quarta-feira, dezembro 05, 2012

A lei na forma de "ordenanças" em Efés. 2:15

É comum me enviarem e-mails ou comentários questionando a guarda do sábado do Senhor, e utilizando versos do NT que falam sobre a "abolição" da lei.

Este tipo de equívoco se dá devido à salada teológico-doutrinária que algumas denominações fazem na cabeça de seus membros, levando-os a distorcerem a Bíblia e compreendê-la de forma errada. Sabemos muito bem que é "mestre" nesta tarefa (cf. Mateus 4). 

Um dos textos citados é Efés. 2:15:

"aboliu, na sua carne, a lei dos mandamentos na forma de ordenanças, para que dos dois criasse, em si mesmo, um novo homem, fazendo a paz"

Um rapaz me enviou a questão, dizendo que a namorada estava analisando a pontuação do verso, e se perguntando que "ordenanças" eram estas que foram abolidas. Seria uma referência de Paulo à lei moral (os 10 Mandamentos) ou às leis cerimoniais?

Como esta dúvida deve ser comum a outras pessoas, resolvi colocar aqui um esboço da resposta que enviei para o e-mail do meu caro companheiro de blogagem...rsrs

Olá, XXX.

Sua namorada, que gosta de gramática, como vc disse, precisar atentar primeiro para a diferença entre o Português e o Grego bíblico. A língua na qual foi escrita o Novo Testamento não trazia pontuação nem separação entre as palavras, as quais foram colocadas posteriormente. Portanto, não podemos basear uma concepção apenas na pontuação do texto em Português, sem antes conferir como ele está na língua original. Este mesmo problema ocorre, por exemplo, em Lucas 23:43.

Quanto a Efés. 2:15, temos o seguinte:

Não se pode compreender corretamente um verso sem obervar o que o autor disse antes e depois. Veja o que Paulo disse no v. 11:
"Portanto, lembrai-vos de que, outrora, vós, gentios na carne, chamados incircuncisão por aqueles que se intitulam circuncisos, na carne, por mãos humanas".

É aqui que ele inicia o pensamento que é concluído no v. 16:
"e reconciliasse ambos em um só corpo com Deus, por intermédio da cruz, destruindo por ela a inimizade".

É fácil verificar qual era o tema do "discurso" de Paulo: a inclusão dos gentios como sendo parte do povo de Deus na Nova Aliança. Ou seja, a partir de Jesus, não seriam apenas os judeus que fariam parte do povo de Deus, mas TODOS aqueles que entregassem suas vidas ao Salvador, Jesus. Por algum tempo, alguns discípulos (inclusive Pedro) continuaram crendo que os gentios (os povos não-judeus) que se convertessem deveriam continuar obedecendo as "ordenanças" judaicas, ou seja, praticar os rituais do judaismo, em especial a circuncusão. Foi necessário que ocorresse um Concílio em Jerusalém para que estes pensamentos fossem combatidos (cf. Atos 15). Apesar de eles terem tomado o voto de não cobrarem dos gentios convertidos nada além do que realmente era importante, muitos ainda continuaram pensando que os rituais judaicos deveriam ser observadores por eles. A carta aos Gálatas é uma prova de que Paulo enfrentou duros debates sobre este tema (mesmo após o concílio de Jerusalém), e nesta carta ele chega a citar um momento de "discussão" que teve com Pedro sobre o assunto (cf. Gál. 2:11).

Portanto, o tema que Paulo estava ensinando em Efés. 2:11-16, como vemos no texto, era exatamente esta "liberdade" que os gentios convertidos receberam com relação aos antigos rituais judaicos que prenunciavam a chegada do Messias (em especial, as festas de sacrifício - Lev. 23 - e a circuncisão).

O texto mostra que os 10 mandamentos não eram o alvo da declaração de Paulo, pois ele mesmo cita em Efés. 6:2 um dos 10 mandamentos, mostrando que eles tinham total validade para os crentes da Nova Aliança.

Seria uma incoerência absurda de Paulo dizer no capítulo 2 que os 10 mandamenos foram "abolidos", e citar logo seguida o 5º mandamento como sendo importante no trato entre pais e filhos. Não acha?!

