terça-feira, janeiro 10, 2017

Igreja deve ser lugar de refúgio

Qual a utilidade da Igreja?
Por que devemos (?) frequentar uma?
O que leva às pessoas a buscarem uma igreja?
Por que sair da minha casa para ir a um local onde as pessoas dizem adorar a Deus?

Você já se fez este tipo de perguntas?

É curioso quando observamos que a frequência a uma Igreja, com o tempo, acaba se tornando algo mecânico para muitas pessoas, pois já estamos acostumados com aquela "agenda semanal", e sabemos que naquele(s) dia(s) e hora(s) específica(s) temos um "compromisso" marcado. A grande maioria só faz isso uma vez por semana. No caso dos Adventistas, no sábado pela manhã.

Mas... o que nos motiva a continuarmos indo à igreja, semana após semana, ano após ano?

Os mais conservadores dirão que é o Espírito Santo que nos motiva. Concordo... em parte.

A grande maioria das pessoas vive em uma luta frenética pela sobrevivência. Sobrevivência no trabalho; 
Sobrevivência nos estudos; 
Sobrevivência no casamento; 
Sobrevivência na saúde... 
etc.

Lembro do que o saudoso Dr. LaRondelle escreveu em seu livro "O que é salvação":

"Há muitos no mundo e na Igreja que inconscientemente anseiam pela mensagem: ‘Os teus pecados estão perdoados’" (p. 78).

Acredito que esta é a PRINCIPAL razão que nos motiva a nos dirigirmos até uma Igreja. É claro que este sentimento é fruto da ação do Espírito Santo em nossa vida! Esse não é o ponto dessa reflexão de hoje. 

O que eu quero chamar a atenção, especialmente de líderes e pregadores, é que cada congregação reflita se está "saciando" este anseio da alma dos seus frequentadores...

As pessoas que se dirigem até sua igreja local estão saindo de lá, ao final do culto, com a certeza de que reabasteceram sua "bateria" para continuarem na jornada? 
Estamos oferecendo o mesmo alimento do espírito que Jesus oferecia aos Seus ouvintes? 
Temos, de fato, saciado esta sede/fome daqueles que procuram nossos cultos a cada semana?

Em alguns lugares, sim!
Em outros, não! Infelizmente...

Há alguns semestres estudamos na Lição da Escola Sabatina sobre os embates de Paulo com os legalistas de seu tempo. Parece que temos muitos "descendentes espirituais" destes mesmos legalistas também em nossos dias. São pessoas que acreditam que a melhor pregação, o melhor sermão, é aquele que "chama o pecado pelo nome"; aquele que "chicoteia" o pecador; aquele que faz com que as pessoas chorem "lágrimas de sangue" ao final do sermão. Este tipo de pregador gosta de se colocar em uma posição arrogante, superior, puritana... e só falta dizer: "querem ser salvos, perfeitos e livres do pecado? Sejam como eu!".

Nossos cultos, nossos sermões, nossos hinos e cânticos, devem exaltar a Jesus, e a Ele somente! 

As pessoas vão às igrejas em busca de cura para as feridas da alma, para as dificuldades e lutas do dia-a-dia. E se lá elas só encontram as "pedradas" dos santarrões de plantão, então elas passarão a ver que a igreja é um lugar de dor e sofrimento, e não de libertação. 

E quantos já não descobriram essa realidade?!

Será por isso que muitas igrejas não atraem visitantes?
Será por isso que muitas igrejas não possuem jovens em seus cultos?
Será por isso que muitas igrejas têm ouvintes tristes e frequentadores "mornos"?

Talvez...

Quando aprendermos a utilizar as ferramentas que Jesus nos deixou, manuseando-as como Ele fazia... então veremos mais sorrisos nos rostos de pessoas que estão sendo tocadas pelo Espírito libertador de Jesus. O mesmo Espírito que curou e aliviou o sofrimento (físico, mental e espiritual) de tantas pessoas de Seu tempo.

Deixemos de usar o chicote em nossos púlpitos... e passemos a utilizar mais a ÁGUA DA VIDA.


"Todos ficavam maravilhados com o Seu ensino, porque lhes ensinava como Alguém que tem autoridade e não como os mestres da lei" (Marcos 1:22).


Pregar um sermão "legalista" é muito fácil... difícil é saciar a sede do povo.

6 comentários:

Jacymara Gomes Ferreyra disse...

Maravilhoso artigo! Você está cada vez melhor! Deus seja louvado por isso.
Um abraço
Maranata!

Anônimo disse...

"Deixemos de usar o chicote em nossos púlpitos... e passemos a utilizar mais a ÁGUA DA VIDA..."
Deixemos mesmo pois é o que mais fazemos e o que gosto nesse blog é isso que você de vez em quando diz umas verdades necessárias e não encobre o que realmente e infelizmente ainda acontece em nosso meio.

Gilson Medeiros disse...

Oi, Jacymara.
Obrigado pelo carinho.

Fico feliz em saber que meus textos estão sendo úteis.

Um abraço.
Gilson.

João Batista E. Aguiar disse...

Seria bem legal se os nossos "irmãos" da IASD Guarabira lessem essa postagem. rsrs

Muito boa!

A.K.Renovatto disse...

Alguns vão a igreja por simples costume, sem dúvidas! Mas há aqueles que vão a uma igreja para receber uma palavra que verdadeiramente sacie sua sede espiritual e palavras de "chicote" nem sempre ajuda. Uma mensagem sobre salvação e perdão de pecados, por exemplo, bem planejada com começo, meio e fim (sim, há pregadores que floreiam tanto que se perdem na pregação)pode ser bem mais eficaz do que mensagens "duras" que como bem disse o pr, arrancam "lágrimas de sangue". Muito oportuno o tema abordado!

Gilson Medeiros disse...

Muito bom, A.K.Renovatto.

Penso o mesmo que você.

Um abraço
Gilson.

Cursos Básico, Médio e Avançado

Ebook 101 Razões