre além do que lhe mandam... ai preferimos o velho bordão: "não sou pago para fazer isso!"...
 
- É fácil encher a parede do escritório ou da sala com certificados de Ano Bíblico, e dizer com orgulho que já lemos a Bíblia toda umas 13.480 vezes; mas trocar o voto para Deputado por R$ 20,00 ou R$ 30,00 é algo "normal" para nós... não é mesmo?!
 
Percebem?!

A ética trata disso: de comportamento, de atitude, de escolhas... porém baseadas no que temos de mais profundo em nosso ser, em nosso caráter.
 
Diante da igreja, no sábado de manhã, com terno e gravata, é muito fácil parecer um bom cristão, um líder espiritual respeitável, um verdadeiro "santo"... mas é no dia-a-dia, nas pequenas decisões tomadas, nos mínimos afazeres cotidianos, dentro do carro ou sobre a moto (protegidos pelo anonimato), que realmente revelamos o quanto o Cristianismo, em sua essência, tem impregnado nossa vida!
 
Se na igreja eu assumo uma postura de "consagração", "humildade", profundo conhecimento bíblico e doutrinário, mas no dia-a-dia eu demonstro um espírito egoísta, indisciplinado, desonesto, maldoso, intemperante, crítico, etc., isso evidencia que eu não compreendi o que JESUS ensinou sobre o tema no qual Ele mais Se demorou: A ÉTICA CRISTÃ. Isso mesmo! Jesus pregou muito mais sobre ÉTICA do que sobre profecias, alimentação, vestuário... Já pensou nisso?!
 
Enquanto eu observava os irmãos discutindo sobre se Urias errou ou não, percebi que havia uma pessoa na Unidade que foi um dos poucos que, de fato, compreendeu o tema da Lição. E sabe o que foi mais "irônico"? É que esta pessoa é uma das que aparenta menos conhecimento "doutrinário" do grupo, apesar de ser um membro antigo naquela congregação tida como "importante" na cidade de Natal/RN.
 
Assim é a ÉTICA CRISTÃ: você não precisa ser um intelectual, um teólogo, dominar a interpretação das profecias e escatologias (com seus princípios apotelesmáticos... ui!!), ser defensor ardoroso da reforma alimentar ou de vestuário, etc., para ser ÉTICO... basta que você se disponha a entender, E APLICAR, aquilo que Jesus ensinou durante todo Seu ministério neste mundo.
 
Não é a toa que se costuma dizer que o sermão mais longo de Cristo, foi também o mais DIFÍCIL de ser vivido: o Sermão do Monte (releia-o em Mateus 5 a 7). Deve ser porque ali o Mestre não tratou de doutrinas secas e sem vida... mas da ÉTICA que salva.

Voltando à história de Urias, ele foi sim um exemplo a ser seguido no que se refere ao zelo que demonstrou para com a Arca do Senhor, para com seus "irmãos" de batalha, e para com seu rei... mesmo que os machistas e as feministas da cultura podre de nossa época pensem o contrário.
 
Nesta terrível história, o único verdadeiramente culpado foi DAVI, e somente depois que ele entendeu isso foi que escreveu o belo Salmo 51... um dos mais lindos do "Hinário de Israel".

"Amarás, pois, o SENHOR, teu Deus, de todo o teu coração, de toda a tua alma e de toda a tua força" - Deut. 6:5.

9 comentários:

Douglas Beronildo Oliveira disse...

"Compartilho com as suas observações, ser Cristão é muito mais que entender as profecias. Claro, que o ideal é entendermos as profecias e ao mesmo tempo ser ético. Contudo, a essencia do Cristianismo é ser bom, ou seja, agir de forma justa em todas as nossas atitudes, demonstrando amor a todas as pessoas independentemente de quem seja. Já fui em reuniões de igreja que lideres da Igreja chegam a dizem a seguinte frase "aquela pessoa ja deu o que tinha que dar, detalhe, esta pessoa citada, não é adventista."

Falcão disse...

Concordo sobre o tema da ética!
Costumo dizer que muitos vão à Igreja e ouvem o sermão pensando no irmão do lado. Se é lido um texto como, por exemplo, o de Provérbios 6:16-19 que fala sobre as 6 coisas que Deus odeia e uma Sétima que Ele abomina, os tais ouvintes supracitados já começam a pensar no irmão que "faz isso", "faz aquilo" mas jamais fazem uma auto-análise.