Concluindo, em Efés. 2:15 Paulo está dizendo que as ordenanças judaicas perderam o sentido para os gentios convertidos, pois estes baseiam sua fé em algo muito mais importante e eficaz: o sacrifício de Jesus na cruz. A passagem nada tem que ver com os 10 Mandamentos, que Paulo considerava como sendo válidos para todos os crentes em Jesus.

::::::

A distinção entre a lei moral e a lei cerimonial é muito clara na Bíblia. Infelizmente, muitos pregadores evangélicos da atualidade insistem em não admitirem este fato, e usam passagens isoladas para defenderem a ideia absurda (e diabólica!) de que a Lei Moral de Deus passou.

Graças ao bom Deus, que concede iluminação do Espírito Santo a todo inquiridor sincero e humilde, que esteja disposto a ter seus olhos abertos e poder contemplar a beleza da obediência aos reclamos da Sua santa, imutável e eterna Lei Moral!!!

"Pois qualquer que guarda toda a lei, mas tropeça em um só ponto, se torna culpado de todos" (Tiago 2:10).

10 comentários:

Felipe Franco disse...

Mt bom Gilson, esclareceu mt coisa pra mim!
Abração!

Prof. Gilson Medeiros disse...

Sempre às ordens, grande Felipe.

Um abraço.

Filipe Reis disse...

Olá Prof. Gilson,

Gostaria de acrescentar um pensamento acerca da lei moral estar ainda em vigor.

Aos olhos de Deus, eu posso me dirigir a qualquer pessoa que defenda que a lei moral não vigora mais e assassiná-la? Aos olhos de Deus posso usar de mentira para com essa pessoa no sentido de enganá-la? Aos olhos de Deus posso tomar a esposa dessa pessoa como minha mulher?

A resposta às três perguntas é NÂO! E porquê? Porque a lei moral ainda está em vigor! Se não estivesse, eu poderia fazer todas aquelas ações atrás descritas que elas não estariam erradas, não lhe parece?

Abraço.

Prof. Gilson Medeiros disse...

Caro Filipe, muito boa a sua colaboração.

Obrigado!

Gustavo Assis de Azevedo disse...

Muito bom Gilson! Deus seja louvado!

Chacon disse...

Fui dar uma pesquisada na Bíblia: II Reis 17:34, II Reis 17:37, Det 11:1, separam o que é mandamento de ordenanças. São parecidos, mas na Bíblia são tratados como coisas diferentes, então, se Paulo citou ordenanças, significa que NÃO SÃO OS DEZ MANDAMENTOS, pode ser tudo, menos os 10 Mandamentos. Se eu aprendi algo com a Igreja Adventista (entre muitas coisas maravilhosas) foi saber que doutrina ou conceito não se tira de um só versículo. Abraço

Anônimo disse...

Aqueles que são contra a Lei moral de DEUS,isto é,os dez mandamentos, fazem,então,apologia do crime,tais como:homicídios,furtos e roubos, dentre outros.
São,portanto,segundo a lei dos homens
passiveis de punição(prisão),já que fazem opologia do crime.

osvaldo disse...

ola, acho um absurdo alguns comentários como a do Felipe Reis, isto simplesmente não existe na conciencia de um Cristão, isto sõ mostra que realmente, muitos ainda não foram alcançado pela Graça que nos foi dada, pois como pode alguem dizer que se a lei moral foi extinta eu posso matar, posso adulterar, roubar.
Digo a verdade em Cristo, ainda que muito estudam, se esforçam, continuam como os sacerdotes, que se diziam ser doutores da lei mas não lhes era aberto os olhos pra verem aquele, que tanto eles como os profetas quizeram ver.
Veja como tropessam, e não conseguem absorver dentro de si o verdadeiro sentido do que é Amar o próximo como a ti mesmo.
Toda biblia se resume, e depende deste mandamento para que seja cumprida. Nem o primeiro mandamento é possivel cumprir, se primeiro não amar seu próximo, pois para amar a Deus devemos primeiro amar nosso próximo, pois do contrario somos mentirosos, pois ja disse um dos apostolos que se não amo a quem eu vejo como poderia amar a quem não vejo.
Então não matar, não roubar, não adulterar, todos estes só serão cumprido se dentro de voçe existir o amor. Jamais um cristão realmente convertido dira o que muitos dizem, necessario se faz nascer de novo,terem uma nova vida, uma nova conciencia, para que se por ventura cometer algum pecado, este seja involuntário, para que seje perdoado, é como matar, sabemos que todos somos capaz de cometer este pecado, na hora da ira, e é desta forma que somos perdoados, porque se cometemos involuntariamente este sera perdoado, pois o Espirito nos convençe e produz em nos o arrependimento, e é assim de confissão em confissão, de arrependimento em arrependimento, pois sempre vamos cometer pecado, e assim herdar vida eterna.

