quarta-feira, setembro 14, 2016

O que a Bíblia de Genebra fala sobre a Lei de Deus

Uma pergunta que alguns normalmente nos fazem é: "Qual a melhor versão da Bíblia em português?". Apesar de que o ideal é conhecermos um pouco do texto original para fazermos nossa própria "tradução" (afinal: "Traduttore, Traditore" rsrsrs), podemos encontrar boas opções em nossa língua.

Eu, particularmente, gosto muito da Almeida Revista e Atualizada. Outra boa opção é a Bíblia de Jerusalém (se não se levar em conta algumas "heresias" romanas embutidas).

Existem também algumas Bíblias com "estudos" adicionais. Uma das mais conhecidas é a "Thompson", objeto de desejo de muitos que "começam" a estudar Teologia. Recentemente temos a excelente tradução da Bíblia de Estudo Andrews, editada pela CPB. 


Eu gosto muito da Bíblia de Estudo de Genebra (da qual tenho um exemplar). Acredito que ela tenha boas ferramentas, que foram passadas por alto em outras Bíblias de Estudo.

O problema destas Bíblias com comentários (notas que explicam os versos) é que, na grande maioria das vezes, elas são tendenciosas, "puxando a sardinha" para o lado da corrente teológica do editor ou editora da versão. Isto acontece com QUALQUER tradução/versão da Bíblia, infelizmente. A de Genebra, por exemplo, segue a linha teológica dos Presbiterianos.


A Bíblia de Genebra

Logo na Introdução, o editor geral em inglês da Bíblia de Genebra (R. C. Sproul) diz o seguinte:

"Os peregrinos e puritanos trouxeram a Bíblia de Genebra ao Novo Mundo. Colonos americanos [séc. XVII] foram educados na Bíblia de Genebra. Eles a leram, estudaram e procuraram viver por sua luz. Desde aquela época, uma grande quantidade de traduções para o inglês e de Bíblias de Estudo apareceram. Nenhuma dessas Bíblias de Estudo incorporou um resumo da teologia reformada. A nova Bíblia de Estudo de Genebra contém uma reafirmação moderna da verdade da Reforma em seus comentários e notas teológicas Seu propósito é apresentar a luz da Reforma de uma forma nova".

Como vemos, o editor considera esta Bíblia uma das mais sérias do mundo protestante.

O que me chamou a atenção há alguns meses (enquanto eu acompanhava um sermão de sábado na Igreja) foi uma nota teológica sobre 1João 3:7 (fica na pág. 1512), cujo título é "ANTINOMISMO". Esta expressão "cativou meu olhar" porque eu sei do significado do termo (quer dizer: "contrário à lei"). Ai pensei: "o que será que eles vão inventar dessa vez, para combater a lei de Deus?". Quando cheguei em casa (porque na hora do sermão devemos nos concentrar no que Deus inspirou o mensageiro a nos dizer), fui conferir...

E... eu estava enganado!

A nota fez uma defesa tão profunda da importância de se guardar os 10 Mandamentos, que eu pensei até que algum Adventista é quem tinha escrito o texto (rsrsrs).

Só para vocês terem uma ideia (podem ver o texto todo em alguma Bíblia de Genebra disponível em sua igreja ou em livrarias evangélicas)...

"Alguns dispensacionalistas [como os pentecostais, por exemplo] têm sustentado a ideia de que os cristãos, desde que vivem sob a dispensação da graça - e não da lei - não têm a necessidade de observar a lei moral em nenhuma etapa da vida. [Porém] Rom. 3:31 e 1Jo 6:9-11 mostram claramente que observar a lei é uma obrigação contínua dos cristãos...". (SIC)
"A lei moral revelada no Decálogo [os 10 Mandamentos] e exposta em outras partes das Escrituras é uma expressão da integridade de Deus, outorgada para ser o código de prática para o povo de Deus, em todas as eras... O Espírito [Santo] concede aos cristãos o poder para cumprir a lei, tornando-nos cada vez mais semelhantes a Cristo, o cumpridor arquetítipo [modelo] da lei (Mat. 5:17)".
 