Até preguei, certa vez, abordando o tema sobre perfeição bíblica, e comentei que a Bíblia nos ensina a "Auto-análise" e não a "Outro-análise" (até postei sobre no meu blog).

A Ética nos ajuda a pensar em nossos atos e a ter cuidado com tudo o que fazemos. Aí entra Gl 5:22 com o Domínio Próprio, a Mansidão e até a paz. Quem não tem paz consigo mesmo correrá logo em busca de um defeito em alguém para esconder o próprio. É um problema "edênico", né?

"Foi a mulher que o Senhor me deu"... Desde lá é natural culparmos o outro ao invés de assumir um erro ou buscar corrigir um defeito.
Graças a Deus que temos um poder que não é nosso mas nos é dado para superar essa natureza rebelde!

Gilson Medeiros disse...

Caros Douglas e Thiago, obrigado pelos comentários.

Um abraço.
Gilson.

james disse...

Uau professor Eu fiquei de boca aberta ao ouvir isso. Eu como professor em minha classe no Sábado passado que falamos tbm sobre Urias, todos na classe estavam dizendo que Davi estava errado, e tudo se originou porque ele não foi um Líder, ele deveria ta na batalha, a mulher de Urias não fez nada de errado ela sempre se banhava La, a diferença era que Davi não a via porque estava preocupado com a obra de Deus e suas batalhas.
Fico triste de ouvir isso de nosso irmão, e mas triste ainda em ver esse professor dessa classe com esses alunos.
Graças a Deus que eu compreendi o que ele queria me ensinar com essa lição. E acredito que o senhor tbm.
Um abraço
E boa Semana.

Anônimo disse...

Ética?!

Seria interessante vc ler o livro introdutório "A Visão Apocalíptica e a Neutralização do Adventismo" de George Knight

Allan C. Felix

Sirleide da Rocha disse...

Bom Dia! Parece loucura presenciar isso que você presenciou na escola sabatina da qual participou. Tenho visto este tipo de comportamento por certa parcela dos que se dizem cristãos em várias ocasiões. Você fez muito bem em tratar deste tema.Sabemos que nem todos os que são chamados são escolhidos, justamente porque não aceitam os princípios da ética bíblica. Isso lembra quando Jesus repreedeu os fariseus por darem o dízimo até das especiarias, se negando entretanto a realizar as obras de Deus em favor do próximo. Tais pessoas devem viver uma religião de formalidades, como aqueles, contudo, sem vida em si mesma. Sempre fui contra incentivos nos templos, para que as pessoas fizessem alguma coisa que deveria ser um processo natural na vida do crente. Esse tipo de coisas, promove na verdade uma exaltação do eu, e aí quem as faz por este motivo com certeza não estão aptos a se moldarem pelos padrões divinos, e infelizmente demonstram esse descontentamento que você pode observar em relação a uma importante lição de Deus para seu crescimento na fé em cristo. Óbvio que esta minha observação é apenas parte de todo um processo vivido por tais pessoas, que apresentam vários sintomas e este que você mencionou é apenas um deles.Sirleide da Rocha

Gilson Medeiros disse...

Olá, Sirleide.
Obrigado pelo comentário.

Francisco A. de Azevedo disse...

Gilson,

Penso que não vais postar o comentário do ORLANDO R NETO , sobre este seu texto e sobre sua pessoa.

Contudo segue a resposta que dei a ele por e-mail.

Saudações Cristãs!

Alberto
=====================

Orlando,

saudações Cristãs!

Bem que poderia se desculpar pela conclusão precipitada, mas em vez disto miras a tua arma da maledicência também contra o Gilson?

Que Deus tenha misericórdia de todos nós

Alberto
=======

Erick disse...

Concordo com tudo dito, exceto com o termo detalizinhos irrelevantes empregado em relaçao a escritos contidos em Daniel e Apocalipse, esses livros e seu conteudo estao entre as bases de nossa denominaçao, de resto é um EXCELENTE ARTIGO, a propósito gostaria de parabeniza-lo por manter um dos melhores blogs religiosos da internet, acesso sempre que posso e gosto muito de tudo.

Cursos Básico, Médio e Avançado

Ebook 101 Razões