Anônimo disse...

Osvaldo,

Quantas estripulias os antinomistas não são capazes de produzir em suas teses furadas a fim se justificarem!
O arrazoado do Filipe procede,e tem nexo.Já o seu é o conhecido e vulgar nhem, nhem,nhem.
Se vc não sabe é bom saber:as leis estão presentes no mundo físico e espiritual,não podemos prescindi-las.Por que?
Porque são necessárias,sem elas não se consegue governar, administrar, existir(tanto físico com espiritual)organizar,subsistir,manter a ordem...etc.
Não confunda as coisas,pois AMAR é
cumprir a lei das duas tábuas,pois a primeira dize-nos de nosso amor para com DEUS,já na segunda,dize-nos de nosso amor para com os nossos semelhantes.Portanto, amar ao próximo não é apenas verborragias da boca para fora,e sim,fato,práticas,vivenciadas em nossas vidas diariamente,prática diária.E como ele disse.
Não confunda:Graça é o poder de DEUS para fazer por nós aquilo que nós não podemos fazer por nós mesmos,e não liberdade para pecar,ou a falta de compromisso para com DEUS.Ninguém tem licença para pecar,pois é a LEI que o qualifica como transgressor, pecador.Se não houvesse a LEI moral, não haveria pecador,e a graça seria desnecessária.
Sei que o inimigo já fez uma lavagem cerebral na maioria da humanidade,e nem mesmo que ressuscitasse alguém dos mortos,ainda assim, não creriam nele.

osvaldo disse...

Caro anonimo, respeito muito os que defendem a lei, e ate compreendo estas diferenças de entendimentos, mas isto não pode e nunca podera, ser motivo de contenda perniciosa, pois sempre entendi que quem da o entendimento é Deus.
Quanto a lei do antigo pacto, e nossas leis governamentais, elas não foram criadas por causa dos justos e sim por causa dos injustos, se todos fossem justos ela simplesmente não existiria.
Eu entendo que quando o Messias disse, "Eis que um novo mandamento vos dou" o que era velho se passou, não teria porque Ele dizer" novo" se ja existia no velho.
Como disse antes a lei é para os injustos, hoje não podemos confessar que somos injustos perante Deus, no conceito humano sim, porque somos e sempre seremos pecadores, mas pra Deus Não, porque Ele morreu levando consigo minhas injustiças, passadas, presentes e futuras, diante deste entendimento a lei não vigora sobre mim, porque não mais sou contado como injusto.Deus não ve mais minhas imperfeições pra Ele eu sou e sempre serei perfeito, porque Ele se fez perfeito há meu favor.
Tendo este entendimento, não estou de maneira nenhuma me dando liberdade para pecar, do contrario eu nasci para me tornar um homem novo, buscando minha santidade todos os dias, pois é assim que Ele foi Santo
Qual então a diferença entre mim e voçe, voçe observa os dez mandamentos, e tenta ser dirigido por ele, e talvez os cumpra. Eu ja digo que não os tenho mais,como regra, e talvez o meu cumprimento seja mais exelente do que o teu, porque sou como os gentios que sem a lei cumpria os mandamentos, muito melhor que muitos Judeus.
Não quero de maneira nenhuma que me enterprete mau meus comentarios, pois do contrario, estariamos nos afastando do foco, que é conhecer os designos de Deus para nossa vida. Pois acredito que foi para isto mesmo que criaram este blog, poder livremente expessar nossos entendimentos.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...