Eu fiquei me perguntando:

"Se eles pensam assim, então POR QUE NÃO GUARDAM O SÁBADO DO SÉTIMO DIA, uma vez que este é um dos mandamentos centrais do Decálogo?!".

Com a palavra, os teólogos protestantes antinomistas...

Como disse Jesus: "Guias cegos"... lembra?

::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::

Mais uma vez eu tive minha fé REFORÇADA na Teologia Adventista do 7º Dia, pois essa amada Igreja segue exatamente aquilo que os mensageiros de Deus sempre ensinaram, mesmo que a mensagem seja tão "impopular" nos dias atuais.

"Aqui está a perseverança dos santos, os que guardam os mandamentos de Deus e a fé em Jesus" - Apoc. 14:12.

4 comentários:

A.K.Renovatto disse...

Com certeza Bíblias com notas de estudo vão "puxar sardinha" para a corrente teológica que o editor ou editora consideram a mais correta e também é óbvio que Bíblias com comentários de rodapé trazem o olhar pessoal da pessoa que fez tal estudo. Isso acontece com pessoas de mais variadas denominações e é o natural. Se pegarmos e colocarmos 10 pessoas para ler uma passagem bíblica, é certo que algumas delas irão concordar entre si, outros irão interpretar diferente. Normal portanto, cada teólogo que passa tempo estudando as Escrituras Sagradas para comentar textos bíblicos tenham uma visão talvez diferente de outro colega teólogo. Por isso, essa diversidade de interpretação nas Bíblias de estudo (nos comentários de rodapé). Quem salva é Jesus, não é denominação/instituição nenhuma, embora tenham sua importância no evangelho. Por isso, mesmo que cada denominação adote a Bíblia para estudo que vai de encontro com sua corrente teológica, penso que pessoas são transformadas por Jesus. Percebo pessoas transformadas em várias denominações, pessoas que antes eram uma coisa e hoje são novas criaturas! Isso é mérito de tais denominações e pregadores? Creio que não, mas sim é mérito do poder transformador de Cristo. Sou cristão, aprecio a denominação que frequento e se permaneço nela há anos é porque me identifico e gosto dela, mas não sou um homem de pensar que placa de igreja salva. Até porque creio que cada pessoa vêm a Deus de uma forma diferente e é chamada nem sempre na mesma denominação. Há um mistério na propagação do Evangelho de Jesus, porque ela não volta vazia. O certo é o evangelho ser pregado de forma pura, com o coração puro. Mas sabemos que há pessoas que pregam com interesses próprios, por orgulho, egoísmo, vaidade etc. Mas é interessante notar que o Senhor pode usar pessoas com propósitos torpes para alcançar os Seus propósitos. Claro que essas pessoas terão que dar conta de si mesmas e das reais intenções de seu coração diante de Deus um dia, mas sabemos que muitas vidas vêm a Cristo ouvindo tais pessoas (que podem estar pregando até com fingimento e com interesses próprios), porque quem convence e transforma vidas não é o homem (que é falho e imperfeito), mas o Espírito Santo. Há porém, mistério na propagação do Evangelho de Cristo. Para concluir, eu particularmente gosto da versão Almeida Revista e Atualizada.

“Mas que importa? Contanto que Cristo seja anunciado de toda a maneira, ou com fingimento ou em verdade, nisto me regozijo, e me regozijarei ainda”. (Fp 1:18).

Gilson Medeiros disse...

Muito obrigado pelo comentário, prezado A.K. Renovatto.

De fato, jamais podemos limitar o poder salvador de Deus, e colocá-lo dentro da teologia finita de qualquer denominação. O Senhor é sempre soberano, e Sua Palavra nos mostra de forma cabal o caminho em que devemos seguir para nunca nos desviarmos dEle.

Um abraço
Gilson.

Thiago disse...

Pr Gilson não há 1 João 6: 9-11 por favor reexamine o texto e corrija pois 1 João só há 5 capítulos desde já agradeço

Gilson Medeiros disse...

Caro Thiago, como você pode ver, eu apenas transcrevi o texto que está na Bíblia de Genebra que citei... houve, sim, um erro (talvez de digitação)... mas não cabe a mim corrigi-lo.

Um abraço
Gilson.

Cursos Básico, Médio e Avançado

Ebook 101 Razões